História Escola de magia e bruxaria de Hogwarts (Interativa) - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Stiles21

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Harry Potter, Romance
Exibições 27
Palavras 2.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente me perdoem pela demora mais ta aqui o capítulo !
Espero que gostem :)

Aparência dos personagens que apareceram no capitulo nas notas finais !

Capítulo 2 - Beco Diagonal !


Fanfic / Fanfiction Escola de magia e bruxaria de Hogwarts (Interativa) - Capítulo 2 - Beco Diagonal !

***

- Chegamos - Digo vendo ela saindo da lareira do Caldeirão Furado logo depois de min.

- Oh !- Exclama ela ainda meio desorientada da viagem de Flu, a coitada devia estar surpresa ou até aterrorizada.  Era um barzinho sujo, para um lugar famoso, o Caldeirão era um lugar muito escuro e miserável. Havia umas velhas sentadas a um canto, bebendo pequenos cálices de xerez. Uma delas fumava um longo cachimbo . Um homenzinho de cartola conversava com o velho dono do bar, que era bem careca e parecia uma noz viscosa.

-Eu sei é horrível, mas não se preocupe eu e Kicko estamos aqui e... - Digo até ser interrompido pela mesma.

- É incrível ! - Diz ela com os olhos brilhando observando tudo no lugar. - Vamos eu quero ver mais ! - Diz ela saindo correndo pelo local inquieta.

- Ei volta aqui. - Digo saindo correndo atras dela. 

Nunca vi um lugar tão magico como esse ! -Pensava Mila - Papai e Mamãe nunca me deixaram vir ao Beco Diagonal com Matt diziam que era muito perigoso... estava fascinada por todas aquelas pessoas e aquelas roupas e...

-Ai !- Saio de meus pensamentos quando me choco com alguma coisa e caio no chão, olho para cima e vejo um homem bem grande encapuzado, vestindo uma máscara um tanto quanto assustadora...

-Oh me desculpe senhor, é a primeira vez dela aqui. Queira me perdoar. - Diz Matt me levantando e se desculpando com o homem, saindo dali rapidamente segurando minha mão.

- Você enlouqueceu !? - Pergunta Matt irritado - Aquele cara é perigoso sábia ?!

- Creio que a senhorita Mila não teve a intenção de esbarrar naquele bruxo. - Finalmente Kicko se pronuncia. - Matt dá um suspiro longo e diz..-Tudo bem vamos continuar. - Logo depois de um breve sorriso.

Passamos pelo bar e saímos num pequeno pátio murado, onde não havia nada exceto uma lata de lixo e um pouco de mato. 

-E agora ? - Pergunto confusa.

- Apenas observe - Diz ele dando um pequeno sorriso, Matt contava os tijolos na parede por cima da lata de lixo.

-Três pra cima... dois para o lado...- Murmurou - Certo, chegue para trás Mila.

Ele bateu na parede três vezes com a ponta de sua varinha. E o tijolo que tocou estremeceu, torceu-se. No meio apareceu um buraquinho, que se foi alargando cada vez mais. Um segundo depois se viram diante de um arco bastante grande até para Matt, um arco que abria para uma rua de pedras irregulares, serpeava e desaparecia de vista.

- Bem-vindo -disse Matt - ao Beco Diagonal.- Ele riu do espanto de Mila. Atravessaram o arco. Mila deu uma espiada rápida por cima do ombro e viu o arco encolher instantaneamente e virar uma parede sólida.

-Você guardou sua carta, senhorita Mila ? - perguntou Kicko

-É claro que guardei ! - Diz ela alegre lembrando da emoção de receber a carta na noite passada. Mila tirou o envelope de pergaminho do bolso.

- Ótimo. Aí tem uma lista de tudo que você vai precisar. - Disse Kicko.- Mila desdobrou um segundo pedaço de papel em que não reparara na noite anterior e leu:

 

ESCOLA DE MAGIA E BRUXARIA DE HOGWARTS


Uniforme:
Os estudantes do primeiro ano precisam de:
1. Três conjuntos de vestes comuns de trabalho (pretas)
2. Um chapéu pontudo simples (preto) para uso diário
3. Um par de luvas protetoras (couro de dragão ou similar)
4. Uma capa de inverno (preta com fechos prateados)
As roupas do aluno devem ter etiquetas com seu nome.


