História Escrito Nas Linhas Do Universo - Saga Red Ribbon - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Tags Akuma, Chichi, Escrito, Goku, Guardião, Linhas, Red Ribbon, Universo
Visualizações 29
Palavras 3.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá Peoples!!!
OLHA QUEM POSTANDO NA SEGUNDA??? EU MESMA!!!! SHUAUHSUHASUHSHUASUHUHAHUSA!!!
Milagres acontecem, podem crer q acontecem... espero poder postar sempre as segundas, mas como ñ viemos falar disso e sim do cap, hj eu vos apresento algo MIRABOLANTE q passou pela cabeça do meu marido... na vdd, ele lembrou de um fato q eu nem estava recordando e ele (meu maior apoio para postar como sempre) me deu uma grande ideia e eu ñ consegui dizer q ñ... o results foi esse cap, q eu ñ vou dar spoilers, pois eu achei ele d+++ e ñ quero estragar a surpresa... só digo q os planos são para a família aumentar (isso é um spoiler Jessy... ¬¬')
Chega de bagaceiras... olhem o cap!

Capítulo 33 - Um Aniversário, Um Pedido E Um Encontro Determinante!


Amanhecia na montanha Paozu e Goku já começava a se acordar com bastante preguiça, afinal, ele teve mais uma noite de caricias intimas com Chichi, sendo que só de lembrar, ele já sentia o corpo se arrepiar de prazer. O pequeno saiyajin ficou olhando para a princesa de Flypan e seu sorriso se alargou, vendo-a adormecida, com os cabelos como véu sobre o futon, respirando tranquilamente e com uma face angelical lhe deixava com uma louca vontade, vontade essa que ele tinha que refrear, pois sabia que a morena a sua frente não gostaria de perder a virgindade tão cedo.

O garoto então se espreguiça no futon e levemente sacode a menina ao seu lado, fazendo-a se acordar e sorrir para ele lindamente, o que o deixou com mais gana ainda. Ele então se colocou em cima dela e lhe deu um beijo de tirar o folego, começando a passar a mão em seus pontos sensíveis. Chichi nem soube o que a atingiu, sendo que o moreno foi muito rápido e ela só percebeu a sua intenção quando viu ele separar-se de sua boca e lhe sorrir maliciosamente, porém antes mesmo da garota conseguir retribuir, o choro de Gohan chama a atenção dos dois, sendo que era um choro tão desesperado que os dois pré-adolescentes pensaram que algo havia acontecido com ele, ou alguém estava tentando entrar na casa.

Os dois correram para fora do quarto e o que encontraram lhes deixou confuso e ao mesmo tempo tensos, Gohan estava no colo de Senzu e chorava muito, gritando em plenos pulmões enquanto seu bisavô estava com olhos lagrimosos e tristes, assim como tinham uma faísca de saudade. Goku e Chichi se entreolham e então decidem se aproximar, sendo que a menina pegou o filho no colo e começou a embala-lo para tentar lhe acalmar, enquanto o garoto se aproxima de seu avô e é pego de surpresa pelo mesmo, então o saiyajin idoso aponta para o calendário e Goku sente que o chão abaixo de si sumiu.

Era quinze de junho... o dia do aniversário de Bardock

 

0-0-0-0-0-0-0-0-0-0                        0-0-0-0-0-0-0-0-0-0                        0-0-0-0-0-0-0-0-0-0

 

Enquanto isso, no palácio divino, Gohan estava monitorando as ações do Algoz como também as recentes ações da Red Ribbon e como elas poderiam estar ajudando o Inimigo em seu plano, sendo que toda essa investigação era passada para Son e para Sterben, sendo que o deus da morte monitorava qualquer ação do universo Hölle – o universo aonde o Algoz foi condenado a habitar – enquanto Fiery monitorava qualquer ação no próprio universo divino, já Gohan estava totalmente de olho na Red Ribbon, afinal, ele sabia que aquela empresa bélica foi a responsável por criar o ser que quase destruiu seu futuro, quase destruiu seu presente e quase arruinou com sua família, ou seja, seu caso era mais pessoal e ele não queria deixar nada passar, ainda mais agora que sabia que Cell estava sendo criado diretamente pelo arqui-inimigo de Son.

