História Escolhas do Coração - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adultério, Drama, Lesbianismo, Romance
Exibições 15
Palavras 3.235
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ola. . .

Preocupada com a pouca divulgação desta ficcion. Não estão gostando da estória? Comentem lá em baixo como gostariam que o enredo desenrolassem. . .

Este capítulo vai ser dividido espero que gostem !!!!

Capítulo tenso !!!!

Capítulo 34 - Tempestade Emocional


Fanfic / Fanfiction Escolhas do Coração - Capítulo 34 - Tempestade Emocional

Dani dá um suspiro caminhando no corredor indo na direção da enfermaria. Mais uma vez Taylor havia salvado a sua vida se atracando contra o seu agressor e ao lembrar-se da sua namorada ferida em seus braços, aquilo só a fez ter certeza que Taylor Scott é o amor da sua vida. Não consegue mais imaginar a sua vida separada do da sua morena.

Logo que chegaram ao hospital, Taylor foi levada para a sala de cirurgia para tentar estancar a hemorragia e depois de muitas horas o médico veio falar com Dani dizendo que havia sido complicado devido a grande hemorragia, mas que conseguiram não apenas conter o sangramento como estabilizar os sinais vitais, sendo que aqueles dois dias seriam vitais para a completa recuperação de Taylor, desde então não havia nenhum momento em que não viesse vê-la, mesmo por apenas alguns momentos. Cada vez que olha para a morena deitada na cama como o rosto pálido e os olhos fechados como se dormisse, a médica sente um aperto no peito.

 

Dani: Oi amor. . .- Dani se curva sobre a namorada beijando a testa da namorada, acariciando aquele rosto pálido com a ponta dos dedos, enquanto sente as lágrimas escorrendo pelo seu rosto. – As pessoas falam que apenas quando a gente sente a ameaça de perder quem ama é que damos valor à ela e vendo você assim sinto uma culpa tão grande. Se soubesse o quanto me arrependo de ter me envolvido com um canalha como Jason e que só fiquei com ele porque ameaçou machucar você. Não ia suportar se alguma coisa acontecesse com você. Eu te amo tanto Taylor Scott que você se tornou essencial para a minha vida. . .

 

Taylor continua com os olhos fechados respirando lentamente como se dormisse tranquilamente.  Sem se importar com as regras impostas pelo hospital Dani cola seus lábios nos da morena em um longo selinho antes de abraça –la com cuidado.

 

Dani: Sabe amor, depois de tudo o que passamos juntos queria muito que estivesse acordada para que eu pudesse fazer isto, mas sei que me escuta e isto é uma promessa à você – Dani enfia a mão no bolso tirando de dentro uma caixinha com o logotipo de uma famosa joalheria.

- Você tem que se recuperar amor para que eu possa fazer isto da maneira convencional e longe de todas estas crises que estamos enfrentando, mas como não consigo mais esperar. . .

Taylor Scott eu te amo mais do que tudo e tenho certeza que ama- la é o evento mais importante que aconteceu na minha vida, então quero pedir que seja minha, assim como eu sou sua,  quero seja a minha esposa, a minha amiga, minha amante, a mãe de nossos filhos. Quer se casar comigo?

 

A emoção é tão grande que lágrimas escorrem pelo seu rosto, quando as máquinas que manipulam os sinais vitais demonstram aumento nas batidas cardíacas, fazendo com que Dani fizesse menção de se afastar mais um abraço a impede, embora não fosse forte foi o suficiente para que a médica sentisse o coração bater acelerado.

 

Taylor: Se está falando sério eu aceito amor. Quero ser sua esposa, quero me casar com você e formar uma grande família. Eu te amo. . .- A voz de Taylor não passa de um sussurro, mas Dani escuta e só se afastam o suficiente para colarem seus lábios em um longo beijo.

 

Com um sorriso que parece não caber em seus lábios, Dani beija o aro de ouro antes de colocar no dedo de Taylor que sorrindo repete o mesmo gesto antes de colocar no dedo da médica. A única coisa que falta agora é que finalmente Skyler despertasse do coma e que contasse toda a verdade a polícia.

