História Escolhas do Coração - Divergente [NamJin] - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Divergente
Personagens Jeanine Matthews, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Marcus Eaton, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abnegação, Amizade, Audácia, Bts, Bts×divergente, Divergente, Erudição, Franqueza, Jin, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Lana Del Randa, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Sem Facção, Seokjin, Yaoi
Visualizações 13
Palavras 1.208
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sci-Fi, Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E aê

MC Lana novamente
Kjksksmsjsjsjsjssj

De onde eu tirei isso? Que merda hushaujas

Sei que demorei, mas passei a madrugada toda escrevendo.
É um capítulo fofinho, aliás, para quem não sabe, o título "Filia" é uma das formas de amar, neste caso como um pai/mãe ama os filhos. E como todos nós sabemos, Omma Jin ama todos aqueles seis amorzinhos.

Espero que gostem.
~♡

Capítulo 3 - Filia


Fanfic / Fanfiction Escolhas do Coração - Divergente [NamJin] - Capítulo 3 - Filia


"Eu serei minha perdição se me tornar minha obsessão. Eu esquecerei aqueles que amo se não os servir. Eu guerrearei com os outros se me recusar a vê-los. 
Portanto, escolho me afastar de meu reflexo. Para não confiar em mim mesmo e sim em meus irmãos e irmãs, Para projetar sempre para os outros, Até eu desaparecer."

Manifesto da Abnegação


[SEOKJIN POV. ON]


Ver Namjoon se deliciando com a comida me trouxe um calor no meu coração. Algo tão diferente, nunca havia sentido isso antes.

Taehyung veio junto com Hoseok, Jimin e Jungkook ás cinco da manhã. Eu tinha ouvido alguns gritos, estranhei e decidi verificar. Estava feliz em vê-los de novo, mas me senti mal porque sabia que alguém tinha feito algum mal àqueles garotos.

Imediatamente me dispus a ajudá-los novamente, como um bom abnegado faria. Mas não pratico o altruísmo só por causa da minha facção. É como se tivesse nascido comigo, como se fossem meus instintos.

Me lembro que eles já disseram ter apanhado outras vezes dos outros sem-facção, depois eram obrigados a deixar o lugar onde viviam. Não suporto imaginar que alguém bateria numas crianças desamparadas. O que levaria um sujeito civilizado a bater numa criança? Principalmente nestas condições?

De acordo com o que Yoongi me falou, o sujeito que os atacou nesta madrugada foi um ex-membro da Audácia, um dos iniciandos expulsos da facção. O que mais me surpreende é que a Audácia se tornou exatamente aquilo que eles combatiam.

  - Não, Seokjin. Eu quem agradeço novamente.

  - Já disse que não precisa me agradecer, Namjoon. Aliás, admiro sua coragem.
 
Os atuais membros e líderes da Audácia precisam aprender mais sobre bravura com Namjoon. Para mim, a verdadeira coragem é se arriscar para defender aqueles que precisam de você. Coragem requer altruísmo na maioria das vezes.

  - Simplesmente precisava proteger Yoongi e os outros meninos. Não podia somente ficar parado e deixar ele apanhar.

 - Entendi. - Sinto a mesma coisa ao saber da situação deles e não fazer nada a respeito. -  Se houver algo que possa fazer por vocês, contem comigo.


  Namjoon sorri, e pude perceber as covinhas que se formavam em suas bochechas, o que torna seu sorriso mais adorável e meigo.

  - Você me faria um favor, Namjoon?

  - Claro.

  - Ótimo, deixarei vocês ficarem aqui comigo, só que preciso trabalhar. Vocês poderiam tomar conta de casa enquanto estou fora?

  - Se não for problema.

》》》

Sou um funcionário do governo, assim como meu pai e minha mãe. A Abnegação assume essas funções simplesmente porque não temos ambição e cobiça pelo poder. Lembro da minha mãe, que era da Erudição, me contando sobre os ditadores e monarcas  do passado. Pessoas corruptas e imundas que só faziam o que lhes interessava. Para mim, a política é algo para o povo, onde as pessoas cuidam dos outros.

Paro um pouco para conversar com minha mãe, que me falara sobre o tal filho de Marcus Eaton. Havia encontrado com eles um desses dias e ela havia notado que o garoto estava com um comportamento estranho. Tobias era somente um ano mais novo que eu, e sua Cerimônia de Escolha estava próxima. Talvez ele perceba que não faz parte mesmo da Abnegação.

  - Quem sabe ele se identifique com outra facção, não é? - Digo brevemente. Nunca gostei muito de me meter na vida alheia. Para mim tais assuntos não me diziam respeito.
 
