História Escrito pelo destino... - 2 Temporada. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lobos, Magia, Magos
Exibições 93
Palavras 1.167
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Aeee Finalmente galeraaaaa!
O primeiro capitulo da segunda temporada de Escrito pelo destino está ae! Espero que gostem e desculpem qualquer erro perdido aí.

Todas as imagens foram tiradas do Google.

Boa leitura 📖

Capítulo 1 - Primeiro dia


— Sai da frente que eu tô passando! – Falei enquanto corro apressadamente pelos corredores lotados.

Agora que entrei pra faculdade eu tenho que pelo menos chegar na hora. Ótimo trabalho Rafa, parabéns.

— Hey garoto, cuidado! – Disse uma garota logo após eu esbarrar nela com força derrubando alguns livros de suas mãos.

— Ah droga... Me desculpe! Eu tô atrasado pra caramba agora. – Falei me agachando pra ajudar pegar os livros da moça que estão jogados pelo chão enquanto vejo varias pessoas atrasadas assim como eu correrem pelo corredor.

— Tsc... Olha por onde anda babaca. – Disse a misteriosa garota que está usando óculos escuros junto a uma roupa toda preta, ela também usa uma toca cinza que cobre grande parte de seus cabelos roxos.

— Aqui, me desculpe mesmo... Meu nome é Rafael. E o seu? – Perguntei enquanto estendo os livros da garota que logo os arrancou das minhas mãos.

— Não interessa. – Falou ela secamente de levantando do chão.

A fitei se afastar e suspirei frustado me levantando do chão também. Ótimo jeito de começar o primeiro dia na faculdade, além de eu estar atrasado pra aula o que não é novidade, ainda tem gente que me odeia logo de cara. Merda.

Peguei minha bolsa que joguei no chão e saí correndo feito um animal.

— Porra, qual sala é mesmo? – Perguntei a mim mesmo ao parar no meio do corredor pra pegar o papelzinho no meu bolso. — 2ª sala do bloco 1, ciências naturais. – Li em voz alta e comecei a correr outra vez.

Cheguei na frente da sala e respirei lentamente pela boca; se acalme Rafael, o Dylan está na mesma sala que você, se acalme. Logo coloquei a mão na maçaneta da porta e fui a abrindo lentamente.

— Ciências naturais... Qual o conceito disso? Ciências naturais consiste em todo o ecossistema da terra que se aplica a natureza. Vocês vão estudar a biologia, física e química para entendermos tudo sobre essa área. Prazer, sou o professor de química de vocês... – Explicava o professor que parece muito novo pra ser professor. Na sala tem dezenas de alunos que estão sentados em fileiras que são tipo as salas de cinema, só que as mesas são todas juntas; droga.

Fui entrando lentamente pelo cantinho com a esperança de que ele não me veja, fui olhando todas as fileiras pra tentar achar o Dylan no meio dessas pessoas desconhecidas mas não o encontrei, suspirei frustado.

— Com licença... – Foi quando eu escutei a voz assustadora do professor soar pelas minhas costas. Fechei os olhos com força e fui me virando lentamente na direção dele que está me fitando com os braços cruzados, neste momento eu tenho a atenção de todos os alunos da sala diretamente pra mim.

— Sim professor? – Murmurei e escutei alguns alunos rirem.

— Como é seu nome garoto? – Me perguntou com uma feição séria mas o mesmo tempo calma enquanto me fita; desviei o olhar.

— Rafael, Rafael Jonhson. 

— Pois então Rafael Jonhson, você pensa que ainda está na escola? – Perguntou ele com a voz fria, engoli em seco.

— Não senhor... 

— Acha que pode chegar atrasado assim na minha aula sem sofrer nenhum tipo de consequência? – Perguntou ele calmamente fazendo a sala inteira ficar silenciosa. Esse professor é bastante rígido, ele tem uma postura muito diferente de muitos professores que já vi.

