História Entre Tapas e Beijos - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Nataliesmith, Natiese, Pontoacao, Priscillapugliese
Visualizações 145
Palavras 1.503
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E aí pessoal? Primeira nota de autora para saber de vocês se estão gostando da fic.
Espero que sim, porque tem sido muito legal escrever. Vamos a mais um capítulo!

Capítulo 4 - Capítulo 4


_Pri!_Rodrigo cutucou a amiga, vendo que a mesma se mantinha calada apenas olhando para Natalie._A Nati está falando com você…_murmurou tentando disfarçar.

_Ah é._respondeu sem grande ânimo. _Obrigada!_disse de forma seca, o que não pareceu causar qualquer tipo de reação negativa por parte da morena sorridente. Esta apenas continuou sorrindo, voltando a atenção de novo para Rodrigo.

_Pois é amigo, estou mesmo muito satisfeita com esse reconhecimento, mas não posso ficar com os créditos sozinha!_exclamou animada ao mesmo tempo em que olhava para trás, chamando os membros da equipe que tinham vindo com ela._Galera!

Assim que Priscilla percebeu que Felipe Camara era um dos membros da equipe da outra mulher, ela simplesmente fuzilou Rodrigo com o olhar. Rodrigo lançou um sorriso sem graça e encolheu os ombros, dando um aperto de mão e um abraço ao colega.

_Ah, deixe-me apresentar a vocês duas amigas que eu amo de paixão._Natalie falou enquanto puxava, de um lado, Nathy Dioro, e do outro, Daiane Vieira.

_Oi gato!_Nathy cumprimentou Rodrigo bem na cara dura, fazendo Natalie soltar uma gargalhada sonora.

_Essa é minha salvadora!_apresentou._E por salvadora eu me refiro a maquiadora mesmo!

Todo mundo riu da piada da morena, menos Priscilla que se limitou a revirar os olhos, não achando a menor graça aquela pessoa que claramente adorava ser o centro das atenções.

_E essa diva maravilhosa é a Daiane._continuou as apresentações, fazendo a amiga ruborizar levemente.

_Prazer!_Daiane esboçou um sorriso tímido. Rodrigo retribuiu o sorriso e se inclinou para cumprimentá-la com dois beijos no rosto. Priscilla seguiu o exemplo do amigo e deu dois beijinhos à moça, esboçando também um sorriso.

Nesse momento, a atenção de Natalie foi captada e esta ficou apenas olhando a outra produtora, reparando no quanto o sorriso da mulher era fofo.

Apresentações feitas, parabenizações retribuídas, o grupo decidiu ir a um barzinho com música ao vivo para comer e tomar alguma coisa. Rodrigo estava muito animado, especialmente com a presença de Daiane que achou em particular uma graça de menina. Priscilla havia tentando se livrar de ir com o grupo, inventando um repentino cansaço que não havia colado, principalmente porque a garota “sem noção” Natalie, como Priscilla apelidara, tinha insistido que ela precisava se hidratar por causa do calor. “Preciso me hidratar? Mas quem é ela pra dizer o que eu preciso ou deixo de precisar?!”, pensou para consigo mesma, mas sem qualquer hipótese real de contestação já que a morena a puxou junto com o resto do grupo. Priscilla ainda tentou pedir ajuda com o olhar a Rodrigo, mas de nada adiantou, porque o rapaz já estava bem entretido numa alta conversa com Daiane.

*** *** ***

_Rodrigo, eu vou embora!_gritou Priscilla, fazendo força para que a sua voz se escutasse sobre a música._Rodrigo!

_Quê?_gritou o amigo, pegando uma vodka de laranja para Daiane e outro com coca-cola para Nathy Dioro.

_Eu vou embora!_voltou a gritar.

_Fica mais um pouco!_ele disse olhando para o relógio._Ainda é cedo. A Natalie falou que daqui a pouco vai ter um DJ super da hora!

_Aff!_resmungou._Eu quero mais é que essa sem noção se dane! Se você não vem, eu vou sozinha!_e deu as costas ao amigo sem se importar com qualquer tipo de etiqueta.

_Priscilla, espera!!_gritou, pedindo licença às meninas ao seu lado e indo atrás da amiga._Pri!

_Ei bonitão!_uma voz feminina soou na nuca do rapaz moreno._Aonde vai com essa pressa toda? Tá tudo bem?_era Natalie que perguntava com um sorriso sensual nos lábios rosados e uma bebida de cor alaranjada na mão.

_A Priscilla… ela... Desculpe, eu tenho de ir._balbuciou tentando se desculpar com a mulher que o olhava agora com ar preocupado.

_Aconteceu alguma coisa com a sua amiga?_perguntou, segurando no braço dele.

Rodrigo abanou a cabeça, sem saber se respondia ou se puxava o braço de volta e corria atrás de Priscilla.

_O que foi? É algo grave?_voltou a perguntar, desta vez sem deslumbre de sorriso no rosto de tez morena.

O amigo de Priscilla acabou se sentindo mal por estar de certa forma preocupando Natalie sem motivo aparente, já que sabia que a verdadeira razão da amiga ter abandonado o local era devido à sua implicância com a mulher à sua frente. Estava enrascado, graças a Priscilla que nem sempre sabia lidar com novas pessoas no seu círculo de amizade, e insistia em querer ficar no próprio canto.

