História Errros - Capítulo 16


Escrita por: ~ e ~KYTH

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Claudia Stilinski, Danny Mahealani, Derek Hale, Erica Reyes, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Paige, Personagens Originais, Scott McCall, Sheriff John Stilinski, Stiles Stilinski, Theo Raeken, Vernon Boyd
Tags Derek Hale, Sterek, Stiles Stilinski
Exibições 254
Palavras 8.811
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Alô, alô


Eu mesmo o atraso.

Era pra mim (vanna) ter postado mais cedo, mas.... Estava ocupado.....


Boa leitura e nos desculpem por qualquer erro…

Capítulo 16 - Confusões em sensações


Fanfic / Fanfiction Errros - Capítulo 16 - Confusões em sensações

 

E lá estava Derek, mais uma vez, encarando o final do treino do time de líderes de torcida enquanto esperava eles desocuparem a quadra para que ele e seu time pudessem treinar. Jennifer estava furiosa. Ela nem disfarçava sua expressão de ódio para com o Stilinski, que dava instruções para o resto time. 

O resultado da competição deles? Stiles ganhou com mais de sessenta por cento dos votos da escola, imagina isso somado com o dos jurados. Ah, Jennifer surtou. O time, que escolheu ela a Stiles no dia em que eles discutiram, ficou receoso da decisão do castanho como novo capitão geral do time de líderes de torcida. Mas como sempre, o castanho surpreendia a todos, inclusive Derek. Enquanto todos esperavam ser expulsos do time, alguns no seu último ano da escola, outros no começo do ensino médio, e lá veio Stiles dizendo que não expulsaria ninguém por sua decisão. Apenas iria os posicionar nas danças. Nisso, tirando Tyler e o outro rapaz que estavam encarregados dos saltos. Tyler, obviamente deu um show, assim como Jennifer. 

 

O diretor o repreendeu, dizendo que se Tyler não estivesse de acordo com as decisões do líder então que ele saísse do time. Jennifer, claro, tentou argumentar, mas acabou recebendo um esporro tanto de Stiles quanto do diretor. Ambos dizendo que a última apresentação dela e Tyler como capitães havia sido a mais vergonhosa da escola. A morena se calou em questão de instantes. Stiles e Liam voltaram a se encarregar dos saltos, Paige, Malia, Cora e Danny voltaram a ocupar suas posições anteriores. Stiles ignorava completamente a Blake, sempre que a mesma soltava algum comentário irônico. Derek não conseguia desviar os olhos dos corpos dos dois castanhos que eram, agora, os líderes do time. 

Eles sempre ficavam sexys no uniforme de líderes de torcida. As garotas exibindo o corpo, enquanto os rapazes quase sempre escondiam os seus em moletons. Mas dessa vez o time estava treinando apenas com o short e a camiseta aberta na lateral, deixando partes dos corpos meio malhados expostas. E que corpos. Derek notou que Danny possuía um belo corpo. Liam? Ele já havia obtido a certeza naquele sábado. E que corpo o Dunbar tinha. Mas nenhum bunda jamais conseguiria distrair os olhos de Derek das nádegas redondas e durinhas do Stilinski. Assistindo o fim do treino, Derek pôde ver Stiles arrumando e logo se dirigindo para o vestiário. Derek até o seguiria, se o treinador não tivesse chegado e gritado com ele.

 

Finstock, sempre um amor de pessoa. 

 

Derek não teve tempo algum para falar com o Stilinski o dia inteiro. Tentou encontrar o castanho pela tarde, mas quando Stiles saiu da academia, ele estava acompanhado de Liam. Derek não conseguiu abordar o castanho sozinho novamente. Também não queria que Liam interferisse o procurasse por Stiles depois que eles se encontrassem e acabasse por pôr ideias no castanho. O Hale tentou abordar Stiles depois da academia de arte, mas Stiles saiu de lá acompanhado por Paige. Derek bufou de raiva e socou o volante do carro assim que viu a namorada sair do prédio junto do castanho, que carregava o violoncelo da Krazikeva.

 

“PORRA UNIVERSO! ME AJUDA PELO MENOS UMA VEZ! ” Foi o que Derek gritou em seu carro ao estacionar o mesmo na rua dos Stilinski. Ele não queria que Paige o visse ali, muito menos soubesse que ele queria ficar a sós com o Stilinski. E foi pensando nisso que ele se dirigiu para residência dos Stilinski aquela noite. Ele estacionou o carro um pouco antes da rua de Stiles. Paige não poderia saber que ele estava ali. Mas assim que Derek se aproximou da residência dos Stilinski, ele pôde ver o carro de Theo parado na frente da casa de Stiles. Mas que merda, mundo. Será que ele não poderia encontrar Stiles sozinho em nenhum momento do dia? Ah, mas ele iria falar com Stiles hoje. 

Ah, se ia. Derek esperou, esperou, esperou, mas nada de Theo sair da casa dos Stilinski. Derek acabou desistindo da ideia e retornando para casa. Isso as uma da manhã. 

 

Terça feira. 

Melhor dia da semana naquela escola? Talvez 

Se isso tem alguma coisa a ver com o fato de o professor Adrian Harris não encostar nem a ponta do dedo mindinho do pé naquela escola? 

Ninguém pode provar. 

Mas sim. Aquele era o melhor dia da semana para Derek. Sem aulas de química e sem aulas de economia. Eles saem mais cedo, e de quebra, mais tempo de ver as bundas de Stiles e Paige dançando no treino do time de líderes de torcida. Ah, como era bom ver aquilo. A mente de Derek guardava aquelas imagens numa pastinha chamada de "Conteúdo em caso de solidão". Oh, sim. Aquelas imagens ajudavam e muito Derek quando ele se sentia muito desperto e nem uma alma caridosa estava por perto para lhe ajudar. 

E foi assim o dia. Derek conversando com os amigos, almoçou com Paige, Stiles e Erica. Estes dois últimos que pareciam travar uma batalha para decidir qual jogo era melhor. The King of Fighters ou Street Fighter. 

“Erica, eles disputam o título de rei dos lutadores e ainda lutam contra pessoas loucas que tentam despertar um demônio ou controlar a linha temporal do mundo. O que mais você quer? ” Argumentava Stiles em defesa de sua opinião. Derek não entendia nada do que eles diziam. Para ele era tudo a mesma coisa. 

Depois da aula, Derek assistiu ao treino do time de líderes de torcida. Jennifer ainda estava puta com o fato de ter perdido para Stiles. Mas fazer o quê? Até Derek que não entendia nada de dança, tinha achado a apresentação de Stiles e seu grupo melhor do que a da Blake. Ah, o Hale nem ousava aparecer no quarto da mesma para aliviar sua seca. Não senhor, hum-hum. Derek que não arriscaria os seus ouvidos. Jennifer falaria daquilo por meses, anos, se brincar. Quando o treino terminou, Derek pôde, finalmente falar com Stiles a sós. O castanho estava sozinho, guardando o som que usavam, no armário geral do vestiário. E foi assim que Derek o pegou distraído. 

