História Escolha Perfeita - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Colegial, Justin Bieber, Love, Romance
Exibições 141
Palavras 3.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


LEIAM AS NOTAS FINAIS!

Capítulo 4 - Te encho de tesão!


Rebecka Ross P.O.V

Eu entrei no meu quarto com o rosto fervendo e as lágrimas descendo. Ele foi baixo dessa vez, acho que apesar de todas nossas briguinhas, eu não merecia humilhação frente à escola toda, nosso impasse era coisa nossa, ele me ridicularizou frente a todos, e ainda com aquela loira vadia. Aquela garota está mexendo com a pessoa errada, mas eu vou dar o que ela merece. Eu estava com a minha mente no que tinha acontecido. Minha vontade era de socar aquela garota até ela ir dar um Oizinho pro capeta, se ela acha que pode ter alguma autoridade sobre mim e se sente a dona do pedaço, ela está muita enganada. E Justin... Aquele ali vai se arrepender tanto que vai pedir pra ir pra tal escola na Alemanha. Por que eu vou acabar com a vida dele aqui.

- BECKY – Melly e Ceci entraram no quarto correndo e foram até minha cama. 

- Oi – disse sem animo algum e elas se entreolharam

- Garota o que foi aquilo? E todos estão comentando sobre isso e sobre Justin vim atrás de você e depois sair com cara de choro - quando ela falou isso meu estomago se revirou de uma forma que eu não sabia explicar... ele chorou? Que princesa, esse machão.

- E a vadia? – perguntei me sentando e cruzando as pernas de índio.

- Chamaram a Diretora, ela foi pra sala dela – Melly respondeu com uma cara de quem adorou.

- O que tem entre você e Justin, hein Ross? – Ceci perguntou se sentando em meu lado e em seguida Melly fez o mesmo.

- Vocês sabem o motivo que levou eu e aquele idiota virmos pra cá? – elas negaram com a cabeça como eu já esperava – Então peguem a pipoca que a historia grande... - Elas riram e se deitaram na cama e eu comecei a contar. Aquela conto de fadas que logo eu transformaria em uma serie de terror.

Eu fico vendo essas garotas, com um olhar de lealdade, elas me receberam tão bem, eu sinto que nelas eu posso contar, tomara que eu esteja certa. Sou tão insegura quando se trata de amigas, por que todas as baba ovos que eu tinha em Los Angeles, era por causa das minhas festas e por causa do meu dinheiro. Ceci e Melly não sabiam das minhas condições, elas me receberam como uma comum. Eu adorei isso.

Contei tudo, desde dia que fiquei com o Ryan e Justin ficou irado, desde  dia da minha casa... E quando acabei Melly fez uma cara de pensativa, e eu fiquei sem entender.

- O que foi? – perguntei.

- Pelo o que você falou ele gostava de você – a cortei.

- Nós tínhamos 13  anos... Isso não vem ao caso – ela me deu um tapa.

- Me deixa terminar de falar – ela disse me repreendendo com o olhar - Então, vai que ele ainda goste de você – ri muito alto quando ela falou isso. A diretora deve ter ouvido da sala dela.

- Ah não Melly pensei que você fosse um pouco mais inteligente – falei com cara de deboche -  Quem gosta não faz o que ele faz – disse e elas me olharam firme, prestando atenção no que eu tinha para falar – O único sentimento que tem entre eu e aquele moleque, é ódio – trinquei meus dentes, quando entrei nesse detalhe – Ele é bonito, sexy, mas com suas atitudes eu tomei NOJO, da cara dele – falei – E por favor, não voltem a repetir isso – falei  

- Você pode está entendendo tudo errado, Becky – Melly falou

- Minhas escolhas são perfeitas. – fui fria.

- Nada é perfeito – Ceci falou

- Acho que você entendeu... E vocês não vão acreditar em uma coisa – falei olhando com a aquela cara de que merda está por vim.

- O que? -  perguntaram em coro.

- Ryan vem pra cá amanha

Ouvi um grito fino sair da boca das duas e eu tapar meus ouvidos rindo.

 Justin Bieber P.o.v

A raiva estava consumindo meu corpo, aquela cadela acha que pode ficar me tratando dessa forma? Qual seria o motivo escroto deu combinar com a Tiffany de derrubar aquela bandeja nela? Agora sim eu estou com vontade, mas eu nunca jogaria tão baixo. Eu tentei me dar bem com ela hoje, eu tentei medir as palavras, o que eu pude fazer eu fiz. Parece que ela quer ficar aqui, nessa caralha de escola. Qual é esse lugar não presta! Não tem nada, parece lugares abandonados e os alunos são os zumbis.

