História Entre o amor e o desejo - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha Kanketsu-hen
Exibições 28
Palavras 2.140
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


eu tive que refazer um capitulo, e nao me lembrava como era, kkk ja faz muito tempo, então, para quem ja leu, essa parte da historia ta um pouco diferente, mas foi só retiradas uma coisas, o resto ta igual...

Capítulo 14 - Capitulo 14- Ataque dos inimigos.


Capitulo 14- Ataque dos inimigos.

Mais um dia calma no castelo de Sesshoumaru, e Rin esperava pacientemente que seu mestre voltasse logo. E todo dia, pela manhã, olhava o horizonte da janela de seu quarto, esperando ver o Inuyoukai aparecer, mas não havia sinal deles.

Megumi – Bom dia Rin... – a serva entrava no quarto – ansiosa pela volta de Sesshoumaru-sama?

Rin – bom dia... ele deu alguma noticia?

Megumi – não, nenhuma. Tenha paciência, logo ele estará de volta.

Mas o que elas não sabiam, era que um exercito inimigo se aproximava do castelo, com poderosas armas e grande numero de youkais.E foi Meguni a primeira a perceber que algo estava errado.

Megumi – cuidado Rin... – com seu instinto de youkai, conseguiu desviar a humana de um ataque, que praticamente destruiu todo o quarto dela, mas a serve ficou ferida no chão.

Rin – Megumi... – estava assustada. Pode ver do seu quarto, que o castelo estava sendo invadido.

Kuzuo – Hime-Sama... – o youkai apareceu – aqui não é seguro, venha.

Rin – não, eu não vou deixar Megumi para trás.

Kuzuo – certo... – pegou a serva em seu colo e Rin o seguiu.

E tudo que Rin via era um cenário de guerra. Inuyoukai correndo para defender o território, muito barulho e sangue.

O general tinha que proteger Rin a qualquer custo, e naquele momento o único lugar seguro era nas masmorras. Onde ele levou a humana e serva.

 

#-#

 

Há muitos quilômetros de distancia do castelo das terras do Oeste, Sesshoumaru caminha tranquilamente de volta para seu feudo, acreditava que lá era o local mais seguro do Japão, os inuyoukais eram superiores em força a maioria das outras espécies de youkais, guarda bem treinada e armada, ou seja, só um tolo pensaria em invadir suas terras.

Uma brisa sopra e balança seus longos cabelos prateados, e trás para suas narinas um cheiro familiar. Sentindo cada vez mais o cheiro se intensificar,  olha na direção em que o ser esta vindo, ate aparecer em meio as arvores.

Sesshoumaru – o que faz tão próximo as minhas terras Inuyasha – observou que com seu meio-irmão estava uma youkai gato e mais dois humanos.

Inuyasha – Sesshoumaru... – o hanyon disse parando enfrente ao irmão mais velho –  estar tudo bem?

Sesshoumaru -  não me diga Inuyasha que você estar preocupado com seu irmão? – sarcástico

Inuiasha – bah... como se eu fosse perder meu tempo me preocupando com você baka, viemos por causa da Rin, a Ka... – foi interrompido pelo mais velho.

Sesshoumaru – Rin! ...

Inuyasha – sim, Kagome estava preocupada com ela, então resolvemos vim “visita-la” para ter certeza que ela esteja bem.

Sesshoumaru – ela ... – antes de responder sentiu o cheiro de um de seus generais se aproximando. Inuyasha e Kirara também sentiriam um youkai se aproximando e ficaram em alerta, preparados acaso houvesse necessidade de um combate.

Um enorme cão negro cruzava o céu, desceu indo em direção ao grupo no meio da floresta. Quando aterrissou no solo já estava em sua forma humana.

Tekai – lorde Sesshoumaru!!! O castelo esta sendo atacado – não esperou resposta, pois Sesshoumaru já assumirá sua formar youkai, e partiu em disparada para o castelo, sendo seguido pelo general também na forma youkai.

Miroku – é Inuyasha, nessas horas que é bom ser youkai completo – falou olhando para o rastro que os dois inuyoukais deixaram no céu – se você fosse capaz de se transformar um bicho desses nos já estaríamos lá.

Inuyasha – fÊh... eu só muito melhor que esses dois – com umas das mãos cerradas e com a cara vermelha de raiva – vamos logo.

Miroku e Kohaku subiram em Kirara, e Inuyasha logo ao lados deles.

#-#

O cenário no castelo era de uma verdadeira guerra épica. Já haviam vários mortos empilhados no chão, e outros tantos ainda lutavam bravamente. Takashi lutava junto com seus soldados ate Akira chegar perto dele.

Takashi – finalmente Akira, por quer demoraste tanto ? – enfiando sua espada num inimigo que se aproximava.

Akira – fui atacado no caminho, tive que lutar contra alguns youkais tigres – desfiando-se de um ataque de um saldado adversário – trouxe macho e fêmeas capazes de batalhar, mas creio que sejam poucos.

