História Escolhas e consequências (Interativa) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 11
Palavras 1.780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Alguém sabe dizer o que significa a capa do capítulo? Dasafio em!

Capítulo 6 - 4 Andar


Fanfic / Fanfiction Escolhas e consequências (Interativa) - Capítulo 6 - 4 Andar

"B" Foi a mais escolhida

Rosemary Mazur // 9:15 // Refeitório

- Professor- Eu disse tocando educadamente em seu ombro. Olhei rapidamente para mesa. Halle voltou a posição normal, já que estava de costas para ver a situação, mostrando desinteresse. Dimitri me observava como se quisesse dizer "Cuidado com as palavras". Professor Snow virou para mim como se estivesse escutando atentamente, ele não disse nada pois estava com a boca cheia.- Acho que o senhor gostaria de ver isso.

- Deixe me ver- Ele disse ainda com a boca cheia. Pegou o papel observando-o impressionado e surpreendido.- Onde achou isso?

- Eu... eu achei caindo de uma menina com cabelo roxo e preto e...- Eu disse com base com que Halle me disse.

- Que bom que mostrou a mim, isso pode significar muita coisa. Se não se importa ficarei um pouco com ele para investigar, ainda hoje mandarei a resposta.

- Você... não vai contar ao diretor Pinchard, certo?- Eu perguntei um pouco arrependida, talvez ele falasse a resposta que eu estava esperando.

- Não, isso ficará entre eu e vocês- Ele disse apontando para a mesa, quando ele fez isso todos de lá desviaram olhar.

- Como tem tanta certeza que eles sabem?- Perguntei.

- Sou um policial.- O elevador chegou

- Porque está subindo então?- Ele não respondeu, foi para o elevador. Aguardei até que mostrasse o número que ele tinha chegado. O monitor mostrou o número "4". Voltei a mesa.

- Maravilha, ele foi contar ao Pinchard.- Halle disse decepcionada.

- Não, ele foi para o 4°andar.- Eu disse meio assustada.

-  Não é possível! O 4° andar está interditado!- Ana disse quase se engasgando

- O aluno que quis se matar pulou do 4° andar por isso ele foi interditado- Ben disse com uma expressão de abismado.

- Não, antes de eu ir embora ele já estava interditado- Ana disse com clareza, e também com muita certeza.- O 4° andar sempre foi um mistério.

- Espera então você quer dizer que o aluno pulou do 4° andar? Como ele foi lá?- Dimitri disse com uma expressão que eu nunca tinha visto nele, uma expressão de interessado.

- Até eu fui lá, a muito tempo atrás quando ainda nem era "Special College".- Ben disse se apoiando na mesa- Fui explorar no meu Tempo livre. A primeira coisa que você vê la é um corredor vazio, cheio de materiais de construções, tudo empoeirado, paredes arranhadas e quebradas. Há uma porta bonita e bem fita no fim do corredor praticamente intacta. Tentei abri-la mas estava trancada.

- Então o 4° andar é isso? Um corredor assustador e uma porta?- Halle disse já interessada no assunto. Praticamente todos tinham acabado de comer.

- Sim, pelo menos a parte que eu vi, não sabemos o que tem atrás da porta.

- Como o aluno pulou? Tinham janelas no corredor?- Dimitri perguntou angustiado.

- Não, pelo menos não que eu tinha visto. Estava tenso demais na hora não percebi muitos detalhes.

- Gente a menina que eu falei para vocês, está saindo do refeitório agora- Halle disse apontando com a cabeça. Olhei para a garota. Ela era realmente esquisita. Seus cabelos eram estilosos, suas vestes eram delicadas porém diferentes, tinha uma bolsa que carregava no seu obro direito. Ela andava com pressa.

- Ana e Ben sigam ela- Dimitri disse já tomando a liderança.- Eu e Rose iremos ver a rotina de... Halle qual é o nome dela?

