História Entre Reinos! - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~Felina1

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Entre Lobos, Lemon, Magia, Romance, Shifters, Yaoi
Exibições 33
Palavras 4.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Lupina: Oi pessoal, quase nos últimos instantes do fim de semana rsrs.
Bem esperamos que gostem desse cap e nos digam o que estão achando da fic, sugestões e até criticas são bem vindas.
Um cheiro e até mais.
Os comentários serão respondidos em breve.

Capítulo 12 - Preparativos para o Baile


Fanfic / Fanfiction Entre Reinos! - Capítulo 12 - Preparativos para o Baile

 

 

Ainda na noite do cio

Após beijar o coelho e ser perseguido por este até o lago que fazia fronteira com Usagi e Tora, Will agora se sentia encurralado. Encontrava-se em uma clareira no meio da floresta selvagem e isolada, era uma parte que ainda não tinha sido bem explorada por nenhum dos reinos a fim de manter a natureza intacta e preservar animais e plantas raras que habitavam ali.

Lóis já era normalmente maior do que si, era viril e sem dizer que estava em sua forma meio humana, e mesmo sendo um coelho, um animal não agressivo, ele podia realmente meter medo naquela forma.

Tinha corrido até um grande paredão de pedras que ficava perto do lago, e agora não tinha mais saída, pois o coelho estava em sua frente impedindo a passagem, atrás de si apenas rochas, e ao lado o rio. Não havia escapatória a não ser se entregar aquele homem envolto em tensão e energia sexual descontrolada. Não tinha tanto medo do que o coelho podia fazer, sabia que mesmo estando desnorteado ele não o machucaria de verdade. Mais continuava sendo sua primeira vez e deveria ser importante e especial. Fechou os olhos por um instante e sentiu o ar quente que vinha da boca alheia, bem próximo de seu rosto.

Pensou por meros segundos e percebeu que mesmo tendo pouco tempo, Lóis havia se tornado uma pessoa especial, talvez não algo tão forte, mais com certeza um amigo ao menos. Era um homem lindo e isso nunca negara mesmo o mais velho alegando estar apaixonado pelo rei coelho ele sabia que não era um sentimento puro e verdadeiro. Ele tinha a missão e Lóis o ajudava, mais as tentativas de ambos até o momento estavam sendo tão ridículas que até duvidava se realmente queriam fazer aquilo. Ele não queria, achava o amor dos reis tigre e coelho, tão lindo que os invejava.

Antes que pudesse refletir mais um pouco, sentiu a língua áspera e morna passar pelo seu rosto que parecia pegar fogo, depois de toda corrida e ansiedade pelo momento que estava prestes a acontecer.

- Tens um cheiro gostoso. – A voz transformada do coelho pôde ser ouvida. Ele parecia mais controlado, mais continuava em sua forma meio animal.

- Por que não conseguiu controlar seu animal? Já deveria ter voltado ao normal. – Perguntou, apesar de ter saído do vale dos elfos apenas uma vez, conhecia bastante da cultura dos shifter’s por relatos de seu pai e por ler alguns livros que esse lhe dava quando menor, o que não era costume dos elfos.

- Não sei. – Foi sincero, mais parou um tempo e puxando o ar com calma, foi se acalmando e tomando sua forma humana, mais ainda se sentia agitado.

Will havia sentido algo estranho quando o coelho se transformou assim que o cio começou, mais não era possível, era loucura, por isso jogou a ideia para o fundo de sua mente. Mais pelo visto não tinha sido só ele a perceber.

- Não sei explicar o porquê, mais me sinto estranho perto de você. – O general respirava pesado, ainda colado ao elfo que tinha o corpo tremulo pela proximidade. – Parece que vou perder a cabeça a qualquer momento. Nunca me senti assim em cio nenhum. – Olhava tão intensamente para Will, que ele se sentia despido na presença do outro, sem ainda o estar.

