História Entre o Vermelho e o Dourado - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Nathaniel
Exibições 82
Palavras 947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu sei que demorou, me perdoem, mas eu tava estudando trabalhando e mais um monte de coisa, coisada acontecendo na minha nada mole vida! Prometo que vou trazer mais capítulos logo, e prometo que serão maravilhosos! Esse cap me deu muito trabalho! Depois de escrever uma história entre o Nevra e o Faraize foi difícil imaginar o Nev com outro, ainda mais o outro sendo o Ezarel! Bom espero que apreciem esse capítulo tanto quanto eu, e me perdoem mais uma vez pela demora!

Capítulo 21 - Extra NevraZel


Fanfic / Fanfiction Entre o Vermelho e o Dourado - Capítulo 21 - Extra NevraZel

Ezarel pov’s

Acordei bem cedo depois de uma de minhas noites quentes e intensas com o Nev, tenho que admitir, meu primo é provavelmente a pessoa mais perfeita para namorar comigo, ele é como eu, nos darmos bem é inevitável, e transarmos todo dia também!

Estava na sala deitado no sofá apenas de cueca quando meu irmãozinho sai do quarto com uma camisa do Leif e uma cueca, ele veio em minha direção, deitou-se sobre mim e me deu um beijo carinhoso na bochecha. COMO ELE CONSEGUE SER TÃO FOFINHO?

-Bom dia irmão

-Bom dia Kero-Chan. Aliás, como foi a noite? Parece ter sido boa!

-Foi perfeita, obrigado pelo que você disse, apesar de você não ter sido nada gentil quando você disse que eu não me arrependeria, falou a verdade, não me arrependo, foi maravilhoso.

-Claro que eu tenho razão, sou mais experiente. A propósito, quero saber dos detalhes.

-O QUÊ?

-Hahahaha anda, não faz mal nenhum contar pro seu irmãozinho.

-Não vou te contar essas coisas, bobo, é constrangedor!

-Eu queria ter umas ideias para mais tarde, só isso!

-Hun... Acho que você tem criatividade suficiente!

Rimos, e ficamos um bom tempo abraçado e conversando, fazia tempo que não conversava assim com meu irmãozinho.

Nev finalmente saiu do quarto e quando viu eu e Kero deitados, se jogou por cima da gente, acabamos por cair do sofá os três rindo, parecíamos crianças.

Nevra- Como vão meu cunhadinho e meu amor?

Ezarel- Ótimos, aliás, Kero teve sua primeira vez!

Keroshane- Cala a boca idiota!

Nevra- Devíamos comemorar.

Leiftan- Comemorar o que?

Nós rimos enquanto Kero escondia o rosto envergonhado com as mãos, Leif veio e lhe deu um selinho enquanto eu e Nev ficávamos admirando a fofura dos dois, e logo levamos travesseiradas, não demorou para que todos estivessem gargalhando e se divertindo, até o Valkyon sair do quarto emburrado.

Valkyon- Qual o motivo da felicidade das quatro bixinhas?

Ezarel- A sua ausência era o motivo!

Não sei o motivo de o Val ser tão ranzinza, mas isso é muito irritante às vezes! Logo todos tomamos café, e começamos a preparar o almoço, afinal era domingo e teríamos um belo churrasco. Recebemos alguns amigos, poucos, convidamos apenas os mais íntimos, e quando começou a ficar tarde todos começaram a ir embora, pra nossa sorte Valkyon também saiu, dizendo que não voltaria hoje, então hoje eu poderia arrancar gemidos altos do Nev, hahaha.

Logo Leif e Kero foram pro quarto, imagino que eles também se divertiriam tanto quanto eu, pelo menos é o que eu espero. Nev me arrastou pro quarto e me deu um beijo intenso, como sempre.

Joguei o Nevra na cama.

-Ai você já vai começar com a selvageria!

-Você reclama, mas sei que adora!

Com o Nev deitado na cama eu sentei em seu colo e rebolei, ele mordeu os lábios me fitando malicioso, passei as unhas em seu tórax descendo até seu abdômen, brincando com a barra de sua box.

-Eza vai logo com isso!

-Tá, só não se arrependa de me apressar!

Tirei a box de uma vez e vi o porque da pressa, ele estava muito duro, apertei de leve seu membro e ele se contorceu gemendo.

-Ez...za

Eu adorava ouvi-lo gemer meu nome, mais do que gostava de gemer o dele, continuei tocando seu corpo sempre muito sensível, ele suspirava e arrepiava a cada toque, cada beijo, parecia me sentir no fundo de sua alma, e eu nem havia começado!

O beijei carinhosamente e ele parece ter ficado surpreso, afinal, eu não beijava qualquer um com tal paixão, passou os braços pelo meu pescoço e laçou minha cintura com as pernas que eu aproveitei para arranhar levemente, depois de um beijo que nos deixou ofegantes e sem ar, eu levantei-me e tirei o resto de minhas roupas, voltei para a cama engatinhando sobre o Nev que me olhava nos olhos o tempo inteiro, essa troca de olhares durou muito tempo antes de voltarmos ao beijo ávido e quente, eu sentia meu corpo ferver, e parecia que Nev sentia o mesmo. Ele inverteu nossas posições me deixando por baixo, senti meu corpo todo tremer com seu olhar erótico, dava quase para ter um orgasmo com aqueles olhos acinzentados sobre mim, seu olhar era carregado de paixão enquanto acariciava meus cabelos, permaneci vários minutos admirando-o enquanto ele me fitava curioso, devia estar se perguntando o porque de eu estar aceitando carinhos e não avançar como sempre, mas dessa vez eu preferi deixar assim, estava tranquilo, sabia o que ia acontecer, então poderia ir com toda a calma do mundo.

Os beijos continuaram por um longo tempo até Nevra começar a direciona-los a meu membro, colocou minha pernas apoiadas em seu ombro deixando minha intimidade na altura de seu rosto, passou a língua por toda extensão do meu membro para depois abocanha-lo com vontade me arrancando um grito, ele continuou a me chupar até eu finalmente chegar ao meu limite, meu corpo vibrava, ainda sensível. Nev abaixou uma de minhas pernas deixando a outra em seu ombro, e começou a ser forçar lentamente em minha entrada, logo senti-me completo, preenchido.

Nev me estocava lenta e profundamente, eu sentia seus movimentos calmos e fortes sua pegada peculiarmente delicada e dura.

Ele se inclinou em minha direção mordendo meu lábio e depois me arrancando outro beijo cheio de luxúria, estávamos quentes e suados, quase que em nosso limite, logo senti um formigamento em meu baixo ventre que veio acompanhado de meu ápice e um gemido fatigado, Nev também chegou ao seu limite apenas caindo sobre mim e me beijando ternamente.

-Eu amo você Eza!

Eu nunca soube responder a isso, então apenas o abraçava.


Notas Finais


Gente obrigado por tudo, prometo que logo tem mais capítulos, espero que tenham gostado, comente me dizendo o que acharam e o que gostariam de ler nos próximos! Beijinhos da tia ORO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...