História EreRi - Entrelaçados pelo destino. - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Armin Arlert, Eren Jaeger, Erwin Smith, Hange Zoë, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Ereri, Shingeki No Kyojin, Snk, Yaoi
Visualizações 455
Palavras 1.903
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi!!! XD
Sentiram saudades? :v
Como estão?

Ah, bom! Este cap está só um tiquito pequeno kkk Mas acho que vão gostar heuehueheueheu
Muito obrigado pelos comentários. E MEU DEUS! Essa Fic está ultrapassando minhas expectativas heuheueheueheu ESTOU AMANDO!!!

Okay!
*Quem narra hoje é o Levi-chan :3 Com uma participação minha no final \o/ (3° pessoa)

Espero que gostem!

Capítulo 14 - 2 Messes e uma noite. . .


Fanfic / Fanfiction EreRi - Entrelaçados pelo destino. - Capítulo 14 - 2 Messes e uma noite. . .

<Quebra do tempo/ 2 messes depois...>

O dia que os papeis acabarem, eu vou comemorar e beber até amanhã.... Esse trabalho não tem fim! Eu preciso de férias, talvez possa dar este trabalho a outra pessoa. Ah, seria um problema e tanto isso. Além de ter trabalho, eu tenho outro trabalho. Um chamado Eren.

-Levi-san. –Agora que estávamos trabalhando ele consegue ser comportado e quieto, as vezes....

-O que foi? –Largava as folhas de qualquer jeito na mesa, me levantava, precisava de um ar. Eren me seguia durante todo percurso enquanto falava várias coisas. Muitas delas era sobre os pacientes que estava tratando, um deles, Armin. No final das contas eu fiz a decisão certa de deixa-lo aqui, o amigo de Eren está se recuperando e eu estou aliviado.

-Depois dos últimos exames do Armin, eu posso ir ver minha irmã? Ah.... Na verdade, nós podemos ir vê-la?

-Nos? –Parava de andar, estávamos fora do hospital agora, para ser mais exato, no estacionamento. –O que eu tenho a ver com isso? Eren, já se passaram mais de cinco messes que estou te ensinando coisas, aliais te ensinei até demais, não acha? Normalmente eu pararia no básico, como conversar com os pacientes e saber se estão ou não escondendo algo. Porem com você fomos até a sala de cirurgia. Você foi um dos assistentes para a cirurgiã. Não acha que já sabe demais? –O que ele quer saber mais? Não precisa mais da minha ajuda para saber o que deve fazer.

-Mas eu...

-Eren, você é o único, passei tudo que sabia, simplesmente tudo! O que você vai querer mais de mim? –Estava um pouco frio as luzes do estacionamento eram baixas, sendo apenas fornecidas pelos postes de luzes e pelas luzes do hospital.

-Ainda não tenho confiança.

-Por este motivo que você deve fazer agora tudo sozinho. Te ensinei demais.... –Ele parecia desolado, como se eu tivesse mandando ele ir embora e não era mentira. Eren sabia muito, até mais do que eu, ele apenas precisava fazer aquele cérebro funcionar. –O que te impede? Sei que confiança você tem de sobra.

-..... -Quando ele precisa ser cara de pau, não acontece..... 

-Olhe, você quer ir para o exército, não? –Ele assente em resposta. –Faça a inscrição! Seja um dos médicos! Com o seu conhecimento, sei que vai conseguir! –Eren não parava de olhar para o chão, olhei a nossa volta, sem sinal de nenhuma enfermeira ou medico que pudesse estar fumando. –Eren. –Ficava a poucos passos dele, o mesmo levantava seu rosto, me encarando, o puxei pela cola, fazendo ele encostar sua testa na minha, me encarando nos olhos.

-S-Se eu for... Você aceitara meu pedido de namoro?

-Há dois messes eu recusei seu pedido de namoro, por que acha que eu aceitaria agora?

-Porque agora sei que eu te amo ainda mais. –Ele parecia certo de sua decisão, agora ele mostra sua cara de pau, mas se eu aceitasse, correria o risco de deixar outra pessoa invadir minha vida ainda mais.... –Eu prometo! –Ele tocava minhas mãos. –Ficarei ao seu lado para sempre, Rivaille!

-Certo. –Não sabia se estava fazendo o certo, mas ele estava confiante, então vou ariscar. –Se você for em uma missão e voltar vivo.... Eu aceitarei seu pedido. –Ele sorria ainda mais e me puxava para um beijo. –Hum! –Tentava me separar- E-Eren!