Livros:
Os alunos devem comprar um exemplar de cada um dos seguintes:
• Livro padrão de feitiços (1ª ano) de Miranda Goshawk
• História da magia de Batilda Bagshot
• Teoria da magia de Adalberto Waffing
• Guia de transfiguração para iniciantes de Emerico Ewitch
• Mil ervas e Fungos mágicos de Fílida Spore
• Bebidas e poções mágicas de Arsênio Jigger.
• Animais fantásticos e onde habitam de Newt Scamander
• As forças das trevas: Um guia de autoproteção de Quintino Trimble.


Outros Equipamentos:
• 1 varinha mágica
• 1 caldeirão (estanho, tamanho padrão 2)
• 1 conjunto de frascos
• 1 telescópio
• 1 balança de latão
Os alunos podem ainda trazer uma coruja ou um gato ou um sapo.
LEMBREMOS AOS PAIS QUE OS ALUNOS DO PRIMEIRO ANO NÃO PODEM USAR VASSOURAS PESSOAIS.

-E vendem tudo isso aqui ?! - Pergunta Mila surpresa.

- Mila estamos no Beco Diagonal ! - Exclama Matt - Aqui vendem tudo que você pode imaginar... E oque você não pode também - Completa ele dando uma pequena gargalhada.

- Mas para isso precisamos ir a Gringotes senhores. - Diz Kicko começando a andar. 

- Oque seria Gringotes ? - pergunta Mila curiosa.

- Gringotes é o banco dos bruxos senhorita - Diz Kicko caminhando ao seu lado.

- E lá é onde vamos pegar nosso dinheiro. - Completa Matt.

Mila estava com seus pensamentos a mil, queria ter mais de dois olhos para observar tudo que tinha no beco diagonal... Só ao caminho já viu as mais maravilhosas lojas que já vira na vida 

O sol refulgia numa pilha de caldeirões à porta da loja mais, próxima. “Caldeirões – Todos os tamanhos – Cobre, latão, estanho, prata”, dizia um letreiro acima. 

-É você vai precisar de um - disse Matt - mas temos de apanhar o dinheiro. - Completa sorrindo.

as lojas, as coisas as portas, as pessoas fazendo compras.

Uma mulher gorducha do lado de fora de uma farmácia abanou a cabeça quando passaram por ela e disse:

- Fígado de dragão, dezessete sicles trinta gramas, eles endoidaram...Um pio baixo e suave veio de uma loja escura com um letreiro onde se lia“Empório de Corujas – douradas, das torres, do campo, marrons e brancas".

Vários garotos mais ou menos da idade de Mila espremiam os narizes contra a vitrine que tinha vassouras.
-Olhe - Eles, ouviram um deles dizer - a nova Nimbus 2020, mais veloz que nunca.

Havia lojas que vendiam vestes, lojas que vendiam telescópios e estranhos instrumentos de prata que Mila nunca vira antes, janelas com pilhas de barris contendo baços de morcegos e olhos de enguias, pilhas mal equilibradas de livros de feitiços, penas de aves para escrever e rolos de pergaminhos, vidros de poções, globos de...

- Gringotes - Anunciou Kicko.
Tinham chegado a um edifício muito branco que se erguia acima das lojinhas. Parado diante das portas de bronze polido, usando um uniforme vermelho e dourado, havia... havia uma criatura que Mila não sabia descrever.

-São Duendes senhorita Mila.- Cochicha Kicko, enquanto subiam os degraus de pedra branca até o duende. Ele era uma cabeça mais baixa do que Milla. Tinha uma cara escura e inteligente, uma barba em ponta e, Milla reparou, mãos e pés muito compridos. O duende os cumprimentou com uma reverência quando entraram.
Em seguida depararam com um segundo par de portas, desta vez de prata, onde havia gravado o seguinte:


Entrem, estranhos, mas prestem atenção,
Ao que espera o pecado da ambição,
Porque os que tiram o que não ganharam
Terão é que pagar muito caro,
Assim, se procuram sob o nosso chão,
Um tesouro que nunca enterraram,
Ladrão, você foi avisado,
Cuidado, pois vai encontrar mais do que procurou.