O mestiço ainda estava analisando as ações quando ele sente a presença de Chikyuu, sendo que a deusa chega perto dele e espera para que o menino lhe dê um pouco de atenção, o garoto então para o que está fazendo e se vira para olhar para a deusa suprema, sendo que ele a vê chorando e aquilo o deixa um pouco alarmado, como também confuso. Então a mulher divina vai até o loiro e o abraça fortemente, tentando segurar as próprias lágrimas e sentindo Gohan a abraçar de volta.

-Sabes que dia é hoje? Pediu Chikyuu com a voz embargada.

-Não.... Respondeu Gohan com certo temor.

-Pelo calendário humano... hoje é quinze de junho e pelo calendário saiyajin, é o dia shíwû de Liùyuè, sabe o porquê eu te conto isso? Pediu a deusa suprema se desvencilhando para olhar nos olhos do garoto.

-Não.... Respondeu o mestiço mais tenso.

-Hoje... é aniversário do seu avô paterno... Bardock está fazendo quarenta e dois anos.... Disse a mulher imortal se segurando para não chorar novamente.

Gohan ficou abismado com o que ouviu e seu coração saltou uma batida, logo pode-se ver o mestiço com os olhos cheios d’água e gaguejando um pouco. Chikyuu abraçou o garoto fortemente e se deixou levar pela emoção que sentia, afinal, ela estava feliz e triste ao mesmo tempo, feliz pelo fato de saber que um de seus descendentes estava completando mais um ano de vida e como uma matriarca coruja que sempre foi, ela ficava exultante por saber que seus descendentes estavam fazendo aniversário, porém ela ficava triste por saber o estado em que Bardock se encontrava, preso, sem poder ver seus filhos, trabalhando como um escravo e tendo que viver com o peso de fazer tudo o que Cooler mandava, temendo perder Gine para o desgraçado. Gohan sentiu a mesma coisa, porém ele não só estava feliz por saber que seu avô estava de aniversário, como também estava ansioso para conhece-lo, afinal, o garoto só sabia do avô e de seus feitos através de Vegeta e desde que ouviu falar em Bardock, o mestiço teve uma louca vontade de conhece-lo, mas assim como Chikyuu, ele ficava triste por saber que seu avô paterno estava vivendo em uma situação bastante difícil.

Gohan então se desvencilha completamente da deusa e murmura um “obrigado” a ela, depois pede se ela não podia chamar Saiyan, para que o deus supremo ficasse coordenando as ações da Red Ribbon por um certo tempo. A deusa suprema sorri com o pedido e já vai saindo para chamar seu marido quando uma ideia lhe vem, sendo que isso a faz sorrir em lágrimas e ela vai correndo até a ala dos linhas. O mestiço é outro que corre, porém ele vai até a ala das faixas de extração e lá encontra seu pai, que quando o vê fica surpreso, tenso e até mesmo um pouco furioso com o fato de ver seu filho chorando.

-Gohan... o que foi? Pediu Goku alarmado.

-Pai... hoje é.... o aniversário do vovô.... Disse Gohan se segurando para não chorar.

-Hoje? Mas Cutelo só faz aniversário em julho, falta ainda um mês pelo o que eu sei.... Disse o saiyajin confuso.

-Não é o vovô Cutelo... é.... meu outro avô.... Disse o mestiço começando a chorar.