Naquele momento, o telefone vibra no bolso de Dani que pede desculpas para Taylor indo atender a ligação.

 

Dani: O que? Tem certeza?

 

Taylor olha para a mulher a sua frente com uma expressão tensa no rosto com uma expressão de preocupação e quando a médica desliga a morena percebe que algo muito errado havia acontecido.

 

Taylor: O que houve?

 

A médica hesita. Taylor ainda está em recuperação e não queria que a noiva se preocupasse, mas não queria mentir.

 

Dani: Julie desapareceu e Sófia está histérica. Ela acha que Camilla pegou a menina na escola sem avisar a ninguém. . .

 

Taylor faz menção de se levantar, mas Dani a impede, fazendo com que ela se deitasse novamente com uma expressão de reprovação no rosto.

 

Taylor: Olha eu sei que tem todos os motivos para odiar a Camilla por tudo o que ela fez com a Júlia, mas será que ela realmente sequestraria a própria filha? Júlia nunca impediu que a filha tivesse contato com a mama dela.

 

Dani fecha a cara deixando claro que não ficara satisfeita pela noiva estar defendendo Camilla. Toda vez que Camilla voltava para a vida de Júlia tragédias começam a acontecer, mas de certa forma Taylor tem razão porque a loura sequestraria a própria filha se  podia ver a menina na hora que quisesse?

 

= = = = =

 

Camilla acabara de chegar a casa depois de horas de viagem e cansada decidira tomar um demorado banho de forma que não viu nenhuma chamada perdida em seu celular. Depois de vestir uma calça escura e uma blusa preta com estampa de uma banda de rock, ela está secando os cabelos quando há uma batida forte na porta, fazendo com que caminhasse até a sala com a testa franzida.  No momento que abre a porta um golpe forte atinge o rosto da loura que dá um passo para trás, levando a mão ao rosto.

 

Camilla: Ficou louca?

 

Como um raio Sófia entra com os olhos faiscando e os punhos cerrados enquanto a loura olha para a mulher a sua frente surpresa.

 

Sófia: Onde está a minha filha? O que fez com Julie?

 

Ao ouvir o nome de Julie, Camilla tira a mão do rosto, olhando para Sófia com a testa franzida.

 

Camilla: Julie é a minha filha e não estou com ela. – A loura sente a tensão passar por todo o seu corpo e Sófia continua a encarar a mulher a sua frente sem querer acreditar naquela atitude preocupada de Camilla. – Acabei de chegar de viagem. . .

 

Sófia cruza os braços sobre o peito continuando a encarar Camilla sem conseguir aguentar a raiva que domina o seu corpo.

 

Sófia: Acha mesmo que vou acreditar nisto? Sei que está usando minha filha para tentar roubar a minha mulher de mim e estou avisando . . .

 

Antes que Sófia pudesse acabar de falar é empurrada com força e as duas se encaram tensas sem perceber o telefone tocar sem parar e Júlia fala ao telefone.

 

Camilla: Você é maluca garota. . .Vou chamar a polícia. . .

 

Só naquele momento é que Camilla percebe Júlia falando ao telefone com o rosto pálido como se estivesse prestes a desmaiar e Sófia avança contra a loura, mas para quando a médica chama o nome dela com a voz fraca.

 

Júlia: Não foi ela Sófia. . .Camilla, levaram a nossa filha. . .

 

Lágrimas escorrem pelo rosto de Júlia que se aproxima da loura com o telefone ainda na sua mão entregando a Camilla e quando escuta a mensagem o rosto de Camilla também perde a cor sentindo uma dor que parece estraçalhar o seu peito. Sua filha Julie está em perigo.

 

Mensagem Voz: Eu falei que ia destruir a sua vida e tirar de você o que lhe é mais caro. Se quiser ainda te a chance de despedir- se é melhor encontrar se comigo no telhado do Plaza Hotel as cinco horas.  Melhor não envolver a polícia ou se arrependerá. Não pense que não terei coragem de matar os bastardos.

 

Camilla olha para Júlia com dúvida sem entender, afinal a voz desconhecida fala em bastardos. De repente, o seu telefone toca e quando reconhece o número ela atende rapidamente.