- Deve ser por que não tomou sua porção. Mais preciso que se acalme ou porá nosso plano pra baixo. –Se esforçou para dizer, meio perdido nos olhos castanhos escuros enevoados de prazer a sua frente.

- Vamos ser sinceros Will, nenhum de nós dois fez nada de concreto para afasta-los. Mesmo eu tendo surtado e querendo atacar a menina turquesa e sua vó, sabemos que eu não o faria. Estou descontrolado é verdade, mais meu lado humano nunca permitiria isso, como não permitiria que eu... – A frase ficou suspensa no ar, e mesmo temendo ouvi-la a curiosidade de Will não permitiria ficar sem saber do que o outro estava falando.

- Permitiria o que? – Perguntou afastando o mais velho, mesmo que sutilmente o que não causou o  efeito desejado, já que esse nem se moveu do lugar que estava, ainda esquadrinhando sua alma apenas com aquele olhar quente.

- Mesmo estando louco de desejo, e depois daquele beijo quente que me deu, eu nunca me permitiria tocar em ti sem consentimento. – Sussurrou no ouvido do mais novo e aproveitou para mordiscar a pontinha de sua orelha, fazendo o elfo deixar escapar um gemido baixo mais prazeroso pelos lábios que já estavam vermelhos de tanto mordisca-los pelo nervoso.

- Então afaste-se. – Se esforçou para dizer, seu coração não queria aquilo, algo dentro de si, gritava para se entregar ao outro, talvez estivesse sendo afetado pelo cio por causa da tensão sexual do mais velho, mais sua mente não permitiria que fizesse tal loucura e pusesse tudo abaixo.

- Engraçado. – Disse sorrindo e rodeando o elfo de forma provocativa, alisando suas curvas com as pontas dos dedos, enquanto analisava cada reação dele. – Sua boca me diz uma coisa, seus olhos outra e seu corpo outra. Isso é tão confuso. – Disse frustrado, como o bom viril que era não gostava de manter seu desejo tão escondido por tanto tempo como estava fazendo.

Na verdade a muito Lóis sabia que seus sentimentos por Lucca não passavam de mera admiração e uma adoração exagerada, tanto pelo fato dele ser a menina turquesa, que  estava destinado a salvar seu reino, tanto por ter conhecido o jovem Lucca e visto o seu enorme coração e como sempre estava disposto a ajudar. Quando se aproximou de Will, sua mente pareceu piscar em alarme, ele era lindo, corajoso e decidido, como sempre gostou. Mais quando o elfo o propôs terminar com o casamento de Henry e Lucca ele aceitou, talvez como forma de estar mais próximo do outro que parecia concentrado demais em cumprir sua missão. A cada dia se encantava mais pelo loiro, mesmo que sua mente negasse isso e tentasse reafirmar seu sentimento por Lucca. E naquela noite quando perdeu o controle e quase fez uma loucura o elfo se mostrou mais uma vez valente e inteligente e ao invés de enfrentá-lo, atraiu sua atenção com um beijo tão gostoso que ainda conseguia sentir o gosto dos lábios do outro nos seus. E agora não sabia o que pensar sobre aquilo tudo, mais sua mente só gritava para tomar ele naquele momento, mais não seria rude assim.

- O que os meus olhos e meu corpo te dizem?  - Foi desperto por uma pergunta nem um pouco inocente e regada de segundas intenções.

- Seus olhos me dizem que apesar de estar nervoso e inseguro com tudo isso, tem certa expectativa. – Lambeu a bochecha do outro sem quebrar o contato visual e prosseguiu. – Seu corpo me diz, que cada vez que me aproximo, sua pele parece ferver, seu coração salta no peito e seu sangue parece passar dez vezes mais rápido por suas veias, como se estivesse a ponto de ter um ataque. – Disse sério e lambeu a costura da boca do loiro, perigosamente próximo demais de seus lábios, e esfregando além do necessário seu corpo no outro.

