História Erros -Namjin e Yoonseok - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Hoseok, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Morte, Namjin, Namjoon, Taehyung, Yoongi, Yoonseok
Exibições 116
Palavras 3.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, sei que vocês devem querer me matar pela demora, mas eu realmente não consegui escrever esse capítulo antes. Como eu já disse na minha outra fic, eu não estou feliz com a minha escrita e eu tenho muito medo de estragar esta história, por isso nada do que eu escrevia me agradava. Peço perdão.

Enfim, não vou enrolar muito.

Esse capítulo é totalmente do Yoongi.

Boa leitura!😘

Capítulo 14 - Chances -penúltimo capítulo


Fanfic / Fanfiction Erros -Namjin e Yoonseok - Capítulo 14 - Chances -penúltimo capítulo

Pov Yoongi

Não vou mentir, estou nervoso. Durante todo o percurso até o local marcado eu ficava me perguntando o que iria acontecer e o porquê da Park querer me ver assim tão de repente. Nós temos um plano, mas as chances de dar certo são mínimas. Por mais que eu tente negar para mim mesmo, eu não consigo; eu estou com medo. Medo de morrer e deixar a minha família. Eu não quero perder os almoços de domingo, a comida do Jin, os sermões do Namjoon, as idiotices do Taehyung, as palhaçadas do Jungkook, a lerdeza do Jimin, os carinhos do Hobi; eu não quero perdê-los.


Eu ainda não acredito em tudo que aconteceu, no que está acontecendo. Eu pensei que depois de cumprir a minha pena eu poderia seguir a minha vida em paz. No começo eu nem queria Que o Hoseok ficasse comigo, pois sei que ele merece alguém muito melhor que eu, e vendo tudo o que aconteceu, eu acho que nunca deveria ter o agarrado e dito que o amava. Tudo o que aconteceu com ele é culpa minha e eu nunca vou me perdoar por isso. Tudo o que houve parece surreal demais. Algo que eu quero esquecer depois de acabar de vez com isso.


-Yoongi. -ouvi meu nome. -Chegamos.


O plano era o seguinte: um capanga do Eunhyuk- amigo meu- iria ficar no carro e esperar 10 minutos após entrarmos naquela espécie de galpão e depois ligaria para a polícia. Nós sairíamos pelos fundos onde outros caras estavam nos esperando, quando a polícia chegasse. Era um plano idiota? Era. Tinha chance de sermos pegos? Tinha, muitas. Mas se eu não fizesse nada, Eunhyuk iria matar muita gente alí, e eu não queria isso, não sou assassino; mesmo eu não matando, eu estaria vendo e não fazendo nada, o que seria tão ruim quanto.


Arrumei a arma na minha cintura e entrei no galpão junto com Eunhyuk e mais cinco homens.


Eu esperava encontrar aquele lugar cheio de homens com armas apontadas para nós, mas o que encontramos fora um grande nada.


-Eles estão brincando com a gente, só pode. -Eunhyuk esbravejou.


-Eu mandei você vir sozinho, Yoongi, não trazer reforços. -meus olhos se arregalaram ao ver quem estava alí.


-Jinyoung?


-Surpresa.


-’Pera, você não disse que a Park era uma mulher? -não consegui responder Eunhyuk, meus olhos continuavam arregalados fitando o moreno que estava à alguns metros de distância de mim.


-E eu sou. -uma mulher morena de cabelos curtos surgiu sabê-se lá de onde.


-São dois? Que porra ‘tá acontecendo aqui?


-Digamos que são negócios de família. -a Park disse. -A propósito meu nome é


-Dispenso apresentações. Vamos direto ao ponto; o que você quer?


-O que eu Quero? Eu não quero nada, esse seu amiguinho aí quer nos matar e você está o ajudando, infelizmente isso virou pessoal. Desculpa, mas não costumamos ser piedosos com quem entra no nosso caminho. -a mulher diz com puro cinismo.


-Era para deixar-nos com medo? Desculpa, mas você falhou. -Eunhyuk se pronunciou.


-Kim Eunhyuk, não é? Era Jackson o nome dele, não era? Nome Bonito, assim como ele era. -pude ver o moreno ao meu lado cerrar os punhos. -É uma pena ele estar de baixo da terra agora; aquela beleza foi desperdiçada.


