História Escolhas do Coração - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adultério, Drama, Lesbianismo, Romance
Exibições 33
Palavras 3.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Capítulo Novo !!!
Primeiro quero agradecer a todos que comentaram, favoritaram e que acompanham EC

Música: Kiss Me - Ed sheeran

Leiam as Notas finais !!!

Capítulo 22 - When a kiss is just kiss


Fanfic / Fanfiction Escolhas do Coração - Capítulo 22 - When a kiss is just kiss

Ainda é muito cedo quando Dani entra na porta que a leva até a UTI. Em uma das camas está Skyler ligada a aparelhos que apitam com o rosto pálido, cheio de hematomas. As gotas do sono preso em um dos braços dela caem lentamente. Partes dos cabelos ruivos dela haviam sido removidas para a cirurgia e a cabeça está enrolada com uma faixa branca dando a ela uma aparência de grande fragilidade, nem de longe parece à mesma ruiva destemida.

Durante alguns minutos a médica fica apenas observando a jovem e então olha para há horas no relógio dourado que carrega no pulso antes de caminhar na direção do aparelho checando cada sinal vital, enquanto faz anotações no arquivo.  Até a pessoa mais forte quando doente se torna tão frágil como se a qualquer minuto a força vital desapareceria como uma chama fraca.

Com um suspiro, ela caminha na direção da cama onde Sofia está deitada, que ao contrario de Skyler suas condições vitais são mais estáveis e depois de examinar minuciosamente a paciente sai, sentindo um grande cansaço dominar, mas mesmo assim sente uma grande necessidade de ve-la, é como se sentisse apenas viva quando estava com ela ao seu lado.

Ela compra dois copos de cafés grandes e com o coração batendo forte vai vencendo a distancia até a sala, vendo Taylor sentada em uma das cadeiras mais afastadas com os olhos fechados, como se ainda tivesse adormecida. Silenciosamente, desliza na direção dela parando na sua frente, observando cada traço daquele rosto feminino com atenção.

 

Taylor: Acho que nunca vou me acostumar sendo observada desta forma.

 

Taylor continua com os olhos fechados, mas um sorriso em seus lábios denuncia que na verdade está acordada e aos poucos vai abrindo seus olhos, mas ele desaparece como se naquele momento tivesse tomado consciência que aquilo não havia sido apenas um sonho ruim, mas uma realidade cruel.

 

Dani: Você está horrível. . .

 

Taylor encara Dani e vê uma expressão cansada naquele rosto. Seus cabelos estão presos em um coque frouxo, mas alguns fios haviam escapado dando a ela um ar mais descontraído. Olheiras escuras envolvem seus olhos.

 

Taylor: Você também não está nada bem.

 

Dani senta – se na cadeira vazia ao lado de Taylor oferecendo o copo de café para a jovem que ergue as sobrancelhas antes de pegar, fazendo com que seus dedos se tocassem levemente causando arrepios por todo o seu corpo. Durante alguns segundos seus olhos ficam conectados e as respirações se aceleraram. Taylor tem olhos escuros tão expressivos que as vezes que às vezes Dani parece se perder neles enquanto o mundo ao seu redor parece perder a importância.

 

Dani: Como você está se sentindo?

 

Taylor olha para Dani com uma expressão de dúvida no rosto. Não sabe se ela falava sobre o que havia acontecido entre elas ou se é sobre o atentado a Skyler. Sem pensar muito no que está fazendo, a médica coloca a sua mão nas de Taylor e novamente seus olhos se encontram.

Sem conseguir dizer nada, a jovem entrelaça seus dedos nos da médica e sorri, sentindo seu coração bater de forma acelerada.

 

 

= = = = = = = =

 

Júlia olha para a mulher a sua frente com uma expressão chocada no rosto.  Fazia um bom tempo desde a ultima vez que a via, mas foi só ela estar a sua frente que a médica se sente como uma adolescente na frente do seu crush secreto. Camilla a olha com intensidade como se quisesse ler seus sentimentos, fazendo com que a morena desviasse seus olhos. Não queria parecer uma idiota olhando para aquela mulher que sempre tivera o dom de mexer totalmente com os seus sentimentos.

 

Camilla: Eu posso entrar?

 

Júlia revira os olhos, dando um suspiro muito grande como se analisasse suas possibilidades de resposta. Conhecia o gênio decidido da loura por quem se apaixonara no colegial e ela não desistia quando realmente desejava algo. Mas não se sentia segura quando fica tão próxima a ela.

