História Entre o amor & a vingança - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anahí, Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, James Rodríguez, Marcelo Vieira
Personagens Cristiano Ronaldo
Tags Ação, Álcool, Anahi Portilla, Cr7, Cristiano Ronaldo, Drama, Suspense, Tiro
Visualizações 124
Palavras 3.496
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Famí­lia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite
Desculpa qualquer erro de ortografia escrever no celular mt ruim.

Capítulo 15 - Em teus braços


Fanfic / Fanfiction Entre o amor & a vingança - Capítulo 15 - Em teus braços

Pov. karen Aveiro

Não acredito que essa vagabunda não vai beber a merda desse suco? Já faz meia hora que a vaca escolhe um vestido e nada. De repente sinto alguém tocando a minha cintura quase soltei um grito, mas o James tapou a minha boca com a mão.

_ O que você está fazendo aqui parada na porta do quarto da Amélia? _ James indaga confuso.

_ Ai! Tu quer me matar de susto? _ digo apavorada.

_ Não. Só achei engraçado você com essa bunda empinada olhando a Amélia a mais de meia hora. _ fala tranquilo, beijando a minha nuca.

_ Para, James. Assim eu perco a concentração. _ digo séria voltando a espionar Amélia.

_ Deixa eu ver também? _ diz empolgado.

_ Nem morta! Ela está de toalha, não quero você olhando essa vagabunda. _ digo enciumada empurrando-o para longe da porta.

Amélia olha para a mesa e até que enfim percebe o seu suco de frutas. Ela segura o copo com a mão esquerda e com a outra olha alguma mensagem no seu celular.

_ Beba! _ Resmungo estressada e para o meu alívio a vagabunda bebe tudo.

Ela fica meio tonta acho que coloquei muito calmante, as pálpebras do seus olhos vão se fechando devagar até ela cair dura na cama.

_ Que merda você colocou nessa bebida, Karen? _ James pergunta intrigado.

_ Nada. _ digo rindo _ Só vai fazê-la sonhar com as suas primas: as galinhas.

_ Se o Cristiano souber que você fez isso com a namorada dele, vai brigar feio contigo.

_ Ele não vai precisar ficar sabendo. _ respondo calma. _ Agora me ajuda a descobrir a senha do celular dela.

_ Você não vai fazer isso._ James fala sério retirando o celular da minha mão.

_ Devolva! _ falo irritada. _ Ela pode estar traindo o meu irmão.

_ Claro que não! Amélia é apaixonada pelo Ronaldo. _ ele diz convicto.

_ Não seja burro, essa cobra não é de confiança. _ falo estressada. _ Agora me entregue a droga desse celular.

_ Você não vai conseguir desbloquear. _ retruca sério. _ Vamos pedir ao Marcelo para desbloquear, ele é fera em tecnologia.

_ Ótimo! Vamos logo falar com ele. _ falo empolgada.

     Pov. Anahí Portilla

Visto a minha camisola vermelha de seda, e me deito na cama pronta para dormir quando ouço o meu celular vibrando freneticamente no criado-mudo.

Quem é o infeliz que está me ligando a essa hora? Já são 00:00 da noite, eu necessito dormir para aguentar a karen logo cedo no shopping, simplesmente porque o cretino do meu chefe resolveu bancar o estilista da moda. Pego o celular com muita raiva quase jogando contra a parede e vejo a mensagem do meu "adorável" chefinho.

Filho da puta! Ele quer que eu saia da minha cama para buscar a merda dos seus desenhos.

Fala sério! Por que ele mesmo não vai buscá-los?

_ Que cara é essa, Any? _ Sabrina pergunta meio sonolenta.

_ O meu chefe cretino mandou buscar a porcaria dos seus rabiscos na empresa. _ digo com raiva se levantando da cama e vestindo o meu blazer preto por cima da minha camisola vermelha.

_ E você vai buscar, né? _ ela indaga preocupada. _ Caso contrário, perderá o seu emprego.

Senhor me de forças para não matá-lo estrangulado.

_ Vou! _ digo entediada calçando a minha sandália. _Me empresta a chave do seu carro.

_ Você vai assim? _ indaga confusa. _ Sem trocar de roupa?

_ Sim. _ digo séria pegando a chave do seu carro.

             [...]

Entro na sala do meu chefe e encontro a tal pasta, pensando bem vou dar uma espionada nos documentos dessa empresa. Abro a porta da sala do Carlos Aveiro com um prendedor de cabelo e com a lanterna em mãos procuro os seus documentos.