-Cala a boca, sua vadia! -Eunhyuk sacou sua arma, logo seus homens fizeram o mesmo, assim como eu.


-É sério isso? Vocês acham que podem vir ao meu território e bancar uma de vingadores? Não acredito que estamos lidando com amadores. -Jinyoung disse.


-Eu nunca fui com a sua cara, Jinyoung. Isso tudo é porquê? Porque eu não correspondi ao seu beijo? Aceita uma rejeição que é mais fácil.


-Você realmente não se lembra de min, Yoongi? É lógico que não se lembraria, faz tantos anos.


-Do que está falando?


-Junior. Esse nome lhe diz alguma coisa? -pensei, pensei até que minha mente clareou.


-Você… Junior, você… Não pode ser. -minhas mãos vacilaram me obrigando a baixar a arma. Eunhyuk olhou para mim sem entender.


-Eu me aproximei de você propositalmente. Só não sabia que você iria se virar contra nós.


-Yoongi, quem é ele? -Eunhyuk perguntou.


-Eu o conheci como Junior. Há muito tempo eu o conheci no orfanato em que eu vivi. Convivemos juntos desde que eu entrei lá. Quando eu fui adotado eu tive que Deixá-lo, mas eu sempre pedia para os meus pais me levarem para visitá-lo. Esse filho da… Ele era como um irmão ‘pra mim. Por que você está fazendo isso?


-Porquê? -riu sem humor. -Porque você me abandonou, você jurou ‘pra mim que nunca me abandonaria, mas você me abandonou. Você me trocou pelo tal de Namjoon e me rejeitou por uma vadia que te colocou atrás das grades!


-Não fala assim dele.


-Eu te procurei por tanto tempo, Yoongi. Pensei se você estava igual a mim. Você foi adotado por uma boa família, rica e que te deu amor. Já eu fui adotado por drogados e trambiqueiros. Nem sei porque quiseram um filho. Eles mudaram meu nome e ainda por cima ganhei uma irmã. Mas você não tem noção do quanto eu sofri.


-Eu sinto muito por isso, mas eu não tenho culpa de nada. Por que descontar em mim?


-Porque você me fez tanto mal quanto os meus pais. Como você pode se esquecer de mim?


-Eu não esqueci. Nunca me esqueci de você. Quando você foi adotado e me falaram que não podiam dizer quem te adotou, eu chorei muito, durante muito tempo. Eu senti sua falta.


-Mentiroso. Você já tinha uma família, um novo irmão; você não precisava mais de mim, por isso me deixou.


-Não fala merda, Jinyoung! Eu ainda gosto e me importo com você.


-Para de mentir! -Jinyoung sacou sua arma apontando para mim. -Sabe, Yoongi, o Jung até que é bonito, confesso. Eu queria tanto tocar naquele corpo dele, mas não fiz como deveria.


-Do que está falando? -perguntou com o punho cerrado.


-Foi satisfatório ver você todo desesperado ao ver o corpo do seu namoradinho todo marcado.


-Foi você?


-Foi. Mas ele teve sorte de que eu não queria nada muito além com ele.


-Isso quer dizer que…


-Que eu não o estuprei como você pensa. Eu apenas o marquei. Viu só, não sou tão mau assim. -querendo ou não aquela revelação tirou um pouco de peso do meu coração.


-Como você se Tornou esse monstro?


-A culpa é sua.


-Que se dane o que aconteceu, eu estou aqui por um motivo. -Eunhyuk diz mirando com sua arma na Park ao lado do Jinyoung.


-Me matar? -a Park perguntou rindo debochada. Logo uns 7 a 10 homens entraram no galpão com armas apontadas para nós. -Repense isso. A propósitos quem matou o Jackson foi o Suho, eu fui apenas a mandante.


-Eu mato você e depois o Suho. -Eunhyuk possuía raiva nos olhos.


-Ah, eu poupei seu trabalho, Hyuk. Suho está morto. Ninguém mandou ele  querer mexer no que é meu. -Jinyoung disse olhando para mim.


-Você é louco. -proferi.


-Ah, você não viu nada.


-Matem todos. -Park diz virando as costas e saindo do local.


-Desculpa, Yoongi. Mas você terá que arcar com as consequências de seus atos. Depois daqui eu vou atrás das pessoas que você diz ser sua família.


-Desgraçado! -disse antes de vê-lo sair e o tumulto começar. 