- Pois está enganado, se estou nervoso é por medo que faça alguma loucura. - Disse tentando manter a postura, não gostava de ser lido tão claramente como o outro tinha feito, parecia ser transparente perante o coelho observador. Lóis literalmente parecia ter lido sua alma e mente.

- Está sentido muitas coisas nesse momento Will, mais o interessante é que o medo não é uma delas. Não sentiu medo de mim nem quando estava transformado, muito menos agora.

Lóis não perdia o tom sedutor, e nem a oportunidade de tocar e roçar seu corpo quente no do outro que já mostrava os primeiros sinais de excitação, como a pele quente e avermelhada, as gotas de suor se acumulando na testa fazendo os cabelos grudarem, e o membro começava a apertar nas calças, o que deixava o elfo ainda mais agoniado com tudo aquilo.

- O que vai fazer? – Se esforçou a perguntar e não tinha mais o tom desaforado ou corajoso, só pensava no que ia fazer e seu corpo pedia por aquilo mais e mais.


 

- Apenas o que quiser que eu faça. – Sorriu maroto, ainda olhando o outro tão seriamente que Will sentia suas pernas tremerem.

- Quero que recobre a consciência e voltemos a missão. Não posso esquece-la Lóis, por mais que a deteste. – Disse quase choroso, e por segundos de fraqueza pegou com força a camisa do mais velho, como se busca-se proteção.

- Não entendo o porque disso ser tão importante. Por que sempre fala dessa missão como se sua vida dependesse dela? – Perguntou e ficou calado por um longo momento apenas admirando o rapaz e esperando uma resposta que não veio, o deixando ainda mais frustrado.

- Você apareceu do nada, entrou na minha vida, me permitir contar tudo sobre mim, lhe ajudar nessa tal missão, mais não sei nada sobre ti, nem sequer sua raça. Injusto não? – Perguntou meio irritado e pela primeira vez naquela noite se afastando do corpo quente de Will, o que fez com que o elfo resmungasse com a perda do contato.

Lóis se afastou e se sentou em uma pedra na beirada do rio, se sentia confuso e o pior de tudo, extremamente excitado.

Will olhou o homem a sua frente, o coelho tinha razão em tudo que dissera, ele tinha sido aberto e contado muito de si nos dias em que se reuniam para tramar algo contra o casamento dos reis, mais Will não poderá contar nada sobre si, era realmente injusto. E pela primeira vez naquele tempo, ele colocou sua missão atrás do que realmente estava sentindo, e mesmo sabendo de que poderia ser punido por aquilo, ele caminhou a passos lentos e se sentou próximo de Lóis o olhando, mesmo este estando de cabeça baixa.

- Não posso contar muito sobre mim, ou minha missão. Mais ainda posso te ajudar. – Disse em tom ousado e descendo a mão pela barriga do outro, insinuando bem o que queria dizer.

- Não preciso de uma prostituta. – Disse em um rompante e rapidamente se arrependeu ao ver o olhar triste e ofendido de Will.

- Desculpe-me, não foi isso que quis dizer. Apenas não quero que faça nada por pena. – Tentou se redimir fazendo um pequeno carinho nos cabelos do outro, que pareceu entender o que dizia.

- Nunca fiz nada por pena, e não seria agora que começaria. –Foi firme e Lóis não tinha mais o que fazer a não ser aproveitar.

O general então puxou o outro rapidamente o conduzindo para seu colo e agarrando sua cabeça, lhe deu um beijo quente e necessitado, seu membro não tinha perdido a excitação em momento algum, obviamente consequência do cio.

- Não quero que se arrependa. – Parou o beijo para falar enquanto observava o rosto do elfo pegando fogo.

- O único que se arrependerá aqui é você, se parar novamente. – Ameaçou e Lóis sorriu com a ousadia do loiro.