Merda! Nada de importante tem aqui, só contratações de máquinas, venda e compra dos carros durante o primeiro semestre do ano. Cadê a droga de um documento onde comprova a sua fraude ou roubo de banco etc....

Saio totalmente frustada da empresa, jogo a posta do Cris no banco de trás do carro e entro no mesmo. Dirijo por mais uma hora até chegar no seu apartamento, o porteiro me olha com curiosidade e diz:

_ Veio visitar o Ronaldo? _ sorriu malicioso.

_ Sim. Ele ainda está no apartamento? _ indago entediada.

_ Está esperando a namorada dele e você. _ pergunta curioso _ Por acaso vocês vão fazer uma orgia?

Encaro friamente o velho barrigudo na minha frente e digo:

_ Por acaso eu tenho cara de prostituta?

_ Não! Mas convenhamos que uma visitar a uma hora dessa no apartamento de um homem comprometido deixar muito a imaginar. _ diz sorridente.

_ Você não passa de um velho pervertido e fofoqueiro. _ digo furiosa e entro no elevador.

Ao chegar no apartamento dele aperto a campanhia com força.

Cristiano está vestido apenas com uma calça moletom preta, deixando exposta o seu peitoral nu. Cheirando a loção pós barba, obviamente deve ter acabado de tomar banho já que os seus cabelos estão molhados.

_ Isso é jeito de aparecer na casa dos outros? _ indaga sério fitando o meu corpo. _ Não tem roupa mais não?

_Teria colocado uma roupa mais apresentável se o meu chefe babaca não tivesse pedido a droga desses desenhos na hora do meu sono. _ falo irritada jogando a pasta na cara dele e os papéis caem no piso da sala.

_ Tá no contrato, você é paga para me obedecer. _ responde furioso apanhando os papéis que continua o seu novo projeto no chão. _ Olha só a merda que você fez, tirou a ordens certa de cada desenho.

_ Que pena! _ digo debochada. _ Precisa da minha humilde pessoa para mais alguma coisa?

_ Não! Agora some da minha frente. _ resmunga com raiva.

_ Com todo prazer. _ digo sarcástica.

Uma velhinha simpática sai do seu apartamento ao lado e diz:

_ Acho melhor você ficar na casa do seu namorado. O elevador quebrou e a escada está interditada por causa de um acidente que teve hoje cedo.

_ Que acidente? _ Cristiano pisca confuso.

_ Aquele moleque que vive descendo as escadas de bicicleta atropelou o senhor de idade. _ fala revoltada. _ A policía estar investigando o caso.

_ E agora como eu vou sair daqui? _ questiono frustada.

_ Não seja burra! _ a senhorinha ajeita o seu óculos de grau e sussura no meu ouvido:. _ Aproveite o resto da noite para namorar esse moreno gostoso.

E assim ela sair me deixando boquiaberta. Cristiano me fita com uma expressão séria, em seguida diz tranquilamente:

_ Eles consertam o elevador em dez minutos, enquanto isso você pode esperar na minha sala.

Já que eu não tinha outro jeito mesmo resolvir entrar com ele. Como sempre tudo estava em ordem sem nenhuma bagunça aparente. Ele sentou no sofá ajeitando o seu projeto que eu havia bagunçado a muitos atrás.

_ Já avisei a Karen que amanhã ela fará compras com você. _ diz sério.

_ Não precisa ficar me lembrando, eu já sei. _ respondo estressada cruzando as pernas.

Droga! Ele é tão irritante quando está concentrado no trabalho que mau enxerga a minha presença aqui na sua sala.

Cristiano pega o celular e manda uma mensagem para a sua namorada, nada romântico escrever: cadê você? . Ele parece estar frustado acho que a Amélia não quis dormir com ele hoje.

_ Tá rindo de quê? _ pergunta rude. Merda! Ele percebeu a minha felicidade.

_ Nada, só me lembrei do meu encontro de ontem com o Henry. _ digo meia  verdade, odiei  o filme que ele me levou para assistir, era sangue para todos os lados.

_ Henry? Aquele loiro feio? Péssima escolha, pensei que você soubesse escolher melhor seus namorados. _ fala sarcástico.

_ Não somos namorados, por enquanto estamos apenas nos conhecendo. _ respondo calma.

_ Se conhecendo sexualmente na sua cama?  _ resmunga raivoso fitando as minhas pernas. _ Por acaso você estava com ele quando eu mandei aquela mensagem?

_ Você pode até ser o meu chefe, mas não tem o direito de se meter na minha vida pessoal. _ digo furiosa. Quem ele pensa que é para querer saber todo os meus passos?

