História Entre Sentimentos e Engrenagens - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~Xiumminieh

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Robô, Robótica
Visualizações 172
Palavras 3.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Luta, Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi Oi Gente!!! Voltamos! Yaaaaaa!
Esperamos que gostem e que estejam gostando do desenrolar da história!

Capítulo 3 - 3% - Loading...


Fanfic / Fanfiction Entre Sentimentos e Engrenagens - Capítulo 3 - 3% - Loading...

—Olha só — Jimin cessou seus passos, suspirando —Vamos combinar de você só perguntar e não tentar tocar está bem? —Indagou, tentando colocar um fim em toda aquela afobação do robô quando vê algo novo e por fim controlá-lo um pouco.

Já perdeu a conta de quantas vezes viu alguém praticamente surtar quando JK-00 tentara tocar em seus projetos, gritando ser frágil ou que simplesmente não era para encostar. E com toda aquela delicadeza que Jimin sabe bem que o robô não tem, era melhor controlar aquelas mãos nervosas e a curiosidade em excesso. Não queria ter que pagar por peças ou até mesmo se forçado a remontar e, na pior das hipóteses, serem expulsos.

—Está bem — O outro concordara levando as mãos até atrás das costas e enlaçando os dedos uns nos outros — É que estou demasiado animado.

—Isso eu percebi — Sorriu achando fofo o jeitinho desconcertado que JK-00 ficara depois de ver que tinha sido repreendido.

—Jimin...

—Hm?

—Pode contar um pouco sobre você? —Indagou mirando os olhares, parecendo ansioso por isso.

—Sobre mim? — Respondera com outra pergunta, franzido o cenho —Por que?

—Bom... — O robô desviou o olhar, as bochechas novamente levemente rubras — Eu não sei de ninguém além de serem conhecidos. O Namjoon Hyung é meu criador... Mas, e ai? Eu não sei mais nada sobre ele... Entende? — Mirou os olhares novamente, torcendo para que seu novo amigo entendesse o que estava querendo dizer.

—Você quer... Se aproximar mais de mim? — Indagou, vendo que o outro concordara levemente com a cabeça.

—Quero pelo menos saber sobre alguém. Conhecê-lo melhor. — Olhou para os próprios pés, chutando uma pedrinha imaginaria — Mas não me importo se você...

—Sou Park Jimin — Começou vendo a máquina fazer um tipo de careta, pois já sabia dessa informação — Nasci em Busan, dia treze de outubro de 1995.

—Tem 21 anos? —Indagou, calculando o ano presente com o do nascimento em segundos.

—Sim... Para quem não estava conseguindo responder algumas contas de matemática, você foi bem rápido com essa. — Viu como as bochechas ficaram infladas e um pequeno bico se formava naqueles lábios rosados.

—Não fui eu, foram meus dados. Às vezes eles agem por si só e eu simplesmente acabo recebendo as informações — Explicou ainda com sua feição emburrada, o que fez Jimin soltar uma risada.

—Ora, não fique com essa cara — Apertou de leve uma das bochechas, fazendo o bico dos lábios aumentar —Foi apenas uma brincadeira. Cadê seu senso de humor? Namjoon se esqueceu de instalar ai? — Empurrou de leve a cabeça com o dedo indicador, ganhando em troca um belo de um tapa no braço. —OW! —Exclamou, segurando o local agora dolorido — Vai com calma ai!

—Ah, me desculpe! —Agora JK-00 parecia um tanto desesperado — Eu te machuquei?! —Perguntou exaltado, sem saber o que fazer. Então simplesmente segurou o local, analisando-o.

—Não... Não se preocupe — Mesmo que doesse muito, Jimin não queria demonstrar e acabar assustando ainda mais o outro. Viu como este focava seu olhar no local, agora parecendo determinado — JK-00? —Então, do nada, sentiu as mãos articuladas, especificamente os polegares, alisarem o local com todo cuidado. —O que está fazendo?