 

— oi. —falou o moreno vendo o castanho dar um leve sobressalto pelo susto que lhe foi causado. Nisso, o p empurrou o som com força, fazendo um dos tacos do time de lacrosse cair na cabeça do castanho, o fazendo sugar o ar entre dentes. 

 

— ai, caralho. Não me assusta assim. — repreendeu o castanho se abaixando para pegar o taco de lacrosse, sem querer, empinando a bunda para Derek. O moreno de olhos verdes não conseguiu conter os olhos, nem mesmo o queria ou tentara. 

“Vamos lá, Derek. Pensa em alguma coisa, mas alguma coisa que vocês fiquem sozinhos. Vamos lá. ” Pensava o moreno enquanto mordia os lábios e via Stiles se levantar. 

 

— Eh... Eu lembrei que você sabe compor... — falou o moreno como se uma plateia imaginária fosse se erguer e aplaudir o moreno de pé por aquelas palavras. Stiles bufou fechando a porta do armário e se virando para encarar o moreno. 

 

— é, eu sei compor. Falamos disso antes de ontem. — respondeu o castanho começando a caminhar em direção ao próprio armário. 

 

“Pensa, cara. Vamos lá. ” Pensou o Hale enquanto seguia o castanho. 

 

— me lembro que disse que eu poderia te ajudar. — falou Stiles abrindo o armário e Derek sorriu. 

 

— Isso. Eh... Eu queria muito a sua ajuda. — falou Derek encarando o castanho retirar uma toalha e uma saboneteira do armário. 

 

— e em que quer a minha ajuda? —perguntou o castanho começando a retirar o uniforme que usava. Santo Deus, aquilo era demais para Derek conseguir raciocinar. Aquela bunda tão redonda e tão próxima de si. Se parecia tanto com a de Paige. 

 

— Paige. — respondeu o moreno, divagando em pensamentos enquanto encarava os glúteos pálidos do rapaz a sua frente. 

 

— como assim? — perguntou Stiles fechando a porta do armário, amarrando a toalha em sua cintura e se virando. Quando o tecido azul da toalha cobriu o objeto de desejo de Derek, o mesmo pareceu sair de seu transe. 

 

“Droga, Derek. Por que foi falar da Paige justo agora? Ele vai ficar mais difícil. ” Pensou o Hale procurando pensar em algo coerente ara colocar naquele diálogo. 

 

— o meu aniversário de namoro de quatro meses com Paige está chegando. E e-eu não sei o que fazer. Eu achei que criar uma música para ela seria legal. Já que ela gosta de cantar. — falou o moreno usando um tom incerto, quase como se estivesse fazendo uma pergunta. 

 

"Droga, Derek. Você tinha de falar dela?". Se perguntou o moreno, sorrindo para o castanho, mas querendo se bater internamente. 

Stiles sorriu a sua frente. O que Derek não sabia é que Stiles sorria por fora, mas suspirava por dentro. Ainda doía em Stiles, ver o cara pelo qual se apaixonou desde jovem, conquistar a sua melhor amiga, quase irmã. O cara que ele já viu quebrar o coração de muita gente, estava ali, colocando as mãos na sua garota, sua pequena Paige. Mas, ao que parecia, o dele também estava sendo laçado pelo da garota e só Deus sabe o quanto isso aliviava Stiles, um pouco. O rapaz de cabelos castanhos voltou a sorrir para o moreno, correspondendo o sorriso que lhe era dado. Ele queria ajudar. Se fosse para o bem de Paige e a felicidade dela e de Derek, ele ajudaria. 

 

— então você quer compor uma música para Paige? — perguntou o castanho encarando o outro coçar a nuca meio indeciso ou envergonhado. 

 

— bem... — disse Derek tentando arranjar algo para falar que não envolvesse a morena. Mas agora já era tarde, ele já havia citado a namorada em seu discurso e afastado Stiles. 

 

"Seu merda". Derek se xingou mentalmente. 

 

— Stiles, nós vamos nos atrasar. — a voz de Paige ecoou pelo vestiário, fazendo tanto Derek quanto Stiles se sobressaltarem em um leve susto. 

O moreno se virou para encarar de onde a voz viera, mesmo sabendo que não encontraria a imagem de Paige. A Krazikeva estava na porta do vestiário, esperando o melhor amigo para que ambos se dirigissem para a academia de arte de Beacon Hills, onde teriam uma reunião sobre a próxima apresentação. A coordenadora, Marin Morell, havia dito ter uma grande surpresa para todos os alunos. Derek se virou para encarar um Stiles que mordia o lábio inferior, indeciso quanto a que ação tomar agora. 

“Merda. Ela tinha de aparecer agora? Vamos, Derek. Faça ele se focar em você, cara. Em você. ” Pensou o Hale, enquanto isso, ele tentava puxar na cabeça um jeito de fazer Stiles se focar em si. 

— Bom, você pode ir. Podemos falar disso outra hora. Eu iria falar com você ontem sobre isso, mas você estava muito ocupado. Mas não se preocupe, a gente pode falar disso amanhã. — falou o Hale apresentando uma expressão de “Fazer o quê, não é? ”

“Isso, cara. Apela para o psicológico. Ele parece ser legal demais para deixar a gente na mão. ” Pensou Derek sorrindo internamente, enquanto tentava sustentar sua cara de contentamento. 

“Ah, caralho. Não faz essa cara. Eu não resisto quando alguém faz cara de desapontamento. ” Pensava Stiles mordendo o lábio inferior com mais força, antes de suspirar. 

— Olha, eu até te ajudaria agora, mas eu tenho de ir agora. Me encontra no parque, as quatro, pode ser? — perguntou o castanho correndo na direção dos chuveiros, enquanto se despedia e quase tropeçava em um dos bancos que estavam ali. 

Derek queria tanto, mas tanto, seguir o castanho para poder o espionar durante o banho. Mas poderia ser arriscado, tanto ser pego por Paige, quanto pelo castanho, o que arruinaria os seus planos. O plano de tentar ser o primeiro de Paige e o plano de levar o melhor amigo dela para a cama enquanto ainda namora a garota. Pensando nisso, o moreno de olhos verdes se retirou do vestiário pela porta que dava para o ginásio, temendo ser pego por Paige ali. A música para a Krazikeva fora um chute, mas um chute bem dado. Essa bem dita música lhe ajudaria a se aproximar do castanho e com certeza derreteria Paige, o que ajudaria Derek a levar a garota para a cama. 

Qual é? Qualquer garota se derreteria por alguém que escrevesse uma música para si. 

