História Escolhas - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Dakota, Kentin, Personagens Originais
Tags Amor Doce, Bilirrubina, Dake
Exibições 10
Palavras 1.870
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Josei, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Escolha n10


Fanfic / Fanfiction Escolhas - Capítulo 11 - Escolha n10

Assim que Joana ficou sabendo que Katherine havia passado mal, foi correndo saber da filha e quando a encontrou, viu que a mesma conversava com Nathaniel. Ao ouvir sobre o que falavam, sentiu um pouco de culpa, pois causava esse tipo de preocupação. No entanto ao pensar em Dake e no quanto Katy e ele se davam bem, sua mente acalmou-se um pouco, visto que era só uma questão de tempo para que tudo se acertasse.

– Jô, tudo bem?

Ela virou-se e viu Kentin.

– Ah, sim, está. Foi bom eu te encontrar. – riu sem graça – Quero te pedir desculpas. Não devia ter descontado em vocês minha irritação naquele dia.

Kentiu abriu um sorriso largo antes de falar:

– Pelo visto sua irritação passou, né? – comentou, sugestivo.

Joana esbugalhou os olhos e os piscou rapidamente, dando-se conta de que ele também já sabia do que acontecera entre ela e Dake. Sem ter mais o que esconder, ela colocou uma mecha de seu cabelo azulado atrás da orelha e deu de ombros.

– Pelo jeito já estão todos sabendo. – foi a vez dele dar de ombros – E mudando um pouco de assunto, já estou sabendo também sobre você e Naomi.

Acanhando o moreno sorriu de canto e coçou a parte traseira da cabeça.

– Ela deve ter te contato. Bem... – inspirou – Vamos sair sexta e espero mesmo que dê tudo certo.

– Mas o quê? – perguntou espantada, era a primeira vez que via uma atitude positiva em Kentin relacionada a um possível romance entre ele e Naomi – Espera. V-você nunca disse...

– Nunca disse. – a interrompeu – Mas não significa que nunca senti. Sabe que não me expresso tão bem.

– Mas naquela vez que ela tentou se confessar, você entendeu errado e deu todo seu apoio a ela e Faraize.

– Eu tinha entendido que ela estava apaixonada por Faraize e por mais que me doesse, desejava que ela fosse feliz, mesmo que não fosse comigo. Jamais passou pela minha cabeça que ela sentia o mesmo por mim e nunca quis deixar Naomi em situações desconfortáveis por causa do que eu sentia. Por isso também que nunca abri o jogo com você e até mesmo com Dake.

– Acho que já te falei isso, mas você é muito tapado, Kentin. Faltava pouco pra ela se jogar em você.

– Dake me disse a mesma coisa. – falou após uma breve risada – Só demorei pra acreditar. Não disse que faziam um bom casal? Até partilham da mesma opinião.

– Kentin, menos. – ergueu a mão direita espalmada – Qualquer um com um par de olhos bons é capaz de perceber e antes que você me venha com desculpas, tenho que fechar as notas da 409. – mostrou o diário que segurava.

Deixou o colega no corredor e apressou-se para a sala dos professores. Como era horário de aula, estava vazia. Foi para junto da pilha de provas corrigidas em cima da mesa, pegou canetas azul e vermelha e voltou a escrever de onde havia parado. A escola já tinha um sistema informatizado, porém Joana gostava de lançar no diário antes de passar para o computador.

Não tinha anotado nem metade das notas quando ouviu uma batida na porta.

– Entra. – disse sem erguer os olhos dos papeis.

Escutou o barulho das dobradiças velhas rangendo, alguns passos e logo depois alguém a cumprimentou:

– Bom dia, vasílissa mou.

Ficou paralisada por um momento.

– D-dake... O que faz aqui? – levantou-se e foi até ele com um sorriso.

– Estava com saudades. Não te vi ontem. – disse ao enlaçar a cintura de Joana – Não consigo te tocar pelo Whatsapp.

– E como me achou aqui? – perguntou ao brincar com os cabelos dele.

– Kentin me disse que você tava na sala dos professores. Bem, eu conheço alguns lugares melhores do que outros...

