História Entre o amor e o desejo - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha Kanketsu-hen
Exibições 26
Palavras 1.872
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 17 - Capitulo 17 - meus sentimentos


Capitulo 17 - meus sentimentos

Rin abria os olhos com dificuldade, sentia dor pelo corpo inteiro, a respiração estava fraca. A primeira pessoa que viu foi sua Kagome com um largo sorriso no rosto.

Kagome – olá Rin-chan.

Rin – Kagome-sama? – com a voz fraca.

Kagome – não se esforce muito querida, vai ficar tudo bem.

Rin – eu sonhei com Sesshoumaru-sama, onde ele estar?

Kagome – eu já mandei lhe chamar, ele ficou muito preocupado com você.

Rin – eu fiquei com medo de morrer sem falar com ele – girou os olhos por volta do ambiente – onde estou ?

Kagome – estar no quarto de Sesshoumaru.

Rin – eu nunca tinha entrado aqui antes.

A figura imponente de Sesshoumaru entrava no quarto, voltando a atenção das duas para ele.

Sesshoumaru – Rin, como se sente?

Rin – péssima, meu lorde – respondeu com um sorriso no rosto – e o general kuzuo e Megumi? Sobreviveram.

Sesshoumaru – sim - viu a menina abrir um sorriso maior ainda – Kagome, quero falar com você – dando as costa e saindo do quarto.

Kagome – ele não pede, manda – bufava a miko – não sei como você aguenta ele Rin, já volto – saindo do quarto também.

O lorde do castelo do oeste espera a miko no corredor, encostado numa parede com os braços cruzados.

Sesshoumaru – como ela estar realmente? – perguntou ao ver a humana aparecer no corredor.

Kagome – nada bem – respondeu triste – purifiquei o veneno do corpo dela, mas os ferimentos são muitos graves, não tenho muitos conhecimentos médicos, sei fazer curativos para ferimentos externos, mas não sei como anda sei se alguma parte interna do corpo dela foi afetada, ela estar com um pouco de febre que pode indicar um infecção.

Sesshoumaru – ela pode morrer? – perguntou frio.

Kagome – sim – respondeu encarando os olhos do youkai – mas temos que pensar positivo, esperar que ela tenha força para se recuperar, ter forças para continuar a lutar pela vida.

Sesshoumaru – vá descansar um pouco, parece muito abatida, pode fazer mal a sua cria – disse olhando o ventre de Kagome – mandei as servas arrumarei um quarto que não foi destruído para você poder descansar. Eu ficarei com a Rin.

Kagome – obrigado Sesshoumaru – viu o youkai entrar novamente no quarto onde estava a Rin.

Kagome – “ ele se preocupou comigo?” – pensava a jovem miko.

#-#

Kagome e Inuyasaha foram levados ao quarto reservado para eles por uma serva, que serviu chá e frutas para a grávida.

 Inuyasha – como ela estar Kagome? – perguntava o hanyon para esposa.

Kagome – para falar a verdade não sei – tomando um gole do chá.

Inuyasha – talvez ela devesse voltar com agente para o vilarejo, estará mais segura lá.

Kagome – assim deixaria Rin e Sesshoumaru tristes, eles se amam.

Inuyasha – como se aquele baka a fizesse feliz, ele vai fazer a pobre da menina sofrer.

Kagome – Rin fez seu irmão mudar muito, ela faz bem para ele.

Inuyasha – que seja – abraçando a esposa – e nosso bebe como estar.

Kagome – bem inuyasha, me dar trabalho assim como o pai – um beijo carioso foi selado pelos dois.

#-#

Sesshoumaru – Rin, mandei as servas trazerem algumas frutas para você – disse entrando no quarto.

Rin – não preciso de nada, eu sei que vou morrer de qualquer jeito.

Sesshoumaru – porque diz isso?

Rin – sou humana, vou morrer mais cedo ou mais tarde, não poderei fugir disso Sesshoumaru-sama.

Sesshoumaru – Rin se você pudesse escolher ter uma vida longa ao meu lado... quer dizer aqui no castelo ou ter uma vida normal ao lado dos humanos, sem esses perigos, o que escolheria?

Rin – sesshoumaru-sama pegue na minha mão – estendeu a mão para que ele pegasse e foi o que ele fez – o natural seria que eu vivesse com meus semelhantes, mas meu caminho é com o senhor, seja aqui no castelo ou no meio da floresta, eu sou completa ao seu lado.