—Shhhh! —Pediu silencio, sem tirar seu foco — Não me desconcentre. Estou fazendo carinho para sarar, por isso estou tentando manter minha força estável para não machucá-lo mais.

O Park o encarou por um momento, piscou, e depois sorriu de leve, inclinando a cabeça para trás.

—Carinho para sarar, é? —Indagou, vendo a ingenuidade daquele ser, que apenas confirmou com a cabeça. Sentia como às vezes ele perdia o controle e acabava apertando mais forte do que devia, o cenho se franzindo e logo o aperto se desfazendo. — Continuando, minhas cores favoritas são azuis e pretas. 

—Cores favoritas?— JK-00 indagou confuso com aquilo.

—Bom, é quando você acha uma cor bonita e gosta dela, basicamente. — Explicou sorrindo mais um pouco quando vira o robô inclinar-se e selar levemente o local com os lábios. —O que é isso agora? —Indagou risonho.

—Beijos ajudam a curar — Respondera, afastando-se de leve, o que fez Jimin começar a pensar sobre que outros tipos de informações aquele cientista havia colocado naqueles dados.

—Ah, sei —Concordou ainda sorrindo — Me sinto bem melhor.

—Ah, sério?! —De repente JK-00 pareceu bem mais animado por ter ouvido aquilo. O rosado apenas confirmou com a cabeça.

—E, olha, você conseguiu controlar sua força — Lembrou-se, recordando-se do momento em que aquele garoto mecânico quebrara a parede com a bola, este que o encarou por um momento, processando aquelas palavras.

—... É verdade! — Ele parecia surpreso já que seus olhos se abriram um pouco mais juntamente com os lábios — Mas foi difícil. —Revelou, fechando os olhos.

—Com um tempo você pega o jeito — Sorriu depositando as mãos dentro dos bolsos da calça e puxando de lá seu celular.

—O que é isto? — JK-00 indagara logo atrás de si, observando o aparelho por cima do ombro do outro — É um celular?

—Sim, isso mesmo. —Respondeu, ligando a tela inicial e retirando um “ohhh” de admiração do robô. Sorriu com aquilo, mas logo ficando sério ao ter noção do horário. —Já são sete e meia?! —Indagara para si mesmo, mirando as janelas e vendo como o céu ficava cada vez mais escuro.

—Posso ver? — A máquina questionou, querendo experimentar aquele aparelho. Sua afobação ficava mais evidente quando as mãos batiam palminhas e o sorriso quase não cabia no rosto.

—Outra hora, está bem?

—Ah, Por que Jiminnie? — Formou-se um bico nós lábios, como uma birra, enquanto os olhos tomavam um aspecto pidão, parecendo que as pupilas haviam aumentado.

—Jiminnie? — O Park indagara arqueando a sobrancelha. —Da onde você tirou esse apelido? — O outro piscou algumas vezes, dando a entender que só notara agora o que havia falado.

—Ah, saiu naturalmente, eu acho — Sorriu com um fechar de olhos, coçando a nuca.

—Sendo assim tenho que arrumar um apelido para você também — Concluiu depositando as mãos na cintura, já querendo fazer aquilo já tendo um tempo — Coelhinho.

—Coelhinho? — A expressão contraiu-se em uma careta.

—Sim, seu sorrido me lembra um coelho — Explicou, dando de ombros — Mais especificamente o modo como seus dois dentes da frente foram colocados — Depois de tais palavras JK-00 tocou os dentinhos.

—Meus... Dentes? —Sussurrou, procurando-os com os dedos.

—Sim, estão trate de colocar nesses seus dados que você será chamado assim também — Sorriu. —Não quero ser ignorado repetidas vezes seguidas — Jimin estava tão imerso novamente naquela conversa que quase se esquecera do horário, lembrando-se como um estalo na sua cabeça ao se forma um silencio no local — Me desculpe JK-00, mas eu preciso ir agora.

—Ir? — Demonstrou confusão — Para onde?