 

E lá estava Stiles. Na sala de Morrell, tocando piano para a mulher. Ela dissera que esta semana seria apenas violino, mas Stiles parecia muito inspirado naquele dia. Especialmente inspirado. O garoto tocava enquanto cantava animadamente, nem notando que o celular da mulher gravava a aula inteira. A psicóloga folheava algumas folhas com as fichas dos pacientes dela naquele dia, enquanto Stiles folheava as partituras a sua frente. Era impossível se conter quando Stiles sorria enquanto dedilhava nas teclas de marfim abaixo. Morrell sorria abertamente quando isso acontecia. Ela acompanhava Stiles desde criança e sabia que quando o castanho se animava com algo, ele chegava tão inspirado e elétrico, que era impossível dizer não quando o castanho pedia para que ela cantasse com ele. 

Ela se surpreendia, sempre, com a transformação do Stiles que ela viu pela primeira vez, para agora. Quer dizer. Além de o garoto mudar muito fisicamente, ele possuía uma voz e tanto agora. Nos primeiros meses Stiles não conseguia nem cantar "Atirei o pau no gato" sem parecer que quem levava a paulada da história era ele. E o castanho realmente odiava quando sua voz falhava. Especialmente nos agudos. Fora uma guerra quando Stiles começou a passar pela puberdade, que por sinal, fora mais cedo do que as outras crianças de sua idade. Ah, Stiles ficava realmente muito irritado, deixando Marin sem saber se ria ou tentava ajudar o garoto. 

A surpresa de Morrell veio quando o garoto passou a se envolver tanto com a música, que pediu para que ela lhe ensinasse outros instrumentos. Além, claro, do dia que ela o pegou na aula de dança da academia. Ela realmente se surpreendeu. Quer dizer, ela estava do outro lado do vidro, onde ninguém mais a veria. Ela sempre fazia isso. Quando queria ver como andam as coisas ou simplesmente apreciar o trabalho feito em sua academia. Ela se esgueirava pelo prédio. E, em um desses típicos dias de "espionagem", ela se deparou com o seu aluno favorito, ao fundo da sala. O menor de todos, mas o que mais parecia compreender o que o professor fazia. 

Isso se os olhares surpresos que alguns dos adolescentes que estavam envolta de Stiles mandavam para o garoto. Quer dizer, Stiles era a única criança de dez anos, e provavelmente a única pessoa ali que já entrara em depressão e saíra da mesma. No início, Morrell achou que Stiles estivesse ali apenas para se ocupar no tempo vago. Sabe? Não voltar para casa e se lembrar de sua mãe. Mas se surpreendeu ao ouvir o professor dizer que estava feliz por o garoto ter voltado as aulas. Quer dizer que o castanho tinha aulas de dança antes mesmo de sua mãe ter morrido? Essa era novidade. Quer dizer, Marin tinha Stiles como um de seus alunos, ao invés de deixar que algum dos professores ali o lecionasse, não só por John ter pedido pessoalmente que a Psicóloga ensinasse Stiles, para poder ver qualquer coisa no garoto devido ao estado da mãe, como também por reconhecer uma joia a ser lapidada quando via uma.

Mas até aquele dia, nunca se quer tinha visto Stiles dançar um único e simples passo. Stiles não só era bom no que fazia, quanto sabia quando separar as coisas. Embora ele sofra de T.D.A.H. o que é muito comum, mas raro de ser identificado, já que os pacientes que sofrem não se prestam a exames. O que tornava Stiles mais dedicado e talentoso ainda. E era isso o que ela queria provar a um amigo que disse estar vindo visitar a cidade em busca de alguns novos talentos. Sim, ela estava esperando um amigo que era não só caçador de talentos, como também filiado a uma grande empresa, não só musical, como também em vários tipos de talentos. 

— eu vou ter de sair mais cedo. 0 voz de Stiles cortou o raciocínio da mulher atrás da mesa do outro lado da sala. Só então Marin percebeu que Stiles já guardava suas coisas e jogava a mochila por sobre o ombro. 

— mas já? — perguntou a mulher pegando o celular e olhando as horas enquanto via, pelo cronômetro do gravador, que já se passara muito tempo. 

— é que eu marquei um compromisso com um amigo. Não se importa, não é? — perguntou o Stilinski mais novo se aproximando da mulher, que jogou um papel sobre o telefone, que já estava jogado sobre a mesa, para esconder o gravador. Ela sabia que Stiles não toparia se apresentar para um olheiro tão cedo. Ele se sentia nervoso com o resultado e incerto em deixar o seu pai sozinho. 

— é claro que não, meu bem. Pode ir. Mas se lembre de avisar ao professor Payton sobre a sua falta na aula de dança. — falou a mulher se levantando para abraçar o castanho, que direcionava um olhar desconfiado para sua mesa, mas ignorou ao receber o abraço da mulher. 

— ok. Estou indo então — falou o castanho ajustando a alça da mochila por sobre os ombros antes de caminhar em direção a porta. 

Stiles saiu apressado, da sala, enquanto digitava uma mensagem para Paige dizendo estar saindo mais cedo e que não poderia a levar para casa naquele dia. A garota demorou a responder, por isso Stiles passou o caminho inteiro analisando os corredores da academia. Não era um enorme prédio ou um grande campus, mas chegava a se aproximar da escola de Beacon Hils. Então, é, era um prédio grandinho. Quando a mensagem de Paige chegou, Stiles sorriu ao ver a garota o dispensando com uma carinha sorridente no final. Ele se dirigiu até o seu carro, estacionado em frente ao prédio. 

O garoto entrou no carro, se repreendendo mentalmente por seu peito estar aquecido com a ideia de se encontrar com o Hale. Ah, Stiles se julgava merecedor de uns bons tapas. Mas é que... Porra! Estava tudo indo muito bem, o seu peito não aquecia quando ele via Derek com os seus amigos, não tremia quando Derek passava por si. E não, ele não sentia o seu corpo queimar quando, em grupo de amigos, acidentalmente, eles se esbarravam e o Hale nem se quer olhava para saber em quem esbarrou sem querer. Mas de um tempo para cá, desde que Derek começou a sair com Paige e ficou mais presente na vida do castanho, Stiles passou a sentir todas essas alterações corporais. 

Sim, Stiles se repudiava todas as noites por estar se sentindo atraído pelo namorado da melhor amiga. Mas fazer o quê? Ele sente essas coisas desde a quarta série. Não é como se ele conseguisse controlar, sabe? E foi perdido em pensamentos desse tipo que Stiles chegou ao parque da cidade. O mesmo não estava tão movimentado quanto normalmente está. Stiles desceu e procurou pelo Hale, maldito e apaixonante Hale, mas não o encontrava em lugar algum. Ele puxou o celular do bolso, verificando as horas. 

16:00 

Sem mais nenhuma opção, Stiles optou por comprar um sorvete e se sentar embaixo de uma árvore, enquanto esperava Derek chegar. 

 

 

...