A mulher no outro lado da linha soluça desesperada.

 

Josephine: Senhora Moura, Rafael desapareceu. . .

 

Camilla: Onde está Maya? – O tom de voz de Camilla é trêmulo quando escuta a mulher que a Senhora Camargo havia sumido também, mas que nada havia sido levado.

 

Quando desliga o telefone Camilla tem os olhos arregalados e os lábios tão apertados que estão descoloridos.

 

Júlia: O que houve?

 

Camilla: Rafael sumiu. Maya sequestrou os meus filhos e quando eu colocar as mãos dela eu vou mata-la.

 

Júlia soluça deixando as lágrimas escorrerem pelo seu rosto livremente.

 

Júlia: Eu quero a nossa filha Camilla. . .

 

Camilla abraça Júlia com carinho enquanto lágrimas descem silenciosamente em seu rosto. Seus filhos estavam em perigo nas mãos de uma desequilibrada e jurou que faria tudo para salva –los, mesmo que tivesse que se sacrificar por eles.

 

Camilla: Eu juro Júlia, eu os salvarei. . .

 

Sófia aperta os lábios ao presenciar aquela cena. Tinha vontade de socar Camilla e puxar Júlia dos braços dela, mas não podia ficar de infantilidade quando a vida de Julie está em risco.

 

Sófia: Novamente Camilla está entrando na sua vida apenas para causar destruição e parece que ainda não percebeu isto. Se alguma coisa acontecer com a minha princesinha eu mato vocês duas Camilla, não duvide disto.

 

Júlia olha para a Sófia com uma expressão de reprovação e depois olha para Camilla que tinha se afastado por alguns instantes enquanto fala ao telefone.

 

Camilla: Eu sei que é loucura Ali, mas eu preciso fazer isto. . . Julie e Rafael são meus filhos e farei o que é preciso para salva-los, mas preciso que prometa que se algo sair errado você vai cuidar de Rafael.

 

Ali: Isto é uma loucura. Não vou deixar que faça besteiras. . .

 

Camilla se mostra nervosa, olhando para o relógio que marca vinte para as cinco. Não tinham muito tempo e tinha que ter certeza que tudo ficaria bem se o pior acontecesse que Ali cuidaria de Rafael porque tinha certeza que Sófia cuidaria de sua filha.

 

Camilla: Eu preciso saber que posso contar com você Ali, por favor. Não tenho muito tempo.

 

Ali dá um suspiro, olhando para o namorado que tem uma expressão preocupada no rosto. Não podia negar este pedido à Camilla, as duas não são apenas amigas, são como irmãs e só queria que tudo se resolvesse da melhor forma possível.

 

Ali: Está certa Camilla. Eu prometo. . .

 

Quando Ali desliga o telefone, ela cai em um choro convulsivo sendo abraçada pelo namorado.

Camilla se aproxima de Júlia e Sófia que conversam, sentindo um clima tenso pairando no ambiente.

 

Camilla: Júlia, Sófia é melhor irmos. . .

 

Sófia concorda entrelaçando os dedos nos de Júlia sobre o olhar de Camilla antes de saírem do apartamento da loura.

 

= = = = =

 

Dani está com Taylor quando o telefone vibra dentro do bolso da médica, interrompendo o carinho que ela faz no rosto da noiva. Camilla disfarça tentando não demonstrar como aquele simples gesto de carinho afetara – a, mas naquele momento a única coisa que tinha que pensar é salvar seus filhos. Foi nisto que ela se concentrou quando entra no seu carro junto com Sófia e Julie.

 

Dani: Desculpe amor tenho que atender. Pode ser Sófia ou Júlia com notícias de Julie. . .

 

Dani pega o telefone, vendo que se trata de Ali. A cada palavra de Ali sente um estranho calafrio na espinha e então olha para Taylor que a observa como se quisesse desvendar o que esta acontecendo.

 

Dani: Agradeço Ali. Estou aqui com Taylor e qualquer notícia me liga, ok?

Taylor vê Dani enfiar o telefone dentro do bolso e direcionar um sorriso forçado em sua direção, mas a morena conhece a namorada suficiente para saber que existe algo de errado.

