História Era uma vez uma jaqueta - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Adidas, Fogo, Jaqueta, Kasper
Exibições 198
Palavras 750
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabble, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Assim que eu vi essa foto, já imaginei por quanto tempo ele vai usar isso. shshhshs

Bem, Aqui vem mais um capítulo bem zoado sobre a história da bendita jaqueta. Espero que gostem e kataiu!

Capítulo 2 - O Assasino de jaquetas.


Fanfic / Fanfiction Era uma vez uma jaqueta - Capítulo 2 - O Assasino de jaquetas.

Demorou muito para poder separar os dois daquela briga.Após levar Chanyeol para casa — Falo como se ele fosse uma criança, talvez, seja mesmo. — Me desculpei com kasper por telefone e liguei para mamãe, avisando que o almoço foi ótimo.

– Channy, onde você está? – Gritei alto, subindo as escadas atrás daquele maldito poste. Ah, ele sabia o que iria acontecer.

– Não Baek, não se aproxime!Ela é inocente, a culpa foi minha! – Chanyeol implorou.Pelo o som da sua voz, pude ouvir da onde veio. Ao chegar no quarto, lá estava ele, enfiado dentro do armário com a jaqueta em mãos. 

– Oi amor! Você encontrou o que eu estava procurando! Pode me dar aqui?

– Não baek, por favor... –Seus olhos estavam cheios de lágrimas. Ah, mas aquilo não amoleceu meu coração. E eu estava decidido a fazer aquilo.

– Tudo bem amor...– Sorri para ele assim que parou de falar. –Vem cá, eu não vou fazer nada, ok?

– Você não está mentindo? – Ele fez um bico gigantesco em seus lábios, tadinho. Neguei com a cabeça, me aproximando do mesmo. Me ajoelhei na porta.

– Me dá um beijinho, uh? Não vou fazer nada, Channie.– Exalando confiança para ele e deslizei as mãos por o seu rosto. sem tirar o sorrisinho bobo.- Você é tão lindo amor...

– Você que é, Baekkie. – Sorriu de volta. Selei meus lábios nos deles logo começando um beijo calmo e sutil. Suas mãos deslizaram por o meu corpo apertando minha cintura, naquele momento quase esqueci do que iria fazer, mas lembrei do que queria com aquele beijo. Desci minhas mãos para o lado do seu corpo sem o mesmo perceber, Deixava mordidinhas em seus lábios até conseguir pegar a jaqueta.

– Você fica mais lindo sem essa jack! – Ri alto e logo sai correndo com a jaqueta nas mãos. Chanyeol chorava implorando por piedade. Mas Infelizmente – pra ele.— Esse será o fim da maldita jaqueta.


Meu ritual já estava pronto. Peguei uma bacia e uma garrafinha de álcool. Com a jaqueta nas costas e o isqueiro na mão, levei tudo pro jardim.

– Amor, parece que você vai fazer macumba com essa bacia bem no meio da grama. Para com isso, eu prometo que só vou usar uma vez no mês. – Channy não parava de falar, acha mesmo que eu to dando ouvidos? Pode é chorar mozão! 

– Quais suas últimas palavras para a jack?

– Não  faz isso, Baek.

– Ótimas palavras! Adeus jack. – Derramei o álcool nela e taquei fogo. Gente, a emoção de ver aquilo queimando foi como comer umas três coxinhas com fanta laraja. Fiquei até  emocionado. Finalmente meu namorado tava livre daquela desgraça.

Chanyeol ficou emburrado a semana toda. Espalhando aos quatros ventos que fui cruel demais. Eu apenas ria junto com os outros amigos dele. 

Acho que todos estavam dando glórias, por ter dado um fim naquilo.

Enquanto eu mexia no computador, Chanyeol havia ido comprar algumas pastas para meu trabalho. Eu estava cansado, e não ia gastar minhas pernas tendo um escravo...Digo, namorado. Pedi para ele ir por mim na papelaria. Olhei para o relógio e já fazia mais de meia hora que a desgraça tinha saído. Demora do caralho! Peguei meu celular pra ligar pro Yoda e adivinha? O amorzinho (pra não chamar de outra coisa) tava com o celular desligado. Bufei, pensei em várias maneiras de matar ele enquanto não chegava. Acabei de escrever tudo o que tinha do trabalho e ele ainda não havia dado sinal. Até que... 

– OI AMOR! OLHA O QUE EU COMPREI! – Chanyeol brotou na minha frente, adivinhem com o que? Isso mesmo.

– Chanyeol, Não acredito que você comprou outra jaqueta… – Suspirei tentando me controlar. 

– E um boné novo! – Ele tirou o boné da cabeça e mostrou para mim. Tudo bem, não vou me estressar. 

– Otimo amor! Só não vai usar todo dia, tá? – Ouvi um sim do maior enquanto ele guardava jaqueta no armário. – Amor, cadê minhas pastas?

– É que… Eu tive que gastar o dinheiro… Com a jaqueta… faltava só um pouquinho e não queria voltar pra pegar sabe…

  –  Park Chanyeol, EU VOU TE MATAR!

Depois daquele dia, Baekhyun ficou tão puto que passou um dia inteiro — Era muito tempo na visão do Chanyeol — Sem falar com ele. Prometeu que se visse Chanyeol com aquela jaqueta, iria tacar fogo nela e com ele junto. 

Chanyeol resolveu esconder a jaqueta em um lugar secreto. Passou o dia se lamentando com os vizinhos – Na verdade, Era só as criancinhas do condomínio — que Baekhyun era um Assassino de jaquetas.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro e é isso!
Vai ter mais capítulos? Só JongDeus sabe. Kshkskjs
Fuiz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...