-G-Gomem.... É que estou muito feliz. –Ele me abraçava e ria um pouco alto. Nunca vi esse cara tão feliz na vida. Até parece que ganhou na loteria...

-Eren! Anda! Me larga! –Ele continuava rindo como um bobo.

-Gomem, ah... Levi.... Posso dormir na sua casa hoje?

-Na minha casa? –Ele assentia, confirmando o que eu ouvi, ele está começando a ficar folgado... Ele se aproximava do meu ouvido, sua voz estava quente, como sempre.

-Eu simplesmente amo ficar abraçado com você. –No final da frase ele mordeu minha orelha, senti meu corpo responder positivamente para isso, esse garoto vai morrer nas minhas mãos um dia! –Vamos voltar. –Ele sorria como se nada tivesse acontecido. Isso é o que mais me irrita nesse garoto.

 

<Quebra do tempo/ 03:36hrs>

Narrador-On

No terceiro bloco do sétimo andar, dentro do primeiro apartamento a direita, Eren colocava Rivaille sobre a mesa de jantar, beijando todo seu corpo e mordiscando cada pedaço. As marcas da última vez ainda apareciam, os locais onde as marcas eram quase invisíveis, ganhavam novas marcas, deixando toda a pele do médico, vermelha.

Levi puxava os fios morenos do jovem, como se fosse um pedido por mais, Eren descia os beijos e se concentrava na parte inferior, nisso Rivaille ainda pensava em como aquele garoto conseguia leva-lo a loucura cada vez que eles ficavam juntos. Eles mal tinham acabado o turno e voltado para casa, sem ao menos ter sentido o elevador se mexer, Eren já se apossava de seus lábios.

Pedindo passagem e desabotoando sua camisa social branca, podendo já sentir os dedos de Eren toca-lo, como sempre sua pele era mais fria que a do jovem medico, então cada toque era um arrepio. E se não bastasse somente isso, ao chegar em seu andar, que por sorte não foram interrompidos por nenhum morador já que era três da manhã, Levi foi colocado no colo do jovem medico e assim eles seguiam para dentro se beijando sem parar. Hoje, Eren agradeceu por trabalhar de noite.

Agora o garoto estava a centímetros de ter o membro do seu mentor em sua boca. Começando com os movimentos de vai e vem, Eren conseguia levar Rivaille a loucura apenas com seu calor corporal. Além de ter ajuda de Hanji com as dicas de como agradar o Levi ao máximo.

 Mas ele ainda precisava praticar mais, agradar Rivaille não era uma tarefa impossível, parecia que a cada toque, ele conseguia o que desejava, mais como era um pouco egoísta em relação ao médico, ele queria tudo. Seus movimentos aceleravam podendo ouvir ainda mais gemidos.

-Ah! E-Eren! –O médico apertava os ombros do garoto, abaixando sua cabeça e sentindo o calor corporal dominar completamente seu corpo, em seguida sentiu seu ápice chegar e seu sêmen ser liberado, Eren tentava engolir praticamente tudo, enquanto o mais velho recuperava seu folego, Eren o puxava, colocando em seu colo. –O-Oe Eren! –Ele era levado até sua cama e jogado ali, Eren começava a desabotoar sua camisa social enquanto observava o corpo quase totalmente despido de Rivaille, sendo apenas coberto pela sua camisa social.

 

O jovem medico subia na cama após jogar suas roupas no chão, subindo sobre a cama e ficando encima do mais velho, continuando a marcar seu corpo. Para não ficar parado, Rivaille passava sua mão direita pelo corpo do garoto, chegando a sua box e apertando seu membro. Isso resultou em um gemido alto, fazendo Eren soltar por completo a pele que ele marcava.

-O que foi? –Ele continuava a apertar aquela parte sensível, Eren se contorcia, corando ao máximo com a voz sensual do médico bem perto. Levi aproveitou para morder a ponta da orelha do jovem de olhos verdes, que agora os mantinha fechados.

 

Entre vários gemidos fracos, Levi aproveitou para jogar o garoto na cama, ficando sobre ele. Passou seus dedos sobre os lábios do jovem, descendo pelo pescoço até chegar no tórax que contraia e se expandia de forma um pouco descompassada. Ele sorriu e desceu até poder encostar seus lábios nos do jovem garoto.

Eren passava suas mãos quentes por todo corpo que estava encima de si, suas línguas dançavam em uma sincronia lenta, mas excitante, o calor entre os dois corpos apenas aumentava gradativamente. Ao se separar dos beijos, Rivaille marcava a pele sensível do garoto com pequenas mordidas e chupões que logo ficariam roxos, talvez.

