História Escolha Perfeita - Delena & Stelena - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elizabeth "Liz" Forbes, Enzo, Jenna Sommers, Jeremy Gilbert, Johnathan Gilbert, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Matt Donovan, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Amizade, Amor, Bebidas, Damon Salvatore, Delena, Depressão, Desejo, Drama, Elena Gilbert, Hot, Romance, Stefan Salvatore, Stelena, Superação, The Original, The Vampire Diaries, Tvd
Exibições 38
Palavras 1.636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá!!! Hoje decidir postar um capítulo dessa fic, ando nuito ocupada tendo que esrudar pra escola e para auto escola que farei a prova semana que vem. Bom é isso ... ♥

Capítulo 6 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction Escolha Perfeita - Delena & Stelena - Capítulo 6 - Capítulo 6

Uma semana havia se passado e não via o Stefan, as vezes conversávamos pelo telefone, mas nada de mais, ele estava com muitos problemas na empresa.


Eu estava saindo da escola com as minhas amigas, quando eu vi o Stefan encostado no seu carro, provavelmente me esperando. 


-Olha que delicia! - Disse Caroline, olho para ela. -O que? -Rimos.


-Vai lá Elena. - Disse Bonnie.


Não digo nada e vou em direção a ele.


-Oi - Falo, assim que chego perto dele.


-Oi. 


-O que ta fazendo aqui? - Perguntei.


-Vim te buscar para almoçarmos juntos na minha casa, você quer? - Ele disse, olho para as minhas amigas que me olhavam com um grande sorriso no rosto, dou um pegueno sorriso e me viro de volta para ele. 


-Quero sim. -Ele coloca uma mão no meu rosto e me puxa para um beijo rápido, me afasto um pouco e sigo ao lado do carona.


Seguimos o caminho todo em silêncio, isso me incomodava um pouco, nós eramos alguma coisa, mas eu não sabia o que, ele era desse jeito meio fechado, não sei se poderia ter um relacionamento desse jeito.


Ele estava meio inquieto e só olhando para frente, e decido quebrar um pouco esse gelo.


-Como ta na empresa?  - Perguntei. 


-Está um inferno, as coisas não estão indo bem parece que estamos falindo. - Ele fala um pouco triste. 


-O que você vai fazer? - Perguntei.


-Quando chegar eu explico melhor.  - Ele disse. 


Depois disso não falamos mais nada até chegarmos na sua grande casa.


Ele estaciona e abro a porta do carona para sair, ele me segue logo em seguida.


-Desculpa! - Ele disse atrás de mim. - Fui meio frio com você!  - Paro e olho para ele.


-Tudo bem! - Digo, em seguida ele abre a porta e entramos.


- Eu espero que você goste da comida, a Cordelha e uma ótima cozinheira. - Ele disse indo para cozinha onde a Cordelha estava. 


Escuto passos vindo por trás mim, e me viro rapidamente e dou de cara com o Damon.


-Oi - ele disse.


-Oi 


-Então nos encontramos novamente.  - Ele disse sorrindo.


-É - Não entendo por que toda vez que eu estou perto dele não consigo nem formar uma palavra inteira. 


- Como você está?  - Perguntou ele.


-Eu estou muito bem! -Repondo. 


-Que bom! - Ele pisca para mim e segue para dentro da cozinha, e fico meio para ali pensando no que tinha na cabeça. 


Me viro e vejo ele provando a comida da panela.


-Acho que eu vou ter que fucar para o almoço isso aqui ta muito bom. - Ele disse para Cordelha.


Olho para o Stefan e ele está olhando para mim com uma cara nada boa, ele vem até mim.


-Vem comigo. - Ele estende a sua mão e eu a pego, então ele me guia até  o andar de cima, até chegar em um quarto que imagino que seja dele.


Antes que eu possa dizer alguma coisa ele me beija, um beijo estranho e sem emoção,tento retribuir mas não consigo não tinha um bom clima, então eu o empurrei.


-O que foi? - ele perguntou. 


-Eu que pergunto, o que deu em você?  - Perguntei.


-Eu só queria te beijar, sem o Damon nos atrapalhar antes de eu viajar.  - Arregalo os meu olhos. 


-Você vai viajar? - Perguntei.  


-Eu queria te falar isso no almoço, mas o Damon aempre estraga as coisas. - Ele disse um pouco alterado. 


-O Damon não fez nada, você que ficou estranho do nada. - Eu disse. - Olha Stefan não sei se o que temos ou o que achamos que tínhamos vai dar certo, então eu to indo, pode ir para a sua viagem, isso acabou. - Saio do quarto dele, de a descendo as escadas correndo e quase caio no último degrau. 


- Opa! Vai com calma! - Disse Damon aparecendo.  -Você está bem? - Perguntou. 


-Não, eu tenho que ir. - Eu disse para ele e passo indo até a grande porta. 


-Quer carona? - Ele perguntou antes de eu abrir.


-Não precisa.  - Digo, mas ele ja estava com a suas chaves e vindo na minha direção. 


-Você não tem escolha. - Ele fala assim que chega perto de mim, pior que ele estava certo eu vim de carro com o Stefan e o caminho é longe para ir andando e não tem nenhum ponto de ônibus por perto. 


-Ta bom! - E abro a porta saindo da casa e fomos até onde estava a sua Ferrari azul, no qual eu ja tive a chance de dirigir.