_ Acorda pra vida, Anahí!. _ Cris retruca exacerbado. _ Aquele cara não presta.

_ Por acaso você o conhecê para saber se ele presta ou não? _ indago estressada fitando-o fixamente.

_ Eu não conheço. _ diz sério _ Mas tenho certeza, que ele não é confiável.

_ Se for por isso, meu bem!  Também não confio na Amélia. _ respondo debochada.

_ Minha namorada é confiável, tá! _ fala irritado.

_ O Henry também é um ótimo rapaz. _ retruco enfurecida.

_ Ele vende droga. _ diz sério.

_ Quem te falou esse absurdo? _ indago irritada.

_ O Toni kross o dono que faz os eventos dos rachas clandestinos me contou que o Henry vende drogas. _ responde furioso. _ Ou seja, o cara é um traficante e se você se envolver com ele será demitida da minha empresa.

_ QUÊ? _ Pergunto espantada.

_ Eu não quero nenhuma usuária de drogas trabalhando comigo. _ diz frio. _ Se você quer namorar com ele vai ter que pedir demissão. Não quero mulher de traficante no meu local de trabalho.

_ Não acredito que você esteja inventando tudo isso só para me tirar da sua empresa? _ falo exacerbada.

_ Eu não estou inventando porcaria nenhuma, estou falando a verdade. _ diz com raiva aproximando o seu rosto do meu. _ Você que está se apaixonando muito rápido por esse delinquente.

_ E você está com ciúmes? _ arqueo as sobrancelhas.

_ Eu não tenho ciúmes de você.

_ diz ríspido. _ Só tenho pena da sua ingenuidade.

_ Eu não preciso da sua proteção e não sou nenhuma donzela em ar puro. _ respondo irritada.

_ Ah, não? Any você foi quase estrupada naquela boate e eu te salvei. _ diz sério. _ Então, para de se achar a garota independente e ouça mais as pessoas que se preocupa contigo.

Eu escultei bem? Ele se preocupa comigo? E ainda voltou a me chamar de Any?

_ Aquilo foi uma infeliz coincidência, eu estava no lugar errado. _ digo frustada ainda me doia lembrar aquele acontecimento.

_ Desculpa! Não queria te fazer lembra disso. _ diz arrependido tocando o meu rosto com a palma da sua mão.

_ Tá desculpado. _ digo baixinho fitando os seus olhos castanhos de mel.

_ Você me confunde tanto, Any. _ Cristiano diz sério. _ Não me deixe fazer nenhuma  besteira contigo, diz para eu parar agora. Porque se eu for adiante você será minha.

A sua mão toca no laço do meu blazer, com intenção de desamarrar

_ E se eu quiser que você vá até o fim? _ digo firme perdida no seu olhar.

_ Eu te levarei para a minha cama.  _ diz excitado abrindo os botões do meu blazer deixando amostra a minha camisola vermelha _ Você já veio pronta para mim.

_ Não está sendo fácil ficar perto de ti. _ digo confusa tocando no seu cabelo molhado. _ Sua namorada pode chegar a qualquer momento.

Sinto sua boca beijando o meu pescoço e a sua mão deslizando pela minha coxa.

_ Só me diga sim ou não? _ pergunta baixinho no meu ouvido.

_ Sim! _ respondo de imediato.

Cristiano me beija afoito, seu corpo sobre o meu, sua pele quente, seu perfume amadeirado e forte me embriaga de prazer. Aperto seus bíceps sentindo a minha pele aquecida, seu membro duro roçando de leve na minha coxa .  Eu só preciso de uma noite com ele para acabar de vez com essa minha atração.

_ Sua pele é tão macia, Any _ fala calmo retirando a minha camisola por cima da cabeça, deixando os meus seios expostos. Sua língua umedece os lábios, Cristiano abaixa a cabeça e com a ponta da língua faz círculos imaginários nos meus seios, em seguida chupa com tanta ânsia e desejo que quase tive um orgasmo com aquela boca faminta.

_ Cris.... _ gemir agarrando com força os seus cabelos ao sentir seus dedos afastando a minha calcinha e me penetrando.

_ Molhada! Tô jeito que gosto. _ sorriu torto voltando a chupar agora o meu outro seio. Fecho os olhos deixando a volúpia do prazer me dominar.

Meu Deus! Que homem é esse? Eu o odiava por me fazer desejá-lo tanto. As minhas mãos passeia  pelas suas costas largas e arranha com força a sua pele,  sentindo a  sua língua descendo para a minha barriga indo em direção a minha buceta. Ele da um beijo carinhoso em minha barriga em seguida retira a minha calcinha com a boca.

