História Era Uma Vez Mais Uma História Clichê - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Zac Efron, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Cabello, Camila, Camren, Camren G!p, Hailee, Jauregui, Lauren, Laureng!p, Zac, Zayn
Exibições 1.110
Palavras 3.687
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem, e se gostarem, comentem.
Eu tava pensando em fazer um cap bônus de alguns anos depois, o que vocês acham?
Só pra vcs terem ideia como vai ser o futuro delas.

Capítulo 36 - Um lamentável desfecho.


Fanfic / Fanfiction Era Uma Vez Mais Uma História Clichê - Capítulo 36 - Um lamentável desfecho.

Camila Narrando.

 

Estudar, estudar, estudar. Eu precisava de boas notas. Estávamos entrando no último mês de aulas e eu estava me dedicando exclusivamente às aulas e em ensinar toda a matéria que Lauren perdia por conta dos treinos desgastantes na seleção sub-18. Ela havia entrado em acordo com a diretoria da escola para ser liberada e só comparecer parar fazer as últimas provas do ano letivo, e, nesse período, poder treinar com o restante das atletas convocadas. Como eu não queria que ela se prejudicasse em seu aprendizado, tratava de lhe passar todas as noites as matérias que ela perdia. Hailee também estava tendo aulas particulares com Ally e Logan.

 

Tratei de explica-la tudo da melhor forma possível e da maneira que ela gostava pois, segundo ela, eu sabia explicar bem mais que os professores de nossa escola, mas eu bem sabia que ela estava se empenhando em aprender tudo direitinho porque eu lhe prometi uma recompensa se ela aprendesse tudo depois de cada noite de estudos.

 

Com essa nossa nova rotina, quase todos os dias dormíamos juntas. As vezes em minha casa, as vezes na dela. Chegávamos até a brincar e dizer que estávamos tendo vida de casadas. Eu tentava não me assombrar com a intimidade que estávamos tendo, mas era Lauren ali, a mesma que dizia que viveríamos para sempre juntas e que eu teria que me acostumar, pois ela não sairia nunca da minha vida. Sempre ria quando lembrava de suas confissões engraçadas de amor eterno.

 

Nossos pais eram tranquilos quanto a nossa intimidade, mas sempre nos alertavam, dizendo para não deixarmos o relacionamento cair na mesmice, pois isso desgastaria nosso namoro. Procurávamos ouvi-los e quando achávamos que era necessário, tirávamos um momento só nosso.

 

Estava tão acostumada a dormir na casa da minha namorada, que já nem ligava para as implicâncias de seus irmãos. Eles adoravam tirá-la do sério e era nesses momentos que eu devia entrar em ação e acalmá-la. Clara me dizia que só eu conseguia fazer aquilo tão bem e Mike concordava com ela.

 

Desperto de meus pensamentos quando a vejo se remexer em cima de sua cama. Eu estudava mais uma vez para a semana de provas que estava prestes a começar e ela descansava depois de dois treinos consecutivos. Pois é, ela treinava duas vezes em um só dia. Quando terminava de treinar no centro de treinamento da seleção, ia para a escolar treinar para a final do campeonato estudantil. Essa rotina estava deixando-a exausta, mas ela não reclamava em nenhum momento, dizendo estar vivendo um sonho.

 

Em alguns momentos eu tinha medo do que poderia vir a seguir. Ela poderia ficar famosa, muito famosa. Com o talento que ela tinha, conseguiria chegar ao auge muito cedo. Era essa parte que me preocupava. Com o sucesso que faria, ela teria tudo o que quisesse, entre tudo isso, ela poderia atrair mulheres, e essas mulheres poderiam, tranquilamente, ser bem mais bonitas que eu. Lauren tentava me acalmar como sempre fazia; dizia que eu era a única em sua vida, e depois de fazer amor, para comprovar que era a dona de seu coração, repetia mil vezes que me amava.