- Sorcha- Ela disse pensando um pouco antes de falar.

- Rose e eu iremos ver a rotina de Sorcha na secretaria, e Halle, você poderia... ir para o 4°andar.

- Certo...- Ela disse hesitando antes de falar. Ana e Ben se levantaram e foram até a direção onde Sorcha tinha ido. Halle foi em direção as escadas, para não pegar o elevador e eu e Dimitri fomos em direção ao elevador.

Benjamin Winston // 9:30 // Escola Special College

Nunca persegui alguém antes, mas Ana parecia estar em um filme de espião. Ás vezes sem motivo nenhum ela se escondia atrás de uma árvore ou coisa do tipo:

- Você sabe que não precisa fazer isso.- Eu disse para ela. Ela me olhou como se soubesse o que estava fazendo.

- É pra deixar a situação mais emocionante, estamos matando aula, perseguindo uma mulher suspeita é super emocionante.

- Certo posso dar uma cambalhota então?- Eu disse não esperando a resposta, dei uma cambalhota super mal feita e acabei batendo o calcanhar em um tronco morto que estava no chão. Ela começou a rir sem parar.- Shiu ela pode ver, desce aqui- Eu disse puxando ela pelo braço, um poco forte demais fazendo ela cair em cima de mim. Ela pareceu envergonhada.

- Eu... - Ela disse saindo de cima de mim rapidamente, estávamos atrás daquele tronco morto, que nem espiões de verdade mesmo.

- Me desculpe- Eu disse olhando sorrateiramente através do tronco. Sorcha estava andando ainda de pressa. Só depois de um tempo percebi que estávamos no bosque sinistro e assustador.- Ela está indo, vamos.

Seguimos a garota misteriosa até ela parar, ela já tinha saído do caminho, o que tornava nossa "perseguição" muito mais assustadora. Nunca tinha adentrado tão longe em qualquer um dos bosques. Eu amo pintar a natureza, gosto de sentir as árvores, as folhas, os rios. Eu não sinto isso com as pessoas, esse sentimento que me faz pintar, não consigo sentir as pessoas. Elas possuem um muro, que não consigo penetrar. Mas o estranho é que com Ana eu sinto isso, eu sinto ela. Voltando ao assunto, nunca tinha entrado em um bosque tão longe. Sorcha se agachou perto de uma árvore e começou a analizar-la:

- Onde está essa estrada.- Ela disse baixo, para si mesma, checando o seu misterioso livro.

- Vou ver se consigo espiar.- Ana sussurrou para mim. Tentei impedi-la mas ela já estava longe. De trás de outra árvore próxima a que Sorcha estava, Ana fez um grande esforço para se aproximar o suficiente para tirar uma foto com seu celular. Infelizmente o Flash estava ligado, despertando a atenção de Sorcha. Ana Rapidamente voltou ao lugar onde eu estava sem levantar suspeitas. Olhei para a misteriosa garota e ela estava com muita concentração e uma espécie de adaga nas mãos:

- Quem está aí?!- Ela berrou ferozmente- Apareça!

- Temos que ir agora!- Sussurrou desesperadamente Ana para mim. Agarrei seu pulso e saímos correndo, fazendo barulho suficiente para Sorcha começar a perseguir o desconhecido. Nunca imaginei que o bosque era tão imenso. Finalmente depois de muito correr achamos o caminho:

- Não vai dar tempo de correr! Temos que nos esconder, e rápido, ela ta armada!- Eu disse ainda correndo, procurando um esconderijo.

- Armada?! Aramas são proibidas na...- Nos joguei para de um monte de folhas, que provavelmente foi feito manualmente. Era grande o suficiente para nos escondermos. Eu ainda estava agarrando o pulso e delicadamente escorreguei minha mão para a mesma de Ana. Ela estava suada e fria. Espiei sorrateiramente e vi Sorcha nos procurando.