Só deu tempo de Eunhyuk e eu nos jogarmos atrás de umas caixas que havia no local para nos proteger dos tiros. Pude ver muitos dos homens do Eunhyuk e dos Park sendo baleados. 

-OK. Nós temos que sair daqui. Agora que sabemos quem eles são vai ser mais fácil acabar com isso sem envolver mais mortes ou pessoas sendo feridas. -digo olhando para o lado oposto de Eunhyuk, mas ele nada respondeu a não ser um gemido de dor. Ao me virar deparo-me com Eunhyuk sangrando na cintura, ele pressionava o local com as mãos. -Você está bem?

-Eu...eu disse que isso era uma péssima ideia. -falou com dificuldade. 

-Para de reclamar. -tirei meu casaco e em seguida minha blusa rasgando-a e colocando no ferimento do ruivo, logo vestindo meu casaco novamente. -'To te salvando mais uma vez. -após dizer isso um homem vestido de preto apareceu e estava prestes a atirar em mim, se não fosse pela agilidade do homem ao meu lado que baleou o peito do desconhecido com agilidade. 

-Quem 'tá salvando quem agora?

-Fez mais do que sua obrigação. Agora levanta. -ajudei Eunhyuk a se levantar -minimamente- apoiando seu corpo no meu. -Temos que ir até aquela porta nos fundos. 

-Não vou deixar meus homens aqui e nem vou sair sem cumprir o que prometi para o Jackson. 

-Eunhyuk, esquece isso. Nós podemos falar com a policia e...

-Não pense como uma criança, Yoongi. Se quiser ir, vá, mas eu tenho algo a fazer. 

Suspirei derrotado. -Ela saiu pela porta lateral. Tem muita gente lá, eu te dou cobertura. -assentiu uma vez e se levantou completamente -com certa dificuldade. 

Fui abrindo caminho para ele atirando com precisão nas pernas dos outros atiradores, me certificando de que eles não morressem. Vi Eunhyuk passar pela porta logo estando fora do meu campo de visão. Acho que fiquei parado lá tempo de mais, já que senti uma forte dor no meu braço esquerdo. Eu levei um tiro. 

Em segundos fui empurrado para trás de outras caixas que haviam alí. Supus estar alucinando, pois bem em minha frente estava a figura de Seokjin. 

-Jin?

-Olha só no que você foi se meter! 

-O que faz aqui?

-Eu sou policial, esqueceu? Nesse exato momento eu poderia estar vendo um filme ou estar na cama com o seu irmão, mas não, tenho que estar aqui livrando a tua cara. -bufou passando a mão no rosto. -Tem um monte de policiais alí fora, então faz tudo que eu mandar. Vou te tirar daqui sem que ninguém te veja. -assenti. 

-Ela fu... Droga! -Eunhyuk diz ao ver Seokjin alí. 

-Relaxa, ele vai nos tirar daqui. -Jin olhou 'pra mim como se desaprovasse o que eu disse. -Ou sai nós dois daqui, ou nenhum. -Seokjin bufou, mas assentiu.

-Vamos, tem uma saída pelos fundos. A maioria dos policiais estão aqui, então lá trás deve estar vazio. 

...

Com muito custo chegamos ao lado de fora daquele galpão. Os sons de tiros ainda podiam ser ouvidos. 

-Saíam daqui agora, e se alguém perguntar nós nunca nos vimos. -Seokjin diz. 

-Mas e você? -pergunto. 

-Eu ainda não terminei aqui. -após dizer isso, Jin volta para dentro. 

-Vamos, Jyong deve estar nos esperando. 

Corremos até um carro que estava mais afastado do galpão, Jyong estava nos esperando. 

-Mais um minuto e eu iria deixar vocês aqui. -diz enquanto entravamos no carro. 

-Anda logo. -Eunhyuk diz e o carro começa a se mover. 

...

Entrei em casa correndo encontrando Taehyung e Namjoon sentados no sofá com cara de preocupação. Logo que me viu, Taehyung correu para me abraçar. 

-Seu idiota! Eu fiquei preocupado. Você 'tá bem? Você 'tá sangrando! Temos que te levar 'pro hospital... -o interrompo com um abraço. 

-Eu estou bem. -disse dando um meio sorriso e secando as lágrimas que escorriam dos olhos do TaeTae. 

Olhei em direção a Namjoon e ele me encarava com uma expressão séria. 