– Como assim? – franziu o cenho – Você ficava com as meninas aqui na Sweet Amoris?

Ele nunca tinha visto Joana com ciúmes, ou melhor, se tinha visto, não se lembrava.

– Joana, eu era um adolescente... Isso é passado, agora só tem uma menina que eu desejo ficar. – beijou o topo de sua cabeça – Adivinha quem é?

Ficou na ponta dos pés e tocou os lábios de Dake com os seus antes de responder com um sorriso orgulhoso:

– Eu.

– Já não te disse que será minha pra sempre?

E lhe devolveu o beijo, sendo desta vez um pouco mais demorado. A mulher de cabelos azulados então mordiscou o lábio inferior de Dakota enquanto acariciava seu pescoço. Porém antes que ele pudesse beijá-la como ele queria, afinal era para aquilo que tinha ido à escola, a porta abriu-se.

Joana nunca tinha visto Faraize tão vermelho quanto naquele momento. Se ele pudesse cavar um buraco no chão e se esconder, com certeza teria feito. Desculpou-se numerosas vezes e deixou a sala dos professores aos tropeços. Dake, que havia sido rechaçado com a interrupção, abraçou Joana e enquanto ela escondia o rosto em seu peito, ele gargalhava com a cabeça apoiada nada dela.

– Tá vendo o que deu? – ela ergueu o rosto – É meu ambiente de trabalho.

– Eu sei. – enxugou uma lágrima de seus olhos – Mas é que meus equipamentos chegam hoje e essa semana toda vou ficar ocupado. Só queria te ver um pouco.

– Agora que já viu, é hora de ir embora. – segurando Dake pelos ombros, virou o homem e o empurrou para a saída – Senão nem eu nem você vamos conseguir trabalhar hoje.

– Ok, eu vou. Mas antes... – livrou-se das mãos dela e roubou um último beijo antes de ir.

 

Ao fim do dia Naomi acabou arrastando Joana para o centro da cidade. O objetivo era comprar uma roupa nova para seu encontro com Kentin, só que a ruiva foi um pouco além do plano inicial.

– Não acredito que comprou tanta coisa, Naomi! – Joana exclamou enquanto andavam pelo calçadão.

– Nem é tanta coisa assim, Jô. Tava precisando de umas coisinhas novas.

– Coisinhas? – ergueu uma sobrancelha – Olha só pra essas sacolas! Dava pra vestir umas cinco pessoas com tudo isso aqui.

– Joana. – inclinou o rosto para o lado – Não sou que nem você que fica repetindo roupa por aí.

– Repito mesmo. Roupa não é descartável. Se eu gosto, uso até não poder mais.

– É, tô vendo... – disse ao olhar para os shorts surrados que a amiga usava.

Joana apenas estreitou os olhos e apressou os passos, pois ainda tinha que buscar Katherine na casa de Válerie. Naomi logo alcançou a amiga e falou:

– Agora que você também desencalhou, devia comprar umas coisinhas mais... adultas.

– Gosto das minhas roupas do jeito que são. – rebateu.

– Não tô falando das suas roupas, amiga. Tô falando daquelas suas calcinhas gigantes e beges.

– São confortáveis e para sua informação... – olhou de soslaio para ela – Dake prefere que eu fique sem elas. Agora, se você acha que precisa mais do que isso pro Kentin... – deixou o resto da sentença no ar.

– Sua vaca! – disse de brincadeira

Pegou a primeira peça de roupa de uma bolsa e arremessou em Joana, que rapidamente desviou. Aproximou-se da lingerie caída no chão e balançou o fio dental vermelho no indicador direito.

– Hum... Então é isso que tem em mente pro seu primeiro encontro com o diretor? Que safada!

As pessoas que caminhavam pela orla começavam a prestar atenção na conversa delas.

– Joana, me dá isso logo. – correu e pegou sua calcinha – Os outros tão olhando.

– Deixa olhar. Que mal tem? – começou a falar mais alto – Até parece que eles nunca...

Naomi tapou a boca de Joana com a mão.