Takashi – será o suficiente – terminando de matar mais um youkais.

Akira – onde estão os outros?

Takashi – Tekai ainda não voltou com Sesshoumaru-sama, e nem sei se volta a tempo, e Kuzuo estar protegendo a Hime.

Akira – e onde ela está?

Takashi – nas masmorras... acreditamos que é o lugar mais seguro.

Akira –hummm!!! – um olhar malicioso brotou na face do youkai – vou verificar como estão nossos saldados em outras áreas – voou sem esperar a resposta do outro youkai.

#-#

Sesshoumaru voava rapidamente na sua forma youkai, estava furioso, queria matar todos que ousaram pensar que poderia invadir seu território. Pensou na possibilidade de haver um traidor no seu meio, pois saberiam exatamente quando ele estaria fora do castelo, e mataria esse ser de forma mais cruel que conseguisse imaginar se alguma coisa acontecesse com sua pequena e frágil humana.

#-#

 

Rin estava cuidando dos ferimentos de Megumi na sala do general Kuzuo nas masmorras do castelo, quando ouviu a voz da prisioneira ecoar pelos corredores.

Zang – general o que essa humana faz no território de youkais? – perguntava a prisioneira ao general que estava de guarda na porta de sua sala.

Kuzuo – não é da sua conta – respondeu asperamente o general.

Rin – General?  Megumi estar melhor – chamando a atenção do general para si – já pode ser mover.

Kuzuo – certo – foi apenas o que disse enquanto a conversa continuava dentro da sala.

Megumi – não precisava ter se preocupado comigo Rin – dizia a youkai sentada no chão e visivelmente melhor.

Rin – você é minha única amiga aqui é claro que eu não deixaria você morrer – com um sorriso no rosto.

Zang – acho que eu vou vomitar com tanta bondade – ( a cela de Zang fica perto da sala do general, quase que de frente) – nunca vi uma humana cuidar de um youkai.

Kuzuo – não deveria falar assim com a Hime do Oeste – disse fitando a prisioneira.

Zang - HIME? – chocada – uma humana? – (inveja) – mais como Sesshoumaru permite uma coisa dessas? – ciúmes.

Rin – Sesshoumaru-sama me considera digna de tal cargo em seu feudo e eu honrarei isso protegendo cada servo que consegui, apesar de ser apenas uma humana – disse a menina aparecendo na porta da sala, ao alcance da vista de Zang.

Zang – eu já sei por que Sesshoumaru lhe mantém aqui – com um sorriso debochado nos lábios – é para o ritual de quebra de selo da Bakusaiga.

Rin – a Bakusaiga? – sem entender a insinuação de Zang.

Kuzuo – é melhor você calar a boca antes que eu a mate – disse o general referindo-se a Zang.

Zang – claro, se ela souber da verdade o coração já não seria de tanta serventia, já que ele estaria cheio de medo e amargura – uma risada pode ser ouvida saindo da garganta de Zang – mas já que eu vou morrer do mesmo jeito – um sorriso vitorioso surgiu em sua boca – Sesshoumaru arrancará seu coração para liberar o katana do selo que eu coloquei.

Uma onda de pavor correu pelo corpo de Rin. Aquilo não era verdade, não podia ser verdade, Sesshoumaru nunca lhe machucaria. Ele sempre lhe protegerá do mal. Mas sua Bakusaiga era seu maior tesouro, uma conquista que levou anos ate consegui. Um poder que nascerá de seu corpo. Entre a humana e sua arma, quem Sesshoumaru escolheria?

Rin – isso é verdade general – perguntou-o com algumas pequenas lagrimas tentando escapar de seus olhos.

Kuzuo – em partes – encarando os belos olhos chocolates da humana – sim, há um ritual que precisa de um coração puro e um sacrifício, mas creio eu que jamais passou pela cabeça do lorde ter você como o sacrifício.

Zang – bobagens, qual seria o motivo de manter uma humana imunda por perto – lançou todo seu veneno para encher o coração de Rin de raiva.

Rin – ele me salvou, cuidou de mim, durante anos ia me ver e entregar presentes, foi ate o inferno para me salvar, e isso antes dele obter a bakusaiga – deixando escapar mais lagrimas – ele...ele... nunca me machucaria.

Tais palavras fizeram Zang se surpreender, seria possível que o poderoso Daiyoukai Sesshoumaru, lorde das terras do Oeste, e o youkais mais temido do Japão tivesse algum tipo de sentimento por uma simples humana?

Mas antes que pudesse dizer mais alguma coisa, outro youkai se aproximou.

Kuzuo – Akira? O que faz aqui? – encarando o youkai pássaro que se aproximava.

Akira – vim ver se ta tudo bem.

Kuzuo – sim, apenas essa prisioneira que estar perturbando a Hime-sama.

