História Escolhas e consequências (Interativa) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 14
Palavras 1.110
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Que as folhas de outono desenhem nossos caminhos

Capítulo 4 - Tempo livre


Fanfic / Fanfiction Escolhas e consequências (Interativa) - Capítulo 4 - Tempo livre

"A" Foi a escolhida por meio de sorteio.

Dimitri Belikov- Hathaway // 8:01 // Sala do Diretor Pinchard

Apesar de querer voar no pescoço dele me contive.Tenho que saber controlar a calma. Preferi manter silêncio, pois achei a melhor opção e de certa forma a mais sensata:

- Pois bem... estão dispensados- Pinchato disse apontando para a porta. Me levantei ajudando Roze que ainda estava machucada por minha conta.

- Tem certeza que está bem?- Disse ainda preocupado, já fora da sala do Diretor.

- Você sabe que estou, esse nem foi um dos piores machucados que eu já tive, vou ficar bem!- Ela me deu um leve soco no ombro. Faz algumas semanas que ando gostando dela. Só preciso encontrar o momento certo para contar a ela:

- Roze eu...- Um leve ruído ecoou pela escola inteira. Era um som suave e nada perturbador e irritante quanto os sinais das maiorias das escolas. Vejo a porta do Diretor se abrir e dela sai Pinchard:

- O que estão fazendo no corredor? Andem! Esse sinal quer dizer que tem um intervalo de alguns minutos para a próxima aula. Já deveriam estar lá embaixo!- Ele disse andando para frente. Infelizmente tivemos que descer no mesmo elevador que ele. Logo, estávamos no corredor dos armários, que, não sei por qual motivo, ficava do lado de fora do colégio ou de qualquer edifício. Eles eram apenas protegidos por um, para ser sincero, lindo teto de vidro, que em alguns potos estava coberto de folhas laranjas pertencentes a grande e linda árvore que era o centro das atenções:

- Estranho como decidiram colocar os armário do lado de fora, né Ro...- Olhei ao redor e vi ela conversando com uma linda garota que tinha ajudado ela mais cedo. Nem reparei ela se afastando de mim. Para disfarçar vaco, cuidadosamente fui para meu armário e peguei meu livro favorito. Quando estou trancando meu armário uma mão suave toca em meus ombros:

- Que tal a gente lutar mais tarde? Na nossa casa?- Roze disse me forçando virar para ela. Seria o momento?

- Uma ótima ideia- Travei. Não sou assim, porque eu não falo logo? Novamente o mesmo som que ouvimos antes, significava que eramos para irmos para a próxima aula.- Tenho aula de inglês agora.

- Que legal! Eu também!- Ela disse impressionantemente contente.

- Roze, esqueci de dizer que o professor sinistro passou uma lição. É pra fazer uma redação de 4 páginas sobre a segunda guerra mundial.- A garota, Ana o nome dela, falou para Roze com um tom delicado e suave.

- Atá valeu, vai ter aula do que agora?

- Álgebra.- Ana disse um pouco insatisfeita.

- Que merda, nos vemos mais tarde- Roze disse voltando a atenção para mim.

- Até- Ana disse indo embora.

- Vamos?- Roze disse para mim. Concordei com a cabeça e fomos para a sala. O bosque onde estávamos era assustador. As árvores não pareciam nada reconfortante, troncos mortos caídos no chão, alguns com cogumelos assustariam qualquer um. A "dança" das árvores com o vento era desconfortante e os ruídos, a  sim... os ruídos, pareciam almas perdidas ou animais bizarros, como preferir:

- Assustador não?- Comentei com minha acompanhante.

- Muito, não era assim no outro bosque.- Ela disse se aproximando de mim.- A sala de inglês está próxima certo?

- Acho que sim é só olhar a placa...- De repente quando dirigimos o olhar para a placa que dizia "Inglês- 9 metros adiante" misteriosamente ela caiu, tão inesperadamente que Roze me agarrou com muito medo.- Isso não aconteceu... Qual a probabilidade de uma placa cair desse jeito?

- Isso foi bem bizarro.- Ela disse meio nervosa.

- Huuummm, com licença?- Olhei para trás em posição de ataque, isso provocou um susto na moça que tinha falado. Ela era muito linda. Suas curvas eram bem definidas e ela aparentava ser muito jovem, talvez tivesse minha idade. Ela estava vestindo uma blusa branca um pouco transparente fazendo mostrar seu sutiã. Uma mini saia preta realçava suas pernas e um bota que ia até o joelho, fazendo a saia parecer um pouco maior. Ela realmente muito linda.

Halle Elisabeth Dare // 8:22 // Escola Special College

Certo... é estranho ser recebida com um "quase" soco. De qualquer forma de qualquer forma foi estranho, bem estranho:

- Ta...- Eu disse meio irritada- Posso fazer uma pergunta ou o samurai vai me bater?

- Me desculpe, pensei que fosse uma ameaça- Disse ele voltando a posição normal.

- Eu só precisava saber onde encontro a professora Belinda, tenho dúvidas sobre o trabalho que ela passou- Eu disse me acalmando um pouco.

- A sim, se você quiser eu falo pra você o trabalho, estive na mesma aula que você, só não sei como não te reparei antes- Ele me olhou dos pés a cabeça (Espero que tenha sido até a cabeça) como se estivesse me checando.

- Isso porque eu sentei ao fundo... me fale sobre a lição por favor...- Disse eu sem muita paciência.

- Dimitri, vou indo até a sala, não quero chegar atrasada, te encontro lá.- A garota que estava com ele disse indo embora. Mau educada, nem pra me desejar boa sorte ou coisa do tipo.

- O trabalho é sobre a economia de Cuba, em slide.- Ele disse calmo e singelo.

- Sou péssima em computação, mas de qualquer forma obrigada.- Logo depois ele acenou com a cabeça e foi correndo para aula. Na minha agenda estava marcado "Tempo livre", é isso que é muito legal nessa escola. Você pode ficar o tempo máximo de uma aula andando pela escola, pondo em dia seus trabalhos, ir na sala de artes cantar, pintar etc... você pode ir pro laboratório fazer sei lá o que. Ou simplesmente andar pelos bosques, que não são nada pequenos. Estamos em época de outono, todas as árvores estão laranjas e lindas. Decidi andar pelo outro bosque, este que estou agora me da arrepios.

Já no outro bosque passei pela sala de artes. Pela janela vi um menino pintando suavemente uma paisagem. Perguntei-me por um instante porque ele não estava pintando uma pessoa ou algo do tipo.Tinha os olhos cor de mel lindos. Olhei ao redor e vi uma pessoa muito estranha. Ela estava sentada em um dos bancos escrevendo alguma coisa. Tinha o cabelo dividido ao meio, metade preto, metade roxo. Parecia estar muito concentrada no que estava fazendo. Era uma mulher bonita, tina as unhas grandes e roupas um pouco diferentes. Estou sem absolutamente nada para fazer.

A: Halle deve falar com o pintor na sala de artes.               B: Halle deve falar com a garota estranha no banco

 


Notas Finais


As escolhas foram dadas, as consequências serão feitas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...