—Eu tenho casa, sabia? —Riu depositando a mão a frente dos lábios, escondendo-os.

—Casa? Mas... Mas você vai voltar depois? —Ele parecia meio desesperado com aquela ideia, com a ideia de que o garoto fosse embora e o deixasse sozinho. Estava sendo tão legal conversar daquela maneira e ter uma companhia.

—Sim, claro, afinal vou estudar aqui! Amanhã voltarei — Virou-se seguindo o caminho, olhando para trás apenas para acenar — Não se preocupe.

JK-00 apenas observava as costas do garoto com os fios pintados de rosa depois de devolver o aceno, se distanciando cada vez mais de si, tocando-se que nem ao menos dissera que poderia ser perigoso sair à noite, pois seus dados indicavam perigo nesses certos horários.

—É... Perigoso — Alertou de forma baixa.

Ficou parado um momento enquanto todos ao seu redor já se recolhiam, sobrando apenas alguns terminando de arrumar ali e aqui. Guardando ferramentas em caixas e depois os levando consigo ou simplesmente deixando em um canto da sala. Outros apenas desligavam seus projetos e as luzes, despedindo-se uns dos outros e seguindo cada um para seu rumo e um bom descanso. Havia pessoas que saiam sujas de graxa ou tinta, mas nem ao menos se importavam.

[Alerta: Energia fraca — Retornar ao laboratório— Conecta-se na fonte de energia.]

O anuncio piscava em frente aos seus olhos, mostrando a barra de carregamento e o tirando de seus devaneios, que seria ficar encarando o caminho que o Park havia feito. Quase como inconscientemente as pernas se moveram do lugar, voltando pelo mesmo caminho que havia vindo depois dos testes, refazendo os passos. O robô apenas seguia o que seus códigos falavam, parecendo meio desligado do mundo exterior, como se seu corpo movesse sozinho para que a energia não se acabasse completamente. Sentia-se pesado e não tentava entender os dados de seu cartão.

Após alguns minutos andando, finalmente chegara ao seu laboratório, o local onde fora criado. Abriu a porta, seguindo com passos mansos até um tipo de cama de ferro, onde era em pé e levemente inclinada para trás. Subiu no pequeno degrau, acomodando-se ao deitar e relaxar os membros do corpo. Logo após pequenos fios mecharam-se, conectando em diversas partes do corpo e brilhando em um tom azulado.

—Azul... —Sussurrou notando a coloração — Jimin gosta de azul.         

JK-00 encarou a sua frente por um momento e logo suas pálpebras foram fechando-se, cada vez mais, os olhos desfocados e o breu tomando conta.

[Modo descanso — Recarregando energia.]

█████▒▒▒▒▒▒▒▒

55%

Assim que atravessara as portas Jimin encolheu-se com o vento chocando-se contra seu corpo. Os cabelos róseos balançando junto com o pequeno casaco em seu corpo, que ele tratou de enrolar-se mais nele. Não estava em seus planos sair tão tarde, mas com esses imprevistos, acabou que ele queria ficar mais e admirar aquele robô.

E, Sim, ainda não havia caído a ficha de que ouve um diálogo entre ele e um robô humanoide. E fora tão natural, como velhos amigos, às vezes até se esquecera que aquilo não era um garoto de verdade.

Resolveu apressar os passos antes que fosse oito horas da noite ou mais.  Não gostava de andar sozinho por aí à noite. Atravessou algumas ruas aos passos rápidos, chegando a um ponto de ônibus e escolhendo ficar em pé mesmo, crente que o transporte chegaria rápido.

Não queria ligar para nenhum amigo e acabar incomodando-o, afinal, sabia que eles já deveriam ter ido embora nessa altura do campeonato, ou talvez trabalhando em alguma ideia mirabolante.

Apoiou-se na sustentação dos bancos, abraçando-se para proteger-se do frio. Olhou para os lados e então pegou o celular discretamente, olhando dentro do bolso mesmo e vendo que já era quase oito. Suspirou, desejando chegar a sua casa logo, comer algo e tomar um bom banho.