 

Dani: O que? – Dani vê que Taylor continua a encarar Dani como se a avaliasse e ela estica a mão entrelaçando seus dedos nos de Dani, que sente mais uma vez um grande aperto no peito.

 

Taylor: Sabe o quanto te amo e que estou ao seu lado sempre, não sabe?

 

Dani concorda e sem conseguir evitar lágrimas escorrem pelo seu rosto, fazendo com que Taylor puxasse a namorada para si, colando seus lábios nos dela em um longo selinho. Só afastaram quando precisaram respirar.

 

Dani: Sófia foi ao apartamento de Camilla com Júlia e ela não estava com Julie. Parece que aquela cobra da Maya raptou tanto Julie quanto Rafael e Camilla está indo resgatar os filhos.

 

Ao ouvir isto, Taylor pula da cama antes que Dani pudesse evitar.

 

Dani: Onde pensa que vai Senhorita Scott? – O tom de voz da médica é zangado, mas Taylor parece nem se importar fazendo menção de caminhar na direção da porta, mas a Dani a impede segurando –a.

 

Taylor: Sófia precisa de mim, não posso deixa-la.

 

Dani: Acha mesmo que vou permitir uma coisa destas? Você está em recuperação e não vou deixar que parta em uma missão suicida porque eu não estou preparada para te perder. . .

 

Taylor abraça Dani com carinho. Depois de uma grande melhora  no quadro da namorada, Dani havia transferido Taylor para um quarto, mais pela privacidade, fazendo com que a morena prometesse se comportar.

 

Taylor: Eu amo você amor, mas não posso abandonar Sófia, sei o quanto ela ama a Julie e a Júlia. . .

 

Dani balança a cabeça em sinal de negação com uma expressão emburrada no rosto. Assim como Taylor e Sófia, tinha uma verdadeira relação de amizade com Júlia, tanto que é madrinha de Julie. Este devia ser um dos piores momentos da vida da amiga e tinha que ficar ao lado dela.

 

Dani: Só me promete que não fará nenhuma loucura, por favor. Não suportaria te perder. . .

 

Taylor concorda e com um suspiro, Dani puxa um pouco o pijama do Hospital para examinar o ferimento. Os pontos estavam bem secos e faltavam apenas alguns dias para serem retirados.

Durante alguns instantes, Dani realiza exames de rotinas na namorada então sai por alguns instantes voltando minutos depois com um papel.

 

Taylor: Onde foi?

 

Dani pega a mão de Taylor entre as suas e entrelaça seus dedos. Havia medo e tristeza no fundo dos olhos da médica, fazendo com que ela a puxasse para seus braços, dando um longo e apaixonado beijo.

 

Taylor: Eu amo você Dani e prometo que não vou arriscar aminha vida. . .

 

Novamente Dani cola seus lábios nos de Taylor e quando começa ficar muito intenso, a médica se afasta com a respiração ofegante.

 

Dani: Esta é a sua alta. Lembre – se do que me prometeu porque se algo acontecer com você eu nunca vou te perdoar.

 

Taylor concorda e então caminha abrindo a porta do armário vendo um par de roupas e lingerie, além de um confortável tênis All Star preto. Ela olha para Dani e caminha até o banheiro voltando alguns minutos depois totalmente vestida.

 

Taylor: Obrigada. . .

 

= = = = = =

 

Camilla freou bruscamente seu carro parando na frente do Hotel, antes de pular do carro seguido de Júlia e Sófia que permanece com os dedos entrelaçados nos da médica. O homem parado na entrada olha para Camilla com um olhar surpreso e abre a boca para falar algo, mas o olhar severo que a loura o envia faz com que se calasse.

 

Júlia: Estou nervosa. . .

 

Sófia aperta a mão da namorada em um gesto tranquilizador embora estivesse tensa. Tinha medo em pensar em que podia acontecer com a sua princesa, queria ter chamado as autoridades policiais, agentes preparados para as situações de conflito como aquela, mas havia uma clara ameaça que se isto acontecesse os filhos de Camilla seriam mortos. Eram crianças e nada tinham a ver com aquele quadrilátero perigoso que havia se formado. Só queria que tudo acabasse bem e pudesse ter sua princesinha de volta aos seus braços.