Calmamente Will foi deitado sobre a relva baixa e mesmo estando ansioso e envolto pelo calor do cio, Lóis o amou calma e intensamente. Eram sentimentos novos para o elfo, emoções que nunca havia sentido antes, e poder se entregar de corpo e alma a alguém era realmente muito bom, mas ele sabia que aquilo não duraria. Porém aquela noite seria guardada em sua memória para sempre. Sua primeira vez, a primeira vez em que tocou e foi tocado por alguém do mesmo gênero, a primeira vez que pôde se sentir livre para ser realmente quem era, e isso ninguém nunca poderia tirar de si.

Assim que amanheceu, sentiu um calor estranho em seu pescoço. Não queria acordar, mas parecia que sua pele queimava, e ele sabia que não era o sol. Se mexeu lento e silenciosamente a fim de não acordar o coelho que estava dormindo agarrado possessivamente a si. Uma sensação maravilhosa com certeza, mas não pode apreciá-la por muito tempo. A sensação de formigamento e calor aumentava ainda mais em seu pescoço. Enfiou a mão dentro da camisa e tirou o colar, assim que o fez a imagem da mãe natureza sentada em seu imenso trono coberto por ramos retorcidos e verdes pulou do colar.

- William. – Disse polida, mas com uma voz tão fria que arrepiou o pequeno elfo.

- Sim mãe natureza. – Disse em tom baixo e se afastando o máximo que pode do outro, tanto para ele não acordar como para a deusa não o ver.

- Como anda nossos planos? – Will sentiu aquela pergunta tinha uma certa armadilha, mas não tinha o que fazer a não ser contar a verdade, até porque essa era a sua natureza.

- Não muito bem. Sinto dizer que não avançamos muito vossa divindade, o amor da menina turquesa pelo seu rei é realmente forte. E com o cio dos coelhos o rei tigre tomou todas as providências para manter o marido fora de caminho. Também tentei algumas vezes me aproximar do rei Henry, mas esse não deu brecha alguma, é realmente fiel, e se quer olhar para qualquer outro a não ser o marido. Sem dizer que muitas coisas aconteceram no reino de Okami , o que obrigou a ambos passarem muito tempo lá, o afastando de Tora e consequentemente de mim. – Relatou, sabia que a mulher iria querer detalhes.

- Sim, já estou sabendo. – Riu de lado, sabendo que a maldição do filho tinha sido completada, de certa forma aquilo parecia trazer um pouco de seu Dark para si.

- Então peço perdão mais não tenho mais o que fazer senhora. –Disse tentando se livrar de toda aquela loucura. Se permitiu olhar rapidamente para o coelho que continuava dormindo gloriosamente nu sobre a grama e um sorriso involuntário saiu de seus lábios.

- Vejo que estás ocupado demais com seus próprios negócios. Talvez tenha sido um erro lhe enviar nessa missão, acho que superestimei seu poder de persuasão e seu compromisso.

Aquilo levantou uma grande fúria em Will.

- Com todo respeito mãe natureza, mas nunca dei motivos para pensar isso de mim. Se ainda não obtive êxito , é porque não fui treinado para isso. Minha função sempre foi a guerra e estratégias, não seduzir homens para minha cama. – Expeliu o ódio que estava guardando dentro de si, mesmo sabendo que era perigoso demais enfrentar Clay daquela forma.

- Sim. Mais parece que não teve dificuldades em trazer o general coelho para seus braços não é? – Disse felina e Will teve certeza de que cairia morto naquele instante, mais não foi o que aconteceu.

- Mais não estou disposta a discutir com quem dormes ou não. Apenas vim lhe avisar que sua missão mudou.

William sentiu certo alivio com aquilo, não havia sido castigado, pelo menos não ainda, e sua terrível missão havia mudado, só pedia aos céus que não fosse pior do que a primeira.

- Ao invés de destruir o casamento do rei coelho, quero que o atrai-a até mim.

O elfo ficou confuso e levantou uma sobrancelha em dúvida, mais antes que perguntasse a mulher respondeu.

