História Eros - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Xiumin
Tags Chen, Chenxiu, Exo, Jongdae, Minseok, Xiuchen, Xiumin
Exibições 48
Palavras 1.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amoras <3
Capítulo novo, gostoso e animadinho.
Espero que gostem!

Capítulo 4 - Segredo


- É sério mesmo Jongdae? – Todos estavam impressionados e o alvo da curiosidade sorria largo com o rosto vermelho de vergonha e cobrindo o rosto com as mãos de dedos finos.

Minseok estava realmente chocado com aquela revelação, não escondendo a careta inconformada e curiosa. Nunca imaginou que seu colega de quarto tivesse um passado daqueles, jamais passou por sua cabeça que o rapaz pudesse ser daquele tipo de homem – aliás, ele não aparentava nada mais além de um rapaz gentil e simpático.

- Juro. Eu tinha meus 20 anos na época e foi um dos melhores momentos da minha vida.

- Espera. – Chanyeol ficou apoiado nos joelhos expressamente curioso, esticou os braços escandalosamente pedindo espaço e voltou a encarar a Jongdae. – Conta isso direito, por favor.

- Eu estava no segundo semestre do curso de inglês, tinha uma garota linda na minha turma que eu estava sempre admirando. Descobri semanas depois que ela tinha uma irmã gêmea que estava um semestre adiantada e estava plenamente apaixonada por mim. Conversamos um pouco, eu e a outra gêmea, e ela disse que queria MUITO transar comigo. Falou assim, na maior cara de pau.

- Sério mesmo? – Sehun indagou com os olhos arregalados.

- Por que mulheres assim não aparecem na minha vida? – Kyung Soo reclamou com uma careta tediosa e uma pequeno bico.

- Deixe eu continuar. – Jongdae riu e balançou as mãos. – Enfim, ela queria muito transar comigo e eu, como não sou trouxa e nem nada, disse que eu estava apaixonado pela irmã e que não conseguiria ter relações com a gêmea dela. – Ele fez uma careta que causou risos nos colegas. – A menina ficou então dois dias insistindo até que eu finalmente aceitei e, para a minha surpresa, ela conseguiu convencer a irmã a também participar. O pai delas é dono da maior rede de hotéis aqui da Coréia e tem três motéis espalhados por Seul. E então, fomos escondidos para o motel pegando uma das suítes mais caras. Rapazes, foi a melhor noite da minha vida!

- Nossa... – Baek comentou.

- Só tenho algo a declarar. – Jong manifestou-se. – Aquelas meninas eram incríveis.

- Vamos eleger Jongdae o líder da equipe. – Chanyeol comentou, fazendo os outros concordarem e rirem. – Merece até um shot extra de comemoração. – E, invés de dar o copo ao amigo, o próprio ruivo virou o copo plástico.

Por mais que as brincadeiras estivessem muito divertidas e todos os rapazes finalmente estivessem à vontade para conversarem e se conhecerem, Minseok já estava sentindo os efeitos do álcool impactando em sua visão e pensamentos.

Já estava escuro quando olhou pela janela, o cansaço e o sono estavam querendo apoderar-se de seu corpo e, por mais que a cama de seu alojamento fosse péssima, era o único objeto que se fazia presente na sua mente naquele momento. Levantou-se sentindo as pernas pouco fracas, mas ainda podendo sustentá-lo.

- Já vai Minseok? – Jongdae o chamou, notando que ele já estava se afastando em direção a porta. O rapaz levantou-se, colocou o braço sobre seus ombros e o puxou de volta para a roda de amigos – Estamos indo para o alojamento rapazes, já está tarde.

- Verdade, amanhã podemos continuar essa conversa. – Sehun espreguiçou-se e coçou o olho. Era o mais novo do grupo e se parecia muito mais com um homem feito do que muitos de seus colegas de equipe.

- Podem ir, meninas. – Chanyeol brincou. – Os homens de verdade vão secar essas últimas garrafas.

- Seu sonho, idiota! – Jongin esbravejou, a voz pouco modificada pelo álcool. – Se não bebeu agora, só em outra encarnação. O resto é meu.

- Seu ridículo egoísta. – Chanyeol levou a mão ao peito fazendo uma careta indignada.

- Ok, boa noite pessoal. Até amanhã e durmam bem. – Jongdae sorriu sem mostrar os dentes e acenou. Minseok também se despediu e ambos deixaram o quarto.

Eles demoraram um pouco para chegarem ao alojamento, eram dois bêbados que estavam abraçados como melhores amigos e tentando coordenar seus próprios passos um com o outro. Foi um sacrifício chegar ao quarto sem não fazer nenhum barulho, todos já haviam se recolhido e quando Minseok jogou os olhos sobre o enorme relógio de parede da entrada, percebeu que era quase nove da noite.

Adentraram o quarto e cada um caiu na sua cama, elas rangeram de um modo que parecia um pedido para que levantassem e nunca mais fizessem aquilo. Jongdae riu da situação e sentou-se, jogando os olhos sobre o colega de quarto.

