História Entre o amor e o desejo - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha Kanketsu-hen
Exibições 27
Palavras 2.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 25 - Capitulo 25 - Casamento parte II


Capitulo 25 - Casamento parte II

 

Rin apareceu com um lindo Kimono branco, com detalhes de flores de cerejeira que ia da barra do kimono subindo ate a cintura. O Kimono tinha mangas longas, o decote era comportado, nada da mulher ousada e sensual que foi do noivado, mas sem duvidas que continuava muito bela.

Sesshoumaru, agora de pé em frente ao seu trono, admirava a beleza daquela que seria sua fêmea pelo resto de suas longas vidas. Ela descia graciosamente, não havia e nem ninguém que tirasse a atenção dele sobre ela.

Miroku – então Inuyasha? Ela ainda é virgem – sussurrou para o hanyon – fiz uma aposta com Kohaku, ele garante que Rin ainda é pura, mas eu tenho minhas duvidas.

Inuyasha – Miroku, como você pode fazer aposta em cima da pureza ou não da Rin?

Miroku – fale logo Inuyasha, é ou não é?

Inuyasha – fico feliz eu te dizer que pelo cheiro que exala da Rin, ela é virgem sim, bom ate essa noite.

Miroku – ai..eu não dou sorte mesmo – se lamentava.

Kagome – a Rin está tão bonita.

Sango – ai meu Kami, vou chorar – as duas amigas estavam emocionadas.

Kohaku – quem diria que aquela menina tagarela se tornaria essa bela mulher.

Shippou – eu sempre achei Kohaku, que você era apaixonado pela Rin.

Kohaku – e era, mas temos que aceitar quando perdemos uma batalha.

#-#

Outro que olhava apaixonado para a jovem humana era o general Kuzuo, que de fato tinha se rendido aos encantos dela. Ele sempre soube que ela jamais seria sua, mais não era um apaixonado obsessivo, ao contrario, ele queria a felicidade da menina, seja ao lado de quem for. A humana passou na frente dele, e num ato inesperado, o general agarrou a mão de Rin e a puxou para um abraço.

Kuzuo – seja feliz Rin – sussurrou para ela.

Rin – obrigada – sorriu.

Sesshoumaru estava pronto para atacar o seu “inimigo”, mas logo Rin e Kuzuo se separam, ela voltou a sua caminhada ate o trono.

Ao chegar na frente de seu futuro marido, Rin vez uma breve reverencia, e depois foi conduzida a sentar num trono ao lado de Sesshoumaru. A cerimônia então começou, primeiro o Inuyoukai mais velho, fez uma espécie de benção, e anunciou que uma união é sempre importante para fortalecer o feudo, mesmo que essa união seja de um youkai poderoso com uma simples humana, mas que no final teria um propósito.

Depois Satori cobriu Rin com um manto que simbolizava que ela era a nova Imperatriz do Oeste. Todos se curvaram, e deram um salve a Imperatriz do Oeste Rin-sama.

#-#

Sesshoumaru e Rin foram para o pátio externo do castelo, onde todos os youkais do feudo estavam presentes. O senhor e senhora do Oeste sentaram em outro trono do lado de fora do castelo e assim todos seus servos se curvaram.

A festa rolava, youkais dançavam, comiam e bebiam saquê, os filhotes de youkais corriam e brincavam. Uma verdadeira comemoração de casamento, a única diferença era que o casal permanecia serio. Sesshoumaru de sua habitual postura, e Rin que tentava parecer fria, mas por dentro estava explodindo de felicidade.

Sesshoumaru – se quiser falar com seus amigos podes ir – ele finalmente falou.

Rin – daqui a pouco vou lá falar com eles, vou agradecer pela a presença assim tão rápido – disse seria.

Sesshoumaru – você está seria demais Rin.

Rin – só to tentando não lhe causar vergonha com os meus sentimentos.

Sesshoumaru – como quiser...

#-#

A festa durou mais algumas horas, os Youkais começaram a se retirar, e Rin foi falar com seus amigos.

Rin – obrigada por terem vindo.

Kagome – Kaede-sama pediu desculpas por não ter vindo, mas você sabe ne, a idade está muito avançada para ta viajando, ela já estava muito cansada da festa de noivado, não esperava o casamento assim tão rápido.

Rin – eu entendo...também me surpreendi com essa decisão de Sesshoumaru.

Sango – Rin querida, eu espero que você seja muito feliz.

Rin – é o que eu mais quero...

Miroku – Rin...pode sempre nos chamar para as festas, são sempre fartas...

Rin – pode deixar Miroku – abraçou o monge.

Kohaku – Rin, tome muito cuidado com os youkais inimigos de Sesshoumaru, agora você será alvo deles.

Sesshoumaru – pode deixar que de minha fêmea eu sei cuidar bem.

Inuyasha – sesshoumaru se você fizer algum mal para Rin eu venho acabar com você.

Sesshoumaru – cuide de sua vida Inuyasha.

