História Escravizada pelo Alpha - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alfa, Alpha, Amor, Companheira, Companheiro, Escravizada, Escravo, Lobisomem, Lobisomens, Luna, Ódio, Raiva, Reino, Tristeza
Visualizações 141
Palavras 2.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Sobrenatural
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - 06 (Não Revisado)


Katheryna Narrando

Sinto alguém acariciando meus cabelos. Vou abrindo os olhos devagar e me reparo com um par de olhos azuis.

_ Desculpe por ter acorda. - Fala o "Alpha" Jayson. Ainda estou abraçada a ele. Ele ainda me faz usar seu braço como travesseiro, mais ele não me faz pousar minha cabeça em seu peito.

Ele me olha atentamente enquanto acaricia meu rosto. Sua expressão é seria, mais seus olhos aparentam estar admirados enquanto me olha.

_ Você parece um anjo dormindo em meus braços... - Sussurra ele aproximando seu rosto do meu. Ele da um selinho demorado e carinhoso em minha boca. - Já é de manhã, está com fome? - Pergunta ele e eu confirmo com cabeça. - Mandei trazerem roupas novas para você. Estão no armário. Tome um banho e se troque. - Fala ele e me da um beijo na testa e depois se levanta. - Vou resolver alguns assuntos e já volto.

Ele se levanta e vai até a porta, ele abre e sai. Vou até o armário e o abro, havia diversos tipos de vestido de várias cores. Eu pego um vestido azul claro com detalhes em branco. Vou ao banheiro onde tomo um banho rápido, coloco minhas roupas íntimas e o vestido no banheiro. Assim que termino, eu saio do banheiro e vou até a cama, onde me sento para esperar ele

Depois de alguns segundos o "Alpha" Jayson entra. Sua roupa não é mais a mesma, e seu cabelo está molhado.

_ Onde será que ele tomou banho? - Pergunto para mim mesma em minha mente. Ele vem até mim e estende a mão para mim. Pego em sua mão e ele me puxa me fazendo levantar.

Assim que me levanto ele entrelaça sua mão na minha. Ele começa a ir até a porta e eu o sigo. Saímos do quarto e começamos a andar de mãos dadas por partes do castelo que não conheço. Até que chegamos a uma enorme sala com uma grande mesa com algumas pessoas já sentada, era duas mulheres e um homem.

Fomos em direção a mesa, ele soltou minha mão e foi em direção a uma cadeira, onde puxou e me olhou esperando eu sentar. Assim que eu sento ele empurra de leve a cadeira para frente. Ele vai até a cadeira ao meu lado na ponta e senta. Todos começaram a olhar para mim, me deixando com vergonha.

_ Com uma mulher dessa, sua noite deve ter cido boa, Alpha. - Fala o homem me olhando com um sorriso malicioso. O "Alpha" Jayson da um olhar sério e repreensível. O homem logo volta a se recompor.

_ Alpha porque trouxe ela para mesa - Pergunta uma das mulheres a mesa. É uma ruiva de olhos verdes. - O senhor nunca trouxe uma "escrava" sexual para a mesa

Fala ela destacando a palavra "Escrava" enquanto me olha com nojo. Alguns empregados entram na sala e começa a nos servir.

_ Lave sua boca antes de falar de sua Luna - Fala o "Alpha" calmo e sério para a ruiva. - Ou eu mato você!

Fala o "Alpha" sério e firme mais sem deixar de ser calmo. Ele começa a comer seu café da manhã como se nada tivesse acontecido. Assim que os empregados saem da sala uma mulher loira ao lado da ruiva se prenuncia.

_ Ela é sua companheira, Alpha? - Pergunta a loira. O Jayson olha para ela e levanta um sombrancelha e depois volta a comer.

Durante todo o café, as mulheres não paravam de me olhar. Mais não um olhar qualquer, um olhar de raiva e nojo. Elas cochichavam algo e depois me olhavam, várias e várias vezes seguida. Principalmente aquela ruiva.

_ Desculpe, mais perdeu alguma coisa em mim, senhorita? - Quando menos esperado, eu pergunto, fazendo que todos presentes a mesa me olhar.

Jayson coloca seus talheres em seus respectivos lugares e depois limpa a boca com um guardanapo. Feito isso, ele encontra na cadeia, cruza o braço e nos olha. Nos olha como se tivesse analisando a situação.

_ Não perdemos nada em você - Diz ela destacando o "você". Ouço um rosnado ao meu lado, olho e vejo que é do "Alpha" Jayson, que olha para a ruiva, a repreende com o olhar. - Desculpe minha Luna. Mais não perdi nada na senhora.

Fala ela de uma maneira educada e pacífica, de uma maneira que parece que sou superior a ela. Olho para o "Alpha" surpresa pela maneira que ela falou comigo, apenas por temer ele.

