História Entre o amor & a vingança - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anahí, Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, James Rodríguez, Marcelo Vieira
Personagens Cristiano Ronaldo
Tags Ação, Álcool, Anahi Portilla, Cr7, Cristiano Ronaldo, Drama, Suspense, Tiro
Visualizações 91
Palavras 2.051
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Famí­lia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde!!!

Capítulo 31 - Teu corpo és meu


Fanfic / Fanfiction Entre o amor & a vingança - Capítulo 31 - Teu corpo és meu

Pov. Cristiano Ronaldo

Sinceramente a Anahí não consegue nem cuidar da minha filha quando estar sozinha e fica agora atrapalhando o meu jantar com a minha vizinha.

Encaro a Paloma na minha frente e digo:

_ Desculpa! A minha filha não está se sentindo bem, eu preciso voltar para a minha casa. _ digo preocupado.

_ Eu vou contigo, sairemos  outro dia. _ Paloma pega a sua bolsa, enquanto pago a conta e deixo algumas gorjetas para o garçom.

_ Vamos! _ digo sério acompanhando-a até o carro.

_  Eu te sigo. _ ela diz tranquila, faço um aceno com a cabeça e entro no meu Porsche.

Como o restaurante fica perto do meu apartamento em menos de vinte minutos já havia chegado no meu prédio. Saio do carro apressadamente, espero que a Emily esteja bem e que não seja nada grave.  Entro no elevador ao lado da minha vizinha e espero chegar no nosso destino. 

_ Está ansioso para rever a sua filha? _ Paloma indaga calma, deixando um pouco amostra os seus seios fartos.

Porra! Desde o coma da Anahí, eu não transei com ninguém e agora essa mulher fica me atiçando dentro do elevador.

_ Sim, eu fico preocupado com a minha princesinha quando saio e a deixo nas mãos daquela doida. _ digo calmo.

Paloma se aproxima do meu corpo, alisa o meu braço e sussurra em meu ouvido:

_ Depois que você cuidar da pequena Emily, te espero ansiosamente no meu apartamento, na minha cama. Também preciso dos seus cuidados, Ronaldo.  _ ela aperta o meu membro maliciosamente e me sinto já excitado. 


Deve ser boa de cama, uma mulher cheia de atitude e que sabe o que quer é disso que preciso na minha vida. 


_ Eu vou dá uma passadinha por lá. Te dar um pouco de carinho e atenção, principalmente na sua bucetinha. _ digo tranquilo e antes que o elevador parasse, beijo a Paloma com muita gana. Ela aperta os meus bíceps, enquanto chupo a sua língua com gosto de vinho. E quando aperto a sua bunda trazendo-a para mais perto do meu corpo, ela geme em minha boca. A porta se abre, me afasto da morena a minha frente e saio do elevador totalmente doido para foder a sua buceta.

_ Estarei lhe esperando sem calcinha. _ Paloma revela maliciosa e segue em direção ao seu apartamento, já fiquei até imaginado essa gostosa na cama de pernas abertas pronta para me dá. 

_ Hoje vou descontar os dias que não transei. _ digo animado abrindo a porta de casa. 

Assim que entro vejo a Anahí andando de um lado para outro, vestida com um vestido branco extremamente curto e colado no seu  corpo. Qual a intenção dessa mulher? Me enlouquecer?


 Ela me fita séria e quando ver o volume na minha calça diz furiosa:

_ Que lindo! A nossa filha precisando do pai por perto  e ele se agarrando com aquela rapariga no elevador. 

_ Como você sabe que eu estava quase comendo a minha vizinha no elevador? _ questiono incrédulo.

_ A sua boca está suja de batom roxo. _diz debochada.

_ Eu não devo nenhuma satisfação  da minha vida a você, nós não somos namorados. _ digo sério. _ Cadê a minha filha?

_ No quarto dela,  onde mais estaria?  _ responde impaciente.

Ao entrar no quartinho da minha pequena, encontro-a dormindo calmamente, com as mãos fechadas e a chupeta rosa na boca. Me viro para encarar a Anahí e digo baixinho:

_ Ela está perfeitamente bem. Não acredito que você atrapalhou o meu maravilhoso jantar por causa da sua implicância comigo. Ou você está morrendo de  ciúmes de mim? 

Vou para o meu quarto irritado, Any me segue e fala sarcástica:

_ Ela se acalmou agorinha, tá! Você demorou muito para chegar em casa e eu não tenho ciúmes de você. Por que haveria de ter? 