Quando ela gritou daquela forma, minha garganta coçou, pequenas gotas d’agua se formaram no canto do meu olho, mas não era por que ela tava estava falando merda comigo por que isso seria gayzisse, mas sim de ódio – Respirei fundo, contendo a raiva - Saber que antes eu fazia tudo pra essa garota e ela tem a coragem de pegar meu melhor amigo, sabendo que eu dava o mundo pra ela, nem mesmo Ryan sabia que eu a amava tanto, apenas ela, e ela fazia questão de esfregar isso na minha cara. Só de pensar no dia que uns caras falaram dela, eu quebrei cada um, em pensar em cada dia que dormia chorando por que eu não tinha minha garota e de pensar que hoje eu tentei concertar as coisas e ela e sua estupidez sem fim atrapalhou mais uma vez... Ela tem é que se fuder mesmo, mas o jogo começou, Rebecka, e vim pra vencer.

 Eu estava sentindo uma falta de ar dentro de mim, por que tem que ser assim caralho? É tão difícil gostar de alguém e viver bem assim? Não que eu goste da Rebecka ainda, mas poxa eu não consigo gostar de NENHUMA garota, sempre elas fogem. Eu não gosto mais da Rebecka, mas me dói saber que ela foi a única menina que realmente gostei e ainda é a que eu mais odeio, que ela é a vadia que me arrepia e a vagabunda que consegue me estressar. Ela ainda vai acabar com a minha vida.

 - Cara, ainda bem que esta aqui – Chaz e Chris entraram.

- Oi – falei sem animo.

- Cara o que você tem com aquela garota? Vocês são, sei lá, um casal? – Chaz perguntou e eu gargalhei

- Não cara, não viaja – falei com deboche – Eu a odeio e ela me odeia, a gente se suporta por obrigação – falei respirando fundo e me sentando na beirada da cama. - É muito complicado – disse por fim.

Então contei aquela merda toda, toda a porra da historia desde o começo mesmo, aquele lero lero, de 15 anos que não acabava mais. E eles me olharam e começaram a rir.

- Qual é? Do que estão rindo? – perguntei indignado com as risadas altas deles.

- Você ainda não esqueceu a garota, Bieber – Chris falou rindo.

- Claro que esqueci cara, não é isso, ela só me tira a paciência, mas eu vou dar um trato nela – falei firme e eles sorriram maliciosos.

- Só acho que deveria fazer isso rápido, tem cara a querendo, Bieber - meu estomago se revirou e o sangue ferveu, eu não a permito ficar com ninguém e ela sabe disso. Todos os mauricinhos que tentou rolar algo com ela, eu fiz questão de atrapalhar? Por que? Por posse! Eu era o único que podia a irritar, e me deixava irado saber que alguém a quer.

- Quem? – perguntei, não dando muita emoção.

- Zayn, é um garanhão daqui, o maior comedor, mas dizem que ele comeu a supervisora, pra ela liberar ele para alguns momentos particulares com umas gatinhas – ri alto. Que nível baixo.

- Se ele tentar chegar perto dela, ele nunca vai poder comer uma gata, por que vou fazer um estrago nele  - falei decidido.

- Você não é o dono da garota, Bieber – Chris falou

- Como eu disse... Só a gente que se entende... Ela tambem me controla as vezes, na verdade ela sempre atrapalha tudo tambem. A gente é um caso perdido  – tentei falar e ele me interrompeu

- Você não pode querer fazer nada na vida dela, sendo que ela não esta com você – a raiva estava me atingindo, eu vou explodi - ela só vai te odiar mais -  Chris falou e eu o olhei por um tempo e depois fitei o chão.

- Sabe o que eu prefiro? – elas me olharam – Odiá-la e pegar uma gostosa daqui e colocar no lugar dela – falei eles se entreolharam.

- Você que sabe, qualquer coisa já sabe – ele deu ombros todo feliz – É só escolher,q eu a gente arruma um jeito – sorri.

Chaz foi pegar alguma coisa pra comer e Chris foi estudar.

Eles eram fodas, gostava do jeito deles, ainda bem que não fiquei em quarto de virjão, por que eu iria morrer Pensava que o povo daqui era aqueles boiolas formais, que não tinha nem beijado ainda, mas vejo que essa escola só tem nome, por que pelo o que eu estou vendo eles não tomam conta realmente.

Agora não temos mais aulas, já vai dar 6 horas da tarde e depois é o jantar. E agora somos livres até as 9. E eu não tinha nada para fazer.

Troquei de roupa, sai do quarto e fui para o jardim da escola, tinha muitas garotas fazendo aula de ginástica então decidir dar uma espiada.  Estava atrás do muro, ali era um bom esconderijo, para dar perdidos. Inglesas, tem uma coxa maravilhosa. O papai aqui gosta. Eu estava olhando qual seria minha primeira vitima.

- Oi – Tiffany chegou sorrindo do meu lado

- Oi, garota problema! – ela riu

- Não foi minha culpa – ela falou com cara de santa, mas eu podia enxergar o par de chifres que tinha em sua cabeça. Essa garota é fogo.