 

 

O Parrish estava ajoelhado no meio das pernas de Jackson, que estava sentado no sofá, enquanto sugava o membro do outro com vontade. Jackson estava com a cabeça jogada para trás, enquanto senti a língua quente e habilidosa dançar pelo seu membro, acompanhando o vai e vem frenético da cabeça de Jordan, que sugava o falo com o maior prazer, com seus olhos fixos em qualquer expressão do Whittemore. Eles já faziam isso há algum tempo. Cada um possuía sua namorada, mas sabe como é, não é? Adolescentes, cheios de hormônios em seus corpos. Precisavam gastar a energia e esses hormônios de alguma forma, não? Eles costumavam fazer isso sempre que podiam. Eles adoravam a troca de lugares e os toques prazerosos entre eles. 

— cara, eu não aguento mais. Eu preciso de uma bunda. — falou Jackson e Jordan sorriu, retirando o falo do outro de sua boca. 

— você está bem ansioso, hein? —perguntou o rapaz se levantando e ficando de joelho no sofá, com Jackson entre suas pernas 

— fazer o quê? Da última vez que fizemos você me fodeu de um jeito que eu estou louco para te fazer sentir o mesmo. — respondeu Jackson se referindo a vez em que Lydia quase os pega, mas Jordan se escondeu em seu armário. Irônico, mas funcionou. Jackson transou com Lydia, com o Parrish assistindo tudo, se excitando a cada movimento de Jackson sobre a garota. 

— então me fode com força. — rosnou Jordan sentando de vez no colo de Jackson, fazendo ambos urrarem de prazer com o ato. Jackson se levantou, com o Parrish enlaçando o seu corpo com as pernas e se deitou no sofá com o outro embaixo de si. 

— não precisa mandar duas vezes. — falou tomando os lábios do Parrish em um beijo enquanto começava a estocar com força no rapaz. Jordan gemia alto a cada estocada forte e violenta de Jackson, mas seus gemidos eram abafados pelo beijo e pelo barulho da TV, que estava ligada em um canal que passava um filme qualquer. 

A força usada por Jackson para adentrar o interior quente de Jordan, que se comprimia ao redor de seu membro era tamanha, que o sofá chegava a se arrastar no chão, fazendo o pé emitir um som irritante enquanto entrava em atrito com o chão. O Parrish jogou a cabeça para trás, afastando o seu corpo do corpo do Whittemore, que enlaçou o membro desperto e pulsante do outro com sua mão livre, enquanto a outra segurava o ombro de Jordan, para que pudesse estocar com força contra a bunda alheia. Os dois urravam de prazer enquanto os seus gemidos altos e grossos eram misturados ao som do sofá se arrastando pelo chão. 

Após alguns bons e duradouros minutos, Jordan gozou sujando os dedos de Jackson e o próprio abdome, enquanto Jackson dava mais algumas estocadas antes de também atingir o seu ápice, se derramando no interior quente e contraído do Parrish. Jackson levou seus dedos a boca de Jordan, que sugou todos os dedos do Whittemore com louvor, enquanto o próprio se curvava para lamber o abdome malhado de Jordan, limpando o local e depois levando sua boca até a glande do membro ainda pulsante de Jordan. Assim que o Parrish finalizou o seu trabalho nos dedos de Jackson, o Whittemore ainda levou suas mãos as nádegas expostas do Parrish, as abrindo e passando sua língua pela entrada do rapaz que estava umedecida com o seu gozo, sentindo o gosto do mesmo ali. Jordan ainda gemeu de prazer, antes do celular do loiro que lambia sua entrada com maestria tocar, indicando chamada e os dois adolescentes gemerem em desgosto. O loiro tateou a mesa de centro atrás de si, antes ver o número e nome de Jennifer Blake brilhar na tela do aparelho que vibrava e tocava. 

— o que é? — perguntou Jackson atendendo o aparelho irritado, enquanto brincava com a entrada de Jordan com seus dedos. E lambendo o membro pulsante do rapaz a sua frente enquanto esperava uma resposta da morena. 

— você lembra que me prometeu ajuda com aquilo? Então, acabei de descobrir que o Derek vai se encontrar com Stiles, no parque, embaixo de uma árvore que fica perto da sorveteria, para ser mais exata. — falou a morena do outro lado da linha e Jackson rosnou de raiva e frustração. 

— não pode ser outro dia, eu estou meio que ocupado me divertindo, no momento. — falou o loiro e Jordan lutou muito para não deixar um gemido alto escapar quando Jackson empurrou três dedos com força contra sua entrada. 

— não. Tem que ser hoje, agora, Jackson. — vociferou a garota encerrando a chamada. Jackson jogou o celular no sofá, ao lado do rapaz que se masturbava lentamente. 

— eu vou ter que sair. — anunciou o Whittemore vendo Jordan o olhar frustrado. 

— Sério? — perguntou e sua mão foi retirada de seu membro. 

— é, mas ainda tenho tempo para um boquete. — respondeu o outro começando a engolir o membro alheio sem cerimônia alguma. 

Um orgasmo, o qual foi prontamente engolido, um banho e alguns metros percorridos em seu Porshe depois, Jackson estava no parque, procurando pelos cabelos castanhos irritantes, os quais ele não sabia ao certo porque lhe irritavam. Os encontrando embaixo de uma árvore bastante conhecida para si. Ele brincava naquela árvore quando criança, já havia levado Lydia ali, uma vez, e chupou Jordan uma vez também, mas esta foi pela noite. Não DEMOROU Muito, para que Derek chegasse. 

“Atrasado como sempre. ” Pensou o Whittemore já retirando o celular do bolso e colocando na câmera. 

— interessante. — sussurrou quando viu Stiles pular assustado para um pouco mais perto do Hale, acabando por quase ficar deitado no colo deste, que por sua vez se esticou para tentar afagar algo, perto da coxa de Stiles. O que deixou ambos em uma posição bem sugestiva. Stilinski e Hale se encararam por alguns segundos, um olhar bem intenso, antes de Stiles gargalhar e Derek o seguir logo após. 

 

 

....

 

 

Stiles estava tomando o seu sorvete de casquinha naturalmente. Estaria com uma expressão de tédio se não fosse o doce ali para lhe distrair. Sabe como é, né? Nada de novo sob o Sol. Então doce era uma ótima maneira de passar o tempo. Sorvete então? Stiles e sua hiperatividade agradeciam pelo açúcar. O Stilinski estava tão distraído com o sorvete de baunilha em suas mãos, que nem se quer notou a aproximação de um moreno de olhos verdes que vinha pela esquerda, quase se escondendo atrás da árvore. O Hale aproveitou da distração do castanho e deu a volta na árvore, pegando o filho do xerife desprevenido. O moreno simulou um rosnado enquanto agarrava o braço do Stilinski, o fazendo se sobressaltar e sujar um pouco do rosto com o sorvete branco. 