Depois de alguns minutos, e vários ônibus depois, sua carona chegara. Deu sinal vendo como o automóvel estacionava e o jato de ar quente direcionava-se a si. As portas se abriram e logo tratou de entrar, pegando o motorista e sentando-se na primeira cadeira que apareceu. Recostou-se retirando o celular do bolso e colocando em uma música aleatória, fechando os olhos. Estaria relaxado se não ouvisse um vibrar do aparelho e logo um pequeno som, indicando alguma mensagem. Olhou, sorrindo ao ver que era seu amigo.

Hoseok: (Visto por último hoje as 17:54 PM)

Hey Jimin!

Está tudo bem? Precisa de uma carona?

Bolinho de arroz: (Online)

Não, já peguei um ônibus, Obrigado por perguntar Hyung.

Hoseok: (Online)

Ah, Park Jimin!

Eu disse que era para me avisar quando saísse.

Bolinho de arroz: (Online)

Desculpe, não queria atrapalhar.

Hoseok: (Online)

Não iria atrapalhar. Nós estamos estudando no mesmo instituto agora!

Eu avisei onde era minha sala.

Ah! Falando nisso, como foi a sua primeira experiência?

Bolinho de arroz: (Online)

Incrível.

Suspirou sorrindo, desviando o olhar para a janela e depois apoiando a testa ali, sentido o vidro gelado. Mandou uma última mensagem dizendo que conversaria melhor com ele depois e quem sabe contasse uma novidade. Levantou-se apertando o botão de parada, dirigindo-se a porta traseira e saindo logo que o ônibus estacionou.

Olhou para os lados, andando calmamente com as mãos enfiadas no bolso do casaco, avistando seu prédio logo à frente. Tirou as chaves do bolso, mas não precisou para abrir o portão já que o porteiro, já de idade, ainda se encontrava lá. Acenou dizendo um obrigado e sorrindo, que logo fora retribuído. Andou até o elevador, chamando-o e logo entrando, apertando o botão do sexto andar.

Suspirou aliviado ao ver a porta de seu apartamento, sorrindo ao ouvir as patinhas do seu cachorro de raça Spitz Alemão arranhar a porta de ansiedade para vê-lo. Finalmente abriu sendo recebido com muito carinho pelo animal inquieto sobre suas pernas, dando voltas ao redor de si.

—Ei Keom-Keomi! — Chamou, agachando-se para fazer carinho e sendo recebidos por lambidas no rosto. Riu, pegando-o no colo — Se comportou garotão? — Suspirou com um leve sorriso ao ver uma almofada rasgada no chão. —Acho que nem tanto.

Depositou-o em cima do sofá, pegando logo em seguida o objeto fofo e esfregando-o de leve contra o animal, causando risadas em si com tanta afobação do cachorro.

—Estava com saudades? —Indagou com um ultimo carinho.

Caminhou até a cozinha sendo seguido, é claro, por um pequeno companheiro. Checou as pequenas vasilhas de água e comida, vendo que ainda continha os alimentos. Depois foi até o quarto, acendendo a luz e jogando o casaco sobre a cama. Sentou-se no local, retirando os sapatos e levantando-se para ir ao banheiro. Despiu-se entrando prontamente e ligando o jato morno, relaxando os ombros ao sentir o relaxamento. Suspirou, fechando os olhos e apoiando a testa na parede fria, processando sobre aquele dia.

Ele conheceu um robô. Jesus.

Mordeu o lábio, jogando os cabelos para trás e não demorando muito no chuveiro. Enrolou-se na toalha rapidamente enquanto o vapor quente ainda preenchia o local. Enxugou os cabelos, vestindo-se rapidamente com um conjunto de moletom cinza e leve, passando a toalha nos fios rosa e optando por deixá-los enxugar naturalmente.