Goku ficou um pouco confuso no início, porém quando a ficha caiu, o saiyajin sentiu as lágrimas rolarem por seu rosto sem ele conseguir impedir, muitos sentimentos se fixaram em seu coração e até mesmo a saudade apertou, mesmo que o homem não tivesse uma lembrança de seu pai. Gohan ficou esperando alguma palavra enquanto as lágrimas transbordavam de seus olhos e então o menino viu seu pai começar a chorar e soluçar, o que lhe deu um aperto enorme no peito e o fez correr para abraça-lo. Os dois ficaram chorando por algum tempo enquanto suas lágrimas se misturavam e seus soluções se uniam em uma melodia triste.

Depois de um tempo, pai e filho se desvencilham e Gohan limpa as lágrimas do pai – já que o mesmo não podia fazer isso por estar atado as faixas de extração – para depois limpar as suas, nessa hora, Chikyuu reaparece e com ela estava Chichi e Goten, que ao ver seu pai e irmão chorando, fica triste e começa a chorar também enquanto Chichi sorri em lágrimas e vai abraçar seu marido. A deusa suprema entrega Goten a seu irmão e o neném tenta entender o que levou seu irmão mais velho a chorar, enquanto Gohan olha para o bebê em seus braços e sente a alegria lhe invadir, pois o pequeno o lembrou do que Bardock fez para salvar seu pai quando o mesmo tinha a idade de Goten, além disso, os dois ali eram a maior prova de que o sacrifício de Bardock valeu a pena.

-Obrigado por trazer o meu irmão, deusa Chikyuu.... Disse Gohan sorrindo em lágrimas.

-Sabia que ia gostar, além disso, não seria justo que você fosse e ele não, não é mesmo? Disse Chikyuu sorrindo ternamente.

-Sim... agora só falta chamar o Kome para cá, assim meu pai fica livre e pode ir ao.... Dizia o mestiço até ser interrompido.

-Eu não vou. Afirmou Goku.

-COMO??? Pediu o pré-adolescente assombrado. –Mas... pai....

-Se eu for... acabarei me desesperando e tentando salvar tudo e todos, o problema não é fazer isso, mas colocar em risco o meu planeta natal, a Terra e principalmente você.... Disse o saiyajin sentindo-se culpado.

-Porque diz isso? Pediu o filho mais velho confuso e triste.

-Gohan... lembra que o deus Son foi e acabou mudando o destino de Beijita quando eu era recém-nascido? Pediu o homem vendo seu filho acenar positivamente. –Apesar de ter matado Frezza, Son não matou Cooler e o resultado foi a escravidão da raça saiyajin, não culpo Son por isso, até porque, Cooler não mostrava interesse em Beijita, além de demorar doze anos para invadir, então eu creio que nem o deus Son previu que Beijita ficaria escravo mais tarde... porém eu sei que se eu for lá, eu vou acabar fazendo o mesmo que o deus Son fez, além de  trazer meu pais para a Terra e talvez, com isso, o Algoz tente algo mais poderoso contra os terráqueos e sabendo que eu não poderei salvar todos, isso faria você e ele se enfrentarem e eu... não quero te colocar em uma batalha de vida ou morte de novo, então é melhor eu ficar e deixar as coisas acontecerem como deve ser... como Saiyan planejou... entende? Explicou o homem tentando ser firme.

-...................... Entendo..., mas o que eu direi se me perguntarem o porquê você não veio? Pediu o garoto um pouco relutante.

-Diga que eu estou ajudando o Deus Son... e que eu permiti que os meus dois filhos fossem para que meu pai saiba que... tudo o que ele fez para me salvar... deu certo.... Falou Goku sorrindo e sentindo as lágrimas rolarem.

-....................................................... Certo! Obrigado... pai! Disse Gohan sorrindo em lágrimas. –Quer ir junto mãe?

-Não... em uma próxima oportunidade... seria desrespeitoso ir e deixar o Goku aqui sozinho. Disse Chichi sorrindo ternamente.

-Viu? Sua mãe quer ficar sozinha comigo, sabe o que isso significa? Pediu Goku travessamente, mas ainda com lágrimas nos olhos.

-Vish! ... ainda bem que vamos visitar o vovô... temos pais loucos Goten... muito loucos.... Falou Gohan olhando para Goten e vendo o mesmo acenar positivamente.