— CARALHO, NÃO FAZ ISSO. — gritou Stiles em um tom risonho, após perceber que não passava de uma brincadeira. 

— me desculpe, eu não resisti. — falou Derek encarando o queixo de Stiles sujo pelo, agora, líquido branco. 

— olha só! Me sujou todo, Derek! —exclamou levando o indicador ao queixo. Aquela imagem, somada a fala de Stiles deixou tudo muito sugestivo ao olhar do moreno de olhos verdes. Derek segurou a mão de Stiles e levou o próprio indicador ao queixo do castanho, limpando o local antes de levar o indicador aos próprios lábios e o sugar, tentando parecer Sexy e natural ao mesmo tempo. 

— me desculpe, eu disse que não resisti. — falou o Hale sorrindo, não só para parecer que seu ato era sem segundas intenções. Sabe como é, não é? Não deixar o seu anseio óbvio demais e preparar o terreno antes. Mas o seu sorriso também era pela expressão de bobo surpreso que Stiles estava fazendo. Logo o castanho balançou a cabeça e sorriu. 

— tudo bem, mas vamos ao que interessa. O que tem em mente? —perguntou o castanho e Derek sorriu encarando o rapaz. 

“Foder você é uma das boas ideias que tenho em mente agora. ” Derek respondeu mentalmente encarando o outro levar outra colherada do doce a sua boca. 

— ah, não tenho nada em mente. Só a ideia mesmo. — o moreno sorriu um pouco galanteador para o outro e Stiles se engasgou com o sorvete, enquanto encarava o lago que havia ali na frente. 

—está falando sério? — perguntou um pouco incrédulo enquanto encarava o Hale nos olhos, sentindo o coração falhar por um momento. 

— estou, quero dizer. Eu sou horrível com isso de sentimentos e você sabe. Quer dizer, eu acho que sabe, já que eu desabafei para você naquele dia… — falou Derek vendo Stiles ficar sério, antes de voltar a sorrir simples. 

“É, talvez você não seja o merda que eu pensei que fosse. ” Pensou Stiles sorrindo antes de limpar as mãos no guardanapo e começar a comer a casquinha. 

— bom, tudo bem. A gente pode trabalhar isso. — falou Stiles antes de sentir uma leve dor irritante na região de sua cintura. 

O rapaz deu um sobressalto, gemendo de dor, um gemido abafado, devido ao sorvete na boca, a qual ele fechou para conter o doce. O Stilinski, inconscientemente, se jogou para o lado do Hale, ficando quase deitado no colo do outro, já que ambos estavam sentados no chão. Derek, surpreso, levou um braço para impedir que Stiles deitasse no chão e, após perceber o outro dar leves tapas na própria cintura e a mente do Hale trabalhar na seguinte equação: "Gemido de dor + doce + parque = picada de formiga". O moreno de olhos claros levou sua mão para a grama onde antes Stiles estava sentado, tentando espantar os pequenos insetos inconvenientes. 

Mas que foram um tanto quanto convenientes para si. Stiles estava quase deitado sobre si. Ou melhor, o moreno estava quase deitado sobre o castanho, já que o braço do Hale se dobrou com o peso do castanho. Fazendo ambos ficarem deitado na grama. Depois de um tempo, ambos se encararam, encontrando os olhos tão pertos uns dos outros. Os tons claros pareciam se misturar enquanto se refletiam. Se o coração de Stiles já havia falhado antes, agora ele estava entrando em curto. "Error 404, falha na conexão com a consciência". Essas eram as palavras exibidas numa metafórica plaquinha digital no coração de Stiles. 

O órgão batia freneticamente, enquanto a respiração do castanho tentava acompanhar o ritmo do coração agitado dentro do peito. O Stilinski corou um pouco. Isso não fora surpresa para Derek, até porque o Hale não notou as reações do castanho. Ele estava mais preocupado em entender as suas. Quer dizer, o peito de Derek nunca se aqueceu assim, ou o seu coração bateu tão rápido sem que ele estivesse nervoso com uma nota que precisava para se manter no time, ou uma bronca de sua mãe. As mãos dele nunca tremeram tanto. Nem suas maçãs do rosto se aqueceram por ficar tão perto do alguém. 

Mas o que diabos estava acontecendo? Quer dizer, ele nunca teve essas reações com ninguém. E por que os olhos de Stiles pareciam tão bonitos agora? Quer dizer, eles eram bonitos, sempre foram. Mas nunca, eu repito, o Hale nunca havia visto olhos tão belos em sua vida. Por que ele não conseguia quebrar aquele contato de olhares? O bolo em sua garganta e a seca que tomou a mesma tinham a ver com isso? O incômodo engraçado em seu estômago também estava relacionado? Derek não sabia. Stiles gargalhou quebrando a conexão de olhares e Derek, mesmo um pouco confuso, seguiu o castanho no ato, naturalmente. 

— muito obrigado, eu acho. Mais um motivo para odiar formigas. — falou o Stilinski se levantando e dando a mão para que o Hale se levantasse também. 

— insetinhos inconvenientes, não? — perguntou Derek e, ao se levantar, a conexão de olhares voltou, mas logo fora quebrada. 

— eu acho melhor a gente ir para a academia, sabe? Dá pra treinar lá sem ninguém interromper. Digo, se você não quiser que ninguém veja você preparando a letra. — falou o Stilinski quebrando a conexão de olhares e se afastando do moreno. 

— seria bom ter privacidade. — respondeu o moreno vendo Stiles olhar as horas no celular, antes de olhar em volta e suspirar. 

— Bom, vamos ter que esperar mais um pouco. Todas as sala ainda devem estar ocupadas, sem falar que podemos encontrar a Paige por lá. — falou o castanho e Derek se aproximou. 

Eles passaram a tarde conversando. Descobriram várias coisas um sobre o outro. Derek descobriu que Stiles era um grande fã de System of a Down. Banda favorita do Hale. Eles tinham até as mesmas músicas como suas favoritas. Revenga e Sad Statue. Tinham a mesma comida favorita, sim, hambúrguer com fritas, muitas fritas. Stiles descobriu que Derek gosta de tocar guitarra, embora prefira a prática como hobbie. O moreno queria mesmo era ser atleta, astro da NBA. Enquanto o castanho queria os palcos ou as cenas de crime. Ambos adoravam comer coisas estranhas, como mergulhar a pipoca em brigadeiro quente. Ou comer pão com leite condensado de madrugada. 

Derek descobriu que Stiles jogava. Pois é, o garoto jogava beisebol com o pai desde criança, assim como lacrosse e Hóquei. Derek adorava beisebol, embora preferisse basquete, e amava jogar hóquei no inverno. Stiles descobriu que, embora não muito fã de quadrinhos e jogos, o filme favorito de Derek era Star Wars. Os dois até falavam as falas do filme ao mesmo tempo. Mas também tinham suas diferenças, enquanto Stiles preferia o Batman, Derek escolhia o Superman. Enquanto Stiles preferia o Homem de ferro, Derek escolhia o Capitão américa. Enquanto Derek preferia os salgados, Stiles se acabava em doces. 