_ Aurora, você queira ou não, Katheryna é a Luna dessa alcatéia. Por tanto, se ela se sentir incomodada com algo vindo de você, ou qualquer um aqui - Diz apontando diretamente para todos com o olhar - Terão que se enteder comigo. - Vejo que a ruiva chamado Aurora, junto com todos a mesa ficaram inquietos com que o Jayson disse. - Fui claro?

_ Sim senhor. - Diz a senhorita Aurora.

Alguns minutos depois terminamos o café da manhã, eu continuo sentada a mesa, sem saber o o que devo fazer a seguir. Jayson pega em minha e olha para mim.

_ Terminou? - Pergunta ele e eu confirmo - Vêm.

Fala ele se levantando, eu também me levanto seguindo ele. Ele começa a andar em direção a saída da sala e eu o acompanho. Então começamos a ir de mãos dadas a uma parte que do castelo que não conheço.

Depois de algum tempinho, chegamos a uma varanda. Uma varanda em que posso ver um enorme parte desse reino.

_ Uau... - Sussurro encantada pela vista.

_ Aqui da para ver grande parte desse reino. - Fala ele colocando a mão em minha cintura e me puxando para ele.

_ É lindo. - Falo contemplando a vista, pois é maravilhosa.

_ Você está proibida de sair desse castelo sem minha autorização. - Fala ele do nada. Olho para ele sem intender. Ele me trouxe aqui para isso? - Ha vários lugares interessante fora do castelo. Caso tenha interesse em algum, ou queira sair um pouco do castelo, me informe, que a levarei onde desejar.

_ E se o senhor não estiver? - Pergunto com a voz fraca.

_ Você! - Fala ele se virando e olhando firme para mim, o que me fez encolher um pouco - Não quero formalidade de sua parte. Me chame pelo nome ou me trate com "você".

_ C-Certo. - Falo trêmula com a cabeça baixa. O Alpha, ou melhor, o Jayson pega em minha cintura com uma mão. E com a outra ele pega uma mecha de cabelo que estava em meu rosto e coloca atrás de minha orelha. Ele desliza sua mão até meu queixo e o ergue para que eu olhe para ele

_ Procure pela governanta; Vitória. Ela te levará com escolta até mim. - Fala ele respondendo minha pergunta. Eu confirmo com os olhos enquanto balanço bem de leve a cabeça. - Desculpe.

Fala ele se desculpando pela forma como havia falado comigo antes. Ele começa a aproximar seu rosto do meu enquanto ergue meu queixo e olha para minha boca. Ele não para de se aproximar, consigo até sentir seu alito refrescante.

Ele quebra a distância e me beija. Novamente ele puxa meu lábio inferior, de maneira que me obrigue a puxar seu lábio superior. Ele coloca sua mao em meu pescoço enquanto começa a puxa devagar meu corpo o contra seu, me impedindo de "Fugir" dele.

O beijo vai se intensificando ao ponto de ele pedir passagem pela minha boca, o qual eu não dou. Ele aperta minha cintura como uma forma de me repreender por não dar passagem. Ele novamente pede passagem, mais dessa vez eu cedo. Nossa línguas se encontram e começa uma batalha.

_ Hanhan - Escutamos alguém fingir uma tosse. O "Alpha" enserra o beijo e olha com um expressão nada agradável para a pessoa que acaba de chegar. - Desculpe interrompe-los...

_ Diga - Fala o Alpha impaciente.

_ É que há um problema com duas escravas sexuais. - Fala o homem, que agora percebo que era o mesmo que estava ha mesa tomando seu café da manhã com a gente.

Jayson nada fala. Ele coloca suas ambas mão em minha cabeça e me puxa para outro beijo, um selinho calmo e gentil. Assim que ele termina ele coloca uma de suas mãos em minha cintura enquanto fica ao meu lado. Ele me puxa de leve indicando para mim andar e segui-lo. Caminhamos até o homem a nossa frente e paramos a frente dele.

_ Então? - Fala o Alpha ao homem a nossa frente.

_ C-Claro Alpha. - Fala se de compondo - Por aqui.

Ele mostra o caminho e assim começamos a andar o seguindo. Depois de um tempo chegamos a um corredor que eu conheço bem. É o corredor que da na sala onde vi o Jayson pela primeira vez. O homem que nos guiou abre e porta e nos da passagem. A sala está vazia, mais isso não parece ser surpresa para nenhum dos dois. Noto também que ha outro trono ao na sala.

Fomos até o trono, o Alpha começa a subir as escadas me levando com ele. Assim que terminamos de subir, o Alpha solta minha cintura e se senta no trono, que ao ver de perto é espaçoso. O Alpha olha para mim e levanta uma sombrancelha.