-Pode me dar a lição de moral que for depois, mas agora me da um abraço. -pedi. Namjoon negou com a cabeça mas veio com rapidez até mim me abraçando. 

-Seu irresponsável! Como você acha que eu iria ficar se perdesse meu irmão?

-Mas não perdeu. Eu 'to aqui e prometo que nada disso voltará a acontecer. -disse firme.

-Assim espero. -sorri assentindo. 

-Onde Hoseok está?

-No seu quarto. -fui até o meu quarto. Abri a porta com cautela encontrando Hoseok deitado na cama com os olhos fechados e fones de ouvido. 

Me aproximei dele após fechar a porta. Me sentei ao seu lado e o observei dormindo. Se existir alguém no mundo mais bonito que Jung Hoseok, só pode ser que ele tenha um gêmeo idêntico. Acariciei seus fios enquanto o ouvia ressonar calmamente. 

-Você voltou. -disse ele. 

-Eu disse que voltaria. -ele abriu os olhos, tirou os fones e se virou para mim. Seus olhos fixaram-se no meu braço ferido. -Não se preocupe, eu estou bem.

-O que aconteceu? 

-Vamos deixar essa conversa para mais tarde. 

-Você está bem? -assenti. 

-Hobi, você não... Eles não fizeram nada com você, só fizeram parecer que aconteceu. -Hoseok respirou aliviado. -Ninguém te tocou meu amor. -peguei em seu rosto aproximando-o do meu até selar meus lábios nos dele. 

Nossas línguas moviam-se explorando ambas as bocas. Era um beijo de saudade, arrependimentos, alívio e amor. 

-Você 'tá fedendo. -diz após quebrar o beijo. -Vai tomar um banho que eu vou preparar uns curativos para isso aí. -aponta para o meu braço. Assinto logo selando seus lábios mais uma vez antes de ir até o banheiro. 

Com aquela água quente escorrendo pelo meu corpo cansado, pude notar o quão sortudo eu sou. Tive várias chances para recomeçar, e essa eu jamais irei desperdiçar. 

...

Após vestir uma roupa, me deito ao lado de Hoseok. Durante alguns minutos ficamos em silêncio apenas encarando os olhos um do outro. 

-Você... Porquê está Aqui? -pergunto e pude perceber que ele não entendeu o que eu quis dizer. -Depois de tudo você ainda confia em mim?

-Eu acho que já brigamos de mais. Eu te amo e é isso o que importa. 

-Eu não te mereço. 

-Não mesmo, mas lide com isso. -sorriu me fazendo sorrir junto. 

Naquela noite nós nos amamos como se fosse a primeira vez. 

...

Acordei com o som do meu celular. Olhei a hora: 3:11 da manhã. 

-Alô. -disse com a voz rouca. 

-Oi Yoongi. 

-Eunhyuk? São 3 da manhã cara. 

-Para de reclamar que nem uma mocinha. 

-Que você quer, ehm?

-Sabe, eu pensei que ver a Park morta iria tirar um peso de cima de mim. Eu menti, a Park não fugiu, na verdade ela estava em minhas mãos, bastava um tiro e ela não estaria mais nesse mundo. Mas quando eu estava com aquela arma apontada 'pra cabeça dela eu... Eu lembrei do Jackson. O Jackson morreu porque queria mudar de vida, porque queria que eu mudasse de vida; se eu matasse ela, a morte dele, a existência dele não teria valido de nada. Eu tentei, fiz de tudo para mantê-lo em segurança, até tentei afastá-lo de mim, mas... Você sabe muito bem como é. 

-É, eu sei. -disse olhando a imagem nua e adormecida do moreno ao meu lado. 

-Você está com ele agora não está?

-Estou. 

-Você tem sorte, Yoongi. Você teve várias chances e ele nunca desistiu de você. Me perdoe por ter ameaçado ele, eu estava cego de raiva. Eu amava muito o Jackson e ainda amo. Ele era o único que sempre esteve ao meu lado, o único a qual eu estava e ainda estou disposto a morrer. -franzi o senhor sem entender sua última frase. -Obrigada Yoongi, por tudo. Você me salvou mesmo eu ameaçando a pessoa que você ama. Me desculpa. 

-Eun, você está bem?

-Só... Só me perdoa, por favor. 

-Já te perdoei a muito tempo. 

