História Escravo.... - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 48
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura.

Capítulo 23 - Leve-me longe numa simples cozinha


O sol simplesmente nasceu trazendo a Daniel os raios de aurora tão revigorantes, que eram para seus olhos e pele como uma boa tragada de oxigênio abundando seus pulmões. Sem a ajuda da empregada, desceu e colheu para si uma xícara de café recém fervido, inalou o aroma pronto para começar seu dia; deu de cara com Katia que descia as escadas ajeitando seu uniforme.

- bom dia, Katia.

- bo...bom dia, senhor.

 

A moça gaguejou, parou de ajeitar sua manga enquanto descia mais lentamente.

‘’Daniel me deu bom dia?’’

Foi de encontro a John que ainda dormia tranquilo aquela hora, 06:06 da manhã, entrou, passos calmos e formosos, deslizou sua palma do rosto até o cabelo do jovem.

- minha criança....- sussurrou .

Saiu ainda bebericando seu café, esticou-se mais um pouco e, era hora do trabalho; enfrentar vídeo chamadas, relatórios de negócios e outras inúmeras coisas chatas por nove horas ou mais, isso se seu chefe não o ordenasse estar em sua sala em cinco minutos numa empresa que se leva quarenta e cinco para chegar, a carro.

                                                                                  *

- Kátia!

As sapatilhas da moça ressoavam pela sala vazia, até o ranger da porta em sua entrada.

- senhor?

O homem tinha em sua mão um pequeno pedaço de papel o qual rabiscara algo e entregou para ela.

- toma.- estendeu-lhe o braço.

- obrigada senhor.

- você pode ficar de boa hoje.

- o que disse?

Ele levanta o olhar sorrindo com a desatenta á sua frente.

- que está dispensada.- largou a caneta esfregando as mãos- ontem eu estava conversando com o meu chefe e ele me convidou para uma festa de confraternização da empresa, eu não vou poder faltar. Vai ser daqui a......- puxou um calendário- quatro dias, ou seja no dia 03, que é sua folga. Então você folga hoje, amanhã e no dia três você trabalha, porque vou precisar de alguém na casa quando estiver fora,ok?

- sim senhor. Obrigada.

- vai dar umas voltas, vai.

Daniel sorriu. Enquanto a empregada subia as escadas o executivo saiu um breve momento parando o texto que digitava em seu relatório, não demorou para ouvir passos na escada, sorriu abertamente.

John posicionou-se ao pé da escada cruzado os braços e olhando o loiro, que se virou para ele.

- devia estar dormindo, bebezinho.

 o moço soltou leves risadas com aquelas palavras tão ingênuas .

- vim te fazer companhia.

- e eu não poderia querer uma melhor.

John arqueou as sobrancelhas e foi a seu encontro.

- ora, ora, como está romântico.

Daniel ri.

- dormiu bem?

- muito. Só me incomodei de acordar e não sentir meu homem ao meu lado.

 

Daniel ouvira bem, John o chamou de ‘’meu homem ‘’ frase tão simples de duas palavras e oito letras que fizeram seu coração queimar e palpitar incessante dentro de seu peito afim de sair para fora, Daniel ficara desarmado diante de tanta ternura, fofura e carisma que só aquele coração jovem e puro podia ter.

Não se contendo, Daniel o puxa para um beijo que se torna mais apaixonado com os segundos, John soltou um leve gemido, de prazer diante de um beijo tão gostoso, puxou Daniel pela gola querendo diminuir sua altura. Se separaram.

- volte ao trabalho.

- eu queria era ficar com você.

- posso ficar no escritório se quiser.

- não, não quero te chatear.

- é...melhor não mesmo. Ou aquele lugar vai ter história para contar.- disse o mais malicioso possível enquanto olhava o loiro de cima a baixo.

O mais velho não pôde deixar de sorrir.