-A-Ah... –Eren gemia, respondendo positivamente aos toques do mais velho. Ao chegar mais perto da intimidade do maior, Levi começou a tortura-lo, beijando delicadamente a pele até chegar no pano que cobria o membro rígido. Ele retirou o tecido, mostrando assim o membro pulsante que o jovem tinha.

 

Com os olhos parecidos de um caçador que tinha sua presa sobre seu controle, Levi levava sua boca até a parte mais intima do jovem, lambendo a extensão por completo, até chegar na glande, depositando um beijo que fez todo corpo de Eren estremecer por completo.

As provocações continuaram, Rivaille continuava a colocar aquele membro em sua boca e Eren respirava ofegante, com uma de suas mãos, o jovem medico penetrava a entrava apertada usando um lubrificante que estava no criado mudo, porém, após sentir que estava pronto, Rivaille parou o que fazia, retirou o membro de sua boca, que apenas ficou conectado com uma fina linha de saliva que logo foi cortada.

Os dois se encararam fixamente, Eren com o rosto mais corado que o do médico, observava como Levi ficava simplesmente maravilhoso usando apenas uma camiseta social com todos os botões soltos, somando ainda mais a luz da noite que apenas deixava ele ver uma parte nitidamente daquele corpo.

Rivaille se aproximava mais de Eren, ficando por cima dele mais uma vez, sua entrada roçava com o membro do jovem, com muito cuidado, Eren ajudava seu mentor a descer até conseguir ficar completamente dentro. Agora era Levi que estava um pouco mais corado, sentia o membro ainda pulsante dentro de si, isso o atiçava e muito.

O garoto que apenas observava, ficou deslumbrado ainda mais por seu amante estar corado daquele jeito, até o jeito como ele respirava deixava Eren ainda mais fascinado e excitado. Ele sabia que não poderia se mexer ainda, Rivaille ainda estava se acostumando, mas a vontade de ouvi-lo gemer, de poder ver seu rosto enquanto era penetrado várias vezes, Eren nunca tentou deixa-lo de frente para si, mas depois dessa vez, faria questão de sempre ver aquele rosto tão atraente.

O mais velho fez os primeiros movimentos bem lentos, o som que aquilo projetava estava quase enlouquecendo Eren, ainda mais com seu amado subindo e descendo de forma tão sexy. O garoto segurou a cintura do médico e o ajudou, logo pode ser ouvido ainda mais o som dos corpos se chocando e os gemidos.

-Ah! –Levi mantinha seus olhos fechados, ele aranhava o peito do garoto de tanta excitação que estava tendo, Eren, no entanto queria ir mais fundo, ir até o fim. –E-Eren... –O médico tentou formar uma frase, porém, sua mente estava desnorteada e ele não conseguia dizer nada, apenas gemer. Eren colocava Levi sobre a cama e ele começou a se mexer e o médico gemeu ainda mais alto, quase como se gritasse.

-Levi... Me deixe ouvir ainda mais. Eu quero mais. –O garoto ia ainda mais fundo, recebendo ainda mais gemidos, alguns de dor, outros do simples e puro prazer. Os dois corpos faziam pressão contra o membro de Levi, aumentando ainda mais seu prazer, já que aquele membro estava de volta e pulsando sobre a excitação que estava tendo.

 

Não demorou tanto para Eren ejacular todo seu sêmen dento do médico, isso resultou em Rivaille também liberando o seu, sujando os dois corpos. O jovem lambeu uma boa parte do sêmen que estava espalhada por quase todo corpo do mais velho, aproveitando e beijando aquela pele. Depois ele se aproximou do rosto de Levi, podendo ver que ele ainda respirava um pouco ofegante.

-Levi-san.... Eu te amo! –Eren puxou ele para um beijo curto, mas com vários selinhos.

-Baka.... –Rivaille sorriu antes de adormecer abraçado com Eren.


Notas Finais


E ai? Gostaram? :D

Eu tenho muitas taras, mas a do Levi, uke, com uma camisa social branca.... É UMA VISÃO DE DEUS!!! KKKKKKKKKKK
Eu tive que colocar ele assim!!!! Podem me julgar!!! kkkkk

Sobre a quebra do tempo, teve duas aqui e só para saberem, eu gosto de fazer isso. Não sei se notaram kkk
Tipo, não gosto de falar como eles voltaram e tals. Vamos pular um pouco, pq não? :v kkkkkk E também, não queria deixar o cap super grande. mas ele ficou meio pequeno.... :v

Espero que tenham gostado!
Até o próximo :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...