_ Sente-se - Diz ele. Eu me aproximo do outro trono, mais não sento. - Sente-se!

Fala ele mais firme, me dando arrepios. Eu me sento no trono ao seu lado ainda com receio. O Alpha Jayson olha para o homem que nos guiou, que assim que nota seu olhar, ele sai da sala. Alguns minutos depois ele volta acompanhado de duas mulheres e quatro homens.

_ Senhor, essas são Maria e Ana - Diz apontando para as duas, uma branca e uma negra. - As vadias que se recusam a transar com seus donos. E não só se recusam como o insultou e agrediu a governanta da casa por dize-las o que fazer.

_ Se eu fosse elas fazia exatamente a mesma coisa - Falo para mim mesma em meus pensamentos.

_ Quais são as ordens senhor - Pergunta o homem que nos trouxe aqui.

_ Vocês - Fala ele olhando para os guardas que trouxeram as mulheres

_ Senhor? - Fala os guardas.

_ Algum de vices ja encontrou sua companheira? - Pergunta o Jayson.

_ Não senhor - Fala um deles representando todos.

_ Nesse caso. Mostrem que elas não passam de putas que devem obedecer e satisfazer seu dono. - O Alpha fala de um jeito que me deu um arrepio na barriga. E algo me diz que isso vai piorar - Até segunda ordem elas vão os satisfazer.

_ Não vamos satisfazer ninguém! - Fala a mulher negra. Ela tem lindos cabelos cacheados, olhos pretos como jabuticaba e um corpo de dar inveja a muitas. E com certeza o que tem de bela, tem de coragem

_ Aqui, e agora vocês vão satisfazer esses homens - Fala o Jayson firme e sério. Agora meu arrepio na barriga aumentou, e como uma tentativa de aliviar eu me remexo. - Estuprem elas!

Ordena o Alpha, firme e sério, fazendo meu arrepio aumentar e descer até minhas partes íntimas de baixo. Vejo um sorriso malicioso aparecer no rosto deles. Eles começam a se aproximar delas. Um deles pega a mulher branca de cabelos morenos por trás enquanto outro guarda vai chegando até ela enquanto cossa sua parte íntima.

Enquanto isso, a mulher negra de cabelos pretos também foi pega por trás por um guarda enquanto outro vai chegando até ela enquanto desbota o zíper de sua calça. Ele tira seu pênis da calça, enquanto o outro guarda a obriga a ficar de quatro.

E o estupro com as duas mulheres vai se devolvendo. Os guardas batem e tocam nelas. Obrigam elas a fazerem coisas que não consigo descrever. Fecho meus olhos, pois não quero ver isso. Depois de alguns minutos escuto elas gritarem. Abro meus olhos e vejo que os guardas as penetraram e estão estocando forte sem ao menos esperar elas acostumarem com eles dentro delas.

_ Parem! - Digo num impulso, pois não consigo ver isso s não fazer nada. Todos me olham como se não entendesse minha atitude. Os guardas ainda. não saíram de dentro dela e nem tiraram suas mãos delas. Eu ia levanta para fazer algo a respeito, mais o Jayson segura minha mão e me impede de continuar e me obriga a sentar

_ Calada! - Fala ele firme, mais eu não obedeço.

_ Por favor, não deixe eles continuarem! - Peço.

_ Isso não lhe diz respeito. - Fala o Jayson - Agora cale a boca e se comporte!

_ Eu te imploro! - Digo me levantando e ficando de joelhos perante ele - Por favor, por favor, por favor não deixe que continuem...

Digo deixando escapar um soluço enquanto sinto meus olhos encherem de lágrimas. Jayson ainda continua sentado em seu trono. Suas pernas estão abertas o que deixa ele com uma expressão intimidadora.

_ O que ganho se fizer o que me pede? - Pergunta ele sério. Baixo minha cabeça, e fecho meus olhos, pois não sei o que dou a ele.

_ Por favor... - Sussurro começando a chorar. Escuto ele suspirar e logo depois se levantar. Mais não me atrevo a levantar minha cabeça e nem encara-lo.

_ Levante-se Katheryna - Ouço sua voz grave e seria e o obedeço. Assim que me levanto ele coloca sua mão em meu rosto e começa a limpar minha lágrimas com o dedo - Olhe pra mim. - Ordena e eu obedeço. Abro os olhos e o vejo com expressão séria. - Por você. Já chega! - Fala ele em um tom alto - Dem novas roupas a elas e as coloquem em uma cela.

_ Sim senhor. - Diz um os guardas juntos.

_ Obrigado... - Sussurro a ele que ainda me olha sério. Ele balança de leve sua cabeça indicando que aceita meu agradecimento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...