História Equalize (Romance Gay) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Amor Gay, Direitos, Drama, Família, Família Gay, Gay, Homossexual, Homossexualidade, Igualdade, Justiça, Love Story, Luta, Pais, Romance, Yaoi
Exibições 7
Palavras 1.673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Lírica, Luta, Suspense, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - What Is Family?


Fanfic / Fanfiction Equalize (Romance Gay) - Capítulo 7 - What Is Family?

01/05/2017

Depois de todo o sufoco do que havíamos passado com o louco do Hélio Costa, decidimos tirar um tempo para nós. Na verdade, para mim, Oscat e Ellen. Um tempo para nós 3.

Decidi visitar algum litoral brasileira, então escolhi ir para São Luís no Maranhão. Tiraríamos algumas férias naquele lugar diferente do comum e aproveitar os momentos mais preciosos com a pequena Ellen.

Na viagem eu fiquei sabendo pelo noticiário que aquele rapaz que conheci na delegacia havia sido inocentado. Fiquei muito feliz por ele. Curtimos muito nas praias, visitamos locais conhecidos da cidade e voltamos para nossa cidade amada, Vitória.

10/05/2017

Enquanto voavamos, vimos alguns outdoors pela janela do avião. Nossa foto ainda estava lá, junto a de um casal de duas mulheres e um outro de um homem e uma mulher. 

Aterrissamos no aeroporto e fomos até o portão. Sabrina estava nos esperando lá.

- Já estão sabendo? - Sal falou.

- Do quê? - Falei enquanto colocava as malas dentro do carro.

- Vai ter a vigésima parada do orgulho LGBTQ em Vitória. Eu e a Emília vamos, e vocês? - Sal perguntou.

- Sal, não sei... é muito barulho pra Ellen, não acha? 

- Ah, não, Leão! É no dia do seu aniversário até! Você precisa ir.

- Vou ver com o Oscar, a gente acerta isso dia 22 né amor? - Falei entrando no carro. 

A Sabrina ligou o carro e começamos a ir para nossa casa.

- Então, Sá... a Emília está de quantos meses? - Oscar perguntou a Sabrina.

- Ela está de 38 semanas.

- E... quanto é isso? Eu sou de humanas. - Oscar falou brincando.

- Hahaha! São 8 meses, quase 9.

- Nossa, passou muito rápido, ainda me lembro de tudo. - Oscar falou.

- Aquela época foi difícil, mas superamos bem...

"10/09/2016

*Flashback*

- EMÍLIA! ESTOU CANSADA DE SUAS LOUCURAS! 

- Que se dane, Sabrina! Porquê não vai embora? 

- Emília, é isso que vou fazer se você não se desculpar! 

- Desculpar? Que merda Sabrina, isso não é um peso na sua vida.

- AH, VAI SE DANAR! Não me faça de vilã! Como você faz isso sem me avisar!? Emília, eu sou juíza, sou ocupada! Como acha que vou lidar com uma criança agora? 

- Eu já lido com você e continuo sendo uma ótima advogada.

- O QUE VOCÊ ESTÁ INSINUANDO, EMÍLIA? 

- Olha, Sabrina. O que está feito, está feito. Essa criança é nossa filha agora. NÓS NÃO PODEMOS DEVOLVER, UMA VEZ SE IMPORTE MAIS COM ALGUÉM DO QUE COM VOCÊ!

- Eu vou ter que amar essa criança, mas Emília... eu estou cansada de ser sua escrava.

- Sabrina... Sabrina...

..."

- Sabrina? SABRINA? - Falei gritando tentando acordá-la.

- O QUE É? - Ela gritou.

- Calma, o que foi? - Falei intrigado.

- Ah... nada. Só lembrando algumas coisas... - Ela falou super estranha.

- Então... Léo. Nunca chegamos a debater o porquê daquele homem fazer aquilo, ou sobre quem cuidava de verdade dela.  - Oscar falou tentando mudar de assunto.