_ Sai daqui, Anahí! _ digo ríspido. _ A sua presença me incomoda, me sufoca e me deixa irritado. 

_ Não saio, eu estou falando contigo e quero ser escutada. _ diz séria.

Me olho no espelho, limpo a marca de batom dos meus lábios, ajeito a minha camisa pólo verde e coloco o meu perfume caro. 

_ Para onde você vai? _ ela indaga curiosa. _ Você acabou de chegar e já está pensando em sair de casa novamente? 

_ Vou fazer uma visita a minha vizinha gostosa que estar necessitando da minha atenção na sua cama. _ respondo paciente e abro a gaveta onde deixo os meus preservativos. _ Merda! cadê as minhas camisinhas?

  _ Joguei no lixo, estavam todas vencidas com validade ultrapassadas. _ diz despreocupada.

_ Você não fez essa idiotice? _ indago irritado. _ Eu comprei todas elas semana passada estão perfeitas para serem utilizadas. Cadê os meus preservativos, Anahí?

_ Já disse que estão no lixo. _ diz sapeca. _ Restou apenas uma.

Ela sobe o seu vestido até a cintura e mostra a minha camisinha presa na sua calcinha rosinha transparente, deixando a mostra boa parte da sua bucetinha.  Puta que pariu! Isso é muito excitante, meus olhos ficam focalizados na sua intimidade por longos segundos. Sentir muita vontade de comer essa safada, mas eu não vou cair nesse seu joguinho idiota, sou capaz de controlar os meus desejos.

_ Devolve o meu preservativo agora, pois, eu estou com muita pressa. _ digo sério.

_ Estou percebendo, o seu pau está bem acordado. _ diz brincalhona e sobe na minha cama.  _ Se você quiser a sua camisinha, vai ter que vim pegar aqui dentro da minha calcinha.

_ Tu já passou da idade de ficar pulando na cama. _ falo debochado, me aproximo do seu corpo, mas  ela corre para perto da janela de vidro.

_ Hoje você não vai sair mais  desse apartamento. _ diz firme.

_ Vou sim. _ respondo sério e a pego pela cintura. _ Peguei você, acabou o jogo. _ falo animado, mas a minha serenidade se vai quando a Any roça a sua bunda em meu membro, me fazendo ficar mais duro.

_ Está excitado? Meu bem!  _ ela indaga risonha e continua se esfregando em meu pau.

_ Estou muito excitado, inclusive vou foder uma morena linda daqui a pouco no apartamento do lado. _ digo baixinho no seu ouvido. _ Vou enfiar o meu pau durinho na buceta dela e você vai ficar aqui sozinha chupando dedo feito bebê.

_ Vagabundo! _ ela retruca furiosa. _ Você não vai, porque você não tem camisinha e tu não quer outro filho. 

Encosto a Any na janela, ela apóia as duas mãos no vidro e rebola atrevida roçando em meu membro novamente. 

_ Eu vou resgatar a minha camisinha e depois vou embora. _ digo calmo e dou um leve tapinha na sua bunda. 

_ Eu sei que você me quer. _ ela diz afoita, quando sente os meus dedos descendo na direção do seu clítoris. 

_ Na verdade é você que está querendo me dá. Anahí!  _ falo excitado mordiscando o seu pescoço. _ Está só esperando o meu pau te comer , mas eu não vou transar contigo, pode ter certeza disso.  _ digo calmo e penetro a sua buceta com os meus dedos sentindo a sua umidade. 

_ Por quê? _ indaga curiosa, adorando sentir os meus dedos  deslizando sobre a sua buceta  molhada.   _ Eu sei que você sente saudades de me ter na sua cama, não se faça de difícil.

_ Oh! Delícia! _ digo com voz rouca, fodendo a Any com dois dedos, aumentando a velocidade.  _ Está tão apertadinha por ter ficado muito tempo sem ser comida que me excita. 

_ Sim! Estou com tesão acumulado. _ ela fala excitada e gemendo baixinho.

_ E você agora quer me dá a sua bucetinha, depois de tudo que me falou naquele hospital. _ indago sério, massageando o seu clitóris fazendo-a ficar sensível ao meu toque.

_ Quero muito ser sua, apesar de você não merecer._ diz afoita.

_ Quer gozar com os meus dedos ou com o meu pau? _ pergunto malicioso mordendo a sua orelha. 

_ Com o teu pau, Cris! _ responde ofegante.

