História Era Uma Vez - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias 101 Dálmatas, A Bela Adormecida, A Bela e a Fera, A Espada Era a Lei, A Pequena Sereia, A Princesa e o Sapo, Aladdin, Branca de Neve, Cinderela, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Hércules, Mulan, Peter Pan, Robin Hood, Valente
Personagens Aladdin, Anna, Ariel, Bela (Belle), Branca de Neve, Cinderela, Cruella De Vil, Elsa, Fa Mulan, Fera, Hércules, Mérida, Peter Pan, Princesa Aurora, Rapunzel, Robin Hood, Wendy Darling
Tags Conto De Fadas, Fantasia, Magia
Visualizações 27
Palavras 1.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - O Oitavo Anão


Fanfic / Fanfiction Era Uma Vez - Capítulo 5 - O Oitavo Anão

O Oitavo Anão 

 

                                     Era Uma Vez... 

    Um jovem anão que faz acordos atendendo todos os desejos, mas ele nunca alertou sobre... O preço.  

 

       Estava Rumpelstiltskin esperando a volta dos outros sete anões, ele era o mais novo, mas também o mais alto.  

        E voltavam cantando e assobiando pelos bosques, o jovem se encheu de felicidade ao ver seus irmão chegarem.  

- Demoramos pequenino?  

Perguntou Mestre tentando bagunçar o cabelo de Rumple, mas este já não alcançava.  

- Acho que não posso mais chamá-lo assim.   

- Já posso caminhar pelo bosque?  

Perguntou entusiasmado.  

- É claro, volte antes do anoitecer... E leve um casaco!  

O garoto anão correu, pegou um casaco e um bastão e correu para fora da cabana. 

   

    Caminhando pelo bosque avistou algo que lhe chamou atenção.  

- O que uma garota faz aqui?  

    Se perguntou ao ver uma donzela com um vestido rosa caminhando pelo campo de flores. Rumple que mais parecia um elfo do que um anão, subiu em uma árvore sem que a garota o visse e apenas ficou olhando-a e admirando sua beleza.  

   Ficou lá até ela ir embora e quando a garota foi ele percebeu que já estava escurecendo, então correu de volta para cabana com um grande sorriso no rosto, não via a hora de chegar o dia seguinte para que pudesse vê-la novamente.  

 

     Quando voltou aquele lugar ela não apareceu, então todos os dias voltava para o campo de flores esperando a garota, mas não aparecia, até que depois de um mês ela estava lá novamente, colhendo flores e agora com um belo vestido azul.  

       Rumple ficou novamente no topo da árvore, até que um pássaro o atingiu fazendo-o cair no campo. A bela donzela se assustou e virou a cabeça para o anão caído no chão, então ela o ajudou a levantar-se.  

- O que fazia lá em cima?   

Perguntou a garota que também tinha um sorriso encantador.  

- Gosto de ficar no alto para olhar o... Ambiente.  

Falou o jovem nervoso.  - O que você faz nessa região? Eu costumo ver apenas anões aqui.   

- Eu gosto daqui, descobri este lugar apenas há um mês, virei mais vezes para olhar de perto, mas nem sempre me deixam sair de casa. 

- Qual o seu nome? Perguntou o garoto com brilho no olhar.   

- Ainda não nos conhecemos e eu gosto de um mistério, há pessoas que fazem coisas cruéis com nomes, espere até que eu confie em você.  

- Meu nome é Rumpelstiltskin, seria injusto se não falasse o seu agora. A garota sorriu com a tentativa do jovem de se aproximar dela.  

- Meu nome é... Oh não, o sol já está se pondo, eu tenho que ir, foi um prazer conhece-lo! A garota falou desesperada e saiu correndo.  

- Espere e o seu nome?! Foi falha esta tentativa de Rumple, pois ela já estava longe para escutá-lo. Ele ficou cabisbaixo até perceber que ela deixou algo para trás.  

- Um sapato... de cristal?  

 

         Rumple passou dias e dias pensando na garota, todos eles indo até o mesmo lugar esperar por ela, até que depois de um mês uma mulher com um longo vestido preto e vermelho apareceu e se dirigiu até o anão.  

- Você é Rumpelstiltskin?  

- Sim, e quem seria a senhora?  

- Meu nome é Lady Tremaine, eu li o diário de minha filha, Cinderela e lá estava escrito sobre este lugar e sobre você.  

- A garota do sapatinho de cristal? Ela está bem? Rumple pergunta com anseio em vê-la novamente. 

- Ela está morta. Estava fugindo de casa há uma semana para vir aqui, o corpo foi encontrado na noite passada, queria que soubesse o que aconteceu.   

 Lágrimas escorreram pelo rosto do garoto que agora perderá a chance de se aproximar da garota novamente, não ouviu dela nem mesmo seu nome. Caiu no chão chorando em desespero enquanto Tremaide se afastava. Ele estava desiludido, ao pensar que nunca mais poderia olhar nos olhos de Cinderela. Agora sabia seu nome, mas o preço era alto demais para que pudesse suportar.  

 

    Com o rosto inchado entrou na cabana dos Oito anões e todos buscaram saber o que aconteceu, ele não falou nada entrou em seu quarto cabisbaixo e entrou em prantos.  

 

     No dia seguinte voltou ao campo de flores e com um imenso vazio no coração arrancou uma delas. - Ella, doce Cinderela. Não se preocupe, você não vai ser a única a pagar... Todos pagarão o preço. Muitos não sabem o que fazer quando o vazio é insuportável, Rumple escolheu abraçar a dor para o resto de sua vida, fazendo com que todos pagassem.  

 

       Ao anoitecer, enquanto chovia e raios caíam sobre a terra, o garoto voltou para casa pegou suas coisas e quando estava para sair Mestre acordou.  

- Onde vais meu jovem?  

- Não há mais nada para mim neste lugar.  

- Você não sabe o que está fazendo, volte para sua cama, não escolha ficar sozinho. O velho anão parecia saber tudo que estava acontecendo. - O caminho do mal pode ser satisfatório, mas por pouco tempo. Se você ir embora ficará sozinho... Por um longo tempo.  

- Não me importo com a solidão. O Anão passou pela porta e há bateu, acordando os outros anões que perguntavam par o Mestre o que estava acontecendo e depois de um tempo de silêncio ele falou algo.  

- O mundo está prestes a conhecer a face das trevas. 

 

Em uma casa no campo. 

 

     Uma mulher caminhava pela casa com passos pesados, até chegar no quarto de uma jovem.  

- Resolvi nosso problema, agora aquele anão repugnante pensa que você está morta... De nada. Disse Lady Trimaine para Cinderela que estava acorrentada no canto do quarto.  

- O que você vai fazer comigo? Perguntou a garota vermelha de pavor.  

- Eu vou levar você para um lugar onde não vai arranjar problemas. Disse com um sorriso amedrontador. - Drizella! Anastasia! Se arrumem queridas que temos uma viajem sem volta.  

- Pra onde nós iremos? Perguntou Ella. - Para um lugar onde você nunca poderá ver seu anão, nunca poderá ser feliz e nunca poderá envelhecer. O lugar para onde vamos é conhecido como... Terra do Nunca! 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...