-Olha quem fala... não sou eu que estou traçando a Videl por tudo o quanto é canto... e isso que você nem tem filhos.... Disse o saiyajin como quem não quer nada.

-Não coloque a minha mulher nessa conversa suja.... Falou o mestiço com uma aura assassina ao redor de si, até que a ficha caiu. –Você disse... filhos?

-Sim... porque? Pediu o pai sorrindo travessamente.

-O senhor já está querendo netos? Pediu o filho pasmo.

-Mas é claro... ou vai dizer que não quer filhos? Pediu o mais velho um pouco aborrecido.

-EI EI EI EI EI!!!!! Calma aí! Tudo bem que eu e a Vid casamos, mas precisa apressar? Além disso, o senhor tem um bebê em casa, para que outro agora? Disse o mais novo um pouco revoltado.

-Porque o Goten não está conosco seguido, além disso, você sabe muito bem que o tempo dos óvulos fortalecidos da Videl estão se acabando, então porque não aproveitar agora? E tem mais, você não vai precisar se preocupar com quem vai cuidar dos seus filhos, porque tem um monte de deusas, ninfas, druidas e fadas que adorariam cuidar do seu bebê, então para que perder mais tempo? Disse o homem sorrindo de canto.

-Tempo? Hummm.... Gohan disse esfregando o queixo.

-No que está pensando? Pediu Chichi furiosa com o rumo da conversa.

-Me veio uma ideia aqui.... Disse o menino sorrindo do mesmo modo.

-O que pretende fazer? Pediu a morena confusa, envergonhada e um pouco nervosa.

-Nada demais... só vou seguir a instrução do meu pai, afinal, EU TENHO TODO O TEMPO DO UNIVERSO!!! Gohan começou a gargalhar e depois saiu correndo dali. –Vamos Goten, temos que achar a Vid e traze-la conosco, depois dessa visita, eu tenho que encomendar um filho!

-Mana! Mana! Mana!!! Gritava Goten entusiasmando.

-SON GOHAN!!!!!!! O grito de Chichi se ouviu por todo o palácio.

-Acho que quando eu voltar, eu vou perder as minhas pernas... ou algo bem pior.... Pensava o mestiço sentindo um calafrio.

Gohan então correu até seu quarto ainda segurando seu irmão e quando chegou ao cômodo, Videl se assustou, mas ao ver seu pequeno cunhado, logo sorriu e já estendeu os braços, vendo Goten pular neles e gargalhar muito, assim como abraça-la. O mestiço mais velho sorri com a interação de sua mulher e de seu irmão, começando a pensar que a morena seria uma ótima mãe, pois ela se dava bem com qualquer criança, porém quando o garoto vê sua amada lhe perguntando o que estava acontecendo, ele conta sobre o aniversário de Bardock e a convida para vir junto. A humana fica fascinada com a ideia, mas pede por Goku e depois de ouvir as explicações de seu macho, ela acena positivamente, entendendo que Goku só não iria por medo de fazer alguma besteira. Videl então começa a dançar com Goten, dizendo que Bardock ficaria feliz ao vê-lo pelo fato do pequeno lembrar muito o pai, isso faz o mestiço sorrir maquiavelicamente e dizer a morena sobre o fato de Goku querer netos, deixando a menina vermelhíssima, porém ela não dá contra, fazendo seu amado ficar abobalhado e entender que a garota quer era mãe, então o loiro vai até sua fêmea e a abraçando, diz que naquela noite, eles fariam um filho, o que deixou Videl tão vermelha quanto uma beterraba.

O casal e o pequeno mestiço então saem do quarto e vão até aonde está Saiyan, o informando sobre sua partida a Beijita e o que fariam lá, o deus supremo sorri animado com aquilo, mesmo que ele já soubesse da saída dos três através de sua esposa, porém antes de deixa-lo sair, ele entrega algo a Gohan, dizendo que era o presente que o menino deveria dar ao seu avô e explica para que o presente servia. O mestiço e sua esposa agradecem com uma reverencia enquanto Goten bate palmas e alegra o deus dos universos com seu sorriso.