Akira – hummm – com passos lentos chegou mais perto do Inuyoukai – sabe, lá em cima parece que logo será resolvido – parando bem perto do general de vestes negras, e num movimento rápido perfurou o peito dele com suas garras. O grito de espanto de Rin foi escutado – logo os youkais Tigres venceram.

O ato surpreendeu todos os presentes, a youkai prisioneira, a humana, a youkai ferida dentro da sala, e o ferido que estava agonizando com o miasma em seu corpo caído no chão.

#-#

Sesshoumaru já conseguia ver seu território, e nele uma disputada batalha acontecia, era tanto Sangue que mal podia identificar de quem era, havia cheiro de morte por toda parte. A tenseiga vibrava para salvar as almas que estavam sendo perdidas. Sesshoumaru, ainda na sua forma youkai, pousou no solo esmagando vários soldados inimigos, abocanhou tantos outros com as presas. E assim também fez o general Tekai, na sua forma youkais. Logo os soldados foram reduzidos a pó. Com a situação aparentemente controlada voltaram a forma humana.

Takashi – Sesshoumaru-sama!!!, Sesshoumaru-sama!!! – gritava o general, surgindo entre os feridos, com o corpo todo ensanguentado.

Sesshoumaru – Takashi, quais são os relatos?

Takashi – assim, olhando por alto – com a respiração ofegante, mas sem perder a postura de um general serio – creio que mais de 80% das nossas tropas foram dizimadas.

Tekai – tudo isso? – com o rosto exaltado.

Takashi – quando mais deles nos matávamos, mais surgiam – fez uma pausa tentando recuperar o fôlego – não sei como eles fizeram para ocultar o cheiro – e de rebente os três foram atingidos por algum tipo de explosão. Os Inuyoukais foram arremessados longe pelo impacto. Sesshoumaru levantou-se rapidamente procurando o que lhe atingirá, Tekai levantou com um pouco de dificuldade e caminhou arrastando umas das pernas em direção de Sesshomaru, este por sua vez finalmente coseguiu identificar o que lhe atacará.

Entre as arvores, ultrapassando os destroços do muro que rodeava os domínios do castelo, surgiu cerca de 500 youkais tigres prontos para a batalha. Tekai arregalou os olhos, Sesshoumaru continuou com o mesmo rosto sereno, mas seus olhos transmitiam a fúria que ele sentia.

#-#

Chocada com o que presenciou Rin não consegui dizer nada, apenas olhava incrédula para o traidor.

Akira –  Zang o Imperador Takafumi, senhor das terras do Leste, líder dos youkais tigres, é muito agradecido pela sua ajuda – disse o youkai pássaro entrando na sela de Zang.

Zang - ajuda? Eu nem conheço esse imperador, como posso ter ajudado?

Akira – ajudou selando a bakusaiga – ficando enfrente a youkai encarado seus olhos – sem o selo na katana de Sesshoumaru esse ataque jamais seria possível, ele eliminaria todos em questão de segundos.

Aproveitando o enquanto Zang e Akira conversavam, Rin correu para a sala onde Megumi estava se recuperando.

Rin – Megumi precisamos fugir – falando baixo.

Megumi – eu não conheço nada das masmorras, não sei se tem outra saída – ficando de pé – o único que conhece os caminhos escondidos é o general Kuzuo.

Rin – eu acho que ele morreu – com lagrimas nos olhos.

Megumi – Rin, eu distraio ele e você corre.

Rin – eu não vou deixa lá para trás.

Megumi – é preciso – tentando conversar a humana que era melhor a si fazer.

#-#

Akira – então Zang, como forma de agradecimento o imperador lhe quer como companheira.

Zang – mas eu amo Sesshoumaru.

Akira – youkais não amam, apenas fazem o que lhe melhor convém, e seria melhor para você que aceitasse a proposta do Imperador.

Zang – tudo bem eu aceito.

Akira – eu lhe levarei ate ele – virando para a saída da sela – mas antes preciso resolver um assunto.

#-#

Rin – não Megumi, Sesshoumaru-sama irá nos salvar, eu sei disso, ele sempre salva.

 – Creio que dessa vez não Humana – a voz apareceu atrás delas, fazendo as duas se assustarem. O General olhava para Rin de um jeito que fazia ela se tremer de medo.

Megumi – Akira se tocar nela Sesshoumaru-sama arrancará cada membro do seu corpo da forma mais dolorosa possível – disse a serva ficando enfrente de Rin como tentativa de protege lá.

Akira – perdeu o respeito por mim foi criada? Eu ainda tenho o titulo de general.

Rin - por quê? Por que esta fazendo tudo isso? – disse chorosa.

Akira – eu sempre odiei a forma como Sesshoumaru me tratava sempre se achando superior – deu um tapa em Megumi que ela voou em direção a parede, caindo desacordada no chão.

Rin – MEGUMI!!!!!!!- gritou a humana deixando mais lagrimas caírem.

 

Continua...


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...