História Entre o amor e a vingança - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo
Personagens Cristiano Ronaldo
Tags Ação, Álcool, Anahi Portilla, Cr7, Cristiano Ronaldo, Drama, Suspense, Tiro
Exibições 30
Palavras 2.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, semana que vem eu não vou poder postar. Mas em compensação teremos um capítulo hoje.

Capítulo 7 - Dívidida


Fanfic / Fanfiction Entre o amor e a vingança - Capítulo 7 - Dívidida

P.O.V Cristiano Ronaldo


Tomei um banho rápido e vestir minha calça moletom, deitei na cama e comecei a ler o livro orgulho e preconceito. Eu precisava tirar da mente aquela caipira, aposto que nunca teve uma foda boa.  Garota mas estranha, estávamos curtindo um ao outro, e de repente ela vem ter uma crise de consciência.


Meu celular tocou me trazendo de volta a realidade, era ligação do meu pai. Eu iria rejeitar a sua chamada, mas poderia ser algo importante.


Ligação on


_ Alô! _ falei tranquilo.


_ Que merda que tu vez Cristiano? _ questionou severo.


_Do que o senhor está falando? _ indaguei impaciente.


_ Tem fotos em todos os sites de você agredindo um rapaz na boate _ sua voz estava alterada _ Irresponsável! É assim que pretende ser o novo presidente da empresa? 


_ Não admito que o senhor fale assim comigo. _ revidei irritado me sentando na cama _ Eu só salvei uma garota que estava sendo assediada na boate por um drogado. Qual o problema?


_ Que deixasse ela morrendo lá! Eu não quero o nome da minha empresa jogado na lama por causa da sua negligência _ meu pai Carlos falou enfurecido. _  Preserve a sua imagem, você é filho de um grande executivo e não de um zelador de prédio.


Odeio meu pai e as suas cobranças em querer me tornar um filho perfeito.


_ Eu não iria deixar a garota lá, e sinceramente faria tudo de novo. Mesmo que o senhor me ache fraco e irresponsável _  retorqui furioso.  _ Tenha uma boa noite.


_ Cristiano você não....


Desliguei na cara dele, não suporto essa obsessão exagerada em ser o melhor executivo do mundo.


Ligação off


Ainda estou sem acreditar que a caipira chata e petulante está em meu apartamento. A vida é mesmo surpreendente nós se odeia, mas o destino sempre arruma um jeito de nos atormentar.


Voltei a lê o meu livro pra ver se parava de pensar na minha quase transa com Anahí.


Já era 2:30 da manhã quando o meu celular tocou avisando que eu tinha uma notificação de mensagem no whatsapp.


" Cristiano, você poderia me passar o endereço da casa do Marcelo? A Any até agora não voltou para casa _ Maitê" 


Digitei a mensagem e enviei a resposta:


" Não vai ser necessário,  Any está comigo. Amanhã ela te explica tudo". 


Sorri ao ler a resposta dela:


"  Ok! Juízo vocês hein! Até amanhã . Ah! Não esqueça da camisinha.  - Maitê "


" Até, beijos".


Eu estava quase pegando no sono quando ouvir um grito desesperado do quarto da Anahí.


_ NÃO! POR FAVOR NÃO FAÇA ISSO COMIGO _ ela gritava angustiada.


Corrir para o seu quarto que fica do lado ao meu, abrir a porta rapidamente e entrei. Estava tudo escuro e ela gritava:


_ ME DEIXA EM PAZ!


Acendi a luz do quarto, Anahí se debatia na cama, estava com o rosto suado e chorava de medo. Ela estava tendo um pesadelo ruim. Me sentei na cama e segurei firme os seus  braços.


_ Anahí! Acorda é só um pesadelo! _ falei calmo. 


Ela acordou assustada sem saber direito o que tinha acontecido. Os seus olhos azuis estavam amedrontados, e a feição pálida.


_ Foi horrível! _ ela me abraçou chorando. _ Eu sonhei com aquele bandido da boate.


_ Foi só um sonho ruim, não é real _ respondi mais calmo ao sentir o seu corpo mais relaxado.


_ Mas parecia tão real, ele me dizia que iria me matar após abusar de mim _ contou aflita.


_ Ninguém vai te fazer mal _ falei sério segurando o seu rosto com minhas mãos. _ Eu vou cuidar de você.


Any estava tão frágil que apertava o meu coração encarar aqueles olhos azuis sem vida, sem brilho e sem cor. E a culpa era daquele desgraçado. Eu deveria ter matado aquele infeliz.