_ Tu está sem cueca? _ pergunto rindo ao tocar no seu pau duro por dentro da sua calça moletom.

_ Estou, algum problema? _ ri gostosamente mordendo o meu lábio inferior.

_ Nenhum.

Sua língua me explorando minhas pernas perdendo as forças sendo mantidas afastadas pela sua mão,  dou uma mordida no seu ombro, seus dedos fricciona o meu clitóris com força. Cravo minhas unhas em seus braços enquanto minha outra mão toca aquele pau grande e duro, sentindo o   pulsando em minhas mãos.

Ele da um beijo carinhoso em minha barriga em seguida retirar a minha calcinha com a boca.

_ Sonhei em fazer isso desde a primeira vez que te conheci. _ confesso com voz rouca descendo a sua boca para a minha intimidade.

Cristiano chupa delicadamente cada parte da minha buceta, sua língua quente me toca com certa malícia e aqueles dedos grandes fazem o meu corpo todo estremecer de desejo. Seguro no seus ombros me apoiando ao sentir a sua língua brincando com o meu clitóris,  eu já estou completamente excitada  e não demora muito para alcançar o meu orgasmo. Suspiro pesadamente tentando recuperar o meu fôlego, ele morde o lábio inferior e me encara com o seu olhar faminto.

 _ Deliciosa! Te quero na minha cama, você grudada no meu corpo, enquanto eu te faço minha._ ele diz lascivo me colocando em seu colo e me levando até o seu quarto.

 _ Não quero transar na mesma cama que você transa com a Amélia.  _ digo irritada e ele ri gostosamente.

 _ Eu nunca transei com ela aqui nessa cama, só no outro quarto. _ diz calmo. _ Você é a primeira.

 _ Mentiroso  _ digo desconfiada. Ele me deita com cuidado no colchão.

 _ Confie em mim. _ pede carinhoso, beijando os meus lábios.

Puta que pariu! Ele é bem dotado e gostoso.

Cristiano retira o resto da sua roupa numa agilidade incrível, enquanto sua boca devora a minha, ele estica o braço até a cômoda, abrindo a gaveta com certa rapidez e com a mão direita pega um pacote de camisinha.

 _ Achei!  _ fala sorrindo e só pra me provocar seu pau estar roçando por cima da minha  buceta fazendo um atrito gostoso.

Depois de colocar o preservativo, Cristiano abre as minhas pernas e as colocaa no seu quadril, sinto o seu pau me penetrando devagar e o seu corpo se juntando ao meu. Abraço a sua cintura quando ele começa a se movimentar com mais velocidade.

 _ Caralho! Tu é bem apertadinha _ diz malicioso e mordisca o meu queixo. _ Quanto tempo você não transa?

Filho da mãe! Como ele sabe que faz tempo que não faço sexo.

 _ 3 anos. _ digo com a voz falha sentindo seu pau entrando e saindo de dentro de mim.

_ Hum.... maravilha _ fala calmo apertando a minha coxa e beijando o meu seio esquerdo. _  Farei valer a pena, a sua espera.

Cristiano tomou os meus lábios com um beijo feroz, pedindo passagem com a língua e eu cedi beijando-o. Suas mãos parecem estar em toda parte do meu corpo, seu membro duro feito uma pedra me deixava cada vez mais excitada.

 _ Mais forte....

 _  Com todo o prazer. _Ele sorrir de canto aumentando mais as estocadas, seguro firme os seus braços fortes aproveitando cada sensação  que sinto o meu corpo. 

 _ Fica de quarto pra mim, Any. _ pede com a sua voz sexy. Eu adoro o meu nome sussurrado pela aquela boca gostosa. 

Apoio os meus braços na cama e deixo o meu bumbum empinado na direção do seu membro.

 _  Belo traseiro _ elogia alisando minha bunda, em seguida ele dá um tapa forte que me fez gritar. _ Aí!!

 _ Gostosa! _ Cristiano me invade com uma só estocada. Seu pau se movimenta num vai e vem gostoso fazendo o meu corpo ficar em chamas. 

 Suas mãos seguram meu quadril dando mais impulso, ele beija toda a minha coluna, deixando um rastro de fogo em cada parte do meu corpo. Aperto seu pau contraindo a minha musculatura interna ao redor do seu membro grande.

 _ Porra, Any! Eu vou gozar. _ diz safado e mordisca a minha orelha.

 _ Cris.... _ Gemi afoita sentindo uma explosão tomar conta de mim. Cristiano me penetra mais forte, acelerando as estocadas me fazendo chegar ao clímax num orgasmo intenso.