 

- Que horas são, flor? – Ela perguntou com a voz rouca de sono. Tirei meus olhos do livro de química e a encarei. Seus olhos clarinhos refletiam o quão sereno seu sono foi.

 

- São 20:37, amor. Dormiu bem? Quer alguma coisa para comer? – Sabia que ela estava com fome, pois assim que chegou em casa, só tomou um banho e dormiu pelas duas horas seguintes.

 

- Sim para as duas perguntas. – Disse e me deu um lindo sorriso com aquela cara de sono que eu estava doida para beijar.

 

- Eu vou descer e preparar alguma coisa para você comer. – Disse, deixando o livro de lado para me preparar para sair da cama, mas ela me puxou de encontro ao seu corpo e me deu um abraço gostoso.

 

- Eu vou com você. Não te trouxe aqui para ser minha empregada. – Disse e me beijou logo em seguida.

 

Quando o beijo teve fim, fomos até a cozinha e Clara já havia preparado nossa comida. Só esquentamos e nos sentamos para podermos comer juntas. Quando terminamos, fomos até o quarto novamente, tomamos um banho e depois de muita relutância da parte de Lauren, saímos para encontrar nossos amigos. Eu queria que ela ficasse em casa para poder descansar devidamente, mas ela alegou sentir falta de nossos amigos.

 

Marcamos de nos encontrar numa lanchonete no centro da cidade e quando chegamos lá pude ver que Lauren não era a única exausta ali. Hailee também estava com uma aparecia cansada, mas tinha um sorriso estampado em seu rosto. Sem dúvida, elas estavam adorando doar até a última gota de suor de seus corpos para alcançar o sonho de ambas.

 

- Vamos nos sentar lá no fundo. – Dinah disse ao entrarmos no estabelecimento.

 

Juntamos duas mesas e nos sentamos, escolhendo nossos pedidos logo em seguida. Preferi tomar apenas um suco, pois havia acabado de jantar. Lauren também não quis comer nada, mas pediu uma cerveja. Lhe lancei um olhar reprovador, mas ela me disse que só tomaria aquela.

 

- Como anda a vida de casadas? – Vero perguntou num tom risonho.

 

- Muito boa. Só estou dando um adiantamento para Camila sobre o que ela vai ter que aguentar para o resto da vida. – Lauren respondeu e, mais uma vez, fez declarações em forma de brincadeiras. Ela mal sabia, mas eu adorava quando ela fazia aquilo.

 

- Ainda bem que aturarei. – Falei e ela me deu um selinho.

 

- Parem de ser fofas, isso me deixa enjoada. – Hailee entrou na brincadeira e fingiu vomitar.

 

- Não brinquem na frente de um solteiro solitário.

 

- Já te falei, Zayn. Se tá difícil com as meninas, tenta a sorte com os meninos. – Vero implicou.

 

- Deixa ele. – Lucy a repreendeu. – Mas eu também acho que você deveria experimentar o lado colorido da vida. – Zayn apenas sorriu e lançou olhares para Logan, fingindo flertar com ele.

 

- E vocês, estão tão calados por que? – Perguntei para Ally e Logan, que logo sorriram para mim.

 

- Estamos aqui nos perguntando por que somos amigos de vocês. – Logan respondeu e Lauren passou a mão em seus cabelos, os bagunçando e deixando Logan incomodado com seu ato.

 

- Porque vocês nos amam e não vivem sem nós. – Normani respondeu e jogou o cabelo para o lado em mais uma de suas poses de diva.

 

- Isso é verdade. – Ally concordou. 

 

- Nos contem como anda a vida de atletas. Preciso dizer que estou mais que orgulhosa de vocês. – Lucy mudou de assunto.

 

- Está sendo incrível. – Hailee começou empolgada. – Lauren e eu somo elogiadas constantemente. Louis Walsh, o técnico, sempre nos coloca como a dupla de atacantes titulares. Ele disse que não sabia como ainda não havia nos encontrado e disse também que se fosse técnico da seleção principal nos convocaria sem pensar duas vezes.