_Olha Natalie, não é nada com você… é que a Pri…_assim que estas palavras lhe saíram da boca, ele soube que tinha dito a coisa errada pela expressão da cara da morena.

_Oh Meu Deus! Ela está chateada comigo?!_quase gritou completamente incrédula._Eu fiz alguma coisa que ela não gostou? Eu vou atrás dela!_e largou o braço dele, correndo na mesma direção em que minutos antes a outra mulher tinha se dirigido.

_Que merda!_esbravejou vendo a mulher desaparecendo do seu campo de visão._A Priscilla vai me matar!

Assim que chegou à rua, Natalie olhou para os lados, tentando localizar a produtora, mas sem sucesso. Estava quase desistindo e voltando para dentro quando escutou a voz da mais nova vinda a poucos metros de distância. Priscilla estava falando no celular, mas Natalie não conseguia entender o que ela estava falando. Pensou em se aproximar, mas ficou com receio de ser invasiva e da outra achar que ela estava querendo escutar a conversa. Em vez disso ficou observando, tentando perceber se a menina estava bem e não precisaria de algo.

_Eu não estou exagerando, Júlia!_ exclamava, quase exaltada, ao celular._Eu entrei numa furada, você não tem noção. Ela é a pessoa mais atrevida, sem limites, sem noção, sem modos, sem…

_Tudo bem, eu já entendi._interrompeu Júlia do outro lado da linha._O que eu já te falei de dar uma oportunidade às pessoas?

_Eu dou uma oportunidade às pessoas!_revidou, se sentindo injustiçada._Caso contrário eu não tinha ficado até essa hora vendo-a ficar bebendo e se requebrando como se não houvesse amanhã!

_Mas por que isso te importa?_perguntou.

_Por quê?

_Sim. Porque te importa o comportamento dela? Ela nem é sua amiga…. Certo?

Priscilla ficou durante uns segundos sem resposta. Júlia tinha colocado uma questão pertinente, mas aquela não deixou passar muito mais tempo antes de vir com uma justificação.

_Eu já te falei que ela ridicularizou a obra de Jane Austen? E pior, ganhou o 1º lugar no festival?!

_Sim, você já falou, inclusive você disse que vendo bem as coisas ela até que tinha feito uma abordagem interessante e fora do comum._relembrou a amiga do início da conversa.

_É..._Priscilla confirmou com voz fraca, se sentindo sem saída._Mas como é que ela quer que alguém a respeite com aqueles modos?!

_Você não acha que está sendo um pouco preconceituosa?

_De que lado você está?_aumentou o volume, desnorteada.

_ Calma, Pri._tentou acalmar, moderando o tom._É claro que estou do seu lado, eu só estou tentando entender. É esse o papel dos amigos, certo?

Priscilla balançou a cabeça como se Júlia pudesse ver o gesto e suspirou.

_Me desculpa, você está coberta de razão._admitiu com voz fragilizada.

Entretanto a metros de distancia Natalie se preocupava vendo a postura corporal de Priscilla que mais parecia estar brigando com alguém. Acabou se aproximando mais do que era sua intenção quando o olhar da outra se cruzou com o dela. “Merda, fudeu”, pensou, esboçando um sorriso sem graça.

_Júlia, eu já volto a te ligar._disse, assim que viu Natalie olhando na sua direção. “Será que ela estava ouvindo a conversa?”, pensou, ainda com o celular no ouvido._Eu vou acabar com essa garota!

_Pri! Como assim, vai acabar…_Júlia se preocupou, mas foi cortada com a amiga desligando o celular na sua cara.

_O que você pensa que está fazendo aí escutando a conversa dos outros, hein, sua sem noção?_bramiu, enfurecida, avançando na direção da outra mulher.

_Ei, tenha calma... Eu não estava…_tentou se explicar, levantando os braços e gesticulando com exagero._Eu vim ver se você precisava de alguma coisa.

As duas ficaram frente a frente, apenas com alguns centímetros as separando.

_Você é muito metida!_exclamou Priscilla, enervada.

_E você é muito esquentadinha!_atacou de volta._Não sabe se divertir e fica aí se achando melhor que os outros!

_Eu sei me divertir!_retrucou._Só acho que há outras formas de fazer isso sem ficar por aí me exibindo!

_Eu não acredito que estou escutando isso._Natalie respondeu, lançando um sorriso machucado._Em que século você vive? No século da Jane Austen só pode!

_O que você quer dizer com isso?_estremeceu, baixando por segundos o olhar.

_Eu quero dizer…_a outra falou devagar, fixando as íris de castanho intenso na morena a meros centímetros de si._ que você se esforça tanto pra ser moderna, mas no fundo está cheia de preconceito te atormentando.

_Eu não…_sussurrou;  seu olhar tremulo incapaz de fixar os olhos castanhos à sua frente haviam desviado para a boca da mulher.

_Me diz…_sussurrou de volta, mordiscando o lábio inferior._É tão difícil assim?

_O quê?_se atreveu a perguntar num fio de voz.

Natalie levou a mão ao queixo de Priscilla, levantando-o de modo a que a mulher a olhasse.

_É tão difícil se permitir ser feliz?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...