_ Cristiano...


_ Me chame de Cris _ sorri de canto enxugando as suas lágrimas _ não quero te vê chorando por causa daquele filho da puta.


_Eu tenho medo dele tentar outra vez _ ela falou medrosa.


_Ei, Any! Não pense bobagens _ falei sério acariciando o seu rosto. _ Ninguém vai te machucar, eu prometo.


Eu não queria ver aqueles olhos azuis tristes, cheios de medo e pavor. 


_ Me sinto tão sozinha _ Any me fitou intensamente.


Estávamos muito próximos, Anahí pode até ser marrenta, petulante e entre outras coisas. Mas também tem um lado frágil e sensível. E essa outra Anahí me dá vontade de cuidar, de beijar e até mesmo me apaixonar.


Minha mão esquerda ainda acariciava o seu rosto, e a cada segundo fui diminuindo a distância das nossas bocas. Toquei levemente os seus lábios com os meus, ela acariciou os meus braços quando pedi passagem com a língua. Any retribuir o beijo sem reclamar, era um beijo calmo e cheio de carinho. Eu só queria apagar da sua memória as lembranças ruins, explorei cada pedacinho da sua boca, sentindo o seu gosto doce e inebriante. Abracei a sua cintura fina, eu necessitava sentir o seu calor quente em minha pele. Any timidamente acariciou as minhas costas, deitei o meu corpo sobre o dela e aprofundei o nosso beijo sentindo o prazer nos dominar nessa atração forte.


Com muita relutância da minha parte tive que me afastar do seu corpo, antes que eu a fizesse minha ali mesmo em sua cama.

A garota estava traumatizada, e eu não queria assustá-la e nem me aproveitar desse momento para seduzi-lá. Talvez seja esse o motivo dela ter me parado na cozinha.


Parei de beijar os seus lábios carnudos, e encarei os seus olhos confusos.  A minha testa estava colada na sua, e o meu corpo sobre o seu. Era tão bom sentir as suas mãos delicadas me tocando.


_ Você está bem? _ perguntei atencioso.


_ Estou! _ respondeu mais calma.


_Ótimo! Eu vou para o meu quarto. _ falei tranquilo me levantando.


_ Cris! Fica aqui comigo _ Any me puxou de volta pra cama _ Eu não quero ficar sozinha.


_ Tem certeza? _ indaguei confuso.


_ Tenho! _ disse calma.


Me deitei de barriga pra cima na cama e puxei o seu corpo para perto do meu. Ela encostou a sua cabeça em meu peito, fiz um cafuné em seus cabelos loiros.


_ Sua mão está melhor? _ perguntei preocupado.


_ Está! Já não me incomoda mais _falou meio sonolenta. 


Depois de alguns minutos Any dormiu em meus braços e em seguida acabei dormindo também.


(...)


Eu não estava acostumado a dormir na mesma cama de uma mulher à muito tempo. Normalmente depois da transa cada um segue o seu caminho. Odeio fazer joguinhos de sedução, só bem objetivo e direto se quero apenas uma noite de sexo é isso que direi. Se a mulher aceitar perfeito, senão fazer o que? Nem tudo que queremos a vida nos dá.


Me levantei com muito cuidado para não acordá-la, não sei como, mas dormimos de conchinha. E mais uma vez eu pensei em sexo, eu já ostentava uma ereção matinal e Anahí com essa bunda empinada bem próximo de mim, deixou a minha imaginação pervertida fluindo. 



Cobrir o seu corpo com o endredom e sair do quarto dela, entrei no meu fui até a minha hidromassagem e relaxei um pouco. 


Os meus pensamentos estão bagunçados uma hora eu quero matá-la e outra eu tenho vontade de beijá-la.


Mas essa caipira não vai me dominar eu vou me afastar dela, essa garota tem o dom de perturbar a minha paz.


P.O.V Maitê Perroni.




William parou o seu carro na porta do meu apartamento.

Passamos a noite juntas  e foi tudo perfeito. Ele é meigo, gentil e educado, a cada dia que se passa eu o amo ainda mais.


_ Está  entregue _ William sorriu alegremente pra mim.


_ A noite foi incrível, obrigada por tudo _ falei meio tímida.


_ Teremos mas noites incríveis como essa May _ disse carinhoso.


William me beijou carinhosamente e eu o beijei de volta sentindo os seus lábios roçando nos meus.


Paramos o beijo quando o ar nos faltou, respirei fundo tentando recuperar o fôlego.


