História Entre o Céu e o Inferno - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sussurro (Hush, Hush)
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Céu, Demonios, Inferno
Exibições 10
Palavras 591
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


desculpem a demora meus amores mas to com 3 fics, e to estudando o dia inteiro.Mas prometo postar com mais frequência.

Capítulo 16 - Parque


Fanfic / Fanfiction Entre o Céu e o Inferno - Capítulo 16 - Parque

 

Diga a eles tudo o que eu sei agora

Grite isso de cima dos telhados
                                                                     Escreva isso no horizonte
                                                                 Tudo o que nós tínhamos se foi agora
                                                                       Diga a eles que eu era feliz
                                                                       E meu coração está partido
                                                           Todas as minhas cicatrizes estão abertas
                                                            Diga a eles que o que eu esperava seria
                                                                             Impossível, impossível
                                                                         Impossível, impossível

 

Ariane P.o.v
Anteriormente
Vou em direção ao carro,abro a porta e entro enquanto ele faz o mesmo,aproveito para observar o interior do carro e por um breve momento me apavoro em como vou dirigir essa coisa,antes que ele perceba minha reação coloco a chave na ignição e dou partida,saio lentamente da vaga e saio na rua.
-Só isso que tem para mostrar docinho? -Hans pergunta irônica o que me irrita.
E então eu acelero.

Pelo canto dos olhos vejo hans arregalar os olhos em surpreendimento por um momento,mas é apenas um vislumbre rápido,e ele já coloca seu tipico sorriso .Volto minha atenção para a frente.
Pego a rodovia que leva ao parque,seguindo Nati e Derek que vão em sua moto, e como não sou boba me aproveito e acelero ainda mais o carro.Hans apenas ri e balança a cabeça nem um pouco afetado com meu gesto.
Olho pra ele que pisca e me lança um sorriso charmoso,fico vermelha no mesmo instante mas me pego esboçando um sorriso tambem.Já posso avistar a construção do parque de diversões.
-Vai andar comigo nos Desesperados docinho? -Hans me pergunta.
-Que diabos é isso?
-Vai descobrir quando andarmos nela.
-Se pensa que vou entrar lá com você,está muito enganado.
-Que pena,achei que você iria adorar ter suas perguntas sobre mim respondidas,além de ter minha excelente companhia.
-Talvez,eu repense sobre isso.
-Já sei o porque.
-Ter minhas perguntas respondidas,está certo.
-acho que não foi esse seu real motivo.
Parei o carro no estacionamento e suspirei.
-Não sei do que você está falando. -digo nervosa,percebendo que ele vai se aproximando de mim aos poucos.
-Ah é? Eu acho que você sabe bem do que estou falando. -A essa altura seu rosto já estava a milimetros do meu,nossos narizes agora estavam se tocando,e eu não conseguia e não queria me mover.Encarei seus olhos negros com um brilho que eu nunca havia visto ali,seus lábios estão entre abertos e sua respiração pesada me causando arrepios.
Ele dirige seu olhar para minha boca,e finalmente toca seus lábios nos meus,a principio só um toque,mas então pede passagem com a lingua e eu cedo.nossas linguas se movem junto em uma perfeita sincronia assim como nossas respirações descompensadas.
Nos afastamos por falta de ar e tambem pelo meu celular que toca a horas em meu bolso,Hans me encara e eu desvio o olhar pegando meu celular que ainda toca em meu bolso.Vejo no identificador de chamadas que é Nati,atendo:
-Por que não atendia esse celular,hein dona Ariane?
-Estava oculpada.
-sei bem essa sua oculpação.
-Eu estava dirigindo Natalia.
-Me explica então por que eu estou vendo o carro em que você está,parado aí a horas?
-hã...você deve estar vendo um carro parecido.
-Por que Hans está saindo dele então?

Eu desligo a porcaria do celular quando percebo que Hans saiu do carro enquanto eu falava com Nati.Respiro fundo abro a porta e saio do carro,vejo Nati,Derek e Hans rindo a alguns metros de mim.
-Tão rindo do quê?Tenho cara de palhaça por acaso?! -Grito e eles só riem ainda mais,mas param de repente,as risadas substituidas por expressões sérias.Me preparo para perguntar o porque deles terem parado mas sou interrompida por uma voz atras de mim.
-Ariane?

 


Notas Finais


Comentem x)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...