Gohan, Videl e Goten então saem do palácio divino, avisando por telepatia a Son, Sterben e Fiery sobre sua partida, o deus da morte e o deus do poder pedem para que o mestiço mande parabéns a Bardock por eles, porém Son pede que Gohan tenha cautela no uso do KI, ainda mais o de Goten que não sabia como controlar seu poder, pois os scouters poderiam rastreá-los e isso colocaria o plano saiyajin em risco, além disso, o ser divino conta ao garoto o estado de Senzu e Goku na Terra, fazendo Gohan sentir seu coração sangrar, então o mestiço pede para que Son coloque uma barreira protetora em Goten enquanto ele e Videl se mantinham em alerta. Logo, o mestiço viu uma aura cinza surgir em torno de seu irmãozinho e seu Ki foi anulado, então o loiro agradeceu e foi em direção a Beijita, passando pelas divisas entre o universo natural e o divino.

E quando ele chegou ao planeta... ele entendeu o porquê seu pai não quis vir.

Gohan e Videl estavam assombrados com o que viram e mesmo anulando seu Ki, eles ainda poderiam ser vistos por olhos nus, então eles usaram uma técnica divina para que seu corpo ficasse invisivel, porém seus olhos captaram o caos e destruição do local. Fêmeas saiyajins de qualquer idade sendo estupradas no meio da rua, machos sendo torturados, cortados, esmagados vivos e esquartejados em todos os cantos, coleiras em todos os saiyajins, compra e venda de pessoas, miséria, dor, lamento, choro e principalmente sangue nas ruas.

Ao ver tudo aquilo, o mestiço mais velho rangeu os dentes, sua vontade era torturar todos os desgraçados que estavam fazendo os saiyajins sofrerem, porém ele sabia que não poderia fazer isso, além de que, ele veio com um propósito e não poderia voltar atrás para salvar essas vidas, ele tinha que deixar sua ira passar e ir ao encontro de seu avô e foi isso que fez. Enquanto andava pelo palácio que um dia foi da realeza saiyajin, Gohan e Videl viram soldados de Cooler trazendo mais saiyajins algemados e pelo o que entenderam da conversação, esses saiyajins conseguiram fugir do planeta, porém foram capturados e trazidos de volta. Entre os saiyajins estava uma fêmea jovem que lembrava muito a Migeru, sendo o diferencial seus cabelos e olhos negros.

A ver a garota, Videl tremeu na base e ela não conseguiu refrear o choro, o que chamou a atenção da garota saiyajin por um instante e a fez olhar para aonde veio o som, mas ela não viu nada, os soldados viram que a garota parou e olhou para o “nada” e eles, sem nenhuma misericórdia, a atacaram e a estupraram na frente dos pré-adolescentes. Gohan ficou tão furioso com aquilo que só não se transformou e atacou porque Videl o segurou e começou a chorar silenciosamente em suas costas, Goten fazia o mesmo abraçando fortemente o irmão enquanto eles ouviam os gritos de dor e sofrimento da garota saiyajin. Quando os soldados acabaram de se divertir com ela, eles atiraram uma bola de Ki que perfurou seu tórax e a deixaram para morrer naquele corredor enquanto levavam os demais saiyajins capturados, quando os soldados de Cooler desapareceram do corredor, Videl foi até a menina, desabilitando a técnica que a deixava invisível e tentando socorre-la.

-Por favor... fique calma, vou curar você e.... Dizia Videl em lágrimas até ser interrompida.

-Nã... não... se fizer... isso, eles... poderão sus... suspeitar.... Falou a garota saiyajin sentindo o sangue fluir por sua boca.

-Mas.... Retrucou a humana.