Quando olha para Camilla percebe a tensão que ela se encontra com os punhos cerrados e a mandíbula travada. Entendia o que a loura sentia porque amava Julie e estava sofrendo muito.

 

Sófia: Vai tudo se resolver. Temos que acreditar. . .

 

O elevador chega ao térreo e todos entram. O elevador não subia até o telhado teria que descer o ultimo andar e subir pela escada de acesso. Naquele momento o telefone toca, fazendo com que Júlia ficasse tensa vendo Camilla pegar o aparelho levando ao ouvido.

 

Mensagem de voz: Seu tempo está esgotando Senhora Moura e espero que já esteja chegando porque senão não poderá se despedir dos seus herdeiros. . .Acredite vou ter muito prazer em acabar com você. . .

 

Camilla sente um aperto no peito ao ouvir o choro de suas crianças e uma voz feminina pedindo que não machucassem as crianças.

 

Camilla: Se machucar meus filhos eu vou atrás de você até o inferno. . .

 

Mensagem de voz: Até lá então. . .

 

A ligação foi cortada e Júlia dá um tapa em Camilla que olha na direção da mulher com as sobrancelhas erguidas.  Havia dor e ao mesmo tempo algo sombrio que Júlia não soube definir.

 

Júlia: Esta psicopata está com a nossa filha e você o ameaça? Se algo acontecer eu juro que nunca vou te perdoar Camilla.

 

Julia continua a socar os ombros de Camilla que segura o pulso da médica com os olhos cheios de lágrimas, no mesmo momento que a porta do elevador se abre e como um raio a loura corre na direção da escada de acesso subindo as escadas com rapidez até chegar ao andar. Quando abre a porta que leva ao telhado, um vento frio sopra os seus cabelos e os olhos dela correm por todo o local, mas está vazio, fazendo com que sentisse uma dor dilacerante.

Júlia chega logo depois com Sófia e percebe que o local está vazio e Camilla esta ajoelhada no chão com uma expressão de dor como se sua alma tivesse se partido.

 

Julia: Cadê a minha filha? Eu quero a minha menina!!!!

 

A morena soluça com desespero e Sófia a abraça. Naquele momento, o telefone toca e Camilla pega o aparelho levando aos ouvidos.

 

Mensagem de voz: Sei que está no local onde te falei, mas como você foi uma garota petulante eu mudei de idéia e acho que não vou permitir mais o seu adeus.

 

Camilla: Por favor, eu lhe imploro. . .

 

A voz do outro lado da linha dá uma risada sarcástica e Camilla engole em seco.

 

Mensagem de Voz: Então a orgulhosa Camilla Moura, a grande empresária, está se humilhando? O que o nascimento da sua bastardinha não faz com uma pessoa. Você se tornou fraca, nem parece a mesma mulher tão segura de si, fria e impiedosa. . .

 

Julia olha para Camilla e percebe que ela fala ao telefone enquanto lágrimas escorrem pelo seu rosto.

 

Camilla: O que você quer? Eu lhe dou tudo o que tenho pela vida dos meus filhos. . .

 

Mensagem de voz: Você me tirou tudo e me tornou este monstro. . .Mas eu quero mesmo que você e Júlia sofram. . .

 

Ao erguer a cabeça Camilla vê a pessoa com a arma apontada na direção dela e Júlia arregala os olhos quando reconhece a identidade.

 

Júlia: Você???

 

A pessoa sorri de forma diabólica, mas não havia sinal das crianças.

 

XXX: Surpresa Jú. Sentiu minha falta?

 

                                                            (Continua)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Quero agradecer as pessoas que acompanham EC !!!

Comentem, opinem, ajudem a construir o enredo desta ficcion.

Estou pensando em escrever apenas mais alguns capítulos para poder explicar algumas coisas sobre a estória e dar a destinação final a todos os personagens.

O que acharam do pedido de casamento do casal Daylor?

Quem é esta pessoa que anda ameaçando matar os filhos de Camilla? Porque tanta raiva?

Fiquem a vontade para opinar !!!

Possíveis erros serão consertados na próxima Att!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...