- Qual é Tiffany? Eu vi tudo – falei e ela olhou para cima -  Por que fez aquilo ? – ela bufou

- Só não gosto dela – ela disse por fim  - Ela é muito... Muito... – ela perder as palavras.

- Muito? – reforcei

- Ah não sei, mas eu não gosto. – ela disse se emburrando.

- Isso é motivo de fazer aquilo?

- Ah qual é, vai ficar dando sermão? – ela cruzou os braços – De você eu quero outra coisa, Justin – ela disse passando as mãos no meu ombro. Safada do caralho.

- Ela brigou comigo achando que eu tinha coisa haver com isso – falei me lembrando.

- Pensei que se odiavam.

- E nos odiamos, mas ai isso piorou – expliquei.

- Você namora, Justin? – ela foi direta.

- Não – falei ríspido.

- Então se importaria deu fazer isso aqui? – ela se aproximou e antes que eu fizesse algo ela pegou meu rosto e colou nossos lábios, nem ligo pra essas coisas, a garota é bonita, e ta me dando mole... Eu não recuso mulher. Eu sou Justin Bieber, as coroas de Los Angeles, quase me imploravam por uma noite de sexo. Aliás... Todas me querem. Puxei sua cintura e pedi passagem para minha língua e assim começamos um beijo, ela rodou seus braços em meu pescoço e cravava suas unhas em meu cabelo, essa garota era o fogo.

Depois de algum tempo perdemos o fôlego e ela me olhou vitoriosa.

- Era isso que tanto queria? – perguntei – Era só ter pedido, gata – falei piscando.

- Quero marcar território – arqueei a sobrancelhas e olhei em volta e três garotas viram, eu as reconhecia, elas andavam com Tiffany. Meu olhar rodou mais alguns metros e Becky estava ali, quer dizer...  Rebecka e nossos olhares se encontraram.

- Ta tudo bem? – Tiffany falou seguindo meus olhos, olhando firme para meu rosto.

- Ta. Ta sim, mas não faz mais isso, pensei que era proibido – disse com um sorriso.

- Ah, ninguém precisa saber. – ela disse arrumando seu decote.

- Elas viram – apontei para umas garotas, e Rebecka continuava ali, de braços cruzados me olhando. Isso, olha mesmo.

- Ninguém seria capaz de me dedurar – ela disse sorrindo -  alias... a diretora nunca acreditaria, e fico feliz de saber que a Vadia viu e deve estar se mordendo – ela gargalhou

- Ela não liga nem um pouco – falei revirando os olhos e fiquei sério – E não chama ela de vadia – falei – Só eu posso fazer isso. – ela me olhou torto.

- Você vai aprender muito por aqui – ela disse – Quem manda, quem obedece, quem tem as coisas, quem não tem.... – ela disse.

- Pensei que você era mais boazinha – falei sarcástico e sorri.

- Você não me conhece Bieber – ela saiu rebolando, que bunda, hein gostosa?

Quando me dei conta Rebecka estava vindo até mim, batendo palma e sorrindo.

- Que belo Show – ela disse batendo mais ainda suas palmas – Eu vou começar a vender ingressos para seus espetáculos – ela disse sarcástica – E ainda mentiu hoje – ela me olhou com frieza.

- Ela que me beijou e o que você tem haver com isso? – fui grosso -  O que eu faço ou deixo de fazer, garota, você não tem nada haver – disse e sua expressão mudou, era raiva. Isso que eu quero. - Como eu pude pensar que a gente podia se dar bem?  - ri - Você é ridícula, uma idiota, , e está com ciúmes por que gosta de me ver no seu pé, e agora minha atenção é para outra garota – respirei e vi que ela voaria em mim qualquer hora, está gostando Becky? Ainda está pouco. – Eu estou amando o meu show – falei e sai de perto dela.

Doeu-me falar aquilo, mesmo eu a odiando, ela é o tipo de pessoa que se machuca fácil, ela deve estar quebrada agora, mas foi preciso. Ela merece. Ela tem que saber que se ela quis se meter comigo, ela não vai sair ilesa. Se ela quer me foder, eu fodo ela também, dos dois jeitos se for preciso.

Rebecka Ross P.O.V

 Eu não acredito que aquele idiota tinha falado daquele jeito comigo, minha vontade era de dar um tapa tão forte na cara dele, que ele cairia de não e não ia levantar mais, mas ele saiu me deixando ali sozinha. Eu acho que a diretora adoraria saber o show que teve de graça hoje na escola. Hora de dar o troco, não é Tiffany?