-Tu... tudo bem... é melhor... morrer do que... servir de escra... escrava para esses... desgraçados.... Falou a saiyajin sorrindo. –Qual.... é o seu... nome?

-Son Videl.... Falou a morena humana recomeçando a chorar. –Qual é o seu?

-Pan... eu sou.... uma mestiça... saiyajin e... mizujins.... Falou a morena saiyajin começando a chorar.

-Pan.... Falou a garota humana sorrindo em lágrimas.

-Escute... eu quero que... me prometa algo.... Falou a menina mestiça pegando na mão de Videl.

-Diga. Pediu Videl segurando firmemente a mão da mestiça.

-Me prometa... que... vai salvar...minha geni... genitora... ela está... escondida no pla... planeta em que... eu estava... antes... ela está... prenha e... eu tentei... lutar para... salva-la, mas.... Disse a garota mestiça chorando de tristeza.

-Claro, pode contar comigo. Falou a morena humana convicta.

-Obrigada... muito... muito obri... obrigada.... Disse a morena mestiça sorrindo em lágrimas. –O nome... dela é.... cof cof cof.... cof cof cof cof cof cof cof!!!!!!!!

-Calma Pan... fique calma....

-Sesame.... cof cof cof!!! ... o nome... da minha.... geni... cof cof cof!!! ... genitora... é Sesa... Sesame....

Videl levou um baque ao ouvir o nome, pois Sesame também era o nome saiyajin de sua mãe e o fato da garota saiyajin a sua frente ser bem parecida com Migeru lhe deixou com o coração sangrando. A menina saiyajin não parava de tossir e logo, sangue se misturou a tosse, a fazendo quase engasgar, porém ela não largava a mão da humana por nada. De tanto tossir sangue, a saiyajin acabou não resistindo e morreu na frente do casal e do pequeno mestiço, sendo que Goten chorava silenciosamente no colo do irmão enquanto o mestiço mais velho se segurava com tudo o que podia para não explodir. Videl sentiu quando a vida deixou o corpo da menina saiyajin, pois ela, que segurava a mão da morena com força, num instante aflouxou o aperto e seus olhos perderam o brilho, assim como sua respiração cessou, a humana se permitiu chorar e se agarrou a Gohan com toda a força que conseguia, inundando as vestes de seu amado com o pranto doloroso que saia por seus olhos, isso fez com que Gohan começasse a chorar também e mordendo os lábios, o garoto se segurou para não sair fazendo uma chacina, mesmo que para isso ele tivesse que rasgar seus lábios de tão forte que se mordia.

Quando eles conseguiram se acalmar, Videl e Gohan se levantaram e perceberam que havia mais pessoas vindo, então eles ficaram invisíveis de novo e saíram dali às pressas, eles ainda andavam quando sentiram o Ki de Vegeta e sabendo que Bardock estava na mesma ala de escravos do príncipe, ambos pararam em frente à porta e suspiraram, porém quando o mestiço mais velho foi dar o primeiro passo, ele sente Videl lhe segurar a camisa e quando ele olha para ela, ela estava cabisbaixa.

-O que foi? Pediu Gohan surpreso e temeroso.

-Gohan... precisa ser um menino? Pediu Videl tremendo levemente.

-Como? Pediu o mestiço confuso.

-Precisa ser um filho, não podemos ter uma menina? Pediu a humana aflita.

-Vid....

-Eu quero ter uma filha... para colocar o nome de Pan.


Notas Finais


Olá di novo!
LOUCURA, LOUCURA, LOUCURA!!!! ENCOMENDA DE PAN SAINDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!
ASHUAHUSHUAHUSAUHSUHAUHSUHASUHAHUSUHAUHSUHASUHAHUSUHAUHSUHAHUSUH!!!!
Curtiram? Me digam pfv! Prox cap: AVÔ E NETO SE CONHECEM.... (preparem mais lenços!)
Kissus de massa folheada (carai... comi hj... shippei total!) (sim, eu to mais lesada q o normal) e até! o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...