- Seja lá o que foi, não quero falar isso na frente da Ellenzinha. O que importa é que ela está sã e salva com a gente. Nenhum desastre vai acontecer com a gente por perto. - Falei me dirigindo ao Oscar.

- É... mas eu quero saber mais sobre, quem sabe, nossa futura filha. - Oscar falou.

- O que já sabemos é que ela é uma menina saudável, morena, linda e com os olhos verdinhos mais lindos do mundo. Não precisamos de mais. - Falei.

- É... você deve estar certo. - Oscar falou deixando o assunto.

A Ellen deitou no colo do Oscar e começou a dormir.

Finalmente chegamos. Ele pegou ela no colo. Pegamos um elevador com a Sal e fomos para nossa casa. Pusemos a Ellen na cama e ela estava dormindo num soninho gostoso.

- Essa menina só dorme, parece o pai. - Oscar falou brincando.

- Só se for você o pai! Hahaha! - Respondi rindo.

- Gente, a Emília está dormindo na cama. Qualquer coisa avisem ela que eu estou no trabalho. - Sal disse.

- Tudo bem, Sal. - Falei a ela.

Ela saiu da casa e eu comecei a conversar com o Oscar:

- Amor, vamos sentar um pouco no sofá!

- Só porque estou cansado. - Ele falou rindo.

Sentamos um do lado do outro e eu deitei no ombro dele.

- Está tudo bem, né? Porque sinto que falta algo? - Falei desanimado.

- Ihh, quê isso, amor? Falta sim! Mas vamos conquistar juntos. - Ele falou animando-me.

- É que, sei lá... tive uma sensação. Bom, esquece.

Ele me beijou demoradamente e depois falou:

- Isso é algo novo para nós, por isso você está estranhando. Mas é só aprender a lidar com isso.

- É... eu espero que sim. - Falei.

Ele me abraçou enquanto eu estava deitado no ombro dele e eu acabei tirando um chochilo.

22/05/17

Meu aniversário chegou, eu estava muito animado. O aniversário da Ellenzina seria em alguns dias, e eu estava mais me importando com ela que comigo.

Levantei da cama e fui em direção a porta. Quando a abri tive uma surpresa: a Ellenzinha segurava um bolo com dois bonequinhos de mãos dadas e uma bonequinha na frente deles. O Oscar estava atrás dela e falou para mim: 

- Bom, surpresa!! A idéia foi toda da Ellenzinha - Oscar falou.

- Hihihihi. - Ela falou rindo e derrubando o bolo. Saiu correndo.

- Bom, valeu a intenção. - Falei irocanicamente. Peguei um pedaço do bolo e joguei no rosto do Oscar. - HAHAH! Corre Ellen! O Oscar vai pegar a gente.

- Ahhhhh, vocês me pagam! Hahahaha! - Ele pegou bolo e começou a jogar na gente.

- O Oscar é ruim de mira Ellen! - Falei, fazendo ela cair na gargalhada. 

- Ah é? Vou acertar vocês dois!

- AHHH! HAHAHA! O Oscar é ruim de mira! - A Ellen falou brincando com o qie eu disse.

Cansamos e deitado no chão eu e o Oscar, um do lado do outro. Ellen não para quieta, pulava sofá, mesa. Eu falei:

- Amor, essa menina está muito agitada! A glicemia dela deve estar alta.

Ela odiava aplicar insulina, mas se a glicemia dela estava alta, nós tínhamos que fazer. Coloquei 5 unidades da ação rápida e apliquei nela.

Sabrina chegou em casa dizendo:

- Eiiiiooo! Vocês vão, não é? Que... que diabos aconteceu aqui? 

- Hihihihi. - Ellen riu e jogou um bolo na cara de Sabrina.

- Menininha levada! - Oscar falou pra ela fazendo cócegas e fazendo-a gritar de rir.

Sal que estava rindo e limpando o rosto, falou: 

- A Emília está esperando no carro vocês. Vamos? 

- Hmmm. Vamos. - Eu decidi ir para a parada com o Oscar e a Ellenzinha.

Peguei açúcar para ela, para caso se hipoglicemia, e fomos até onde aconteceria o evento.