- Não importa o motivo, apenas quero que conduza a menina turquesa e seu esposo para a floresta central, preciso dele perto de mim. – Explicou e antes que Will pedisse mais informações ela sumiu, o deixando curioso e pensativo.

- Sempre me perguntei quem seria seu superior, a pessoa que tinha te enviado nessa missão louca, mais nem nos meus maiores devaneios poderia imaginar que seria a própria mãe natureza. – Foi desperto dos pensamentos, pela voz rouca de Lóis.

- O que ouviu? – Perguntou nervoso.

- O suficiente para saber que não pode falhar nessa missão como falhou na outra. – Disse compreensivo e se aproximando do outro.

- Então acha que devo levar o Lucca até ela? Seria entrega-lo de bandeja ao inimigo. – Disse preocupado, sentindo-se ser abraçado pelo outro e isso era muito bom.

- Não tem escolha, e alguma coisa me diz que o Lucca também não. Olha se conheço bem a história das meninas turquesas, e sim eu conheço. – Disse e riu. – Elas sempre foram levadas de um lado a outro, e obrigadas a enfrentarem seus maiores medos, mais nunca retrocederam ou desistiram, e ele não será o primeiro. Então não tenha medo de sua missão, essa com certeza é muito melhor do que a outra. Sei que meu rei saberá bem o que fazer. – Disse encantado.

- Onde está toda aquela paixão pelo coelho? Só vejo admiração.

- E sempre foi o que existiu. Nós dois sabemos que nunca gostei dele de fato, foram apenas devaneios. E essa noite serviu apenas para consolidar isso. – Beijou a nuca do elfo que se arrepiou com aquele contato gostoso.

- E o que faremos? – Aquela pergunta ia muito além do que saber apenas seus próximos passos, Will queria saber como ficariam dali em diante, não esperava do coelho um compromisso ou reparação por ter levado sua virgindade, mas não podia negar que se afastar do mais velho, doía-lhe a alma.

- O que for preciso para cumprir sua missão, e quanto a nós? Bem nos conhecer mais, não seria nada mal. – Sorriu carinhoso e Will concordou lhe dando um beijo gostoso.

- Quem é você pequeno?Me diga ao menos sua raça.-Pediu alisando os cabelos loiros e compridos do elfo.

-Eu queria poder te contar.De verdade, ainda mais depois de tudo.-Se referiu a noite de prazer que tinham tido.- Mas não posso, desculpe-me, simplesmente não posso agora.

-Tudo bem, depois veremos isso.- Sorriu gostando de receber o carinho do outro em seu rosto.

....................................................................

Uma semana depois na noite do baile de aniversário dos príncipes de Okami...

No grande castelo de Okami a correria era grande. Pessoas subiam e desciam as escadas com pressa, algumas com pratos de comida, outras com enormes pedaços de tecidos ou lindos castiçais de vidro, tudo estava sendo preparado para o grande baile.

James havia colocado Sophia para dormir, e já tinha separado sua roupa e a do marido. Iria agora ao quarto de Luna preparar a princesa para o grande momento.

- Posso entrar? – Perguntou assim que bateu na porta, não houve resposta verbal, viu apenas a porta ser aberta por Melissa que estava com vários panos no ombro.

- O que é tudo isso? – James pediu vendo o quarto cheio de roupas e as três mulheres, Hanna, Melissa e Luna, olhando para os vestidos como se estivessem a ponto de jogá-los pela janela.

- Bem depois que a Luna cresceu. – Hanna apontou para a prima que ficou envergonhada. – Tio Chris pediu para que a costureira real fizesse um vestido tão bonito quanto o outro que ela vestiria no baile de nove anos, mais a mulher coitada, não chegou nem perto com tão pouco tempo. – Balançou a cabeça frustrada e apontando para o vestido jogado na cama, era bonito mais não digno do grande dia.