 

- Verdade, mas o que me deixa um pouco triste é que outras jogadoras não gostam dos elogios que ele nos dá. Eu noto que elas nos olham com raiva. – Falou Lauren.

 

- Acostume-se, Laur. Haverá inveja em todos os lugares que formos. – Zayn a tranquilizou.

 

- Isso é verdade. – Concordei. – Apenas foquem no que mais sabem e esqueçam o que não deve ser levado adiante.

 

- Verdade, Mila. – Mani também concordou.

 

- E quanto a semana de provas, como vocês irão fazer? – Ally perguntou para as duas.

 

- Como já havíamos combinado com a diretora, procuraríamos estudar em casa e só iriamos fazer as provas na escola. Também falamos com os responsáveis pela seleção e eles nos liberaram sem maiores problemas, alegando não quererem prejudicar nossa vida acadêmica. Quanto aos estudos, eu não me preocupo. Camila é uma ótima professora e se eu tiro boas notas, devo tudo a ela por isso. – Minha namorada disse e me lançou um lindo sorriso, o qual eu não resisti e beijei.

 

- Mila tem talento mesmo. Se não quisesse seguir carreira médica, com certeza seria uma boa professora. – Lucy disse e eu fiquei vermelha.

 

Conversamos por horas seguidas e quando vi que se aproximava da meia noite, pedi a Lauren para que fossemos embora, querendo que ela dormisse bem para mais um dia desgastante. Chegamos em casa e depois de negar carinhosamente aos seus desejos carnais, dormimos abraçadas. Ela, com sua mania de sempre, colocou a mão entre minhas pernas, e não achando isso suficiente, adentrou minha calcinha e fez leves caricias em meu centro.  

 

Lauren me pedia para não me preocupar muito com seu cansaço, mas eu não podia evitar. Eu também cuidava de sua alimentação, pois boas horas de sono e uma alimentação saudável garantiam seu bom estado físico.

 

...

 

 

No outro dia, acordamos, nos preparamos para mais um dia e depois de tomarmos café, saímos. Lauren me levaria até a escola e de lá, seguiria para o centro de treinamento da seleção. Ela me deixou em frente à escola e me deu um beijo que eu jurava não ter fim.

 

- Se prepara que mais tarde eu vou matar minha saudade de fazer amor com você. – Ela disse e piscou para mim, me fazendo morder o lábio inferior e concordar com a cabeça.

 

- Vou esperar essa hora chegar com muita ansiedade. – Respondi e ela sorriu largo.

 

- Eu também, gatinha. Tenho que ir agora. Toma cuidado aí. – Falou e eu já sabia sobre o que ela estava falando.

 

Eu sabia que ela deixava de fazer certos comentários, mas ela ainda sentia muito ciúme. Mas algo havia melhorado, ela não me ofendia mais com seus comentários inoportunos sobre minhas roupas. Ultimamente, quando ela me via com roupas justas, ela redirecionava todo o seu ciúme para a sua libido e não sossegava até que me levava a algum lugar reservado para que pudéssemos dar alguns amassos. Em uma dessas vezes, chegamos a transar no carro e eu, que nunca havia pensado que faria esse tipo de loucura, gostei muito da adrenalina. Sem dúvidas, poderíamos repetir aquilo.

 

Voltando ao que ela havia acabado de dizer, suas preocupações, no momento, eram que Harry, meu mais novo amigo, se aproveitasse de mim. Posso até afirmar que ele dava suas cantadas engraçadas em mim, mas eu tomava aquilo como brincadeiras, pois sabia que ele respeitava o fato de eu ter namorada.

 

Quando terminamos de nos despedir, ela seguiu para mais um dia de treinamento. Hailee, que havia ido para a escola no carro de Dinah, com os outros, foi com ela também. Ela aproveitava essa carona todos os dias e eu ria de como duas pessoas, que inicialmente, se odiavam, criaram um vínculo de amizade tão forte. Elas não admitiam, mas se adoravam e não sabiam mais viver sem a outra. Até começaram a praticar muay thai juntas.

