História Escondidos. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Original, Romance Gay, Segredos, Sexo, Violencia
Exibições 109
Palavras 1.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Demorou mas saiu, eu precisava fazer algo bonito né galeura.

Capítulo 7 - Marcada.


Fanfic / Fanfiction Escondidos. - Capítulo 7 - Marcada.

Nathan deixou a ruiva e Gabriel entrarem na casa, correndo para o banheiro para procurar a caixa de primeiros socorros, suas mãos tremiam ao enfaixar a cabeça do loiro que ria sofridamente das caras preocupadas de Nathan.

- Para de rir, seu loiro ridículo. – O moreno dizia com lagrimas em seus olhos. – Como diabos você deixou isso acontecer?

- Eu não tive nada a ver com isso, ele foi embora e eu fiquei encarregada de fechar a loja. Quando eu estava indo embora, eu vi uma van chutando ele para fora de lá. – Anna revirou os olhos, nem conhecia Nath e já estava sendo acusada por algo que nem tinha feito e muito menos tinha culpa.

Nathan teve a ajuda de Anna para levar Gabriel para o banheiro, colocaram-no sentado em cima da privada e Nath o ajudou a retirar a camiseta, vendo varias marcas roxas pelo seu corpo.

- Com o que você se meteu, Gabriel? Pelo amor de Deus... – Nathan cutucou um de seus roxos, vendo o loiro reclamando de dor.

- Eu vou ir pra casa, minha mãe deve estar tendo uma crise já por eu estar a essa hora fora de casa. Se cuida e Gabriel não precisa ir trabalhar amanhã. – Anna se despediu e saiu do banheiro, indo direto para a porta, deixando a casa só com os dois.

- Quem fez isso com você? – Nath se agachou na frente do loiro, dando para ver seus olhos que por incrível que pareça não foram danificados.

- Ah... um ex da Isabela. – O loiro deu um sorriso mínimo e tentou se levantar, sentindo as dores lhe impedir.

- Eu vou bater naquela vagabunda. – Nathan se levantou rapidamente quase saindo do banheiro, mas teve sua mão segurada por Gabriel.

- Não faça nada, fica aqui, só isso... – O loiro beijou a mão de Nath, abrindo um leve sorriso ao vê-lo voltando.

- Vou ajudar você a tomar banho... – Nathan retirou o resto das roupas do namorado e o ajudou a ficar em pé debaixo do chuveiro, Gabriel olhava para todos os movimentos que Nathan fazia ao dar banho em si e o achava adorável por estar se esforçando tanto por si.

Assim que eles terminaram o banho, Nathan ajudou o loiro a colocar uma roupa confortável e o deitou na cama, ficou com ele até vê-lo adormecer, beijou sua testa e caminhou com o celular na mão até a sala, ligando para Stella logo em seguida.

- Diga. – A morena em sua casa via alguns desenhos na televisão enquanto comia um salgadinho de cebola, seu favorito.

- Ela mandou um ex bater no meu namorado, e ele está me dizendo para eu não fazer nada. – Nathan sussurrava ao telefone e ouviu uma risada do outro lado. – Qual é a graça?

- A graça é que nada impede de eu não fazer algo. – Nathan em sua casa abriu um leve sorriso, se sentia aliviado por sua amiga poder ajuda-lo.

- Você é um amor, Stella, agora preciso ir dormir antes que Gabriel sinta minha falta. – A morena se despediu e desligou, suspirou em sua casa e se levantou, levando o resto do salgadinho para o armário da cozinha e limpando suas mãos.

Stella saiu de casa com seu celular e já discava os números tão conhecidos por si, não precisava de convites mas gostava de avisar sua chegada sempre que passava pela casa da garota.

- Alô... – A voz era sonolenta e doce do outro lado.

- Eu estou indo ai. – Stella disse por fim.

- Mas eu estou dormindo... – Isabela se sentou na cama, bocejando em seguida.

- Não volte a dormir, você vai abrir a porta para mim. – Stella desligou e continuou caminhando até chegar na frente da casa da loira, tocou a campainha e a porta não demorou a se abrir.

Stella teve a visão da garota apenas com uma grande blusa branca, dando para ver o contorno de seus seios, principalmente de seus mamilos por causa de seus piercings, e uma calcinha rosa que na frente possuía um gato.  Isabela era linda de uma forma que mexia com Stella, mas esse não era o motivo de ela ter ido ali.

A morena entrou na casa e assim que viu a porta se fechando não tardou em empurrar a loira conta a porta, segurando seu rosto em seguida com força o suficiente para deixar marcado o rosto pálido da garota loira.

- Eu não falei para você ficar longe deles? – Stella dizia, ameaçando dar um soco em seu rosto.

- Eu não fiz nada, eu juro. – Isa tentava se soltar mas era em vão, sem pensar duas vezes Stella puxou sua cabeça e a bateu contra a porta, ouvindo a loira gemer de dor.

- Não mente para mim, o Nathan falou que um ex seu bateu no Gabriel. – Lagrimas se formaram nos olhos da loira.

- Kaio? Eu não mandei ele bater em ninguém... Eu só precisava contar minha tristeza para alguém! Eu juro que não fiz mais nada, Stella me solta! – Isa já havia começado a chorar, sua cabeça doía e ser acusada não era algo que a mesma queria, Stella a soltou mas logo a abraçou, beijando as lagrimas que insistiam em rolar por seu rosto e por fim beijar o local onde sua cabeça bateu na porta.

- Por que você não correu para mim, como sempre faz? – Stella beijou a bochecha de Isa, que estava marcada com seus próprios dedos.

- Eu fiquei com medo... – A morena levou Isa até o sofá e quando a mesma ia se sentar a puxou para seu colo, deixando-a de frente para si.

- Não precisa ter medo de mim... Você sabe que eu te amo o suficiente para não destruir você. – Stella deixou sua mão adentrar a camiseta branca, acariciando as curvas da loira que agora estava corada, apertou levemente o local, vendo-a suspirar em cima de si. – Você deve ter ficado tão brava ao saber que o Gabriel era gay, mas olha só você, ficando com uma garota. – A morena riu e a beijou. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...