Inuyasha – por mim estaríamos indo para o vilarejo agora mesmo, mas como está muito tarde, e minha pequena Iza precisa descansar, vou aceitar sua oferta de abrigo por mais essa noite.

Sesshoumaru – não lhe ofereci nada...

Inuyasha – isso não importa – deu de ombro – boa noite para vocês – o grupo se retirou deixando o casal sozinho.

Sesshoumaru – Rin, entre... me espere no quarto – a menina estremeceu, sabia que logo seria possuída pelo seu marido.

A humana entrou no castelo, e foi direto para o seu antigo quarto, onde sua Serva Megumi lhe esperava pra arrumar a menina para a noite de núpcias. Sesshoumaru continuou no pátio do castelo, observando a lua.

Tekai – achei que essa hora o senhor já estaria saciando seus desejos – o general mais insuportável da tropa de Sesshoumaru apareceu.

Sesshoumaru – esse não é o tipo de conversa que quero ter com você.

Tekai – tudo bem... de qualquer modo se a humana não conseguir lhe satisfazer, posso lhe arrumar umas youkais para deitar com o lorde.

Sesshoumaru – onde está Kuzuo? – cortou o assunto.

Tekai – na cozinha bebendo saquê, parece que ele que queria está dividindo a cama com a humana imunda – recebeu um soco de Sesshoumaru.

Sesshoumaru – Tekai, a próxima vez que você insultar minha fêmea arrancarei sua cabeça e deixarei com uma estaca cravada nela na entrada do castelo como exemplo de castigo.

Tekai – sim meu lorde – de cabeça baixa – o daiyoukai deixou o insolente de seu general sozinho no pátio e foi falar com o outro general.

#-#

Rin – ai Megumi, estou tão nervosa – disse a menina em seu quarto.

Megumi – calma é assim mesmo, vamos tirar esse Kimono, tomar um banho, se perfumar bastante, e você esperará o lorde no leito em que vocês dividiram.

Rin – você fala como se fosse simples.

Megumi – para nos youkais as coisas são mais simples – Rin então foi se preparar.

#-#

Sesshoumaru – Kuzuo – entrando na cozinha.

Kuzuo – Sesshoumaru-sama?!

Sesshoumaru – por que? Por que a Rin?

Kuzuo – me diga isso você, se o seu coração que é o mais frio e insensível ela conseguiu conquistar.

Sesshoumaru – não quero ter que mata-lo por causa de Rin, então tire ela de sua cabeça.

Kuzuo – sabe...sempre fomos youkais que desprezavam sentimentos,   mas meio tortamente eramos amigos, crescemos juntos, treinamos juntos, ate matamos pela primeira vez juntos. Vou lhe dizer o mesmo que disse para Rin, Seja feliz.

Sesshoumaru não disse mais nada, virou de costa e saiu, estava na hora de consumar a união.

#-#

Rin já estava no quarto em que seria dela e de Sesshoumaru, estava com uma Kimono leve de dormir, era todo preto, andava de uma lado para o outro, não conseguia se manter quieta.

Sesshoumaru antes de ir ao encontro de Rin, foi ate o quarto de banho, tirou a armadura, as vestes e trocou também por um kimono branco de dormi.

#-#

Quando a porta do quarto foi aberta, e Sesshoumaru entrou por ela, o coração de Rin quase saiu pela boca. As mãos soaram, um frio na barriga nasceu, as pernas tremeram. O som do coração da humana batendo, era como uma batucada no ouvido do Youkais, talvez ate um simples humano seria capaz de ouvir, de tão rápido em que ele batia.

Sesshoumaru – acalma-se Rin – tentando fazer com que o ritmo do coração da menina diminuísse.

Rin – Sesshoumaru...eu! – ele colocou seu dedo indicador nos lábios da garota, fazendo com que ela parace de falar.

Sesshoumaru – não fale nada, deixe o corpo agir – então ele tomou a boca dela para si, num beijo feroz e apaixonado.

O desejo era tanto, que a boca da menina sangrou, os caninos de Sesshoumaru lhe machucou.

Sesshoumaru – você está bem?

Rin – sim, foi só um machucado, não se preocupe – e dessa vez foi ela quem beijou ele.

O youkais levou a garota ate a cama, deitou-a delicadamente e retirou devagar o kimono que ela vestia, admirando cada detalhe do corpo perfeito de sua fêmea.

Sesshoumaru – eu desejo tanto te possuir – revelou o frio youkai.

Rin – agora não há nada que impeça – Ele voltou a beija lá intensamente, deixando suas mãos explorarem todo o corpo alvo da garota.

#-#

Perto das fronteiras do Oeste uma tropa de Youkais Tigres se aproximavam, liderados pelo seu Imperador.

Takafumi – hoje dominaremos o Oeste – falou com confiança.

Akira – temos vantagem, com essas ervas que usamos o nosso cheiro é disfarçado.