 

Me aproximei do meu grupo de amigos e eles riam de algo, muito provavelmente de alguma piada feita por Dinah ou Vero.

 

- Bom dia, gente. – Cumprimentei-os ao chegar onde eles estavam.

 

- Olá, Mila. Devo dizer que essa vida de casada está fazendo bem para a sua pele, você está até mais viva. – Mani disse e eu corei.

 

- E ainda cora. Nem parece que vive de safadeza com a namorada. – Vero brinca e meu estado só piora.

 

- Deixa ela. Não liga para essa palhaça, Mila. – Lucy me defendeu e deu um beliscão em Vero, que fez uma careta de dor. – Mas é verdade, você está muito bonita mesmo.

 

- Obrigada, gente. – Falei ainda um pouco envergonhada.

 

Quando o sino soou, nos encaminhamos para mais um dia de aula e fui para as minhas aulas avançadas. Lá, Demi e Selena me contaram que, finalmente, estavam namorando. Desejei felicidade para as duas e elas me contaram como foi o pedido. Quem teve a iniciativa de propor o namoro foi Demi, que finalmente havia criado coragem.

 

Ao ser pedida em namoro, Selena me contou que respondeu a proposta com um “Até que enfim, é claro que eu aceito.” me fazendo rir.

 

Ao decorrer do dia, fui até a biblioteca para estudar mais um pouco para as provas que estavam chegando, e lá encontrei Harry, que me ajudou bastante. Ele era incrivelmente inteligente e me explicava tudo com muita facilidade.

 

- Por que você me olha tão espantada quando te explico algo? – Ele perguntou divertido.

 

- É que você é bem mais inteligente do que eu achava.

 

- Valeu por achar que eu era burro. – Ele riu.

 

- Não é isso, seu bobo. Só me espantou o seu tamanho conhecimento sobre tudo. – Expliquei.

 

- Eu sei, só estava brincando. Eu tento dar o máximo de mim para garantir o meu futuro.

 

- E qual carreira você quer seguir? – Perguntei.

 

- Quero ser médico. – Ele respondeu e eu sorri para a resposta.

 

- Que coincidência, é o que eu quero também. – Ele também pareceu feliz com isso.

 

- E qual área você quer seguir?

 

- Quero ser pediatra. – Falei.

 

- Pretendo ser Cardiologista. Sempre foi uma vontade minha, depois que meu pai morreu por complicações cardíacas. Quero ajudar pessoas com esse problema, e de quebra, ajudar famílias a não sofrerem o que eu sofri com a perda de meu pai. Também era um desejo dele, e um dia irei realizar nossos sonhos e me tornar um médico. – Ele disse e eu me emocionei com o que ouvi.

 

- Que lindo, Harry. Sem dúvidas você será um grande médico. – Sorriu para mim e me lançou uma piscadela, me fazendo ficar sem jeito.

 

- Escuta, Mila. Eu sei que parece que eu quero algo a mais com você e sei que sua namorada me odeia, mas quero te deixar tranquila e dizer que só quero sua amizade. Admito que quando te vi pela primeira vez, senti algo a mais, mas bastou olhar para o seu anelar direito e ver esse anel, que desisti no mesmo instante de tentar algo a mais. – Me surpreendi com sua confissão.

 

- Posso te garantir que Lauren vai adorar saber disso. – Acabei rindo e ele me acompanhou.

 

- Ela é muito ciumenta, não?

 

- Muito mesmo. Você já presenciou uma crise de ciúmes dela, aquele dia no baile, sabe como ela fica quando está cega de ciúmes. Mas ela mudou, não é mais daquela forma. Bom, eu espero que não seja.