 

Milla ficou um pouco assustada com oque acabara de ler... mas logo saiu de seus pensamentos quando dois duendes se curvaram enquanto eles passavam pela porta de prata e desembocaram em um grande saguão de mármore. Havia mais de cem duendes sentados em banquinhos altos atrás de um longo balcão, escrevendo em grandes livros-caixas, pesando moedas em balanças de latão, examinando pedras preciosas com óculos de joalheria. Havia ao redor do saguão portas demais para contar, e outros tantos duendes acompanhavam as pessoas que entravam e saiam por elas. Eles se dirigiram ao balcão. 

- Bom dia - Disse Matt a um Duende desocupado - Viemos sacar algum dinheiro do cofre da família Queen -Completa ele.

- O senhor tem a chave ? - Pergunta o Duende... Matt olhou para Kicko que lhe entregou a chave.

- Aqui está.- Disse Matt dando-a para o Duende que a examinou-a cuidadosamente.

- Esta tudo certo...- Disse o Duende. -  Vou mandar alguém levá-los ao cofre. Disse ele fazendo um sinal com a mão para um Duende desocupado que estava no canto do banco, O Duende segurou a porta aberta para eles passarem. Milla, que esperara mais mármore, surpreendeu-se. Encontravam-se em uma passagem estreita de pedra, iluminada por archotes chamejantes. Era uma descida íngreme, em que havia pequenos trilhos. o Duende assobiou e um vagonete disparou pelos trilhos em sua direção. Eles embarcaram sem nenhuma dificuldade e partiram.
A princípio eles apenas viajaram em alta velocidade por um labirinto de passagens cheias de curvas. O vagonete barulhento parecia conhecer o caminho, porque o duende não o estava dirigindo. Os olhos de Milla ardiam no ar frio que passava rápido por eles, mas mantinha-os bem abertos. Uma vez, ele pensou ter visto uma labareda no fim da passagem e se virou para conferir se era um dragão, mas foi tarde demais, eles mergulharam ainda mais fundo, passaram por um lago subterrâneo onde se acumulavam no teto e no chão enormes estalactites e estalagmites. 

Depois de um pequeno tempo eles pararam e desembarcaram... O Duende destrancou a porta. Saiu uma grande nuvem de fumaça verde e enquanto ela se dissipava, Milla ficou sem respirar. Dentro havia montes de moedas de ouro. Colunas de prata. Pilhas de pequenos Galeões nuques de bronze... Sacaram o que precisavam, depois de mais uma viagem no vagonete descontrolado, eles chegaram à claridade do sol do lado de fora de Gringotes. Milla não sabia aonde correr primeiro agora que tinha uma saca cheia de dinheiro.

- Vamos comprar meu Uniforme ! - Disse Milla muito empolgada.

- Você pode ir com ela na Madame Malkin, Kicko ? - Perguntou Matt indicando com a mão a loja que tinha um letreiro escrito:

 Madame Malkin — Roupas para todas as ocasiões. — 

- Porque você não vem com a gente ? - Pergunta Milla observando atentamente a loja de longe.

- Ainda tenho que compra alguns livros do Sexto ano.- Diz Matt olhando seu pergaminho atentamente. - Mas nos encontramos no Olivaras para compramos sua varinha, Ok ? - Pergunta ele

- Ok ! - Exclama a bruxinha ainda sorrindo e saindo correndo para loja de roupas.

- Ei espere senhorita Milla ! - Grita Kicko correndo atrás da garota.

Matt pov on:

-Milla...- Digo a vendo correndo e dou uma pequena risada, saio de meu devaneios e sigo para a floreios e borrões.

...

-Animais Fantásticos... Animais Fantásticos...- Digo falando repetidamente para min mesmo enquanto estava em cima de uma escada procurando o livro pra Milla em uma das grandes pratilheiras da livraria...

- Hey bobão ! -  Escuto uma voz inconfundível vindo de baixo, olho para baixo e vejo Peter Carlles, meu melhor amigo dês do primeiro ano em Hogwarts segurando o livro nas mãos 

- Olha se não é você ! - Digo dando uma pequena risada e descendo as escadas rapidamente - Você está com a mesma cara de trasgo do ano passado. -Digo brincando o cumprimentando.