- Hum, entendo. Mais não tem nada que possam fazer? – Pediu tentando manter as três mais calmas, mais ele não era a pessoa mais indicada para o assunto, era homem e mesmo sendo dainty nunca tinha se interessado por aqueles assuntos, entendia de armas e guerra.

- Estamos tentando, mais não somos boas de costura. – Luna disse desanimada. – Acho melhor não fazermos esse baile, evitaria ainda mais os comentários e olhares de pena que receberei quando todos virem que perdi minha infância. – A tristeza havia voltado para a princesa, que se jogou no chão derrotada.

- Hei, não diga isso. Essa não é a Luna que conheço, que mesmo com dor de dente tomava sorvete. – James brincou tentando tirar um sorriso da princesa, mesmo sabendo que ela tinha razão para se sentir daquele jeito.

- Não tenho sorvete, mais se é de um vestido que precisam posso ajudar. – Pandora disse entrando no quarto com o braço carregado de grandes tecidos coloridos e muitas saias.

- O que é tudo isso Pandora? – Melissa perguntou assustada.

- Bem, soube que a princesa não tinha nada digno para o grande dia, então catei algumas coisas que tinha e resolvi vim ajudar. – Sorriu e tomou a frente de James, pegando a mão da menina.

- O que vai fazer vovó? – Luna perguntou um pouco mais esperançosa.

- Você já tem o vestido, que não é tão ruim, só precisa de alguns complementos e ajustes. Então vamos arrumar isso, e precisarei de ajuda. – Olhou as garotas.

- Bem, acho que já fiz meu papel aqui. Posso até dar uma força ou animo, mais definitivamente vestidos não são meu ramo.- James riu e saiu do quarto saudando as mulheres.

- O que podemos fazer? – Hanna perguntou, mesmo preferindo a arte da guerra e Melissa a medicina, ambas haviam aprendido a costurar e tecer como era esperado de damas.

- Tenho essas saias, que iram ajudar no volume. E pensei em por esse tecido mais leve por cima da saia principal, e espalhar algumas flores por todo o vestido. Acho que ficara na altura de nossa lobinha. – Acariciou o rosto de Luna que agradeceu pela ajuda.

- Acho que vai ficar lindo, obrigada vovó. Então vamos colocar mãos à obra? – Pediu animada, era seu grande dia, queria estar linda, ainda mais por ter quem admira-la.

Logo depois do almoço o vestido estava pronto. Realmente não precisou de muita coisa para ficar perfeito para um grande baile como o que iriam ter naquela noite. A saia principal do vestido era vermelha coberta por uma renda branca floral, por cima Pandora acrescentou babados brancos e em cima desses flores vermelhas feitas de tecido. As costas eram de amarrar, e um espartilho justo era a parte de cima, que não tinha alças, mais era do mesmo tecido que a saia. Com certeza a princesa ficaria deslumbrante.

- Tudo pronto. Agora precisamos deixa-la magnifica, e fazer com que seu pai arranque todos os fios da cabeça de ciúmes, por que será o centro das atenções. – Hanna disse rindo e fazendo com que as outras mulheres também rissem.

- Alguma coisa me diz que não é o olhar do alpha que ela quer conquistar. – Melissa disse olhando a menina que ficou vermelha feito pimentão.

- Não diga tolices Mel, vamos ou irei me atrasar e vocês também. – Disfarçou e as outras respeitaram  a privacidade dela, já tinham tido aquela idade, e sabia como era a ansiedade de ser aceita por que se gostava.

Luna foi ajudada pelas servas já que as outras mulheres precisavam se arrumar também. Vestiu as várias saias, as meias longas, e mesmo com dificuldade o espartilho e logo depois o grande vestido. Era muita roupa, fazia calor e lhe apertava um pouco, mais ao se olhar no espelho não teve dúvidas de que estava bela e isso a encheu de orgulho. Os longos cabelos tinham sido presos mais alguns cachos caiam pelo seu rosto e costas, uma tiara de diamantes havia sido colocada em sua cabeça, e um colar de peloras havia substituído o que Tyler havia lhe dado, mesmo ela não tendo gostado daquilo. Mais não podia ardonar tão presente, ou seus pais começariam a lhe encher de perguntas sobre quem tinha lhe dado, já que desde que ganhara , não tinha deixado ninguém ver a não ser Lucca, que era seu cumplice nas pequenas travessuras.