Sesshoumaru – você seria uma idiota se escolhesse viver comigo.

Rin – o amor deixar as pessoas idiotas.

Sesshoumaru – você me ama Rin? – perguntou o youkai com o mesmo rosto impassível.

Rin – mais que a mim – respondeu a menina com um sorriso no rosto.

Sesshoumaru – não a nada mais importante na vida desse Sesshoumaru do que sua Rin – viu a menina fechar os olhos lentamente, sentiu a respiração dela ficar fraca, os batimentos lentos - Rin?...RIN? – mais uma vez aquela dor lhe invadiu o coração.

Ele tinha que ser rápido, sua decisão já estava tomada, não poderia mais adiar tudo aquilo, não poderia sentir aquela dor de novo. O Daiyoukai chamou as servas para ficarem com a menina que já estava muito fraca e debilitada e foi falar com um de seus generais.

#-#

Kuzuo – chamou Sesshoumaru-sama? – falou o general entrando no escritório de seu senhor.

Sesshoumaru – tome – estendeu uma pequena bolsa de pano – ai estar a flor, faça o chá para Rin.

Kuzuo – então, estar certo disso? – pegando a bolsa.

Sesshoumaru – não era o que você queria?

Kuzuo – mas e depois? Ela viverá eternamente ao seu lado como sua protegida?

Sesshoumaru – não, tomarei ela como esposa – respondeu frio – mas não comunique nada a ninguém ainda, quando chegar ao momento certo todos do feudo serão comunicado, por agora precisamos ver se a flor tem mesmo tal poder.

Kuzuo – certo, vou fazer o chá agora mesmo – saiu em direção a cozinha.

#-#

A cada minuto que passava a menina ficava mais fraca, o sentimento de velório já tinha tomado conta de todo reino. A noticia que a jovem hime humana estava no seu leito de morte abalou muitos youkais, que com o tempo criaram um afeto pela menina, que sempre tinha um sorriso no rosto, que tratava bem seus servos, e que foi capaz de enfrentar seu senhor pela vida de youkai. Os mais novos gostavam de brincar com ela, de aprender sobre os humanos. Mas lá estava ela, a poucos suspiros da morte.

#-#

Kagome, Miroku e Kohaku estavam no quarto da jovem, rezando mantras budistas, a esperanças nos corações deles se mantiam forte, afinal, durante toda aquela batalha contra Naraku ajudou a criar forças, a criar fé no outra, na vida, e eles estavam esperando que ela acordasse e vivesse feliz. Inuyasha estava lá também, mas se mantia calado e de braços cruzados.

Sesshoumaru entrou no quarto com o general Kuzuo atras trazendo uma bandeja com uma checará de chá.

Sesshoumaru – quero que saiam todos agora – ordenou o senhor do castelo.

Inuyasha – feh.... vamos ficar aqui e dar apoio para a menina.

Sesshoumaru – olha seu moleque.

Kagome – sesshoumaru, por favor, nos deixe ficar – intercedeu a cunhada.

Sesshoumaru – façam o que quiserem só não me atrapalhem – se aproximou da cama, ergueu a menina com os braços, pegou a xícara e com a ajuda de Kuzuo derramou o liquido na boca de Rin, e sussurrou no ouvido da mesma – volte para seu Sesshoumaru – selou os lábios num leve beijo.      

Assim que liquido da xícara percorreu a garganta de Rin, seu corpo começou a levitar, uma luz dourada emanava de seu corpo, todos presentes no quarto ficaram de boca aberta. As feridas espalhadas pelo corpo sumiram como um passe de mágica, os youkais sentiram o coração dela voltar a bater forte, cheio de vida.

A felicidade invadiu  Sesshoumaru, mesmo que não parecesse, mesmo que ele não demonstrasse, mas ele já não negava para si mesmo que aquela humana era o que lhe tinha de especial.

No coração de Rin começou a nascer uma luz azul, e evoluía em circulo, crescendo gradativamente, ate que atingiu todos como uma explosão.

Humanos e youkais que estavam no quarto foram atingidos pela luz e arremessados com uma grande força contras paredes.

Após todos caírem no chão, rin caiu na cama e acordou.

Sesshoumaru – Riiinn!!! – se levantando e correndo na direção da menina – você ta bem?

Rin – sim – se levantando da Cama – parece que tem uma nova força dentro de mim, como se eu nascesse de novo.