  - Pode ser, Jin. Acredito que Marcus é um pouco suspeito.

  - Mãe, falando em crianças, hoje achei seis garotos sem-facção e estou tomando conta deles. Eles tem entre doze e sete anos.
 
  - Verdade? Que bom.
 
  - Pretendo criá-los como filhos, mãe. Eu sei que eles precisam de uma oportunidade. Eles vão viver comigo como abnegados.

  Até onde sei, nunca ouvi falar de algum pai ou mãe adotivos na Abnegação. O que me parece esquisito, pois creio que adotar alguém é um ato de amor ao próximo.
Também não haviam pais solteiros na nossa facção, a menos que um dos pais tenham falecido, como era o caso de Tobias.
Apesar de não gostar de casamentos forçados, nem tenho interesse em mulher alguma, mas eu faria isso pelos meninos que quero salvar.
A maioria das pessoas na Abnegação crê que a família precisa ser constituída de um homem e uma mulher, e que um depende do outro. Como algumas pessoas são religiosas, um casamento com alguém do mesmo sexo soaria ofensivo aos olhos de Deus.
Sei que Deus ama todos nós por igual, ainda que com seus pecados, pois somos somente humanos. Talvez amar alguém do mesmo sexo é a coisa mais banal, até porque eu estaria amando alguém, não odiando.


》》》


Volto para casa num ônibus, já que não temos carro. Vi num livro da escola que numa época anterior todos tinham um carro, além das pessoas ficarem sedentárias, elas poluiam o planeta que vivemos. Lembro-me das imagens de amplas ruas entupidas de automóveis.

Penso em como haviam carros demais, então haviam pessoas demais. Isso me deixa intrigado. Como se Chicago, o único lugar que conheço, fosse somente um grão de areia no enorme deserto. O mundo deve ser muito grande para existir distância suficiente para que as pessoas precisassem de um carro.

No caminho, vejo uma senhora que provavelmente é da Amizade. Percebendo sua dificuldade ao subir os degraus, me disponho para ajudá-la.

  - Obrigada, rapaz. - Disse ela, com um sorriso que retribuo.

Desci na rua onde fica minha casa. As casas aqui são praticamente idênticas. Uma das coisas que gosto na Abnegação é a maneira de como nos sentimos bem sem precisar de muito. Talvez quando os garotos morarem aqui comigo seja necessário dividirem os quartos.
Ao chegar em casa, sinto um cheiro de fumaça e sons de tosse. Corri desesperado e me deparei com um Yoongi tentando fazer comida.


  - Yoongi! O que você...?
 

 - A gente estava com fome e fui tentar cozinhar aqui.

  Taehyung e Namjoon vieram para a cozinha, um tirou o casaco azul e começou a espantar o cheiro de queimado que infestava o ambiente, o outro pegou a panela e perguntou:

  - Que diabo você achou que ia fazer?
  

- Pelo menos eu tentei fazer algo para a gente comer, não é, idiota?

 - Esse fogão funciona a gás e você poderia ter explodido tudo...

- Querem parar de brigar? -  Meu tom de voz se elevou. Não sei como aconteceu, foi como se fosse algo dentro de mim. Namjoon e Yoongi me olhavam assustados, talvez fosse pela fama da Abnegação de serem passivos.
 
  - Desculpe por tudo, Seokjin. - Os dois disseram em uníssono. Eu preciso entender que nenhum deles sabe cozinhar, já que passaram boa parte das vidas comendo comida enlatada. Felizmente não houve nada demais além da panela que acabou queimando com a comida. Voltei à minha calma e pensei numa boa solução.
  

 - Vocês não precisam mais brigar. Agora eu estou aqui, posso fazer a comida.
  

- Tae, Yoongi! Vocês precisam provar a comida do Jin. -  Disse Namjoon, chamando os outros garotos, pedindo para eles virem até a cozinha. -  É  a melhor coisa que eu já comi!

E é esse elogio, que me fez sentir bem, com algo que nunca senti antes. Gostaria que todos os dias fossem assim, com essas pequenas alegrias que significam muito para mim.


Notas Finais


Nos avisos da fanfic tá escrito "Homossexualidade", além das tags com os shipps entre eles.
E não estou querendo ofender a crença de ninguém, então SEM MIMIMI!

Omma já mostrando que bota moral se precisar ljksj
"Eu me esforço até o talo do cu pra te dar educação boa, porra" - Omma Jin, WTF Bangtan -Não sei que ano foi.

Aliás, se houverem erros ortográficos ou de coerência, me avisem para eu ajeitar o mais rápido possível.
Se gostarem, podem curtir, comentar, fazer panfletagem. É saudável e não engorda ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...