 

Julia: Se eu disser que não vai adiantar?

 

Camilla permanece apoiada no batente da porta sem fazer nenhuma menção de entrar.

 

Camilla: Não vou entrar se não me permitir, mas realmente preciso falar com você. Prometo que não tentarei nada, apenas quero que me de o direito de defender – me das acusações que fez.

 

Julia dá um suspiro. A verdade é que tinha medo de ceder a isto e acabar se entregando novamente ao desejo que ainda sente latente dentro do seu corpo.

 

Julia: Acha que isto mudará alguma coisa entre nós?

 

Camilla: Pelo menos saberá a verdade.

 

Durante alguns minutos, ficam se encarando. Sabe que Sófia ficaria bastante chateada se permitisse que Camilla entrasse no apartamento, mas no fundo sabe que mesmo Camilla não sabendo que é a outra mãe de Julie, devia isto a ela.

 

Júlia: Entre Camilla. . .

 

Júlia dá um passo para o lado e Camila dá um longo suspiro, sem perceber que havia mantido durante algum tempo a sua respiração, antes de entrar, olhando em volta. Fazia muito tempo desde a ultima vez que estivera naquele lugar, mas mesmo assim se fechasse os olhos era como se tivesse acontecido no dia anterior. Ela fecha os olhos sentindo um aperto no peito e a médica observa tudo em silêncio com aquela sensação de nervosismo.

 

Júlia: Camilla.

 

Ao ouvir seu nome ser chamado, Camilla abre seus olhos que estão rasos de lágrimas. Não é nem necessário perguntar o que passa na mente da loura porque a conhece o suficiente para saber que ela esta envolvida por fortes emoções do passado.

 

Camilla: Sei que te dei vários motivos para que me odiasse no passado, mas quero que saiba que em nenhum momento fui capaz de relevar seu passado de maneira tão vil quanto esta.

Como poderia te causar esta dor quando o meu maior desejo sempre foi poder ama-la?

 

Julia olha com reprovação para Camilla que se aproxima até ficar a poucos metros dela. Estão tão próximos que sente suas respirações se misturarem enquanto seus olhos estão conectados.

 

Julia: Porque está fazendo isto comigo? Porque me tortura desta forma?

 

Antes que ela pudesse reagir, Camilla pega a mão de Julia entre as suas que estremece como se tivesse levado uma carga de eletricidade muito grande. Suas respirações por um breve instante foi suspensa.

 

Camilla: Eu nunca quis te magoar. Muitas vezes agi errado com você no passado, mas mesmo quando eu pensei te odiar na verdade eu nunca deixei de te amar. Você foi meu primeiro amor e tenho certeza que sempre vou te amar.

 

Julia: Não faz isto Camilla. Já nos magoamos demais então porque não esquecer o passado e seguir em frente?

 

Camilla toma Julia em seus braços envolvendo – a pela cintura, colando seus corpos, fazendo com que a frequência de sua respiração aumentasse ainda mais e seus corações disparassem.

 

Camilla: Eu juro que fiz de tudo para tentar esquecer o que sinto por você, mas é mais forte. Eu amo você Julia Fox. . .

 

Julia: Camilla. . .

 

 

Settle down with me

Cover me up

Cuddle me in


 

Lie down with me

And hold me in your arms


 

And your heart's against my chest

Your lips pressed in my neck

I'm falling for your eyes

But they don't know me yet

And with a feeling I'll forget

I'm in love now


 

Kiss me like you wanna be loved

You wanna be loved

You wanna be loved

This feels like falling in love

Falling in love

We're falling in love


 

Settle down with me

And I'll be your safety

You'll be my lady


 

I was made to keep your body warm

But I'm cold as the wind blows so hold me in your arms


 

And your heart's against my chest

Your lips pressed in my neck

I'm falling for your eyes

But they don't know me yet

And with a feeling I'll forget

I'm in love now


 

Kiss me like you wanna be loved

You wanna be loved

You wanna be loved

This feels like falling in love

Falling in love

We're falling in love


 

Yeah I've been feeling everything

From hate to love from love to lust

From lust to truth I guess that's how I know you

So I hold you close to help you give it up


 

So kiss me like you wanna be loved

You wanna be loved

You wanna be loved

This feels like falling in love

Falling in love

We're falling in love


 

