História Escolhidos Contra o Divino - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Adriano Ramos, Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Laura Gianolli, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Personagens Originais, Valéria Ferreira
Tags Amizade, Amor, Elementos, Guerra, Magia, Morte, Passado, Profecias, Romance, Sangue, Sexo, Traição, Vingança, Violencia
Exibições 73
Palavras 683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - PRÓLOGO: A Árvore Oca


O clã Guerra, pra maioria das pessoas apenas uma família rica, reclusa e tradicional. Nem desconfiam que a família proprietária do enorme complexo, de dar inveja a muitos grupamentos militares é na verdade um Clã de demônios, uma das mais poderosas e ancestrais raças sobrenaturais.

Nesse dia ensolarado os membros da família principal, Marcos o avô, seu filho Roberto, a nora Lilian e os Netos Paulo e Marcelina estavam tendo um piquenique normal em um dos bosques da família.

Enquanto as crianças jogavam bola, Lilian servia suco para o marido enquanto conversava com o sogro. Tudo parecia perfeito, mas tudo que é bom, tudo se modificou em um momento.

As crianças entraram nos arbustos atrás da bola e então começou, o som de tiros e explosões seguidos de gritos e urros.

(Lilian)- Vá atrás das crianças e leve o seu pai.

(Roberto)- Lilian...

(Lilian)- Beto. Vai eu o encontro daqui a pouco.

 

Eles se beijam e os dois homens vão atrás das crianças eles a levam até uma árvore grossa onde abrem uma porta escondida revelando um esconderijo no oco da árvore.
 

(Marcos)- Não importa o que ocorra, não saiam daí até que tudo tenham terminado.
 

Eles mal haviam terminado de fechar a entrada secreta quando ouviram passos na clareira. Os dois se viraram na direção e viram espantados que quem os encarava não aparentava ter mais de 20 anos.

Ele veste um terno preto, com uma corrente prateada com uma cruz com um Dragão a envolvendo como pingente. Seus cabelos negros curtos e bem cortados eram levemente arrepiados com gel e os olhos castanhos revelavam a maldade dentro de sua alma.

 

(Marcos)- Você não mudou nada, Daniel.

(Daniel)- Você sabe que há muito tempo eu troquei esse nome por um título muito mais importante.

(Roberto)- Você é ele. O Arauto do Divino.

(Daniel)- Seu filho é esperto. Sua mulher também era, pelo menos acho que aquela era a sua mulher.

(Roberto)- O que você fez com a Lilian!?!?

(Daniel)- Isso.

 

O tempo pareceu congelar e então ele começou a correr rápido demais. O Arauto saiu de seu lugar e no instante seguinte estava em frente ao pai das crianças com uma mão sobre seu peito e a outra sobre a face dele e então com um brilho branco rançoso ele foi desfeito em pedaços. 

O Arauto do Divino se virou para o patriarca do Clã de demônios e sorriu macabramente. 

 

(Daniel)- Enfim Marcos teremos a resposta sobre qual de nós dois é o mais forte. 

 

Marcos mudou de forma de um velho encolhido ele ficou com 2 metros, musculoso, pele de couro branca quatro chifres na testa, na ponta de cada dedo uma garrafa negra longa, presas longas e uma cauda com um espinho preto na ponta. Na mão ele segura uma Katana.

O Arauto puxa o crucifixo do pescoço que se transformou em uma longa corrente com a cabeça de um Dragão feita de prata na ponta e nós dentes dela está uma foice de cabo preto e lâmina de prata e diamantes.

Ele começa a gira a corrente até que ela se torna um borrão, marcos  concentrou sua energia na lâmina e aos mesmo tempo os oi seres gritaram.

 

(Daniel)- Garras Retalhadoras do Grande Dragão!!!

(Marcos)- Lamento dos Caídos!!

 

Os dois golpes se cruzam no ar. por um momento a clareira se enche de uma luz cegante e por fim quando ela cessa a clareira está destruía e não há sinal algum de Marcos Daniel apresenta apenas um corte na bochecha.

 

(Daniel)- Realmente velho amigo, você era poderoso! o primeiro a conseguir me ferir.

 

Nesse momento um servo encapuzado chega.

 

- Senhor todos estão mortos, mas Mário pede para ter as crianças pra si. Os meninos para se alimentar e as garotas, você sabe para se entreter.

(Daniel)- Que seja. -incendeiem esse lugar e vamos embora.

 

Após quase uma hora os irmãos saíram da árvore, Paulo pegou a espada no chão e junto da irmã correu pra longe dali. Ambos fugiam em silêncio, mas em sua mente ele fazia uma promessa: Eu juro que vou matar o Arauto do Divino  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...