 

- Também espero. Sabe, Mila, eu costumo não ter amigos nesta escola porque eles não levam os estudos a sério. Bom, grande parte deles não, e os que levam, são antissociáveis, mas você é diferente. Soube disse assim que te vi, e você não merece ser tratada mal, deve ser tratada como uma rainha, e se sua namorada não fizer isso, estará cometendo um grande erro. – Fiquei sem graça pelo que ouvi e Harry riu. – Não me entenda mal, não estou te passando uma cantada, só estou dizendo a verdade.

 

- Obrigada. Você é um ótimo amigo. – Ele me abraçou, e depois disso, voltamos a estudar. Tive uma tarde muito proveitosa em sua companhia.

 

Ao sair da biblioteca, fui para um lado e Harry para o outro. Eu caminhava em direção ao meu armário, a fim de pegar meu livro para a próxima aula. Como não estava em horário de intervalo, não havia ninguém pelos corredores, mas cochichados me chamaram a atenção. Me aproximei, pareciam ser dois garotos, pude ouvir que um dele fazia juras de ameaças e o outro suplicava um tempo, tempo para pagar o que devia.

 

Achando aquilo tudo estranho, me aproximei mais, mas com cuidado, para que nenhum dos dois me visse. Avistei Zac e outro garoto a quem eu não conhecia.

 

- Eu estou te falando. Já te dei tempo demais. Ou você me paga o que deve ou morre. – Fiquei espantada ao ouvir aquilo. Zac o ameaçava com um olhar mortal e eu podia jurar que ele falava sério.

 

- Eu já te disse, cara. Eu vou te pagar. – O outro, o qual eu não sabia o nome, falava e ele parecia estar muito assustado.

 

- Eu só te darei mais um dia. Se amanhã você não me trouxer o dinheiro, se considere morto. – Zac disse e se encaminhou para sair de onde estavam.

 

Me aterrorizei ao ver que ele caminhava em minha direção. Mal pude raciocina, tampouco sair dali, quando o vi em minha frente. Me olhou com raiva e se aproximou de mim, me pegando pelos braços e me encostando nos armários atrás de mim com agressividade.

 

- Me solta... Eu... Eu. – Me interrompeu, apertando ainda mais suas mãos em meus braços.

 

- O que você estava fazendo aqui? Estava me espionando? – Um sorriso diabólico surgiu em seus olhos, e eu pude ver a vermelhidão nos mesmo, denunciando que ele estava fora de si. – Vamos! Me responda.

 

- Eu... Eu estava indo até o meu armário. – Disse e ele pressionou seu corpo no meu, me fazendo sentir o cheiro de maconha que emanava dele.

 

- Você está mentindo. Estava bisbilhotando. Isso é muito feio, nerd. – Me chamou pelo apelido, a qual sempre me chamava nos velhos tempos. – Jauregui ainda anda se aproveitando de você? Acho que fiz um favor para as duas propondo aquela aposta. – Falava com o rosto perto do meu. Procurei o garoto que estava sofrendo ameaças para lhe pedir ajuda, mas o mesmo já havia fugido.

 

- Por favor, me solte. – Implorei, já sentindo lágrimas se formarem em meus olhos.

 

- Ah, mas agora que eu estava começando a me divertir. Qual é, vamos lá. Me deixe saber por que a Jauregui se viciou tanto em você. Será que você é boa de cama? Porque isso irá explicar muita coisa. – Ao dizer isso, pressionou seu quadril no meu, me fazendo sentir o relevo entre suas pernas.

 

Eu estava entrando em estado de desespero. Fechei meus olhos com medo e, de repente, senti o seu aperto sumir de meu corpo. Rapidamente abri meus olhos e vi seu corpo caído no chão. Olhei para o outro lado e vi Harry o olhando de maneira ameaçadora.

 

- Acho melhor você nunca mais encostar nela. – Harry disse e podia ver seu peito subindo e descendo numa velocidade rápida e pude ver que aquilo era raiva.

 

- Ou o que? – Zac se levantou e se aproximou do meu amigo o empurrando.  

 

Harry era um pouco mais alto que ele e eu podia dizer que ele também tinha certa vantagem na luta, por Zac estar drogado e fora de si.