Kiss me like you wanna be loved

You wanna be loved

You wanna be loved

This feels like falling in love

Falling in love

We're falling in love

 

Acalme-se comigo

Me cubra

Me abrace

 

Deite-se comigo

E me segure em seus braços

 

O seu coração contra meu peito

Seus lábios pressionados em meu pescoço

Eu estou me apaixonando por seus olhos

Mas eles ainda não me conhecem

Com um sentimento que vou esquecer

Estou apaixonado agora

 

Então me beije como você quer ser amada

Você quer ser amada

Você quer ser amada

Este sentimento é como se apaixonar

Apaixonar-se

Nós estamos nos apaixonando

 

Acalme-se comigo

E eu vou ser a sua segurança

Você vai ser minha garota

 

Eu fui feito para manter seu corpo quente

Mas sinto frio quando o vento sopra, então me abrace

 

O seu coração contra meu peito

Seus lábios pressionados em meu pescoço

Eu estou me apaixonando por seus olhos

Mas eles ainda não me conhecem

Com um sentimento que vou esquecer

Estou apaixonado agora

 

Então me beije como você quer ser amada

Você quer ser amada

Você quer ser amada

Este sentimento é como se apaixonar

Apaixonar-se

Nós estamos nos apaixonando

 

Sim, eu venho sentindo tudo

De ódio ao amor, do amor à luxúria

Do desejo à verdade, acho que é assim que te conhecerei

Então eu te abraço forte para que você deixe tudo

 

Então me beije como você quer ser amada

Você quer ser amada

Você quer ser amada

Este sentimento é como se apaixonar

Apaixonar-se

Nós estamos nos apaixonando

 

Então me beije como você quer ser amada

Você quer ser amada

Você quer ser amada

Este sentimento é como se apaixonar

Apaixonar-se

Nós estamos nos apaixonando

 

 

Camilla toma os lábios de Júlia em um longo beijo tentando ali demonstrar todos os seus sentimentos por ela e sem conseguir resistir, Julia entreabre os lábios, permitindo que Camilla a beijasse, colando seus corpos. Como se houvesse reconhecimento suas línguas se procuram e se deslizam em uma carícia erótica aumentando ainda mais o desejo que pulsa dentro delas.

Julia geme baixo, agarrando a nuca de Camilla enquanto seus lábios deslizam pelos da loura.

De repente, escutam uma voz infantil longe, fazendo com que Júlia a empurrasse no momento que Julie entra na sala, vestida com um pijama rosa de ursinhos, uma expressão sonolenta no rosto e os cabelos louros em desalinho.

 

Julie: Mammy. . .

 

Julia olha para a menina aproximar com um sorriso nos lábios e logo depois entra Caty que tem uma expressão aflita no rosto.

 

Caty: Desculpe Julia, mas Julie correu para cá antes que eu percebesse.

 

A médica olha para a jovem a sua frente como se tentasse desvendar a expressão no seu rosto. Ela fica se perguntando se ela teria visto o beijo que havia trocado com Camilla ou a declaração de amor da loura, fazendo com que se sentisse tensa.

 

Julia: Dormiu bem minha princesa?

 

A menina sorri balançando a cabeça em sinal de afirmação e de repente seus olhos se voltam para a mulher parada próxima a mãe, olhando na direção dela com curiosidade. Julia sente o coração bater acelerado, afinal aquele é o primeiro contado da sua filha com a outra mãe, embora a menina soubesse que tinha outra mãe não contara mais detalhes sobre isto porque sempre a considerava pequena ou simplesmente por medo de se Camilla descobrisse tentasse tirar Julie dela.

 

Julie: Dormi sim.  Caty pode me levar para brincar lá no parque?

 

Julia pega a filha no colo enchendo a filha de beijos no rosto e estranhamente Camilla sente uma grande emoção ao ver aquela cena. Sempre sonhara ter uma família com Julia e ao ver assim se permitiu recordar de todos os sonhos que desejara compartilhar com a médica antes de tudo desmoronar ao ser abandonada no altar no dia do seu casamento. Aquela menina podia ser sua filha.

 

Julia: Primeiro vamos tomar um gostoso café. . .

 

A médica coloca a menina no chão que se vira de repente olhando com curiosidade para Camilla que tem os olhos cheios de lágrimas e sorri para a menina que tem olhos azuis.

 

Julie: Oi eu sou Julie Fox. . .Você é amiga da minha mommy?