Caminhei por aqueles corredores enormes  indo em direção a  sala da diretoria, era muito longe de onde eu estava, essa escola é grande demais. Então apressei os passos. Finalmente já podia avistar a grande porta em minha frente e me aproximei dela, mas quando ia bater, um garoto loiro, se olhos cor de mel, e boca carnuda deu de cara comigo saindo de dentro da sala. Esse idiota, tinha que aparecer! Tava demorando! Que horas que ele não atrapalha tudo? NENHUM, por que a donzela do Bieber parece que sente meu cheiro de longe e vem rastejando igual cachorro.

- Você ta me seguindo, garota? – ele perguntou assim que bateu seus olhos em mim. Seus olhos castanhos estavam mais cor de mel do que o normal.

- Sim, claro, até por que tenho motivos para isso – falei irônica – Você acha que eu ia te procurar, depois de tudo que você falou? – ri sarcástica.

- Só falei verdades – deu ombros

- Quando eu quiser sua opinião, Bieber – falei chegando bem próxima dele, próxima até demais – Eu te pago pra saber, mesmo eu achando desnecessário, por que tudo que sai dessa sua boca podre é merda -  falei e ri pelo nariz. Bieber me olhou fundo. BEM fundo, eu estava tentando entender seu olhar, e por que ele me fitava tanto e não falava nada! Essa é a hora que você rebate e a gente briga de novo!

- Quer o roteiro? – falei cruzando os braços, e ele não entendeu. Burro.

- Como?

- Essa parte, você fala mais, e a gente termina brigando – falei contorcendo o cenho e ele riu sem animo.

- Hoje a historia vai ser diferente – ele disse pegando minha cintura e começou a caminhar para frente e eu automaticamente andando para trás.

- O que vai ser? – fiz meu olhar mais malicioso do mundo – A branca de neve quer dar pro sete anões? – ri – Chaz, Chris, Niall, Zayn...  Tem muito cara por ai – dei ombros e ele me empurrou na parede, ficando próximo até demais, eu conseguia sentir sua respiração perto da minha.

- Brinca, Rebecka – me olhou tão serio que eu chegava a querer morder seu maxilar quando ele o trava dessa forma -  Vou te mostrar quem eu quero – falou sussurrando no meu ouvido e por um segundo, eu senti minha respiração pesar.

- Quem? – sussurrei no seu – O Ryan? Esperava ele chegar, sempre soube que vocês eram um casal – pisquei e ele se manteve sério, Justin olhou pro lado, depois para o outro lado. O que esse merda tem na cabeça? Sua mão estava na minha cintura me prensando na parede.

Em um ato rápido, Bieber me virou de costas na parede e passou seus lábios no meu pescoço.

- Ta fraco, Bieber – ri pelo nariz e ele mordeu meu ombro – Quer descontar sua raiva? – respirei fundo quando senti meu corpo reagindo aos seus lábios na minha pele - Faz direito – impliquei e sabia que ele não seguraria. Era isso que eu quero.

- Aé? – ele disse e puxou meus cabelos para trás e mordeu meu pescoço e eu arfei. Um de seus braços contornava minha cintura o outro passava a mão da cintura até minha coxa na parte interna e ele passou de leve os dedos na minha intimidade. E logo os tirou de lá. Agora você mexeu, Bieber.

- Ta muito fraco – falei rindo e ele ficou puto, senti seu membro, já ereto na minha bunda, agora sim, Bieber. Soltei um leve gemido e sua mão devorou meu pescoço.

- O que você veio fazer aqui? – ele perguntou e eu estava perdendo os sentidos.

- Te dedurar, claro – ri e senti q ele fechou os olhos ao ouvir minha voz. Bieber é muito fraco.

- E ainda vai fazer isso? – ele me virou de frente pra ele. A Magali podia sair por aquela porta e nos pegar. Ia ser uma cena e tanto, aliás, Justin se ferraria por causa do showzinho de hoje.

- E por que eu não faria? – perguntei mordendo os lábios, ele estava louco para me atacar.

- Por que se eu for pra Alemanha – ele pegou minha mão e colocou no seu obdomem e foi descendo... – Vai ficar sem isso aqui – por fim parou no seu membro.  Eu tirei rapidamente minhas mãos de lá e lhe dei um leve empurrão.

- Nunca me fez falta – ri – você que me deseja, Bieber – cheguei bem perto dos seus lábios e ele fechou os olhos com tanta tesão. – Mas eu só estou começando. – falei - Pra quem está com atenção em outra garota... Você deu uma recaída não acha? - Ri sarcástica - Vai se fuder, Bieber -  por fim o empurrei saindo dali.

- Bom trabalho com suas mãos hoje – gritei soltando uma risada e mandei um beijo no ar.

CONTINUAAAAAAAAA?


Notas Finais


Não se esquecem de comentar, por que gente, é o mais importante!!!
E não se esquecem que eu estou postando outra fanfic "O intercambio" corre lá, Bieber é um professor bem safado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...