Eles estavam se dando bem e Stiles não estava gostando nada disso. O sentimento pelo qual ele tanto lutava para esquecer, estava o rendendo aos poucos. Os toque que Derek dava em seu ombro indicando que queria falar algo que provavelmente teria graça. Ou como Derek lhe erguia uma das sobrancelhas quando Stiles fazia alguma observação, ou como um sorria quando o outro sorria e desviavam os olhos ao perceberem que se encaravam demais. Derek estava gostando da interação. Algo gostoso estava ocorrendo dentro de si, algo que ele não sabia se já tinha sentido. Mas ele se lembraria se tivesse. Aquela sensação de quero mais, com um desejo de que o tempo nunca passasse era tão prazerosa, tão reconfortante, que não tinha como não gostar. Aquele calor no peito... Ele queria mais disso. 

— acho que já podemos ir para lá. — falou Stiles se levantando do banco em que ele e Derek estavam. 

— mas já? — perguntou Derek, não conseguindo controlar seu descontentamento. Ele não entendia aquilo, por que queria passar tanto tempo com Stiles? 

— vamos, temos de compor a música, lembra? — argumentou Stiles, tentando ignorar o seu coração que parecia um presidiário revoltado louco para sair e que tentava quebrar as paredes para isso. E as paredes eram a pobre caixa torácica de Stiles. Por que Derek estava agindo assim depois de tanto tempo? Por que aquele sentimento errado tinha de voltar a crescer? 

— tudo bem, vamos. — respondeu se levantando e jogando o braço por sobre os ombros de Stiles. 

O peito de ambos pareceu falhar. Derek ignorava, dizendo ser a tentação. Stiles, lutava para conter essa sensação no fundo, mas bem no fundo do peito, onde nem se quer seu coração idiota poderia achar. Os dois chegaram a academia e Derek se surpreendeu com o tamanho dela. Era enorme. Ele passava por vários dos adolescentes que ele viu cantar na audição daquele domingo, algumas garotas o encaravam sorridentes. Alguns garotos lhe olhavam atravessado por ver o moreno com o braço por sobre os ombros de Stiles. Derek não poderia estar mais feliz com aqueles olhares. O seu sorriso de orgulho e vitória era camuflado na sua expressão curiosa sobre o local o qual Stiles lhe apresentava, indicando onde ficava tudo. 

— e nós vamos usar essa sala. — falou o castanho adentrando a sala de música, onde havia um piano, alguns outros instrumentos, um aparelho de mixagem e uma outra sala, está era isolada, para que pudesse ser gravado o áudio e preparar as músicas. 

— caramba. Tem de tudo. — falou Derek pegando uma guitarra e verificando se ela estava afinada. 

— pois é. Quase não usamos essa sala depois de nos apresentarmos, então não vai ter ninguém por aqui. — falou o Stilinski se dirigindo para o aparelho de mixagem. 

— que legal. — falou o Hale vendo o castanho ligar o aparelho e começar a mexer no mesmo. 

— e então, alguma ideia nessa cabecinha, Hale? — perguntou o Stilinski pegando um fone de ouvido e dando outro para Derek. 

— nenhuma. Foi por isso que eu te pedi ajuda, Stiles. Eu não sei compor. — falou Derek encarando o castanho lhe fitar pensativo. 

— Sabe, quando eu componho eu coloco tudo o que sinto e o que eu vejo acontecendo em minha volta. — falou o Stilinski encarando o moreno lhe fitar com atenção. 

— entendo, mas eu não sou muito bom com sentimentos, Stiles. — argumentou o moreno vendo o castanho retirar um caderninho de sua mochila. 

— eu anoto todas as minhas letras aqui. Eu sei, Derek. Você me falou. Mas aí é que está, se você quer fazer essa música para Paige, você sente algo por ela. Você não precisa entender ele, só coloca para fora. — falou o castanho começando a reproduzir alguns sons. 

— acho que entendi. — falou Derek vendo Stiles apertar todos aqueles botões. 

— ótimo, vou te dar um tempo para pensar em algo enquanto eu crio um áudio. — falou o castanho e Derek meneou. Ele ouviu Stiles preparar todo um áudio, para lhe ajudar a fazer uma letra, enquanto isso, o moreno tentava ignorar a vontade de querer voar no corpo de Stiles e transar com ele ali mesmo, tentando pensar numa letra. 

— acho que já tenho uma. — falou Derek, encarando o castanho lhe sorrir por já ter preparado todo o áudio. 

— ótimo. Quero ouvir para depois fazer as mudanças necessárias no áudio. 

— certo, mas eu preciso que alguém me ajude a cantar ela. Não sei o que colocar no refrão. — falou Derek encarando o castanho lhe sorrir. 

— pode ser meio que uma música interativa. Deixe que eu faço o refrão. Apenas me conte a letra. —falou o castanho e assim Derek fez. 

Ele disse toda a letra feita por si a Stiles, enquanto este a escrevia em um pedaço de papel. O castanho ficou pensativo por um tempo, antes de começar a trabalhar no áudio. Derek apenas encarava o castanho. Até o momento em que este lhe puxou para o centro da sala. Stiles puxou algumas cadeiras, as afastando e dando espaço para os dois. Ele colocou um pen drive num aparelho de som que havia ali e procurou por uma determinada música. Derek olhou o castanho pausar o som com um controle e se aproximar. 

— olha. Eu vou cantar o refrão e você canta a sua parte. Ok? Parte que eu cantar, eu vou colocar no áudio as partes que eu canto para que você possa cantar com a Paige sem precisar da minha ajuda. — falou o castanho entregando um pedaço de papel para o moreno. 

— na verdade, eu preferiria que você cantasse comigo. Sabe? Você tem uma voz bonita. — elogiou o moreno vendo o castanho ficar um pouco desconcertado a sua frente. 

— mas aí deixaria de ser uma música romântica feita por você para ela. Vai, sem frescura. Decore a ordem pra gente começar. Espero que cante bem. — falou o castanho encarando o Hale, que fitou o papel em suas mãos. Quando Derek disse estar preparado, Stiles apertou o play e colocou o controle sobre uma das cadeiras. 

 

[ Stiles ]

 

“No, no, no, no, don't phunk with my heart 

(Yeah)  ”

 

‘Não, não, não, não brinque com meu coração.