 

Camilla é tomada por uma emoção tão grande que apenas consegue concordar com um gesto na cabeça e a menina toca na perna da loura que abaixa até ficar na altura da menina

 

Camilla: Sim, eu sou Camilla Moura.

 

A menina em um gesto impressionante toca no rosto de Camilla afastando as lágrimas que teimam em cair no rosto da loura, como se não entendesse o motivo.

 

Julie: Chora não Cami, mommy vai fazer panqueca. Mommy, a Cami pode comer panquecas com a gente? Ela tá chorando. . .

 

Julie olha com expectativa para a mãe que hesita e olha para Camilla que sorri para a menina com carinho, passando a mão pelos cabelos claros da menina, fazendo com que ela sentisse aquela mistura de emoção e ao mesmo tempo apreensão.

 

Julia: Camilla é uma pessoa muito ocupada e acho que ela deve ter muita coisa para fazer.

 

A menina fez uma expressão triste no rosto e se seguiu um bico, fazendo com que Camilla sorrir. Julia sempre fazia algo assim quando queria algo, mas era contrariada. Toda vez que ela usava este artificio sempre acabava cedendo ao desejo dela e isto sempre acontecia.

 

Julie: Cami?

 

Camilla pega a garota no colo que sorri, tocando no seu rosto.

 

Camilla: Se sua mãe não se importar. . .Sabe que eu tenho um filho da sua idade?

 

Tanto Camilla quanto Julie olham para Julie com expectativa, fazendo com que Julia sentisse pressionada a aceitar aquilo, mesmo sabendo que poderia estar podendo abrir um perigoso precedente para que Camilla usasse aquilo para se aproximar.

 

Julia: Estou fazendo isto pela minha filha, não ache que vai mudar alguma coisa.

 

A médica fala em um tom baixo, mas suficientemente alto para que Julia ouvisse e ela concorda com um gesto na cabeça.

 

Julia: Filha, Cat vai mudar a sua roupa enquanto preparo suas panquecas. . .

 

A menina bate palma animada, fazendo com que Camilla colocasse Julie no chão que corre na direção do quarto com uma Caty atrás dela de forma esbaforida.

 

Camilla: Julia, eu. . .

 

Julia olha muito o sério na direção de Camilla.

 

Julia: O que aconteceu aqui foi só uma recaída. Aquele beijo foi apenas um beijo, afinal você tem uma família e um filho.

 

Camilla segura Julia pelo pulso, fazendo com que ela se virasse , encarando-a sem demonstrar nenhum tipo de sentimentos.

 

Camilla: Você está mentindo Julia. Sei que este beijo significou tanto para você quanto para mim. - Julia tenta soltar se, mas a loura continua a segura –la – Diz que não me quer, que meus beijos não a deixam louca. . . .

 

Julia estremece quando os dedos dela deslizam pela pele do seu pulso causando arrepios, fazendo com que ela soltasse uma praga por seu corpo a trair daquela forma, reagindo a cada toque.

 

Julia: Pare com isto, você é uma pessoa casada.

 

Camilla: Eu pedi o divórcio. Maya e eu não somos mais casadas.

 

Ao ouvir aquilo, uma exclamação de surpresa escapa dos lábios de Julia e então ela olha para a mulher a sua frente como se quisesse confirmar aquela noticia bombástica.  Camilla apenas confirma com um gesto na cabeça, mas no momento que abre a boca para dizer algo Julie entra que nem um furacão dentro da sala e rapidamente a loura solta Julia que sente trêmula.

 

Julie: Mommy? Cami?

 

Tanto Camilla quanto Julia olha para a menina, antes da médica caminhar na direção da cozinha enquanto a loura conversa com a loura, que mostra algo na sua carteira. Julia está tão transtornada com todas aquelas informações que acabou queimando não só as panquecas como os dedos, fazendo com que Camilla se aproximasse olhando para a morena que tem a ponta dos dedos na boca e se ela soubesse como aquele simples gesto causa ondas de calor nela, certamente evitaria isto. Como se lesse a mente de Camilla, ela tira o dedo dos lábios vendo a filha aproximar torcendo o nariz ao ver o que sobrara da omelete queimada.

Camilla se aproxima vendo Julie com um bico maior do que a sua boca e Julia tem no rosto uma expressão aborrecida. Novamente a loura havia entrado na sua vida para vira –la de cabeça para baixo, mas podia negar Camilla o contato com a filha que nunca soubera ter?