– Para! – tentou repreendê-la, mas ela mesma estava prestes a cair na gargalhada.

Joana tentou falar alguma coisa, mas não conseguiu, visto que a amiga permanecia tampando sua boca. A ruiva pediu desculpas, soltou Joana que pôde finalmente atender o telefone que tocava. Era Valérie avisando que havia levado as crianças para brincarem na praia.

Naomi pegou as sacolas que a outra carregava e foi para casa primeiro. A mãe de Castiel avisou que estavam num pequeno parque perto a um restaurante. Joana sabia bem onde era, já que Katy uma vez “desapareceu” lá.

 

Finalmente acabou de organizar as coisas que chegaram hoje. Dakota sentia-se moído e tinha dores em lugares que nem sabia que doíam quando se espreguiçou. Mas sorriu ao ver seu novo negócio tomando forma. Faltavam ainda alguns equipamentos, porém tudo o que havia imaginado para sua loja estava se tornando mais palpável.

Tirando a roupa enquanto andava, foi para seu banheiro tomar um bom banho. Enquanto a água morna do chuveiro fazia seus músculos relaxarem, ele repassava mentalmente o que faria no dia seguinte quando seus pensamentos fugiram para Joana.

Estava certo quando supôs que ela era a parte que faltava em si. Nem dois dias estavam juntos e tudo parecia diferente. Poderia parecer piegas, mas até os momentos simples despertavam nele um sorriso ou a vontade de partilhá-los com ela. Ela... aquela por quem esteve procurando por tanto tempo sem sucesso. Parecia ser praticamente impossível encontrar alguém somente por uma foto que sequer mostrava o rosto da pessoa, apenas uma tatuagem perto do pulso, no entanto nunca desistiu. Sabia que ela era seu destino.

Saiu do banho e foi para o quarto, porém antes de vestir-se, pegou novamente a caixa em que guardava a foto. Com um sorriso a colocou sobre a cama e começou a pôr sua roupa. Uma bermuda escura e uma camiseta branca com uma praia estampada. Guardou a foto no bolso traseiro e deixou sua casa, com intuito de ver Joana mais uma vez.

Não demorou muito para encontrá-la. Estava sentada num dos bancos do parquinho, de costas para ele. Ao seu lado estava Valérie conversando sobre os filhos, que brincavam um pouco distantes. Escolheu esconder sua presença mais um pouco e assim ver quando realmente poderia conversar com Joana.

– Vai ser só no mês que vem. – disse a morena – E ele pediu pra ser com o tema Operação Big Hero.

– Katy também ama esse filme. – Joana sorriu.

– Pois é... – suspirou – Parece que foi ontem que saí da maternidade com ele nos braços. E agora já vai fazer seis anos.

– É verdade, daqui a sete meses vai ser a minha Katherine. Quero nem ver o que ela vai me pedir de presente... O Xbox ainda me tira o sono!

As duas riram e enquanto isso a mente de Dakota ia a mil. Joana era a mulher da foto que guardava, Katy era filha dela e tinha 5 anos e 5 meses. Pegou a foto em seu bolso e levando em consideração a data em que ela foi tirada... Os olhos de Katy do mesmo verde que os seus... Dake levou a mão à boca, desacreditado. Aquilo não podia ser verdade. Sequer podia acreditar. Como que alguém... Não. Joana não faria isso.

Ou faria? O que sabia dela? Praticamente nada.

Mas saberia agora.

Com passadas largas logo se pôs ao lado das mulheres. Após um pequeno susto inicial, ambas o cumprimentaram. Percebendo uma atmosfera estranha entre eles, Valérie deu uma desculpa qualquer e foi brincar com Cassy e Katy.

– Er... Tá tudo bem? – Joana mordeu o lábio inferior quando Dake apenas a encarou – Sobre hoje de manhã, não quis ser rude, mas... – tentava pensar em algum motivo para ele estar daquele jeito – Desculpa.

– Não quero ouvir suas desculpas. – Joana fitou Dake com espanto – O que você fez não tem perdão.


Notas Finais


Sem prévias porque o próximo capítulo é a escolha final.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...