(yeah) ’

 

Um toquezinho legal, acompanhado pelo som de alguns instrumentos começou a tocar. O castanho começou a jogar o quadril de um lado para o outro no ritmo da música, sem mover o resto do corpo, antes de Stiles erguer a cabeça e começar a cantar. Derek se surpreendeu um pouco pela parte da letra escrita pelo castanho. Ele não esperava que Stiles pusesse aquilo na letra, sabe? Aquele era o medo de Paige em relação a Derek no início da relação deles. Mas que Derek não sabia, era que aquele também era o medo de Stiles em relação ao moreno. 

 

[ Stiles ]

“No, no, no, no, don't phunk with my heart 

I wonder if I take you home 

Would you still be in love, baby in love, baby 

I wonder if I take you home 

Would you still be in love, baby, in love, baby ”

 

‘Não, não, não, não brinque com meu coração 

Eu me pergunto se eu te levar para casa 

Você continuará apaixonado, baby, apaixonado, baby 

Eu me pergunto se eu te levar para casa 

Você continuará apaixonado, baby, apaixonado, baby. ’

 

O castanho começou a rodear Derek, enquanto cantava. Ele deslizou uma das mãos pelos ombros do moreno de olhos verdes, antes de passar ao seu lado e girar. Derek não poderia dizer que não estava sendo envolvido pelos movimentos e toques do castanho. 

 

 

[ Derek ]

 

“Girl, you know you got me, got me 

With your pistol shot me, shot me 

And I'm here helplessly 

In love and nothing can stop me 

You can't stop me cause once I start it 

Can't return me cause once you bought it 

I'm coming baby, don't got it, don't make me wait 

So let's be about it ”

 

‘Garota, você sabe que me conquistou, me conquistou 

Com a sua pistola, atirou em mim, atirou em mim 

E eu estou aqui desamparado 

Apaixonado e nada pode me parar 

Você não pode me parar, pois assim que eu começar 

Não pode me devolver, pois assim que você comprar isso 

Eu estou chegando, baby, não me faça esperar 

Então vamos nessa. ’

 

O moreno simulou uma arma com uma das mãos e então começou a se aproximar de Stiles, que havia se afastado, enquanto o Moreno de olhos claros começava a cantar. Ele se aproximou do castanho, que ergueu as mãos até o seu peito como se tentasse empurrar Derek para trás. O Hale retirou as mãos de Stiles, as segurando ao lado de seus corpos enquanto se aproximava ainda mais do outro. 

 

 

[ Stiles ]

 

“No, no, no, no, don't phunk with my heart ”

‘Não, não, não, não brinque com meu coração. ’

 

Stiles cantou passou por Derek, se afastando novamente, enquanto gesticulava que não com o indicador e depois colocava a mão no peito, encarando o Hale. Derek não tinha a melhor voz, mas com certeza surpreendeu Stiles que esperava que o outro não tivesse voz pra isso. 

 

 

[ Derek ]

 

“Baby, baby have some trustin', trustin' 

When I come in lustin', lustin' 

Cause I bring you that comfort 

I ain't only here cause I want - ya body 

I want your mind too 

Interestin's what I find you 

And I'm interested in the long haul 

Come on girl 

(come on) ”

 

‘Baby, baby tenha alguma confiança, confiança 

Quando eu chego cheio de desejo 

Pois eu te trago aquele conforto 

Eu não estou aqui apenas porque quero seu corpo 

Eu quero a sua mente também 

Tudo que achei em você me interessa 

E eu estou interessado na longa distância 

Venha, garota

Vamos.’

 

O moreno cantava, voltando a aproximar o seu corpo do corpo do Stilinski, antes de passar as mãos pelo corpo alheio. Stiles desviou o olhar para o lado, antes de Derek puxar o seu rosto para lhe encarar e tocar a testa do castanho com um dedo enquanto cantava. Stiles se afastou novamente, dando as costas ao Hale enquanto o moreno ainda cantava. 

 

 

[ Stiles ]

 

“I wonder if I take you home 

Would you still be in love, baby, in love, baby 

I wonder if I take you home 

Would you still be in love, baby, in love, baby ”

 

 

‘Eu me pergunto se eu te levar para casa 

Você continuará apaixonado, baby, apaixonado, baby 

Eu me pergunto se eu te levar para casa 

Você continuará apaixonado, baby, apaixonado, baby ’

 

 

O castanho voltou a caminhar em torno de Derek enquanto cantava. Os dois se encaravam com vontade, com um desejo vívido no olhar, mas que ambos ignoravam o seu, por achar que o outro apenas atuava. 

 

 

[ Stiles ]

 

“No, no, no, no, don't phunk with my heart ”

 

‘Não, não, não, não brinque com meu coração. ’

 

Stiles ergueu a cabeça para o alto, cantando e voltando a fazer que ‘não’ com a mão enquanto apertava o peito com a outra. 

 

 

[ Derek ]

 

“Girl, you had me once you kissed me 

My love for you is not iffy 

I always want you with me 

I'll play Bobby and you'll play Whitney 

If you smoke I'll smoke too 

That's how much I'm in love with you 

Crazy is what crazy do 

Crazy in love, I'm a crazy fool ”

 

‘Garota, você me teve uma vez, você me beijou 

Meu amor por você não é incerto 

Eu sempre quero você comigo 

Eu fingirei ser o Bobby e você será Whitney 

se você fumar, eu fumarei também 

Isso mostra o quanto eu estou apaixonado por você 

Louco é que o louco faz 

Loucamente apaixonado, eu sou um louco idiota. ’

 

Derek se aproximava, tocando os próprios lábios, antes de apertar o próprio peito, assim como Stiles fizera anteriormente. O rapaz alcançou o castanho, que estava de costas para si, colando o seu corpo ao do Stilinski e apoiando o queixo no ombro alheio. Derek colocou dois dedos na frente do rosto de Stiles, antes de o virar para si e o encarar nos olhos, vendo um brilho que ele não entendia ali, mas que mexia consigo. 

 

 

[ Stiles ]

 

“No, no, no, no, don't phunk with my heart ”

 

‘Não, não, não, não brinque com meu coração.’

 

 

Stiles meneou que não enquanto levava a mão do Hale ao seu peito. 

 

 

[ Derek ]

 

“Why are you so insecure 

When you got passion and love her 

You always claimin' I'm a cheater 

Think I'd up and go leave ya 

For another señorita 

You forgot that I need ya 

You must've caught amnesia 

That's why you don't believe 

(uh, yeah, check it out) ” 

 

‘Por que você está tão insegura? 

Quando você tem paixão e a ama 

Você sempre diz que sou um trapaceiro 

Acha que eu me levantaria e te deixaria 

por outra senhorita 

Você está se esquecendo de que eu preciso de você

Você deve estar com amnésia 

Por isso que você não acredita 

(uh, yeah, pode conferir) ’

 

 

O Moreno cantou massageando o peito do outro, antes de voltar a aproximar os corpos. Eles não queriam aceitar, mas aquilo estava mexendo com eles. Ambos os corpos estavam quentes. Stiles mordia a própria língua tentando controlar o ritmo louco de seu peito. O Hale piscou para si, sorridente e Stiles se xingou mentalmente por estar tendo aquelas reações aos toques do namorado de sua melhor amiga. O Moreno enlaçou os seus dedos aos do Stilinski, enquanto ambos se encaravam sem nem piscar direito. 