 

Styles não disse mais nada, se desvencilhando dele e se aproximando de mim e segurando meu rosto com suas duas mãos.

 

- Você está bem? Ele fez alguma coisa com você? – Sacudi minha cabeça em negação e ele suspirou tranquilo. – Vem, vou te levar até a enfermaria.

 

Passou um de seus braços ao redor do meu ombro e saiu dali me levando com ele. Ao passar por Zac, o encarou de forma ameaçadora, ganhando um olhar risonho como resposta. Ao chegar a enfermaria, Harry contou o que havia acontecido e logo após me passarem algum analgésico para a dor em minhas costas, - Causada pela batida contra os armários. - a diretora chegou ali, querendo saber sobre o ocorrido. Lhe falei tudo e ela prometeu que medidas seriam tomadas.

 

Logo todos os meus amigos ficaram sabendo de tudo. Meu pais também. Harry se encarregou de dizer para todos, e até mesmo Lauren e Hailee chegaram ali assustadas. Tranquilizei a todos, mas pude ver o olhar mais que preocupado de minha namorada.

 

- Se alguma coisa tivesse acontecido com você, eu não me perdoaria. – Ela disse ao se aproximar de mim e me abraçar.

 

- Você não teve culpa de nada.

 

- Sim, eu tive. Sabia que ele estava fora de si, mas mesmo assim não tomei nenhuma decisão cabível. Já sabia que ele estava assim e não comuniquei a diretoria.

 

Ela parecia inconsolável e a todo momento eu tentava a deixar menos preocupada. Logo a diretora comunicou o episódio para a polícia e meu pai, indignado com tudo o que ocorreu, se encarregou de procurar Zac pela escola e escolta-lo até a delegacia, mas para a surpresa de todos, ele havia fugido.

 

Como só restava mais duas aulas para o fim de mais um dia de aula, fui liberada a ir para casa. Meus pais e minha namorada me acompanharam. Lauren emprestou seu carro para Hailee, para que ela pudesse voltar para o centro de treinamentos e a pediu para informar que ela não voltaria, pois ficaria comigo o restante do dia. Tentei de todas as formas fazer com que ela fosse também, alegando estar bem, mas não adiantou.

 

Ao chegar em casa, ela foi comigo até o meu quarto e me levou até o banheiro para que tomássemos um banho, afinal, ela também precisava de um. Ao sair, vestimos roupas leves e nos deitamos em minha cama.

 

- Pare de se culpar, Lolo. – Pedi.

 

- Estou tentando, mas não consigo. –A abracei e, querendo tirar tudo aquilo de sua cabeça, comecei a lhe dar beijos molhados em seu corpo.

 

Acabamos fazendo amor. Ela me tratou de forma delicada a todo o momento, e no final, consegui tirar ao menos um pouco a culpa de seus ombros.

 

Ficamos ali até minha mãe nos informar que o jantar estava pronto. Ao sentarmos à mesa, papai comunicou que havia aberto um boletim de ocorrência e que Zac agora estava sendo convocado a comparecer a delegacia, sob denúncia de tráfico de drogas e agressão.

 

Tentando não levar o assunto adiante, chamei Lauren para assistir filmes comigo em meu quarto, conseguindo distraí-la um pouco.

 

Ao fim, adormecemos e quando acordamos no outro dia, descobrimos que Zac havia sido preso e Lauren teve um misto de emoções. Se sentiu aliviada por não o ter por perto, temendo meu bem-estar, mas se sentiu triste por ver que esse seria o desfecho para seu amigo de infância.

 

Eu a consolei e a ajudei a superar mais isso em sua vida.

 

Ao passar dos dias, ela conseguiu voltar ao normal e estava focada em viver seu sonho mais uma vez, bem a tempo de se preparar para a final do campeonato estudantil. 


Notas Finais


Me desculpem qualquer erro e se encontrarem algum, me avisem que eu corrijo na hora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...