Sorriu quando, ao abrir a porta, avistou seu companheirinho observando, em cima da cama, o local de modo concentrado e logo latir ao vê-lo. Aproximou-se, sentando no colchão fofo e jogando-se de costas com um longo suspiro de deleite. Riu quando sentiu o focinho úmido do cachorro tocar-lhe o rosto, cheirando-o. Envolveu o braço em volta do corpinho, trazendo o para si e afundando o rosto na pelagem fofinha.

—Você não acredita no que passei hoje Keom-Keomi! —Dissera, o pegando com as mãos e o levantando sob si, encarando o rosto fofinho. Poderiam achar estranho e completamente maluco, mas conversava com seu bichinho de estimação. — Eu sou, praticamente, amigo de um robô! Um robô super hiper mega avançado! Parece um humano de verdade! — O pequeno animal apenas observava o rosto do dono enquanto era colocado sobre o colchão, logo ao lado do rosto. Ficou fazendo carinho observando-o por um momento, até levantando-se de modo rápido e assustar um pouco o pequeno animal— Eu preciso contar para o Tae! E o Yoongi... —Correu até o celular sobre o criado-mudo, pegando-o afobado — E o Hoseok! Ah, o Jinnie também! —Parou por um momento — Ah, como vou falar com todo mundo? Vai dar trabalho — Suspirou, encarando a tela do celular. —Bom, vou conversar com um de cada vez.

Hesitou um pouco, achando se era realmente inteligente falar sobre a máquina, sendo que era um segredo. Deu de ombros, afinal eles eram seus amigos e trabalhavam no mesmo instituto, então não eram rivais da empresa. Discou os números, levando o celular até a orelha.

—É ele. —Ouviu a voz do ruivo do outro lado da linha assim que atendera, tirando algumas risadas de Jimin.

—Ah, Hobi-ah! — Proferiu, ainda sorrindo. — Só você mesmo — Jogou-se novamente na cama, mexendo levemente na pelagem de Keom-Keomi.

Então, diga-me as novidades! —Mesmo que não estivesse na sua frente, Jimin sabia que devia ter um grande sorriso no rosto de Hoseok.  — Como foi lá?

—Bom, no começo foi bem incômodo — Fez um bico, fitando teto. —Aquelas pessoas não sabem parar um momento para ajudar? —Resmungou ouvindo um gargalhar alto do mais velho — Não fique rindo, Hyung! —A risada ficou mais alta, o que fez Jimin bufar.

Desculpe-me Jimin —Ouvia como ele tentava recuperar o fôlego —As pessoas de lá são assim mesmo, mas são amigáveis quando não estão ocupadas... Bom, a maioria pelo menos.

—Sei — Proferiu desacreditado.

Mas então... Algo aconteceu. Aquele “Incrível” na sua mensagem não foi por isso, foi?

—Ah, sim Hyung! — Gritou

Ai meus tímpanos. —Hoseok reclamou, e Jimin pode ter certeza que ele havia feito uma careta.

—Me desculpe, mas quando eu te contar sei que vai achar incrível! Ou melhor, inacreditável —Dissera de forma rápida — Só irá acreditar quando ver com os próprios olhos!

Ah, pare de enrolar, me tortura e diga logo! Assim está me deixando ainda mais curioso! —Ralhou, e agora quem ria era o rosado.

—Mas não acho que vá acreditar.

Jimin...

—Está bem, está bem! — Sorriu ao ver o cão subir sobre seu peito e começar a cheirar o rosto, achando graça ao sentir os bigodinhos tocarem seu nariz  — Hobi-Ah...

Sim?

—Eu conheci um robô humanoide. — Depois de tais palavras um silencio se instalou, sobrando apenas a respiração.

... O QUE?! — Afastou o aparelho rapidamente tamanho fora o grito esganiçado que o amigo dera. — Como assim Park Jimin bolinho de arroz?! — Gritara novamente, o que rendeu uma careta do mais novo.