 

Julia: Vou mudar de roupa e todos vão tomar café no Starbucks, depois você pode ir ao parque com Caty.

 

Julia dá um beijo na testa da filha e lança um olhar para Camilla antes de caminhar na direção

do quarto.  Após de arrumar decide voltar para a sala vendo Julie e Camilla sentadas no sofá conversando. Era a primeira vez que sua filha se apegava tão rapidamente uma pessoa que não conhece. Seria a força do DNA? Às vezes Julie se parecia tanto com Camilla que chegava ser assustador, mas ao mesmo tempo tinha uma sensibilidade muito grande para uma pessoa tão pequena.

 

Julie: Mama, Cami disse que gosta de panquecas também. . .  – Camilla passa a mão pelos cabelos da menina em um gesto de carinho, fazendo com que Julia sentisse uma grande emoção dentro do seu peito – Contei a Cami que tenho uma mama, uma mommy e uma papa.

 

Ao ouvir aquilo, Julia sente o rosto empalidecer e ela tem a inteira certeza que está sendo observada por Camilla. Sabe que quando chegasse a hora ia ter que contar a verdade a loura e pela maneira como Julie havia se apegado com tanta rapidez talvez não fosse traumático para ela, mas ainda havia Sofia, lutando pela vida na UTI do hospital, a mulher que ficara ao seu lado todos estes anos, ajudando a criar a sua filha. Não podia fazer isto com ela.

 

= = = = = =

 

Maya anda de um lado para outro no escritório de forma tensa. Tudo havia explodido como uma bomba atômica e agora o que menos queria acontecera: Camilla a abandonara definitivamente para ficar com aquela maldita Julia Fox. A irritação é tão grande que sente seu sangue borbulhar de fúria no momento que o telefone toca, fazendo com que ela levasse ao ouvido sem ver o nome escrito no visor.

 

XXX: Você me ligou. O que quer Maya?

 

A voz masculina está muito séria e provavelmente não é apenas ela que estava enfrentando problemas naquele momento, mas não queria se preocupar com as dificuldades alheias, tinha seus próprios demônios para exorcizar naquele momento.

 

Maya: Você deve saber o que aconteceu. . .- O homem do outro lado da linha concorda com uma exclamação de esgar –Camilla me obrigou a assinar a separação e agora está livre.

 

O palavrão que ele solta deixa claro que assim como ela, também não estava nada satisfeito com o rumo daquilo tudo.

 

XXX: Não se pode deixar nada na mão de mulheres, tão frívolas e fracas. Eu estou com meus próprios problemas para resolver, mas qual seu desejo.

 

Maya pega o porta retrato em cima da mesa, ali tem uma foto dela com Camilla e Rafael. Todos sorriem para câmera como a propaganda de família perfeita quando na verdade nunca existiu perfeição nenhuma ali. Camilla nunca havia amado – a, ela havia feito de tudo para manter aquele casamento, mesmo sabendo que existiria uma hora que não se sustentaria mais.

 

Maya: Quero Julia Fox definitivamente fora do meu caminho. Não vou deixar aquela vadia tomar o que é meu por direito. . .

 

Ela joga o porta retrato na parede que quebra caindo aos pedaços no chão enquanto Maya sente o corpo todo tremer reagindo ao acesso de fúria.

 

XXX: Controle – se Maya. Tudo sairá conforme nosso intento. . .

 

Da mesma forma que o telefonema iniciou ele termina e durante alguns minutos, Maya fica ali no escritório sentado na cadeira com um sorriso estranho congelado nos lábios. O ódio que sente por Julia Fox e tão grande que ela séria capaz de sufocar aquela mulher com suas próprias mãos, mas tinha que fazer tudo com calma. Assim teria Camilla de volta para ela e seria novamente a família perfeita.

 

                                                          

                                                             (Continua)

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Quero agradecer a todos que estão acompanhando EC
Comentem, opinem, façam uma escritora feliz !!!

Momento fofo entre Julie e Camilla !!! Momento de fúria de Maya

- O que vocês acham que vai acontecer quando Camilla descobrir que Julie é filha dela com Julia e que a médica nunca contou a verdade á ela?

- Será que Skyler vai sobreviver ao coma e lutar pelo amor de Taylor?

- Como vocês acham que deve ser o final desta estória?

Opinem a vontade.

Link da música: Kiss me - Ed Sheeran : https://youtu.be/Pms4lJUJiIw

Possíveis erros serão consertados na próxima Att


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...