— Não senhor. – Falei ainda fitando o chão fixamente.

— Vou fazer algumas anotações ao seu respeito, se isso voltar a se repetir... Terá graves consequências. – Falou ele indo na direção de sua mesa só pra pegar um caderno e escrever algumas coisas nele.— Agora pode ir. – Falou ele me fitando apaticamente, assenti com a cabeça e segui em direção um lugar vazio na quarta fileira  de cima pra baixo. Passei pelos alunos da fileira e me sentei no meio.

— Cara, você é louco... – Murmurou um garoto de cabelos chamativos em um vermelho intenso, ele está sentado ao meu lado, o ignorei completamente enquanto fito o professor explicar a matéria, não quero mais problemas por conversar na aula.

— Parece que ele gostou de você. – Disse uma garota que está do meu outro lado, olhei pra ela com uma sobrancelha erguida.

— Como assim? – Murmurei a ela que sorriu de canto.

— David adora expulsar garotinhos indefesos assim como você logo no primeiro dia de aula, ele gostou de você pois só fez uma anotação, isso me deixou surpresa. – Disse a garota de cabelos escuros enquanto me fita, desviei o olhar e voltei minha atenção a aula.

(...)

Logo o sinal para o intervalo bateu, me espreguicei lentamente jogando os braços pra cima enquanto bocejo e fui me levantando do banco de madeira. Esperei os alunos sairem do banco só pra mim sair logo em seguida.

(...)

Quando pisei no corredor, logo senti alguém me puxar com força me arrastando até algum lugar, quase tive um ataque cardíaco mas logo me acalmei ao ver que é James me puxando. Quando chegamos aqui em Nova York a 6 meses atrás eu ainda não tinha terminado a escola, então tive aulas todos os dias da semana incluindo finais de semanas e feriados com o Adam, quase morri por não conseguir suportar ele que ainda por cima ficou me ensinando vários conceitos de magia e como controla-la. Logo após me inscrever nessa faculdade o James ligou para o Dylan alegando ter informações sobre sua missão de investigar os lobos que estavam atrás do Dylan, ele disse que tinham muito mais lobos atrás dele. Sorte que saímos daquela cidadezinha e conseguimos despista-los. Espero não nos encontrarmos com eles mais. Então Dylan deu a nossa localização pra  James que chegou em Nova York a algumas semanas.

— Pra onde está me levando? – Perguntei curioso.

Foi quando ele me empurrou com força pra dentro de uma sala de limpeza. Fiquei sem entender nada até sentir braços fortes me abraçarem por trás.

— D-Dylan... – Murmurei ao sentir o nariz do maior deslizar carinhosamente pelo meu pescoço me fazendo jogar um pouco minha cabeça para o lado em busca de mais contato.

— Me desculpe por não acordar você mais cedo anjo... É que você estava dormindo tão bonitinho que não tive coragem. – Falou ele contra meu pescoço só pra logo em seguida dar um beijinho no local me fazendo arrepiar.

— Droga, já falei pra não fazer assim que faz cócegas. Ainda estou bravo com você. – Falei tentando sair de seus braços mas Dylan foi mais rápido me agarrando com mais força.

— Me desculpe por favor... Não quero que fique bravo comigo. – Falou ele agora dando uma sequência de beijinhos no meu pescoço me fazendo rir um pouco.

— Tudo bem então. Mas por que não estava na sala? – Perguntei pousando minhas mãos em cima das mãos de Dylan que se encontram no meu peito enquanto ele me abraça por trás.

Foi quando ele parou de me beijar de imediato e ficou um tempo sem me responder.

— Por um acaso o Adam estava naquela sala quando você entrou? – Perguntou ele me fazendo arquear as sobrancelhas.

— Não, por quê? 

— Senti cheiro de lobo quando eu ia entrar nela.

Continua...


Notas Finais


Eaeh? Comentem o que acham disso. 💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...