_ Eu vou ter que ir _ disse frustado _ O trabalho me espera.


_ Vou morrer de saudades  _ fiz cara de carente.


_ Eu também sentirei a sua falta _ disse carinhoso.


_ Se comporte Dr. William, estou de olho em você viu? _falei enciumada e ele gargalhou.


Já percebi olhares descarados das suas funcionárias  cobiçando o meu namorado.


_ Eu só tenho olhos pra você minha morena ciumenta _ William me beijou e depois de nos despedimos eu entrei no meu apartamento.


Eu estava radiante e feliz, até ver a Cibele no sofá me olhando de cara feia.


_ Anahí não dormiu aqui _ falou de mau humor.


_ Sério! Que você está aí sentada esperando por ela? _ gargalhei


_ Era pra ela vim contigo, por que não veio? _ questionou curiosa.


_ Eu diria que não é da sua conta, mas já que você quer saber ela está com o Cristiano Ronaldo _ falei maliciosa vendo a sua cara enfurecida.


_ Quê? Aquela vagabunda está com o meu Cristiano? _ falou furiosa.


_ Em primeiro lugar ele nunca foi seu, então menos Cibele porque você não está com essa moral toda _ falei debochada _ Agora me dá licença que eu vou dormir.


_ Droga! Eu vou matar essa Anahí _ ela resmungou irritada.


Coitada! Pelo pouco que sei do Cristiano, ele odeia mulheres pegajosas em seu pé. E óbvio, que estou torcendo para a Anahi e ele ficarem juntos.



P.O.V Anahí Portilla



Me levanto sentindo falta do calor quente do Cristiano. Eu fiquei triste por ter acordado e não ter o encontrado na cama.


O que está acontecendo comigo?


Eu não posso me apaixonar por esse idiota! Eu preciso me infiltrar na empresa do Carlos Aveiro, e pensando bem usar o seu filho como escada não será nada mal.


Como eu não pensei nisso antes?


Cristiano Ronaldo é a chave para me aproximar de toda a sua família e descobrir os segredos do seu pai.


Vou ao banheiro faço as minhas higienes matinais e volto ao quarto. 


Alguém bate na porta.


_ Posso entrar? _ Cristiano perguntou antes de invadir o meu quarto.


_ Pode!


Ele me fitou dos pés a cabeça, eu tinha acabado de tomar banho e estava só de toalha. 


Pelo visto não vai ser difícil conquistá-lo. Os seus olhos castanhos estavam fixos em minhas coxas.


_ São pra mim? _ perguntei ao ver uma sala da Chanel nas mãos dele.


_ Ah... sim _ ele falou com a sua voz naturalmente rouca.


Cristiano me entregou a sacola os nossos dedos se tocaram e eu sentir um choque elétrico percorrendo por todo o meu corpo.


_ Mandei comprar uma roupa pra você, já que as suas viraram trapo _ disse meio nervoso.


Ele estava elegante como sempre, mas dessa vez estava trajando um terno social preto, que caia perfeitamente em seu corpo.



Abrir a sacola e retirei de dentro um vestido branco lindo, composto na frente mas tinha um x atrás que destacaria um pedaço da minha pele. E por fim uma lingerie preta bem sexy, toda rendada.


_ Obrigada! _ sorrir simpática.


_ Agradeça a Estefânia. Foi ela que comprou, eu só entreguei o dinheiro. _ respondeu sério.


Droga! Pensei que ele que tinha escolhido pra mim. E quem é essa Estefânia?



_ Ok!


Percebir que o Cris estava mais distante de mim, por que será? Ele precisa se apaixonar por mim, isso é essencial para os meus planos.


_ Bom, eu vou ter que ir a empresa, mas você pode ficar a vontade. _ disse tranquilo _ Depois que você tomar café, o meu motorista vai te levar em casa.


E assim ele saiu sem me dizer nenhuma palavra.


Maldito! Eu pensei que iria me levar para casa, não vai ser fácil conquistar esse ogro.




Vesti a roupa que ele comprou e descir para a sala, Cristiano conversava com alguém pelo telefone. E confesso que ele estava bem alterado.



_ Eu pago o tratamento dela, não se preocupe... vai dá tudo certo.  _ ele suspirou pesadamente antes de desligar o celular.


_Problemas? _ fingir estar preocupada.


Cris me fitou rapidamente e disse:


_ Não é da sua conta _ resmungou irritado.


_ A sua mãe não ensinou a ser educado, não? _ falei irada querendo enforcar esse cretino irresistível.