- Tá mais fala ai porque ta precisando desse livro ?- Pergunta ele -  Não é só pro primeiro ano ?

- Já se esqueceu que o primeiro ano de Milla é esse ? - Respondo enquanto pago os Livros.

- A é mesmo. - Diz ele rindo coçando a cabeça - Mas iai... Oque fez nas férias ? - Pergunta ele enquanto saíamos da lavraria.

- A nada de mais só...- ia dizendo até que fui atrapalhado por um abraço vindo do além 

-Que saudade que eu estava de vocês meninos.- Disse Rose chegando correndo e abraçando a gente fortemente. 

- É... Oi pra você também Rose. - Diz Peter levemente corado e um pouco sem jeito, ele sempre fica assim quando Rose se aproxima dele dessa forma... Na verdade ele fica assim com qualquer garota que faça isso.

- Também sentimos sua falta Rose- Digo dando uma breve risada com a reação de Peter.

- Eu sei que sentiram- Afirma a garota convencida- Afinal que ser humano em sã consciência não sentiria falta de um amorzinho como eu ? - Completa ela sendo humilde como sempre. 

- Eu não senti falta alguma ! - Afirma Peter emburrado.

 - Ainda emburrado com aquela pegadinha no ano passado ? - Pergunta ela tirando o sorriso do rosto.

- Você colocou uma Bomba de Bosta no meu Guarda roupa ! -  Exclamou ele me relembrando do fato me fazendo dar uma pequena risada.  - Sabe quantos dias eu fiquei lavando aquelas roupas ?! 

- Já te disse que foi apenas uma brincadeira ! - Afirma a garota nervosa.

- Você vai ver esse ano vou fazer a melhor pegadinha de todas !- Rebate o garoto.

- Peter Carlles Swan você não ousaria ! - Disse a menina raivosa.

Os dois estavam tão concentrados na "treta" que nem viram eu saindo de la de fininho a encontro de Milla no Olivaras...

***

Cheguei e observei a loja que acima da porta, em letras douradas e descascadas, lê-se:  

Olivaras: Fazedor de Varinhas de Qualidade desde 382 a.C. 

A vitrine da loja consiste em uma varinha solitária em cima de uma almofada roxa e desbotada em uma janela empoeirada. Fiquei esperando mais alguns minutos até que avistar a garota de longe ao lado de Kicko, Ambos carregando diversas sacolas, com uniformes, caldeirões, conjunto de frascos e etc...

-Preparada ? - Pergunto vendo a garota abrir um grande sorriso.

-É claro. - Diz ela animada, entramos todos e guardamos as coisas no canto, A loja é pequena e vazia, a não ser por uma única e alta cadeira no canto. Milhares de caixas estreitas contendo varinhas são empilhadas até o teto, e todo o lugar tem uma fina camada de poeira. Chegamos perto do balcão e a menina tocou uma vez no pequeno sininho que lá estava, vimos barulhos de passos e um velho senhor chega a direita, o mesmo que vendeu a minha varinha o S.r Olivaras o velho era enrugado e tinha uma vasta barba, abriu a boca e disse:

- Ora se não é a mais jovem Queen dessa geração.. -Disse o homem me fazendo perguntar pra min mesmo se ele era velho suficiente pra ter vendido varinhas pra mais de uma geração da minha família...

- Sim sou eu. - Disse ela meio constrangida.

- Suponho que veio pegar sua primeira varinha ? - Pergunta o velho bruxo virando-se e procurando alguma varinha em uma de suas pratilheiras.

- Acertou em cheio.-Disse ela novamente empolgada.

- Experimente essa querida disse ele dando a ela uma varinha.- A mesma pegou ela e a apontou para uma das pratilheiras e nada aconteceu.

-Não.- Disse ele pegando a varinha da mão dela e a guardando novamente na caixa e virando procurando mais alguma.

- Talvez essa ? - pergunta ele entregando outra varina a bruxa... Do nada todos sentimos um calor, Milla sorriu e o sol brilhou mais forte atravessando as janelas. 

-  É essa ! - Afirma a menina com o sorriso mais grande que se possa imaginar !


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...