 

[ Derek "com Stiles" ]

 

“Don't you worry about a thing, baby 

Cause you know you got me by a "string, baby" 

Don't you worry about a thing, "baby" 

Cause you know you got me by a "string, baby"  ”

 

‘Não se preocupe com nada, baby 

Porque você sabe eu estou amarrado em você 

Não se preocupe com nada, baby 

Porque você sabe eu estou amarrado em você. ’

 

Os dois cantavam, com os corpos ainda colados, com as mãos dadas e dedos entrelaçados. Derek sentia algo diferente sempre que Stiles completava os seus versos. O "Baby" catando pelo outro enquanto este lhe encaravam com certa seriedade mexia com algo em seu peito. 

 

 

[ Derek "com Stiles" ]

 

“Baby girl, you "make me feel" 

You know you make me "feel so real" 

I love you more than "sex appeal" 

(Cause you're) 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl ”

 

‘Garota querida, você "me faz sentir" 

Você sabe que faz com que eu me "sinta tão real" 

Eu amo você mais do que um "apetite sexual" 

Porque você é 

aquela garota 

aquela garota 

aquela garota 

aquela garota 

aquela garota. ’

 

Os dois cantaram ainda do jeito que estavam. Derek soltou uma das mãos da de Stiles para levar sua mão ao rosto do castanho, enquanto cantava. Ele viu Stiles fechar os olhos para o toque antes de completar o verso cantado por Derek. Mas quando Derek cantou a última parte, Stiles pareceu acordar de seu transe, enquanto se afastava de Derek, que tentava não deixar o castanho ganhar distância.

 

[ Derek *Simultâneo com Stiles* ]

 

“That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

*No, no, no, no, don't phunk with my heart* 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

That-tha, that tha, that-tha, that girl 

*No, no, no, no, don't phunk with my heart* ”

 

‘Aquela garota 

Aquela garota 

Aquela garota 

*Não, não, não, não brinque com meu coração* 

Aquela garota 

Aquela garota 

Aquela garota 

*Não, não, não, não brinque com meu coração* ’

 

Derek tocava o braço de Stiles enquanto tentava se aproximar mais, mas Stiles sempre recuava, cantando sua parte e fazendo que não com a cabeça. 

 

 

[ Stiles ]

 

I wonder if I take you home 

Would you still be in love, baby, in love, baby [4x]  

 

‘Eu me pergunto se eu te levar para casa 

Você continuará apaixonado, baby, apaixonado, baby [4x] ’

 

Stiles começou a cantar encarando Derek, desistindo de vez de se afastar quando fora encurralado na parede. Derek realmente estava determinado a não deixar que Stiles saísse dali. 

 

 

[ Derek "com Stiles" ]

 

“Don't you worry about a thing, "baby" 

Cause you know you got me by a "string, baby" 

Don't you worry about a thing, "baby" 

Cause you know you got me by a "string, baby" ”

 

‘Não se preocupe com nada, "baby" 

Porque você sabe eu estou "amarrado em você" 

Não se preocupe com nada, "baby" 

Porque você sabe eu estou "amarrado em você" ’

 

Derek começou a cantar, segurando o rosto de Stiles para que este lhe encarasse nos olhos. O peito de Derek voltou a se aquecer quando Stiles completava suas partes. Mas o que mais lhe aquecia, era o brilho no olhar de Stiles, que encarava Derek, notando um certo brilho no olhar do Hale. 

 

A música acabou, mas eles nem se quer notaram. Nenhum entendia o que o outro sentia, nem mesmo entendiam o que sentiam. Stiles se perguntava o porquê de se sentir assim com Derek mesmo sabendo que era algo errado. Já Derek se perguntava o que raios era aquilo o que ele sentia. Nunca havia sentido algo do tipo. Se perguntava se aquele era um outro nível de excitação que o corpo de Stiles lhe causava. Eles acabaram aproximando os rostos, sem nem perceber, enquanto ainda se encaravam e suspiravam, perdidos em pensamentos. 

O toque de seus lábios foi suave, calmo e lento. Eles nem se quer fizeram questão de mover os lábios ou aprofundar o beijo. Ficaram assim por um tempo, antes de se afastarem e, ainda de olhos fechados, voltarem a se beijar, agora movendo os lábios. Se afastaram, apenas para respirarem e voltarem a se beijar, agora deixando suas línguas dançarem livremente entre suas bocas. 

Eles estavam adorando aquilo. O gosto do outro era fascinante aos seus olhos. Stiles se derretia por finalmente tomar os lábios de quem gostava para si. Era uma sensação satisfatória, sabe? Já Derek, estava para desabar ali mesmo. Ele não entendia o que era aquilo que estava acontecendo com ele. Ninguém nunca havia lhe tirado de órbita com um beijo. 

Quer dizer, porra, as pernas de Derek estavam tremendo. O peito dele estava tão acelerado. O Hale nunca havia sentido nada do tipo. Quando eles se separaram por falta de ar, Derek colou sua testa a do castanho. Ele precisava se recuperar. Sua barriga estava estranha, o seu peito acelerado, suas pernas pareciam dormentes. O tempo em que Derek se recuperou fisicamente, foi o suficiente para Stiles se recuperar mentalmente. O moreno iria tomar os lábios de Stiles em um beijo novamente, quando ele viu o Stilinski fugir de si pela lateral, indo em direção ao pen drive e ao som. 

— e-eu acho que já está bom por hoje. Está tarde e eu tenho que fazer o jantar. — falou Stiles começando a organizar a sala novamente. 

Derek encarava o castanho em confusão. Ele queria dizer algo, sabe? Dizer que havia gostado daquilo, dizer que a letra não fora só escrita pensando em Paige. Dizer que ele estava se sentindo estranho, que algo aconteceu em seu peito quando eles se beijaram. Mas a confusão de não saber o que estava acontecendo consigo não deixou a voz chegar aos lábios de Derek. 

— Acho que a música já está completa. Mas vou dar uma revisada em casa e amanhã termino de gravar ela e te entrego. Sabe sair, não sabe? — perguntou o castanho na porta e só então Derek pareceu ganhar voz. 

— e-eu já estou indo. — falou começando a seguir o castanho. Derek queria falar com Stiles, mas este parecia não querer conversar. Tanto que estava quase correndo em direção ao carro. Derek assistiu Stiles ir embora sem nem se despedir. Derek voltou para casa, ainda confuso com aquilo que sentiu quando beijou Stiles. Apenas uma certeza ele tinha: 

Algo estava errado consigo.


Notas Finais


Pão com leite condensado é vida pessoas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...