- O que a senhora está fazendo aqui?- Disse o professor de inglês. Rapidamente Sorcha escondeu a adaga.

- Eu estou perdida, pode me dizer onde é a sala de informática?

Me siga te direi o caminho- O professor educadamente acenou pear ela segui-la. Ela deu uma última olhada e foi em direção ao professor. Esperei mais um pouco até eles desaparecerem de vista:

- Consegui!- Disse Ana totalmente alegre. Nos levantamos lentamente.

- Acho que nós conseguimos.- Eu disse limpando minhas roupas.

- Não, a foto, consegui tirar a foto. Achei que tinha borrado.- Ela disse limpando seu rosto. Estava suada, eu também estava, mas impressionantemente ela ficava muito linda suada.

- Isso foi bem tenso, está bem? Desculpa ter nos tacado no chão.- Eu disse dando uma última chegada para ver se ela não estava por perto.

- Foi bem tenso mesmo e eu estou bem.

- Vamos para a sala de artes, eu tenho a chave de lá.

- Ela não está aberta?

- Dás 9:00 ás 11:00 não. Só pra quem tem a chave.

- Oloco, cê é foda em.

- Haha sim...

- Vamos para lá então, só preciso mandar uma mensagem para Rose- Ana disse já tomando a frente.

Dimitri Belikov- Hathaway // 10:08 // Secretaria.

- Não deveriam estar em aula agora?- Umas das mulheres falou para nós.

- O professor Snow pediu para verificarmos a rotina de Sorcha...- Eu disse apoiando delicadamente a mão na mesa.

- Porque ele mesmo não veio aqui?

- Ele está ocupado agora, não pode vir pediu a gente- Rose disse com a voz mais suave que já ouvi dela.

- Vou verificar então...-  A mulher disse ajeitando seu óculos. Ela virou sua cadeira para o computador e se concentrou totalmente nele.- Ela é a pessoa que digita mais rápido que eu já vi na minha vida inteira, porém ela acredita em adolescentes que estão matando aula - Sorcha Tabata?

- Isso- Eu disse apesar de não saber realmente seu sobrenome. Ela virou o monitor do computador para nós.

- Aqui está- Ela disse comendo uma rosquinha derrubando algumas migalhas em sua roupa.

- Agora ela estaria na oficina de informática, antes do recreio ela teve tempo livre e antes do tempo livre ela teve aula de Geografia. Mas ela não esteve na aula... Obrigado- Agradeci a mulher da secretaria. Descemos para o refeitório:

- Belinda Horvest é a professora de Geografia, estava escrito naquele papel.- Rose disse para mim- Isso é só uma coincidência?

- Não sei- O telefone de Rose apitou. Ela foi checar.

- Temos que ir para a sala de artes,Ana e Ben querem contar uma coisa muito séria

Halle Elisabeth Dare // 10:10 // 4°Andar

Não sei como subi as escadas com aquela bota, nem sei como decidi por aquela bota. Aquilo estava matando meus pés. Finalmente subi no 4°andar. Era mais ou menos como o Ben tinha descrito, só que tinha mais materiais de construção, apesar das paredes ainda tiverem ruins. Andei em direção a porta:

- Onde aquele professor se meteu?- Disse para mim mesmo. Toquei na porta, e senti sua textura, tentei escutar alguma coisa do outro lado mas foi em vão. Escutei a porta se abrindo. Rapidamente me escondi atrás de um grande vaso que estava muito próximo da porta. Infelizmente ele não cobria todo meu corpo. A porta se abriu, dela saiu Snow assobiando e relaxado. Fiquei torcendo para que ele não virasse de costas enquanto esperava o elevador. A porta estava se fechando não tinha muito tempo.

A: Halle deve entrar no quarto misterioso.                B: Halle deve continuar escondida

 


Notas Finais


Dica do desafio, é uma substância que o corpo produz.

Se você não entendeu veja as Notas do Autor


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...