- Eu não pensei que ficaria mal desse jeito.

- É uma Purity Vodka, Jong, uma gota e você fica bêbado. – Minseok respondeu rindo, seu sorriso aberto e sincero.

- Da próxima vez, vou passar...

- Você ouviu o Jongin, não terá próxima vez. – Min passou a mão pelo rosto e tentou sentar na cama também. Sentia seus olhos desfocarem e a cabeça balançar, não estava entendo quase nada daquele efeito alcóolico que estava sentindo. – Aquele ali parece ser bem dos egoístas.

- Mas é muito gente boa. Todos eles, na verdade. Acho que nos demos bem com o grupo, nenhum dos rapazes parece ser idiota ou cabeça dura... Só meio tarados e falantes.

- Você tem razão. Amanhã saberemos quem será nosso intendente responsável. Sinto pena dele, pois somos malucos. – Min bocejou. – Estou morrendo de sono, e estou exausto.

- Viajar de longe, ficar duas horas de pé e depois beber faz um homem cansar. – Jongdae levantou-se, indo em direção à suas coisas já guardadas no armário. Retirou de lá o pijama, constituído de uma regata branca e uma samba-canção bordô. – É melhor nos trocarmos e irmos dormir.

- É uma ótima ideia. – Minseok ergueu-se da cama e caminhou até sua mala, abrindo-a e retirando qualquer peça de roupa com tecido leve para usar como pijama. Acabou pegando uma camiseta preta desbotada e uma calça de moletom cinza-claro.

Por mais que não fossem tão íntimos assim, não sentiram qualquer vergonha de trocarem-se no mesmo quarto. Claro, um estava de costas para o outro e bêbados demais para entenderem que estavam se trocando juntos, mas ainda assim saber que um desconhecido estava se trocando com você acaba causando certa vergonha e o sentimento de hesitação.

Minseok voltou a deitar-se, observando Jongdae guardar as antigas roupas militares no armário adequadamente dobradas. Ele sentou-se na cama e ficou olhando para Min parecendo querer dizer algo ou indagá-lo sobre alguma coisa.

-  O que foi?

- Então... Sabe eu tenho o meu irmão mais novo e ele tem 10 anos, mas ele teve um problema que causou um retardo mental de 5 anos na sua cabeça. Ou seja, o pequeno acha que tem 5 e não 10 anos de idade, quando tiver 30 agirá como alguém de 25 e tal.

- Mesmo? Nossa que merda isso.

- É, complicado.

- Mas por que você está dizendo isso?

- Então, eu sou acostumado a dormir com ele na mesma cama já que dividimos o quarto. Minha irmã tem um quarto só para ela e meus pais dormem no outro, então eu fico com ele. O meu irmão mais velho já tem a própria casa...

- Sim...?!

- E eu estou muito acostumado a dormir com alguém na mesma cama. Como está sendo abrupto demais essa ideia de dormir sozinho na cama, acho que estou meio... Inseguro. Você se importaria de dormir na mesma cama que eu?

O quê? Jongdae estava realmente perguntando algo daquela proporção? Minseok estava encarando o colega de quarto com uma careta pouco espantada e desconcertada, mas não podia negar que estava quase rindo pela pergunta.

- Você quer dormir comigo?

- Essa pergunta tem dois sentidos. – Jongdae riu.

- Você quer dormir na mesma cama que eu?

- É, eu sei. “Como esse cara que eu conheci hoje quer fazer isso”? – O rapaz tentou imitar o tom de voz do outro, fazendo Min rir abertamente. – Mas é apenas o costume.

- Olha, se eu estivesse sóbrio eu ia achar isso a coisa mais estranha do mundo. – Min admitiu, passando a mão nos cabelos levemente oleosos. – Mas como eu estou bêbado e amanhã estarei de ressaca, claro. Por que não?

- Sério? – Jong arregalou os olhos.

- Sério. Pode vir. Mas nada de conchinha.

- Nem, imagina. – Jong riu e levantou-se da cama, aproximando-se do interruptor para desligar a luz.

Seu travesseiro estava enfiado debaixo do braço e depois que as luzes se apagaram, Jong enfurnou-se na cama do colega, ouvindo-o rir baixo da situação. A cama era larga, mas era impossível que ambos ficassem virados para o teto, então cada um virou para o lado, suas costas tocando uma na outra.

- Isso é estranho. Faz tempo que ninguém dorme comigo na mesma cama. Seja amigo, namorada ou familiar. – Minseok comentou num sussurro, atraindo a atenção do outro.

- Você não parece o tipo que divide a cama.

- Por quê?

- Por que você está me empurrando para fora da cama. – Jong começou a rir enquanto Min ajeitava-se mais para a parede, dando espaço.

- É melhor irmos dormir. – Outro bocejo. – Boa noite Jongdae.

- Boa noite Minseok... E obrigado.


Notas Finais


O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...