História Escândalo Camren - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Romance
Visualizações 584
Palavras 2.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura.

Capítulo 23 - Capítulo 23


Clara caminhava em direção a seu carro estacionado no terceiro piso do estacionamento privado do maior shopping center da cidade. Ao destravar o veículo e levar à mão a maçaneta da porta, recuou subitamente quando seus olhos cruzaram com aquela figura latina.

— Clara Jauregui…quanto tempo! — Sinu falou, com um certo entusiasmo e surpresa na voz.

— Sinuhe Cabello…achei que tivesse deixado o país — ela comentou, tentando se mostrar indiferente.

— E deixei! Mas resolvi voltar — disse ela, exibindo um meio sorriso.

— Claro! Imagino o motivo.

— Não, Clara…você não imagina o motivo! Nós duas ainda temos assuntos pendentes!

— Pensei que já tivesse superado o fato de Michael ter te largado para ficar comigo — Clara falou, com um sorriso debochado. — Assim como Michael te largou, Lauren fará o mesmo com a puta da sua filha! — concluiu, recebendo um tapa violento em seu rosto.

Clara parecia não acreditar que Sinu havia sido capaz de esbofeteá-la. Seus olhos negros arregalados e incrédulos miravam os olhos da latina e instintivamente, revidou, acertando o rosto da mulher diante de si.

Após o impacto e o ardor causado pelo tapa trazer Sinu de volta à realidade, esta sorriu, de forma cínica, enquanto acariciava o próprio rosto.

— Não se engane, Clara… diferente do que você pensa, Michael nunca me deixou. Sempre viveu aos meus pés como um cão fiel rastejando pela sua dona! Da mesma forma que a sua primogênita vive aos pés da minha filha — disse Sinu, atiçando a fúria de Clara.

— Você não foi mais do que um passatempo para meu marido! Assim como sua filha não é nada além de um passatempo para Lauren! — vociferou, esquecendo-se de que estavam num lugar público.

— É mesmo? Nesse caso, a governadora preza demais pelo seu passatempo, já que foi ela quem pagou o advogado para tirar minha Camila da prisão. Sem contar que tornou público seu relacionamento com minha filha e para fechar com chave de ouro, lhe presenteou com um luxuoso apartamento! Atrevo-me a dizer que Camila tem sorte por ser o passatempo de Lauren — Sinu falou, enquanto entrava em seu carro deixando Clara para trás, perdida em pensamentos.

[…]

— Camz, vim te buscar — disse Lauren, parada diante da mesa em que a latina se encontrava.

— Lauren? O que faz aqui? — ela perguntou, nitidamente desconsertava com a presença repentina da morena.

— Já disse, vim te buscar.

— Meu expediente ainda não acabou.

Lauren revirou os olhos e em silêncio, caminhou até a sala de Shawn. O jovem advogado, ao se deparar com a governadora, subitamente levantou de sua cadeira, caminhando apressadamente a seu encontro.

— Governadora! A que devo a honra da sua visita? — indagou, estendendo-lhe a mão.

— Dr. Mendes, boa tarde. Gostaria de roubar sua secretária um pouco mais cedo hoje. Temos alguns assuntos pendentes que não podem esperar mais — disse ela, forçando um sorriso.

— Oh, claro! Camila, pode acompanhar a governadora, não se preocupe — ele falou, não escondendo sua satisfação em atender a um pedido de Lauren.

— Dr. Mendes, notei que o senhor é bastante prestativo. Já o vejo como um forte candidato a advogado da família Jauregui quando o nosso atual se aposentar — disse ela, causando certa euforia no rapaz.

— Nada me faria mais feliz, governadora! Seria uma honra cuidar dos seus interesses!

— Lembrarei disso, tenha certeza! Então, posso levá-la comigo? — questionou Lauren, direcionando seu olhar à Camila.

— Quando quiser! — Shawn respondeu, cumprimentando Lauren mais uma vez.

Camila ouvia indignada aquele diálogo. Shwan parecia um idiota diante de Lauren, e como se não bastasse, ainda falavam como se estivessem fazendo negócios e ela fosse a mercadoria a ser negociada.

Lauren abriu a porta do carro para que sua amada entrasse e em seguida, se acomodou ao seu lado, dando partida. Ao parar no sinal que se encontrava vermelho, fez menção de se aproximar com o intuito de beijá-la, todavia, Camila se esquivou.

— O que foi? — questionou Lauren, com o cenho franzido.

— Eu estava trabalhando e você me tirou de lá se aproveitando da sua posição para iludir o Dr. Mendes! —   disse ela.

— Não acredito no que estou ouvindo! Está brava porque eu fui te buscar?

— Você foi me tirar de lá, é diferente!

— Não seja por isso!

Lauren procurou o retorno mais próximo e em poucos minutos, estacionou em frente ao pequeno escritório de Shawn.

— Desça. Pode voltar para seu trabalho!

— Lauren…

— Já disse para descer! — gritou, golpeando o volante, e nitidamente assustada, Camila desceu.