- Ualll, é hoje que certo coiote uiva pra lua. – Lucca disse assim que entrou no quarto e se deparou com a princesa vestida tão belamente.

- Não seja bobo. E fale baixo, quer que meu pai ouça? – Pediu envergonhada, ainda era novo demais para si gostar de alguém.

- Ele não irá. Mais realmente estás encantadora, não tirarão os olhos de ti. – Elogiou e beijou o rosto da menina lhe oferecendo o braço.

Como Oliver era rei, era obrigado a entrar primeiro e com o esposo. Chris receberia a filha no final da escada, onde apresentaria os dois príncipes, mais seria Lucca a leva-la até as escadas.

- Não sei se estou preparada para ver o olhar de pena das pessoas quando souberem da maldição. – Disse insegura, mais caminhando para fora do quarto com o coelho.

- Querida, está tão deslumbrante, que o único olhar que te darão será de encantamento e alguns de inveja de sua tão grande beleza.

Luna sorriu agradecida.

- Queria que a mamãe estivesse aqui. – Segredou.

- Eu também, mais sei que onde ela estiver está orgulhosa da linda mulher que esta se tornando. – Parou apenas para enxugar uma lagrima que havia deixado escapar por lembrar da madrinha e continuou. – E sei que ela também aprovaria o rapaz de olhos multicor. – Brincou provocando Luna.

- Já disse para parar com isso. Posso ter quinze, mais até duas semanas atrás só tinha oito e não sei nada sobre garotos,  a não ser que fedem e gostam de lutar.

Lucca parou um pouco antes da escada, gargalhando pelo comentário da menina.

- Bem, não deixa de ser verdade, mais verás que eles servem para um pouquinho mais que isso. – Ficou de frente a garota. – Mais o que tem que saber, é que não importa a opinião de ninguém, a não ser a sua mesmo. A única pessoa que precisa agradar é a si, e fazendo isso verás que os que realmente te merecem se aproximarão, então não se preocupe com nada, e aproveite sua noite. Estamos gratos por estar viva e bem, e é isso que estamos comemorando hoje. – Beijou a bochecha da “irmã caçula”.

Shíon se juntou a eles na escada, estava vestido formalmente, com calças pretas curtas que eram completadas por longas meias brancas e sapato preto de cano alto. Seu casaco também negro tinha botões dourados e fechavam na frente, deixando de fora apenas a camisa azul claro e o lencinho branco amarrado no pescoço.

- Não vou ficar com isso a noite toda. – Disse futucando o lenço no pescoço.

- Não o tire mocinho ou estapearei sua bunda.- Pandora ameaçou vindo logo atrás dele. – Está lindo e bem apresentável como deveria ser. – Disse sorrindo e olhando para a garota.

- Fizemos um belo trabalho não? – Se referiu ao vestido e beijou a menina, pegou a mão de Lucca e desceu as escadas, vendo vários convidados que já haviam chegado.

Luna respirou fundo e recebendo o braço do irmãozinho, pediu aos céus forças para descer as escadas sem tropeçar. Já tinha duas semanas com quinze anos, mais somente agora sentia o peso da idade nas costas, tudo seria diferente agora, todos a veriam com outros olhos. Mais ao ver um lindo rapaz ao longe, entrando pela enorme porta do castelo, trajado como um verdadeiro nobre, sabia que tudo ficaria bem.


Notas Finais


Felina: Iai gente, tudo bem ?
O que nos dizem desse capitulo?
Esperamos todos vocês nos comentários, então nos deixem saber de tudo rs
Beijos e até lá.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...