Os muros do castelo do Oeste já eram visíveis, o inimigo estava pronto para atacar.

Takafumi – vamos esperar a hora certa para atacar – ficaram todos em guarda, esperando a ordem para a batalha.

#-#

Sesshoumaru usava a língua para acariciar os seios de Rin, causando delírios a garota, desceu a boca ate a barriga dela, lambendo sensualmente a região, desceu mais um pouco e fez um carinho no umbigo, desceu mais um pouco ate chegar à região mais desejada.

Começou a lamber a feminidade de Rin, fazendo movimentos circulares. Ela tinha os olhos fechados e o rosto corado, jamais imaginou que pudesse ser tão prazeroso esse tipo de carinho. Sesshoumaru então começou a penetra lá com a língua.

Rin – oh...hum... – gemia baixo – oh Sesshy!!!

Sesshoumaru – Sesshy! ? – parou de fazer as caricias e olhou meio confuso para menina.

Rin – é só um apelido.

Sesshoumaru – só não me chame assim na frente dos outros.

Rin – tudo bem – riu.

Ele voltou para a boca dela e lhe deu um beijo apaixonado, começou a se despir, deixando todo seu peitoral amostra. Rin passou os olhos por todo corpo escultural do youkai. As boca se encontraram de novo, com beijos quentes e excitantes. Sesshoumaru estava pronto para possuir lá com seu membro, quando um forte barulho e fez parar.

Satori – Sesshoumaru!!! – abrindo a porta do quarto com força chamando pelo filho.

Sesshoumaru – SATORI – esbravejou com raiva – o que ta fazendo aqui? Cobrindo seu corpo com o kimono.

Satori – o castelo Sesshoumaru, vai ser atacado – disse aflita.

Rin – o que!! ? – debaixo do lençol para cobrir seu corpo nu.

Satori – eu sinto a presença deles – Sesshoumaru se levantou da cama e foi em direção a janela do quarto – o cheiro está franco, mas consigo sentir.

Sesshoumaru – o cheiro está muito distante, ainda demorará algumas horas para eles chegarem.

Satori – temo que não Sesshoumaru – se aproximou do filho – eles estão usando algum tipo de magia para inibir o cheiro deles, o inimigo pode está mais perto do que imaginamos.

Rin – o que vamos fazer?

Sesshoumaru – você vai ficar protegida aqui com Satori – se virou para a mulher – eu vou reunir o exercito e ir para batalha – iria sair do quarto, quando Rin enrolada no lençol correu ate ele.

Rin – se cuide meu amor – e abraçou ele.

 #-#

Sesshoumaru – JAKEN! – gritou pelos corredores.

Jaken – sim Sessssshoumaru-ssama- apareceu correndo.

Sesshoumaru – reúna os generais e Naomi em meu escritório o mais rápido possível.

Jaken – mas Sesssshoumaru-ssssama por que? ? ? – não obteve resposta, seu mestre passou por ele em direção ao quarto de banho – por que eu ainda pergunto?

O daiyoukai vestiu suas vestes, sua armadura. A irá é visível em seus olhos, terminaria ali aquela guerra de uma vez por todas.

#-#

Sesshoumaru ia em direção ao escritório quando encontrou  Inuyasha.

Inuyasha – sesshoumaru, o que está acontecendo?

Sesshoumaru – uma guerra – foi o que respondeu e continuou andando, e Inuyasha o seguiu.

#-#

Satori – acalmasse menina, não vai adiantar de nada ficar andando de um lado para o outro.

Rin – eu sei, me sinto tão inútil nessas horas, nunca posso fazer nada.

Satori – humanos são sempre inúteis, não fica se martirizando.

Rin – isso não é verdade, Kagome sempre ajudou Inuyasha nas batalhas, e Sango também é uma ótima guerreira, eu que nunca levei meus treinamentos a serio.

Satori – por mais que uma humana seja preparada e forte, jamais Será adversário a altura desses youkais.

Rin bufou.

#-#

Os generais já esperavam o lorde no escritório quando ele entrou.

Takashi – Sesshoumaru-sama algum problema?

Sesshoumaru – seremos atacados em breve, precisamos está prontos.

Inuyasha – mas como? Não sinto a presença de Ninguém – disse o irmão que entrou depois do mais velho.

Sesshoumaru – eles utilizam de algum poder para disfarçar o cheiro, mas consigo sentir.

Tekai – e quanto tempo temos?

Sesshoumaru – pouco... reúna o Maximo possível de soldados e armas.

Inuyasha – eu vou chamar Miroku e Kohaku para lutarem também.

Sesshoumaru – não preciso de sua ajuda Inuyasha.

Inuyasha – eu não to lhe ajudando “querido irmão” – irônico – minha família e meus amigos estão aqui, então é claro que eu vou defendê-los.

Sesshoumaru – faça como quiser Inuyasha – não deu tempo de mais nada, uma explosão foi escutada, e as estruturas do castelo tremeram.

Continua...


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...