No mesmo instante, Lauren acelerou e partiu dali. Havia cancelado uma reunião para que pudesse passar algumas horas ao lado de Camila, já que por enquanto, não poderia dormir com ela. Não até Matteo aceitar de uma vez por todas aquele relacionamento. No entanto, ela pareceu preferir o trabalho. Se seu filho não estava facilitando as coisas, Camila muito menos. Foi tirada de seus pensamentos quando seu telefone celular tocou e o nome de sua amada acendeu no visor, todavia, ignorou a ligação.

Como não haveria mais reunião, Lauren voltou para casa. Matteo ainda estava na escola e só chegaria por volta das dezoito horas. Sendo assim, se trancou em seu quarto e acabou adormecendo.

O som distante de batidas na porta despertou Lauren. Era Matteo que já havia chegado da escola e tomado banho.

— Mãe, você vem jantar? — ele perguntou, do outro lado da porta.

— Sim, meu amor. Já estou indo — ela respondeu, procurando seu telefone em cima da cama, surpreendendo-se quando seus olhos se fixaram nas doze chamadas não atendidas. No mesmo instante, um sorriso brotou instintivamente.

— Onde está mamãe? — questionou Jessie, sentando-se à mesa junto com sua irmã e seu sobrinho.

— Está com enxaqueca. Não quer jantar. — A governanta respondeu.

— Ela foi ao consultório do Dr. Marco? — Lauren perguntou.

— Não sei, senhora. Ela saiu e voltou um pouco nervosa.

— Falarei com ela após o jantar.

— Deixa que eu falo, Lauren — disse Jessie, tomando à frente da irmã mais velha.

Após o jantar, Matteo foi para o quarto fazer a lição de casa, enquanto Lauren, continuou ignorando as chamadas de Camila. Ainda que estivesse louca para encontrá-la, já que mesmo depois de terem resolvido o mal-entendido, não tinham sequer dormido juntas, Lauren decidiu continuar indiferente. Para evitar uma recaída, recorreu à Keana que não hesitou em “correr” ao seu encontro.

— Você, dando gelo em Camila? É difícil acreditar! — comentou a  prima de Lauren, caminhando ao lado de Lauren pelo jardim da mansão.

— Pois acredite! Fazer aquele drama todo porque fui buscá-la naquele maldito escritório, me deixou fodida de raiva! — esbravejou, enquanto bebericava a generosa dose de Whisky.

— Lauren, talvez a forma como você tenha feito, foi sei lá, desagradável…

— O que há de desagradável em ir buscá-la? Qualquer mulher morreria de felicidade, mas ela não! Ela sempre tem que me tirar a paciência!

— Ainda estava no horário de trabalho dela. Talvez ela tenha medo que o Dr. Mendes se aborreça e a demita.

— Aquele idiota autorizou a saída dela com muito gosto! Mas não importa, agora se ela quiser, que me procure!

— Vocês estão parecendo duas adolescentes rebeldes.

— As coisas não estão fáceis. Quando o imprestável do Brad estava aqui, ainda distraia o Matteo, saia com ele. Mas agora que ele está ausente, eu tenho que dar mais atenção e por isso, não tenho ido dormir com Camila — fez uma pausa a suspirou. — Agora nem podemos nos encontrar de dia porque ela está lá, bancando a secretária!

— Acho que seria bom vocês conversarem.

— Conversaremos quando ela resolver me procurar porque eu cansei de correr atrás!

Há alguns quilômetros da mansão da governadora, Camila discava pela vigésima vez o número de Lauren, todavia, a morena não atendia. Ligou a TV e deixou o celular a seu lado no sofá, com a esperança de que finalmente, Laurern retornasse suas ligações. Acabou cochilando e quando acordou, passava de uma hora da madrugada. O celular estava da mesma forma que o deixou, nenhuma chamada, nenhuma mensagem.

Suspirou e seguiu para o quarto num misto de raiva e decepção.

Na manhã seguinte, Lauren chegou ao gabinete por volta das dez horas. Grande foi a sua surpresa quando, ao entrar em sua sala, se deparou com Camila à sua espera.

— Nossa! Aconteceu alguma coisa? Porque, pra você estar aqui no seu horário de trabalho, algo muito grave deve ter acontecido! — se pronunciou Lauren, com a voz carregada de ironia.

— Gostaria de saber até quando pretendia me ignorar — limitou-se a dizer.

— Em momento algum te ignorei.

— Não atendeu minhas ligações.

— Se não atendi foi porque certamente estava ocupada.

— Estava tão ocupada assim que não podia atender uma chamada?

— Da mesma forma que você, mesmo sendo liberada por seu “chefe”, não pôde me dar atenção! — rebateu, enfatizando a palavra chefe.

— Então é isso! Está com ciúmes?

— Não, não estou com ciúmes. Estou cansada.

— Cansada de mim?

— Cansada de lutar sozinha — disse ela, com o semblante triste.

— Lauren…

— Camila, por favor. Eu tenho um estado inteiro para governar, tenho um filho para cuidar, portanto, não tenho tempo a perder com seus caprichos!

— O fato de eu querer trabalhar é um capricho pra você?