Abro a porta fo carona e entro no carro, esse carro era mais lindo do que eu me lembrava, tudo de coro e o cheiro de carro era muito bom.


-Vai me contar o que aconteceu? - Ele perguntou. 


-Acho que nunca aconteceu.  - Olhei para ele.


-Nossa!  Pelo visto vocês terminaram? - Pergubta dando partida no carro.


-Meio que sim, a gente não estava namorando só ficando, mas ele e muito fechado e estranho. -Eu disse.


-Ele é assim, nunca dar certo com relacionamentos. -  Olha para mim e da um pequeno sorriso. 


Depois de un tempo ficamos em silêncio, mas ele ligou o radio e uma musica de "Guns n' Roses -Sweet Child O' Mine." Começou a sair das caixas de som eu rir poia adorava escutar essa música com o meu pai quando criança e trazia ótimas lembranças. 


- Adoro essa música!  - perguntei. 


-Eu também! - Falou olhando para mim - quais bandas você gosta? - Ele peeguntou.


-Eu não sou exatamente uma requeira, mas eu sempre gostava de ouvir quando o meu paia escutava quando eu era criança. - Digo me lembrando.  - Ele escutava Nirvana, Foo Figthers, Guns n' roses, Red hot chili Peppers e muitos outros. - Eu disse. 


-Uau! Nossa então seu pais tem um ótimo gosto, geralmente pais não são assim. 


-Ele costumava a ouvir,mas hoje em dia quase não para mais em casa e não escuta essas músicas. - Ele olhou para mim e disse.


-Sei bem como é...mas acho que chegamos na sua casa. - Olho para o lado e vejo a minha casa, que não era nada comparada com a do Damon mas era a minha casa onde eu nasci, cresci e amadureci, eu tenho orgulho de ter um lugar para morar e pais maravilhosos.


-Sim! - Olho para a garagem e vejo o meu carro estacionado, provavelmente as meninas trouxeram.


Saio do carro e em seguida o Damon que vem por trás de mim.


-Bela casa! -Ele disse vindo por trás de mim, e quando chegamos na porta fiquei um pouco nervosa, eu não tinha certeza se chamava ou não ele para entrar ja que eu nunca fiz isso com Stefan quando ficamos, o máximo que ele chegou foi aqui nessa varanda.


Ele chaga e eu começo a abrir a porta e me viro pra ele e pergunto. 


-Quer entrar?  - Perguntei, não se o exatamente se eu queria ou não que ele ficasse, mas um lado meu queria que ficasse, não queria ficar sozinha.


-Quero! - Então foi isso, entro na minha casa e vou para trás da porta e ele entra, olhando para a sala que era o primeiro canto da casa.


Fico parada atrás dele enquanto ele olha para as minhas fotos de família numa mesinha atrás do sofá.


-Bela família!  - Ele disse olhando uma foto de família, na qual meus pais, eu e meu irmão estávamos no natal.


-Obrigada! -Agradeço, sinto ainha barriga roncar ja que eu não tinha comido nada na casa do Damon, ja que eu briguei com Stefan.-Acho que vou fazer alguma coisa pra comer! - Digo indo em direção da cozinha e o deixo na sala cheretando as minhas coisas. 


-Quer ajuda? - Ele perguntou antes de aparecer pela porta.


-Não precisa! - Falo, mas pareve que ele não ouviu direito pós entrou na cozinha e começou a mexer nos armários,a abrir a geladeira,pegando os legumes e oa colocando na mesa. - Eu disse que não precisava. -Eu disse quando ele foi pegar uma faca.


- Claro que precisa!  - Disse começando a cortar um tomate. 


- Então você sabe cozinhar? - Perguntei pelo jeito que ele cortava era de profissional. 


- Sei fazer muita coisa gostosa. - Ele olhou pra mim e piscou, ai eu 

-Isso não tem graça. - E taco uma toalha de prato em cima dele e ele rir pegando a toalha e colocando em cima do ombro direito. 


-Vem aqui, vou te encinar a cortar tomate. - ele disse olhando para mim.


-Eu sei cortar tomate.  -Eu disse, acho que todo mundo deve saber cortar. 


-Não sabe mesmo, vem logo! - Eu fui, fiquei ao lado dele e ele me mostrou como se cortava, mas eu não conseguia acertar de jeito nenhum. 


-Desisto!É melhor você terminar porque se eu ficar tendo aulas de como cortar tomate eu não vou comer nunca. -Eu disse, ele deu um pequeno sorriso e esse sorriao me fez sorrir também, era bom está com ele, ele era bom era diferente dde estar com o Stefan, ele era fechado e não se abria muito e parecia querer fazer tudo certo, mas o Damon era diferente era divertido, brincalhão e fazia tudo sem ter medo das consequências. 



-Última tentativa dessa vez eu te ajudo. - Concordei com a cabeça e ele pegou na minha mão e ficou por tras de mim, isso precia aquelas cenas de filmes, mas isso não era filme era real, ele estava por tras de mim dizendo o que fazer, pegando na minha mão que tinha ficado mole com o toque dele e dormente, ele começou a cortar com a minha mão e sou respiração estava um pouco elevada, assim que terminei de cortar o tomate virei de costa e fiquei de frente pra ele olhando para os seus olhos , sua boca proxima a minha e respiração proxima  mas sem pensar sair correndo da cozinha e fui para o meu quarto.





Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Corta e comente isso ajuda muito para que eu continue. Obrigada meus amores!! :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...