-Você me mostrou o verdadeiro significado de família, assim como o Jackson. Obrigado por ser meu irmão, nem que tenha sido por pouco tempo. Nunca desista dele Yoongi. Hoseok te ama e eu sei o quanto você o ama também. Não faça mais burradas, as mesmas cometidas por mim. Seja feliz ao lado dele, o ame e nunca o magoe. Proteja ele de tudo. Alguém assim só encontramos uma vez na vida. 

-Ele te amava Eunhyuk. E apesar de você ser um baita filho da... Ele ainda queria estar ao seu lado, eu te entendo muito bem. Ele pode ter morrido, mas ele continua vivo dentro de você. Pode ser idiota e clichê essas minhas palavras, mas eu sei que você continua o amando, então se há amor dentro de você, ele também está.

-Pode virar filósofo. -brincou, mas pude perceber sua voz embargada por conta de um possível choro. -Adeus Mim. 

-Até, Eunhyuk. 

Chamada encerrada. 

Coloquei meu celular no lugar e me deitei novamente ao lado do Hobi aninhando-o em meus braços. 

É, eu realmente tenho sorte. 


 ...

Acordei com a claridade em meus olhos. Abri-os de vagar, para que eles se acostumassem com a claridade. 

-O tipico dorminhoco. -dirigi meu olhar para a porta. -Valha-me. Não me diga que está sem roupa? 

-Eu estou coberto, e você que está no meu quarto. O que quer, Seokjin?

-Mas que belo "Bom Dia" que eu ganho. 

-Bom Dia, Seokjin, o que você quer?

-Que não me chame de Seokjin, Jin é melhor. 

-OK, Jin. 

-Quero lhe dar notícias, mas é melhor falar com todos, então levanta, se vista e desce para tomar café. -após dito isso ele sai e me deixa sozinho. 

Tomo um banho, me visto e vou até o primeiro andar. Encontro todos na mesa tomando seu café da manhã.

-Que bom que todos me esperaram. -disse irônico. 

-Você estava demorando e eu estou com fome. -Hobi disse. 

-Dessa vez eu deixo passar. -falo selando sua bochecha em seguida. 

-Bom, não quero estragar esse dia, mas acho que todos merecem saber o que aconteceu ontem.  -Jin diz. 

-Quando eu soube que o Jin estava indo resolver a merda que você arranjou, eu queria te matar Yoongi.  -Namjoon diz. 

-Imagino. 

-Deixa eu falar. -Jin diz ganhando nossa atenção novamente. -Após conseguirmos parar com aquele tiroteio e prender boa parte daqueles homens, nós fomos atrás dos Parks, foi aí que eu soube que o Jinyoung estava envolvido nisso. 

-Eu confiava tanto naquele desgraçado. -Nam bufou. 

-Eu também. Ele era legal. -TaeTae diz. 

-Ele está bem? -pergunto e todos olham para mim. -Ele é alguém que eu não quero que se machuque. 

-Como é que é? Ele quis te matar! -Hoseok diz. 

-Nam, se lembra do Junior?

-Seu amigo no orfanato?

-Ele era mais que um amigo, ele era meu irmão. Eu o amava muito. Jinyoung é o Junior.

-O que? -Nam arregala os olhos surpreso. 

-Ele foi adotado e sofreu muito com a família dele. Ele me culpa por isso e por tê-lo abandonado e trocado por você. Ele queria vingança. Mas não importa o que ele fez, ele continua sendo meu irmão, Jinyoung é muito importante 'pra mim. 

-Ele está bem. Jinyoung e sua irmã, Park Bom, estão presos. Eles foram pegos quando pretendiam fugir de Seul e provavelmente do país. Eu consegui que eles não colocassem seu nome no meio disso tudo. 

-Obrigado. 

-E seu amigo...

-Que amigo?

-Eunhyuk. -sorri ao me lembrar dele. Eu aprendi a gostar daquele imbecil. 

-O que tem ele?

-Ele foi encontrado nas margens do rio Han hoje pela manhã. 

-O-o que?

-Eu sinto muito. Ele cometeu suicídio. 



Notas Finais


É isso gente. Provavelmente tem muitos erros, então perdoem-me.
Esse provavelmente é o penúltimo capítulo. Espero que tenham gostado. Sinto muito se não foi bom o bastante.

Beijos, tchau!😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...