— Não, mas se você acha que vale mais passar o dia inteiro numa droga de escritório todos os dias para no final do mês receber alguns trocados, então vá em frente.

— Lauren, por Deus! Eu não quero depender de você pra tudo!

— Não será assim o resto de sua vida! No momento eu não tenho como passar as noites com você como fazia antes! No período do dia você estará “trabalhando”, então não reclame quando passarmos dias sem nos encontrarmos!

— Está dizendo isso para que eu peça demissão… — comentou num tom afirmativo.

— Faça o que quiser, mas não venha me cobrar nada depois — disse ela, enquanto pegava o telefone. — Ariana, peça para que a senhorita Lucy venha à minha sala — disse por fim, sob o olhar atento de Camila.

— Porque está chamando sua assessora? Ainda não terminamos essa conversa — disse Camila, extremamente irritada.

— Eu já disse o que tinha pra dizer.

— Governadora — Lucy se pronunciou, tão logo abriu a porta.

— Aproxime-se, Lucy — disse Lauren, ignorando a presença de Camila. — Não estou entendendo nada do que está aqui. Afinal, qual o propósito desse encontro? — ela perguntou, mostrando alguma coisa escrita numa folha de papel.

Lucy se aproximou, colocando-se ao lado de Lauren que já se encontrava de pé. Enquanto a assessora tentava identificar do que se tratava aquele rascunho, Lauren direcionou seu olhar ao decote convidativo da mulher, o que não passou despercebido por Camila.

— Ah, está relacionado com aquele projeto das escolas, lembra? — disse a assessora, exibindo o seu bonito sorriso.

— Claro, que cabeça a minha! Confirme o encontro e esteja preparada, passarei para buscá-la  as dezenove horas.

— Sim senhora, mais alguma coisa?

— Não, obrigada.

— Com licença — disse por fim, se retirando com passos firmes e um rebolado extremamente sensual.

Camila continuava de pé, os braços cruzados e a expressão mais séria do que nunca. Quando a assessora fechou a porta logo atrás de si, ela respirou fundo na tentativa de controlar seus impulsos.

— Que palhaçada é essa, Lauren? — ela questionou.

— Do que está falando?

— Você realmente vai buscar essa… mulher em casa?

— Buscar e deixar. Na verdade, eu busco e ela me deixa. Como você sabe, às vezes exagero um pouco na bebida — disse ela, voltando a sentar em sua cadeira.

— Você definitivamente está insuportável hoje! Tenha um ótimo dia! — dito isso, Camila se retirou, enquanto discretamente, Lauren sorria.

Assim como imaginou, uma hora depois Camila ligou. Já suspeitando do que se tratava, Lauren atendeu e sorriu de forma vitoriosa ao confirmar suas suspeitas. Camila a estava convidando para almoçar em seu apartamento, uma vez que não trabalharia, já que havia pedido demissão do escritório do Dr. Mendes.

Por volta de meio dia, Lauren chegou ao apartamento de Camila e antes mesmo de entrar, foi recebida com  um beijo de tirar o fôlego.

— Convide-me para almoçar mais vezes aqui — disse Jauregui, quando o beijo foi interrompido para que pudessem respirar.

— Eu deveria te esbofetear e não te beijar! Mas por ora, a saudade está falando mais alto — disse Camila, puxando Lauren pelo colarinho de sua camisa e novamente tomando-lhe os lábios. — Vamos para a cama — acrescentou, enquanto distribuía beijos pelo rosto dela.

— E o almoço? — Lauren perguntou.

— Eu sou seu almoço. Você não quer me comer?

[…]

— Estava com saudade disso. De fazer amor com você sem me preocupar com o tempo, com nada — disse Lauren, deitada de bruços na mesma posição em que Camila se encontrava. Uma encarando a outra.

— Porque não vem morar aqui comigo? — ela perguntou, enquanto acariciava o rosto da governadora com a ponta dos dedos.

— Não posso deixar Matteo sozinho…

— Ele pode vir junto.

— Não creio que seja uma boa ideia. Pelo menos enquanto ele não te aceita…

— Não sei o que fazer pra conquistar a confiança do seu filho — ela falou, com o semblante preocupado.

— Só tenha um pouco de paciência, está bem?

— Está bem, meu amor.

— Vamos tomar um banho juntas, vem… — sugeriu Lauren, e sem questionamentos, Camila aceitou o convite.

Depois de quase meia hora dentro do banheiro, Camila saiu coberta com um roupão, enquanto Lauren, terminava de secar os cabelos.

Sem muito interesse, Camila ligou a TV, passando a trocar os canais em busca de algo interessante para assistir enquanto almoçaria com Lauren. Quando fez menção de desligar o aparelho, recuou no mesmo instante em que a imagem atual de Clara Jauregui, era exibida ao lado de outra mais antiga.

— Lauren, vem aqui…rápido! — chamou a latina, incrédula com o que presenciava.

— O que foi, amor? — perguntou a governadora, surpreendendo-se quando seus olhos se fixaram na TV.

“De meretriz à primeira-dama” Agora viúva, Clara Jauregui, mãe da governadora do estado, tem seu passado obscuro revelado.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...