_ Olha! Eu não estou com paciência para as suas discussões infantis _ falou rústico e eu fiquei boquiaberta ao vê-lo pegar a sua pasta e ir embora.



Não acredito que ele me chamou de criança.



Tomei o meu café na cozinha mesmo, junto a D. Estefânia que descobrir que é a empresa do Cristiano e não sua amante.


Ela é uma senhora de meia idade, é gordinha e tem os cabelos curtos.


_ É impressão minha, ou a senhorita ficou triste porque o Cris não ficou aqui contigo? _ indagou curiosa. 


Quê? Eu chateada por causa daquele imbecil, nunca.


_ Não!  _ Falei séria e ela sorriu de lado cortando um pedaço de bolo pra mim.


_ Cristiano é um rapaz muito ocupado, está sempre querendo mostrar para o pai que ele está pronto para assumir o seu lugar na presidência _ ressaltou pensativa.


_ Os dois tem uma boa relação? _ perguntei interessada em saber mais sobre essa família.


_ Não! O pai dele é muito rigoroso e sua vida gira em torno do trabalho. Cristiano sempre sofreu com a ausência da figura paterna em casa _ Estefânia suspirou triste _ O pai dele nunca estava por perto quando ele precisava.


Ps: Claro que não estava se ele é um assassino perigoso.


_ Então ele odeia o pai? _ questionei confusa.


_ Não, nada verdade ele é contra certas atitudes dele. _ respondeu séria _ Ele é mais próximo do seu tio Roger, que aliás não sou muito fã.


_ Por quê? _ indaguei confusa.


_ Não sei lhe explicar, mas ele me causa calafrios toda vez que vem visitar o Cris _ ela falou apreensiva. _Acho ele muito sonso.



Roger? Acho que vou investigar esse cara também.


(....)



O motorista do Cris me deixou em casa, assim que cheguei no meu quarto May e Sabrina fizeram um bombardeio de perguntas para mim.


_ E aí! Como foi a sua transa com o Cristiano? _ May interpelou empolgada.



Me sentei ao lado da Sabrina e respondi:


_ Não houve nada _ falei evasiva.


_ Nada? Nenhum beijo? _ Sabrina questionou desapontada.


_ É Any, fala alguma coisa, não venha me dizer que vocês só dormiram porque eu não acredito _ May disse séria.


Eu não queria falar sobre esse assunto, mas é melhor dizer alguma coisa antes que elas me matem.


_ Nos beijamos na boate _ falei calma e elas sorriram contente.


_ Por isso aquela Amélia queria te matar _ May gargalhou.


_ O que mais aconteceu? Como você foi parar na casa dele? _ Sabrina indagou animada.


_ É Any, porque fiquei sabendo que depois que eu fui embora roubaram a boate e três pessoas morreram _ May falou séria.


Merda! Eu não quero dizer sobre o meu quase estupro.


_ Quando eles invadiram a boate, eu e o Cristiano já tínhamos ido embora _ mentir.


_ Hum... já estava apressados né _ Sabrina sorriu.


_ Até roupa nova ela ganhou _ May disse maliciosa.


_ Vocês são duas devassas _ sorrir de canto _ Não rolou nada demais, só uns beijos.


_ Vai me dizer que ele não tentou te levar pra cama? _ May arqueou as sobrancelhas.


_ Bom.... A gente quase transou na cozinha _ falei pensativa.


_Por isso está com a mão cortada! _ Sabrina gargalhou _ Vocês estavam fazendo o que, Anahí?


_ Não seja malvada, eu cortei porque o copo escorregou da minha cama.


_ Aí, ele resolveu te ajudar e depois te agarrou _ May completou risonha.


_ Foi, só que quando as coisas começaram a esquentar eu parei _ suspirei derrotada.


_ Por quê? Você não estava gostando? _ Sabrina perguntou confusa.


_ Não! Quer dizer eu estava adorando _ falei sincera.


_ Não vai me dizer que você é virgem? _ May interpelou confusa.


_ Não! Eu parei a nossa transa porque ele transou com a Camila na boate _ resmunguei irritada.


_ Eu tinha esquecido desse detalhe _ May franziu a testa.


_ Então, você vez bem amiga _ Sabrina me apoiou _ Não deixe ele pensar que você é uma qualquer.


_ E quanto a Camila, não se preocupe só mais você _ May disse simpática.



E assim ficamos conversando de tudo um pouco, antes de irmos para a Universidade.




Notas Finais


Até o próximo...
E um bom final de semana para vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...