História Enygma. (Imagine Kai) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Kai, Personagens Originais
Tags Exo, Jongin, Kai
Visualizações 176
Palavras 1.319
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Prisão.


A noite em Seul era quente. E não apenas no sentido literal.

As ruas estavam cheias. Nada mais justo, para um sábado. Sooan andava por entre os corpos colados no meio de Sinchon, pronunciando “Com licença”, “Estou passando”, quantas vezes foi preciso. Baekhyun havia a convidado para jantar em um restaurante no meio de Sinchon em pleno sábado. Isso diminuiu um pouco da paranóia de Sooan e Jongin, mas eles ainda achavam algo estranho demais em Baekhyun. A forma como ela a abordou na cena do crime em Jung, e como foi atrás dela na delegacia, contatando-a por meio de um bilhete… é claro que eles podiam estar muito errados. Se Baekhyun não fosse o Enygma, então pelo menos, Sooan teria um encontro depois de muito tempo. Mas, essa opção não agradava Jongin, tampouco.

O restaurante Sanhwa era o mais antigo e tradicional do distrito, e era a primeira opção para turistas que não se adaptassem à comida típica coreana. Eles serviam de tudo: desde hambúrguer até macarronada italiana. Cada estação do ano, a decoração do restaurante mudava, e nesse verão, o lugar parecia um típico bangalô havaiano. Da esquina, Sooan já conseguia enxergar o restaurante iluminado à meia luz por velas e lamparinas e as flores de hibisco descendo pela enorme varanda que dava para a rua. Apanhou o celular e mandou uma mensagem para Jongin, avisando que já estava no restaurante, mas não tinha encontrado Byun ainda. Ele respondeu rapidamente, dizendo para ela não se esquecer que a qualquer pedido de socorro ou reforços, ele estaria ali em 10 minutos. Sooan achava engraçada a super proteção que Jongin tinha com ela. Mas, ele era assim com todos… quer dizer, era o que ela achava.

Entrando no restaurante, foi levada pelo mâitre até uma mesa vazia. Baekhyun ainda não havia chego, sendo que ela tinha chego depois do horário combinado. Ele tinha cara de ser tão pontual!, pensou Sooan. Olhou no relógio do celular, e já eram 19h45. Tinham combinado às 19h30. Tudo bem, o trânsito de Sinchon estava ridículo, ele com certeza devia estar preso em algum engarrafamento nos arredores. Sozinha, decidiu pedir um drink ao garçom, para iniciar a noite. E já começou a pensar, de antemão, no que ela deveria analisar no rapaz. Perguntar sobre o seu trabalho como perito e além. Se ele parecesse muito cheio de si, ao dizer a respeito de seus méritos como aluno de Engenharia, ela seguiria com o plano que combinara com Jongin, de desmascará-lo aos poucos. Não via uma imagem tão prepotente assim em Baekhyun, mas os psicopatas eram mestres em esconder sua verdadeira personalidade, fria. E o teste mais simples, de bocejar perto dele… esse devia ser feito o quanto antes em um silêncio momentâneo. Bebendo o drink recém trazido pelo garçom, com gosto de frutas vermelhas e sakê, Sooan ficou tão absorta em seus métodos para analisar um caso, que esqueceu-se do tempo. Já eram 20h15 e nada de Baekhyun. Ela apanhou o celular e mandou uma mensagem para Jongin.

“Ele ainda não chegou...”

Estranho. Mande uma mensagem para ele. Talvez algo inesperado aconteceu e ele não vai aparecer.”

Atendendo a sugestão de Jongin, ela mandou uma mensagem para Baekhyun, sobre o atraso dele.

“Olá Baekhyun! Já estou aqui no Sanhwa. Algo aconteceu?”

Depois de 2 minutos, uma resposta veio.

“Sim, aconteceu um incidente… mas eu estou à caminho. Em 10 minutos, eu chego.”

Sooan copiou e colou a mensagem, enviando-a direto para Jongin.

“Aguarde. Qualquer coisa… bem, você já sabe.”

Sooan sorriu e guardou o celular. Passado os 10 minutos, Baekhyun chegou esbaforido no restaurante, pedindo mil desculpas à detetive.

- Tudo deu errado no meu dia hoje, algo que era para ter levado no máximo meia hora acabou durando duas e eu me atrasei todo para chegar aqui. Desculpe!