_ Sinto muito, querida! Mas, hoje eu vou foder outra buceta. _ digo sarcástico pegando a camisinha e saindo de perto dela.

_ Desgraçado! Estou morrendo de desejo e você vai me deixar assim? _ indaga enfurecida. _ Queimando em brasas.

_ Vou. _ digo rindo e saio do quarto deixando Anahí sozinha e doida para transar.

_ Ela não vai querer transar contigo. _ Any fala me seguindo até a sala.

_ Por quê? _ cruzo os braços na altura do meu peitoral e encaro fixamente os seus olhos.

_ Porque você está excitado por mim e não por ela. _ diz exacerbada. _  Chega até ser ridículo você aparecer na casa dela desse jeito.

_ É bom! Pois, já iremos direto para o quarto fazer as coisas acontecer. _ digo calmo.

_ Você vai se lembrar de mim, quando estiver com ela. _ diz maliciosa me empurrando no sofá e se sentando em meu colo. _ Vai desejar o meu corpo grudado no seu na hora do prazer.

Any abre o zíper da minha calça, retirando o meu membro e masturbando o mesmo com a sua mão. Ela me empurra para ficar deitado e retira a minha calça junto a cueca box. E por que estou deixando ela fazer isso? 

_ Merda! Você não deveria  me desconcentrar desse jeito. _ digo excitado ao ver a sua boca lambendo a cabeça do meu pau. _ Caramba, Any! _  suspiro fundo quando ela me engole todinho.

_ Gostoso! _ ela fala maliciosa me chupando com vontade.

_ Chupa mais, mais forte _ digo suspirando. 

Any aumenta mais ainda a velocidade, me masturbando com as mãos e com a sua boca quente até me fazer gozar. 

_ Hum... Isso é muito bom. _ digo excitado. _ Mas, agora eu preciso entrar na sua bucetinha que deve estar muito sensível.

Any retira o seu vestido e a calcinha ficando totalmente desnuda, fico sobre o seu corpo após colocar a camisinha. Perco alguns minutos chupando os seus seios grandes, ela enlaça as suas pernas no meu quadril aproximando o nosso contato, me posiciono em sua entrada e entro devagarinho sentindo o prazer ir aumentando conforme vou invadindo a sua intimidade.

_ Cris! _ ela geme o meu nome, sentindo os primeiros movimentos do meu membro penetrando-a fortemente.

Beijo os seus lábios sofregamente, Any desliza as suas mãos em minhas costas, enquanto aumento o nosso ritmo estocando cada vez mais forte, a saudade que sinto dela só aumenta a cada estocada. Gosto muito de sentir nossos corpos suados na volúpia do prazer, se permitindo se amar constantemente. 

_ Puta merda! _ falo lascivo fodendo a sua bucetinha gostosa cada vez mais apertada.

_ Sentir falta do nosso sexo. _ ela fala de olhos fechados e mordendo o lábio inferior.

_ Sentiu, meu bem! _ digo carinhosamente e dou atenção ao seu seio novamente fazendo círculos imaginários com a língua. 

_  Awnn..._ Any geme alto, se contorcendo toda.

_ Quetinha! A Emily pode acordar. _ digo sério. _ Não quero a minha pequena ouvindo essas safadezas de adulto.

_ Tá gostoso demais, Cris! Não consigo ficar muda.  _ diz maliciosa apertando o meu pau com a musculatura interna da sua buceta. _ Eu não posso ficar quieta.

_ Tô quase gozando, Any! _ digo completamente excitado fodendo num vai e vem delicioso.  _ Goza comigo, no mesmo instante.


_ Awnn... _ ela responde com um gemido alto, alcançando o clímax comigo. Dou mais algumas estocadas na sua buceta molhada e quente antes de sair de dentro dela.

Encaro os seus lábios inchaços, com a respiração ofegante e os olhos fixos nos meus e digo sério:

_ Esqueça o que aconteceu aqui, não vai suceder outra vez foi um erro, um impulso, coisa de momento. 

_ Tem certeza? _ ela arquea as sobrancelhas. 

_ Absoluta! _ falo ríspido, apanhando as minhas roupas e indo para o meu quarto.

Maldição! Eu deveria ter terminando a noite na cama  da Paloma, dormindo ao seu lado. Por que eu não evitei a Anahí? Entro no banheiro totalmente frustado, ligo o chuveiro e tomo um longo banho para vê se tiro o cheiro dela da minha pele. Bi



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...