—Se você parar de gritar talvez eu conte. — Sugeriu, aproximando o celular novamente. Assim que tivera o silencio de novo, continuou — Bom, depois de não receber ajuda, andar sozinho pelos corredores e quase levar uma pancada na cabeça por uma caixa...

Que?

—Esquece — Revirou os olhos com um sorriso de lado — Acabei entrando em uma sala restrita.

Você ficou maluco?! —Gritou novamente — Quer ser expulso? Aquele lugar é só para super gênios e pessoas importante. Além de projetos super avançados.

—Eu sei, mas eu estava tão maravilhado — Dissera sonhador, suspirando — Então acabei trombando com um homem chamando Kim Namjoon.

Ah, deus — Ouviu o outro preferir baixo —Esse cara é um gênio, Jimin! Os inventos dele são absurdos! O problema é que ele sempre acaba quebrando alguma coisa.

—Isso eu percebi... Quer dizer, a parte de ser um gênio. Vi com meus próprios olhos na verdade. — Sorriu bobo, sentando na cama e colocando o pequeno animal no meio de suas pernas, vendo-o deitar ali — Depois de conversar um pouco, do nada apareceu um garoto totalmente atrapalhado, porém completamente bonito. Era tão perfeito, Hoseok.

Hmm, ta apaixonado! — Brincou, o que fez Jimin corar.

—Ah, não diga besteiras Hyung — Fez um bico, tentando ignorar aquela fala. —Até porque esse garoto é um robô.

Você só pode ta brincando — O tom de voz era de pura surpresa — Não acredito que aquele gênio chegou á esse nível.

—Por isso é um gênio — Alisou as costas fofas do Spitz alemão —Ah, Hyung, foi tão incrível... Ah, é advinha?!

Tem mais?!

—O Namjoon é meu guia. — Depois de cinco segundos o Jung havia berrado rente ao celular. —Hyung! — Reclamou alisando a orelha.

Ixi filho, que intimidade é essa com esse “Namjoon”? — Indagou, fazendo Jimin gargalhar.

—Ele me deu permissão.

Nossa, Jimin, Você sabe a sorte que teve?!

—Siim! —Gritara, jogando-se novamente na cama, sorrindo — A ficha não caiu ainda.

Ah... —O ruivo lamentou — Eu queria ver essa nova invenção, deve ser incrível.

—Ah, Sim! Ele se chama JK-00! — Avisou — E meio que um segredo.

Ah, agora que não vou vê-lo mesmo! —Choramingou retirando algumas risadas de Jimin, que logo foram transformados em um travesso.

—Hyung, eu quero ajudar o JK-00 a ter memórias — Comentou agora de forma séria.

Hm? Memórias? —Indagou confuso.

—É uma história um tanto longa, mas enfim... —Suspirou — Eu quero que você e os garotos me ajudem.

Espera, Espera — Disse rápido —Então quer dizer que...

—Sim, vocês irão vê-lo pessoalmente — E novamente Hoseok berrou animado. —Hyung... Você tem que aprender a parar de gritar.

Não seja chato! —Gargalhou exaltado — Isso é incrível! —Gritou e pode ouvir o celular chocar-se contra o colchão macio.

A conversa acabou se resumindo a gritos altos de Jung Hoseok e narração dos momentos que o Park fazia, dizendo como era cada parte do robô e o que fizeram, deixando o ruivo mais animado ainda. No fim das contas acabou deitado na sua cama, encarando o breu enquanto sentia o corpinho quentinho do seu companheiro subir e descer calmo assim que dormira. Por algum motivo estava animado para o dia de amanhã, animado para o que aconteceria, querendo ver novamente aquele projeto tão perfeito que o Kim inventara.

Por fim se perguntou se aquele robô continha algum modo que o fizesse sonhar a noite.


Notas Finais


Yaaaaa e chegamos a mais um capítulo! Eu gostei bastante desse, esperamos que tenham gostado também!
Gostaríamos de saber a opiniões de todos, então fantasminhas camaradas, venham para a luz e se manifestem rsrsrsrs

Beijão e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...