- Não foi nada, oficial. Me entreti com um drink de frutas vermelhas e sakê, que você precisa experimentar. - ela respondeu sorrindo. Agora começaria a hora em que o oscar saberia o quanto estava perdendo por não premiar Lee Sooan como melhor atriz.

O tempo foi passando, com os dois falando apenas sobre amenidades. Baekhyun contando sobre a faculdade de psicologia e como ela estava sendo absurdamente mais complexa do que as duas anteriores que já havia feito. Sooan fingiu surpresa.

- Você é graduado em outras duas faculdades?

- Biologia, com especialização em perícia criminal e em Engenharia da Computação.

- Além das ciências humanas, então você ainda é das exatas?

- Sim. Apesar de amar as biológicas e humanas, eu apenas sou bom nelas porque me esforço muito. Meu pendor natural de inteligência se abriga entre os números, as equações, os logaritmos… recebi até prêmios na época da faculdade, porque eu era o melhor dos alunos em Física.

- Admiro você. Deve ter sido difícil conciliar duas graduações totalmente diferentes ao mesmo tempo. - Sooan percebia uma ponta de prepotência no olhar de Baekhyun. Mas isso podia representar duas coisas bem diferentes… ou ele estava pisando em falso e jogando todas as provas que era o Enygma bem no colo de Sooan, ou ele estava sendo apenas exibicionista porque estava interessado nela. Para tirar a dúvida, Sooan seguiu com o plano que elaborou com Jongin.

- E aí, trabalhar como chefe de perícia é o suficiente? No começo da carreira como behaviorista eu sempre pensava em fazer algo por fora… mas me faltava impulso sabe?

Baekhyun deu um sorrisinho e mordeu a isca.

- Eu ajudo com monitoria de física… mas bem raramente. Meu trabalho como perito toma quase todo o meu tempo.

Sooan bocejou e ficou aguardando o bocejo de Baekhyun… que não veio. O teste do bocejo é um dos mais antigos e obviamente sem resultados exatos, mas que podem mostrar alguma ponta de sociopatia no indivíduo. Quando alguém boceja e nós sentimos vontade de bocejar, é o reflexo natural da empatia. Qualidade que os sociopatas e os psicopatas não possuem. As mãos de Sooan começaram a suar compulsivamente. Mal tinha tocado no prato que pedira, e o rapaz tinha notado isso.

- Está preocupada com alguma coisa?

- Não… eu só estou hã… sabe… eu tenho um problema com lugares cheios de gente. Não chega a ser uma fobia, mas me deixa extremamente desconfortável.

- Entendo…

Sooan deu um sorriso amarelo, e deu umas garfadas no ravioli ao molho pesto que havia pedido. O prato estava perfeito, mas a preocupação com a chance de estar frente a frente com o assassino que estava tirando seu sono, era maior. Assim que o garçom chegou, entregou seu prato.

- Você disse que estava precisando de ajuda com alguma coisa da faculdade… o que era?

Baekhyun deu um sorriso amarelo.

- Na verdade, era apenas um pretexto para sairmos juntos. É claro que eu continuo a admirando, mas… além do profissional.

Um rubor subiu às bochechas de Sooan. Será que tudo não passara de uma paranóia dela? Olhando para Baekhyun apesar de todos os sinais que os testes lhe deram, ele não parecia ter o porte de um serial killer. Mas, pensando assim, Sooan estava renegando um princípio básico da psicopatologia: eles são quem menos esperamos. Sooan respirou fundo e respondeu:

- Eu… imaginei isso. Mas, eu estou bem focada no caso do Enygma… quem sabe, depois que tudo isso passar sab…

O telefone dela tocou descontroladamente, com o número de Jongin brilhando na tela. Eram quase 22hs.

- Alô?

- Você ainda está com Baekhyun? Só responda Sim ou Não.

- Sim.

- O corpo em Hongdae foi encontrado agorinha. O médico legista que foi chamado às pressas, falou do crime ter sido cometido entre as 19hs – 20hs. O corpo ainda nem esfriou direito.

Sooan colocou a mão sobre a boca. O atraso de Baekhyun… “o que era para ter levado meia hora, levou duas...”. Desligou o telefone às pressas e sem perder tempo, anunciou:

- Você está preso, Byun Baekhyun. 


Notas Finais


Prontas para mais uma rodada de teorias e mindblowing? HAHAHAHHAA
Joguem a de vocês aqui ;)
Gostaram? Comentem, por favor! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...