O lorde das terras do oeste foi envolvido pelos braços da garota que lhe apertava em um forte abraço.

Mas o momento sublime foi interrompido pelo a voz de Inuyasha.

Inuyasha – KAGOMEEEEEE!!!!!!!!!!! – gritando ao lado do corpo da esposa que estava desacordada – Kagome fala comigo!

Rin – Inuyasha...o que ouve com ela? – perguntou se aproximando

Inuyasha – ela bateu a cabeça...e...ta sangrando – olhando as pernas da miko.

Rin – ai meu Kami, ela vai ter o bebe.

Sesshoumaru - Aqui? – perguntou meio espantado.

Kohaku – eu vou atrás de uma parteira – disse o rapaz.

Rin – não precisa, eu ajudei a Kaede-sama em vários partos, inclusive de seus sobrinhos Kohaku.

Sesshoumaru – você tem certeza disso Rin?

Rin – sim... – decidida – Inuyasha e Sesshoumaru, levem para cama, com cuidado – assim os dois fizeram – kuzuo procure rápido uma erva para acordar ela – assim o youkai fez - Miroku vá à cozinha e pega uma bacia de água morna – assim o monge fez – Kohaku pegue toalhas limpas – assim o rapaz fez.

Inuyasha estava muito nervoso, andava de um lado para o outro, a esposa ainda tava desacordada.

Inuyasha – ela vai ficar bem Rin?

Rin – vai ser difícil, a criança se adiantou, e ela precisa acordar para fazer força, mas vai tenha fé – o general Kuzuo chegou e trouxe uma erva que incomodou o olfato deles.

Kuzuo – eu trouxe essa, tive que me  esforçar para não passar mal com esse cheiro forte – Inuyasha estava tampando o nariz com as mãos enquanto Sesshoumaru se mantia sem demonstrar nenhuma alteração.

Rin – acho que essa vai adiantar – pegando a erva e aproximando do nariz de Kagome – vamos Kagome, reaja, seu filho precisa de você- a miko lentamente foi abrindo os olhos.

Inuyasha – kagome você ta bem?

Kagome – AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII – gritava de dor – ta doendo muito AAAIIIII.

Rin – calma – ela se ajeitou no meio das pernas da outra – vamos faça força

Sesshoumaru – eu vou sair daqui.

Inuyasha – eu também.

Kagome – nem pense nisso Inuyasha, eu não fiz essa criança sozinha.

Rin – fique do lado dela e segure sua mão Inuyasha.

Inuyasha – tudo bem – ele ficou do lado da esposa e segurou sua mão, dando todo seu apoio.

Kagome – AIIIIIIIIIIII – gritava ainda mais de dor.

As toalhas limpas e a água chegaram, Rin mandou todos se retirarem do quarto permanecendo apenas Kagome, Inuyasha e Rin.

Rin – agora Kagome vou precisar de você – disse posicionada para o parto – faça força, seu filho precisa que você seja forte, ele depende de você.

Kagome – aiiii – fazendo força  - Aiiiiiiiiiii.

Rin – mais um pouco.

Kagome – AHHHHHHHHHHHHIIIIIIIIIIIII – estava soada – EU NÃO CONSIGO MAIS.

Inuyasha – força kagome, estou aqui do seu lado – um choro foi escutado, Inuyasha olhou para o filho todo ensanguentado nos braços de Rin.

Rin – é uma menina – disse animada.

Inuyasha – minha filha? – com os olhos cheios de lagrimas.

Rin – sim, vou pedir para uma serva limpar – chamou uma serva e entregou a criança para o banho.

Inuyasha – Rin...a Kagome... desmaiou de novo.

Rin – pelos céus, ela ta perdendo muito sangue.

Inuyasha – Kagome não me deixe, por favor, não me deixe – dizia o hanyon agarrado ao corpo da mulher.

Longos minutos se passaram.

Rin – consegui estancar o sangramento – dizia ofegante pelo cansaço.

Inuyasha – e agora?

Rin – temos que esperar, ela precisa descansar, provavelmente amanha ela acorda e terá que se alimentar bem.

Inuyasha – obrigado!

Rin – vou pedir alguém para limpar aqui, trocar os lençóis, tem muito sangue, mais ela é forte e eu sei que vai reagir.

Inuyasha – ela é a mulher mais forte que conheço.

Continua...


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...