                                                                 *

John encontrou umas coisas interessantes para ler; na mesa da cozinha, tinha papéis na mão Juno de uma xícara de chá quente de ervas.

Sentiu os papéis serem puxados de sua mão e a xícara afastada uns centímetros, logo em seguida, mãos firmes lhe agarraram a cintura e um rosto se fez presente em seu pescoço deslizando lábios quentes na pele; não pode deixar de sorrir e levar a mão esquerda acima para acariciar os cabelos loiros do homem que lhe abordara.

- como você está?

- bem...

- precisa de algo.... garotinho?

- de você.- responde lhe deixando um beijo no rosto.

- você está safado....

- eu? Não....sou apenas ‘’sua criança’’

Daniel sorri conforme acaricia o rosto do mocinho.

- e eu achando que falei baixo.

- eu acordo quando me toca....dai essas doces palavras surgem e eu posso ouvi-las.

O loiro sorri largo.

- eu fico feliz.

Ambos se beijam. John se abaixa ficando de joelhos e lhe lançando um olhar feroz e safado. Daniel se intriga

- o que vai fazer?

Sem mais dizer nada, o rapaz puxa o botão da calça do mais velho lhe expondo o pau

‘’ele não vai fazer...’’ pensou Daniel.

 o masturba minutos antes de coloca-lo na boca, de maneira lenta começou a sucção forte, Daniel sentiu aquilo e pôs-se a gemer enquanto o rapaz investia com sua boca cada vez mais com vontade, provocando em Daniel arrepios de surpresa e prazer.

John investiu mais rápido, isso foi o fim, Daniel sentiu aquela pressão ardente lhe tomar, começou a não suportar e agarrou a toalha da mesa sem se importar se o saleiro havia caído ou não e espalhado migalhas brancas e salgadas por todo o piso; seus suspiros eram descontrolados e os gemidos de vez agudos, colocou uma das mãos na cabeça do jovem que  chupava com gosto e sem parar.

O sêmen subiu quando Daniel sentiu seu pau ser completamente engolido pelo jovem, mais um pouco de sucção e o loiro estava pronto

- amor....-

tentou sair para não gozar na boca de John, mas foi puxado pela camisa num ato de reclamação; não se aguentando mais esguichou em abundancia e John, como o bom menino, engoliu tudo.

Ofegante, o rapaz apoia as mãos nas pernas num ato de descanso.

- isso foi estranho...

- você está bem?...- pergunta preocupado.

- sim.- sorri em malicia.

                                                                                     *

A noite caíra e junto com ela um gélido vento que ousava invadir os quartos pela janela. John se despia na frente de Daniel, eles iriam tomar seu banho mais que merecido e tradicional dos dias.

- não sabia que gostava de me ver tirando as roupas.

- nem eu.

- eu já gosto de tirar as suas...

- para marcar meu corpo com as unhas depois.

O jovem sorri. Era típico de si despir Daniel e num ato de euforia, não se aguentar, e marcar o peitoral do loiro com riscos vermelhos usando suas finas unhas, ele não reclama de nenhuma forma, apenas joga a cabeça para trás muitas vezes lançando contra John um elogio fofo ou malicioso, depende.

Ambos entram na banheira fazendo a água chacoalhar, enquanto a banheira terminava de encher, Daniel desferia beijos necessitados no corpo do rapaz, lhe fazendo gemer e deslizar as mãos por toda as costas do homem.

- o que foi aquilo na cozinha...?

- meus hormônios.

- aaah...então meu garotinho está com os hormônios aflorados?- Daniel o agarra- então vem aqui!

John sentiu a penetração lenta porem forte, gemeu alto e com vontade sem deixar de se agarrar no loiro e chamar seu nome, como adorava fazer sempre.

- ah! Dani.....!

A banheira já cheia fazia a água transbordar ferozmente molhando tudo ao redor, porem, eles não se importavam nenhum pouco.

                                                             


Notas Finais


Eu amei, cara.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...