Minutos depois ele goza com um  grunhido rouco, retirando a camisinha e jogando fora. Em seguida se deita ao meu lado.

 _ Até que você manda bem, para uma garota de vinte e pouco anos. _ diz com a respiração acelerada.

 _ Você também, não é de se jogar fora. _ digo rindo.

_ Dorme  comigo. _ pede beijando o meu rosto e me abraçando forte. 

_ Não sei se é uma boa ideia. _ respondo pensativa.

 _Por quê? _ indaga confuso. _ Eu não vou te deixar ir embora numa hora dessa, é perigoso.

 _ Eu fico, mas só por hoje. _ falo séria.

Cristiano balança a cabeça positivamente e em seguida me beija calmamente, seus lábios macios saboreando os meus era a melhor sensação que sentir na vida. 

      Horas depois......

Acordo de madrugada sentindo uma sede imensa, com muito cuidado consigo tirar os braços do Cristiano da minha cintura. Saio calmamente do quarto sem fazer nenhum barulho, eu precisava ir embora, ficar perto dele estar me deixando muito confusa. Ao chegar na sala, apanho as minhas roupas que estão espalhadas pelo chão. Vejo um copo de whisky largado no centro da sala, eu realmente preciso beber algo para ver se diminui a minha atração por esse cara. A bebida desce queimando, mas que estranho estou sentindo um calor no meu corpo e uma vontade imensa de transar. Que merda está acontecendo comigo?

Pov. Cristiano Ronaldo

A transa com Anahí foi tão maravilhosa que até estou sonhando com aquela boca chupando o meu pau. Meu Deus! Até nos sonhos ela me deixa louco.  PORRA! Está parecendo tão real, abro os olhos lentamente e quase tive um trecho ao vejo chupando gostosamente o meu membro que já estar endurecido. Então, não é um sonho?

 _ Que delícia! Acordar desse jeito _ Sorrir torto colocando as minhas mãos atrás da cabeça, fechando os olhos ao sentir a sua boca chupando o meu pau.  _ Isso me chupa, gostosa.

Anahí aperta os meus testículos com uma mão e arranhando o meu peitoral com a outra, me fazendo gemer de satisfação. Agarro a sua mão e  coloco perto do meu coração, que está acelerando gradativamente a cada carícia da sua língua em meu pau. 

_ Pare! Quero gozar na sua bucetinha. _ digo excitado.

 _ Eu te quero Cris...

Anahí me olha com muita malícia pega uma camisinha na minha gaveta e coloca com cuidado em meu pau. Em seguida, se senta de uma só vez me fazendo gemer ao mesmo tempo que ela.

 _ Any! Você vai se machucar entrando desse jeito.  _ digo sério.

_ Cala a boca!  _ fala com raiva descendo e subindo no meu pau.  _ Isso é tão gostoso. _ ela morde o lábio.

 _ Que merda você tomou, Anahí? _ pergunto rindo ao vê-la afoita aumentando a velocidade.

 _ Me fode, Cris! _ pede fazendo um biquinho gostoso.

 _ Você quer que eu te coma, Any? _ pergunto malicioso tocando o bico do seu seio.

 _ Quero ! _ responde com certa malícia beijando os meus lábios intensamente.

 Aumento a velocidade das estocadas fazendo-a gemer alto, ela segura os meus ombros enquanto rebola toda safadinha no meu pau.

_ De novo _ suplica com a respiração ofegante. Dou outra estocada profunda sentindo a sua buceta apertada apertando o meu membro duro. 

 _ Vou gozar, Any! Goza comigo. _ digo com a minha voz rouca sussurrando em seu ouvido.

 _ Isso é tão bom _ ela fala rebolando gostoso.

 _ Rebola nele. _ digo adorando vê-la cavalgando em mim.

 _ Mais rápido.... _ pede sofregamente.

 _ Que bucetinha, deliciosa! _ digo excitado. _ Porra, Anahí! Tu tem ideia de como é bom ser apertado por você?

Sentir que ela estar quase gozando, aumento o ritmo penetrando mais fundo. Apertando a sua cintura fina com força ao sentir o prazer dominar todo o meu corpo. Anahí morde o meu ombro com força abafando o seu gemido ao alcançar o clímax. Sai de dentro dela lentamente, tombando na cama ao seu lado e abraçando forte contra o  meu corpo. Ela retribui o meu abraço, em seguida fecha os olhos lentamente, sua respiração acelerada se mistura com a minha. Beijo a sua testa demoradamente, enrolo o edredom sobre os nossos corpos nus e durmo tranquilamente com ela em meus braços.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...