Estacionamos o carro e quando estávamos indo para lá, um grupo de pessoas nos parou.

- Que vergonha! Desgraça! - Uma deles falou.

- Com licença, estamos indo para o evento. - Emília falou tentando passar.

- Quem é o pai dessa criança? - Um deles falou empurrando Emília.

- É A MÃE! Ela está ao meu lado! - Emília falou.

- Quê? Essa criança vai crescer retardada! Duas mães?! Onde já se viu? 

- Saiam da nossa frente, seus sem noção. Vão procurar o que fazer! - Eu disse empurrando-os.

- Você me empurrou, bichinha? - Um deles falou.

- Vão, continuem, eu sou juíza, mais uma ameaça e vocês vão para a cadeia. - Sal falou.

- Juíza? Você é uma vergonha! - Uma senhora de idade falou.

- Porque vocês escolheram ser gays? Vocês querem que essa menina vire uma sapatona também? - Um outro falou.

- E VOCÊ? Escolheu ser hétero? Nós NASCEMOS assim. Deus nos fez assim.

- Deus? Deus tem vergonha de vocês, suas abominações! 

Ellen começou a ficar assustada e falou pra mim:

- Leãozinho, eu to me sentindo mal. - A glicemia dela tinha caído.

- Pode pegar esse açúcar, minha princesinha.

- Sua? Essa criança tem UM pai e UMA mãe! E você não é nenh... - interrompi-o dando um soco do rosto dele.

- CALA BOCA, PORRAAAA! - Gritei com muita raiva, evito falar palavrão, mas não me segurei. As meninas e Oscar me seguraram. 

- Viram? Família é isso! Defender! Não é o que vocês, que explicam sua intolerância com base na religião, fazem.

- Essa criança precisa de salvação. - Uma mulher falou.

- Essa criança precisa que tu se afaste dela, piranha de merda! - Sabrina se irritou. - Em vez de ficar cuidando da vida dos outros, vão cuidar da família de vocês! 

Eles nos fechavam cada vez mais. Até que um carro parou, uma pessoa saiu e gritou:

- EI! SAI DAÍ VOCÊS TUDO OU EU MATO TUDINHO! 

Eu já tinha escutado aquela voz.

- Nossa, é aquele assassino! - Uma mulher falou e eles se afastaram correndo. 

- Rodrigo! - Falei animado em revê-lo. - Muito obrigado por nos salvar desses doentes. 

- Olá, Leonardo! - Ele falou e todo mundo ficou com medo dele.

- Calma gente, ele é meu amigo. Inclusive, inocente.

- E por que ele tem uma arma? - Emília falou.

- Isso... eu não tinha visto. - Falei estranhando.

- Qual é?! É de brinquedo. Eu vou de policial pra parada, minha fantasia tá no carro. - Rodrigo falou.

- Ah, que susto. - Eu falei. 

Ele estacionou e fomos com ele pra saída do estacionamento até o evento.

Um discurso que ouvimos ao chegar nos comoveu bastante.

- Família... qual o conceito de família? Fazer e criar? Só? Não! Família não é só quem põe no mundo. Família são aqueles que amam incondicionalmente. Todo amor está lá. Pai, mãe, filho; Dois pais e um filho; Duas mães e um filho... não importa como a família é! Só precisamos entender que família é tudo reciprocamente. Você não precisa achar que só homem e mulher podem amar, casar. Se fosse por isso, inférteis e ateus não casavam. Você só precisa respeitar! Não gosta? Não apoie, mas respeite. O mundo falta com isso: respeito! Somos família independente de cor, nacionalidade, orientações, entre outros. E todos nós, humanos, devíamos nos amar mais e sermos uma grande família, porque família é isso. Nós lutamos pelos nossos direitos, e se não quer ferir os seus, não ataque os nossos.

"O que é família?" vocês me perguntam.

Família é amor.








Notas Finais


Família é família, independente de qualquer coisa, né? Apenas seja feliz com a sua e deixe a dos outros em paz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...