História Escrito pelo destino... - 2 Temporada. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lobos, Magia, Magos
Exibições 84
Palavras 1.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Heyy! Sim, estou postando agora!! Aeee kkkkk

Essa da capa é a garota misteriosa de cabelos roxos 😊❤️ Boa leitura 📖

Capítulo 2 - Olhos que se encontram


Fanfic / Fanfiction Escrito pelo destino... - 2 Temporada. - Capítulo 2 - Olhos que se encontram

—Cheiro de lobo? – Perguntei um pouco surpreso enquanto fito o chão.

— Pode ser a minha imaginação me pregando uma peça mas foi por esse motivo que eu não assisti a aula hoje, sem querer eu posso estar no território de outro lobo... Não seria legal arranjar briga em uma sala lotada de humanos. – Falou Dylan baixinho no meu ouvido.

Então quer dizer que o Dylan conseguiu identificar o cheiro de um lobo na sala? Era só o que me faltava, meu dia não poderia ficar pior.

— Mas espera, como você conseguiu sentir o cheiro dele tão forte assim? Ele está no cio? – Perguntei com uma sobrancelha erguida.

— Não, o cheiro que senti não era de um lobo no cio, foi bem fraco por estarmos em um local lotado então não tenho certeza mas... Parecia o cheiro de um alfa que estava impondo sua presença. – Falou Dylan calmamente.

Ficamos então alguns segundos sem dizer nada pois eu estava pensando. E se esse lobo for um dos caras que estão atrás do Dylan? O que vai acontecer? Droga.

— Tá legal, agora vamos sair da qui. – Falei depois de um tempo quando percebi que o clima estava ficando meio estranho já que Dylan continua me abraçando por trás.

— Não quero, essas pessoas daqui são chatas. – Falou Dylan me abraçando ainda mais forte; suspirei frustado.

Então eu virei um pouco meu rosto para o lado e encontrei o rosto de Dylan que me fita com um olhar de cachorrinho abandonado, percebi que ele não iria me soltar então o fitei com uma feição irritada e logo em seguida selei nossos lábios em um beijo calmo, só pra satisfazer Dylan um pouco pra ele me soltar.

Levei minha mão até o maxilar do maior e agarrei com força em surpresa ao perceber a língua do maior que tenta adentrar minha boca, quando ele finalmente conseguiu meu corpo inteiro se arrepiou como de costume, parece que nunca vou deixar de me sentir assim não importa o quanto nos beijamos. Nossas línguas logo se encontraram e se chocaram com carinho, o gosto dele é tão viciante que as vezes me perco no tempo e acabo ficando beijando Dylan por horas, sim, isso já aconteceu. Ele então agarrou minha cintura com suas duas mãos com força me fazendo gemer baixinho, minhas pernas logo falharam e eu acabei interrompendo o beijo pra recuperar o ar.

— N-Não Dylan... – Murmurei ao sentir a mão de Dylan adentrar minha calça me fazendo entreabrir os olhos ao sentir meu rosto esquentar ligeiramente.

— Hm... Já está excitado Rafa? Só com um beijo? – Falou o maior me virando ligeiramente de frente pra ele só pra logo em seguida me prensar contra a parede da minúscula sala de limpeza com força, fazendo uma vassoura cair por conta da força do impacto.

Estremeci colocando a costa da minha mão na frente da minha boca enquanto respiro pesadamente ao ver Dylan se abaixar e se ajoelhar na minha frente enquanto abre os botões da minha calça.

— A-Aqui não... Ah – Gemi baixinho ao sentir o maior abaixar minha calça junto a minha boxer preta, revelando assim a minha ereção que saltou pra fora.

— Como pode estar tão duro com tão pouco? É por que estamos em um local público? Isso te excita? – Perguntou o maior agarrando minha ereção pela base.

— N-Não... – Murmurei baixinho desviando o olhar.

— Você não pode mentir pra mim Rafa, eu sei de tudo sobre você, consigo sentir tudo... – Disse o maior só pra logo em seguida lamber toda a extensão de meu membro me fazendo fechar os olhos com força ainda com a costa da minha mão na minha boca.— Consigo sentir seu desejo, quer um boquete? – Perguntou ele entanto me fita com um sorriso de canto parando de me lamber por alguns instantes; arregalei os olhos.

— I-Idiota, não faç... Ah – Dylan abocanhou meu membro me fazendo fechar os olhos novamente com força, senti os pelos do meu corpo se arrepiarem ao sentir sua língua dar voltas em minha glande com meu membro dentro de sua boca.

Sim, Dylan adquiriu essa personalidade quando começamos a morar em Nova York, ele ficou assim logo após eu ser chamado pra sair inúmeras vezes. Chamo muita atenção por onde passo por conta do meu cabelo branco e as pessoas me acham bonito por eu ser diferente das outras pessoas. Por conta disso eu atraio olhares de muitos homens e mulheres, isso deixou Dylan tão desconfortável e ciumento que ele passou a agir assim em lugares públicos, passou a me atacar em lugares lotados como metrôs cheios de gente. O que mais me assusta é que eu me excito muito fácil quando estou nessas situações, não sei se isso tem alguma coisa a ver com minha ligação com o Dylan mas meu corpo simplesmente responde a ele em situações como essas de um modo surreal, sinto que posso gozar em segundos.

— Ah... – Gemi o mais contido possível jogando a cabeça pra cima e sentindo meu rosto esquentar ainda mais ao sentir o maior fazer movimentos de sucção enquanto me chupa com vontade, ele usa as mãos também pra acariciar meus testículos e passear pelo meu membro enquanto ele me chupa. Mordi o lábio inferior pra contrair os gemidos e senti minhas pernas falharem me fazendo quase desabar no chão por conta da pontada de prazer provocada pelo Dylan que não para nem por um segundo os movimentos experientes com a boca em meu membro.

— Eu vou gozar... – Murmurei emaranhando meus dedos por entre os cabelos negros de Dylan, tentando afastar sua cabeça de meu membro. Logo Dylan tirou meu membro de sua boca ficando ligado por um fio de saliva enquanto me masturba com a mão.

— Goza na minha boca... – Disse o maior enquanto olha bem no fundo de meus olhos me masturbando o mais rápido e firme possível, ele abre a boca colocando sua língua pra fora com uma feição calma, aguardando meu clímax. 

Isso me fez arregalar os olhos pois com só essa imagem senti uma corrente elétrica de prazer tão grande se chocar contra meu corpo que gozei abundantemente na boca de Dylan. Segurei o máximo possível o gemido mordendo minha mão e minhas pernas falharam de vez me fazendo cair de joelhos no chão na frente de Dylan que está ofegante com um fio de meu líquido vazando pelo seu queixo. Dylan então lambeu seus beiços e levou um dedo até seu queixo só pra limpar minha porra dali, logo em seguida ele lambeu seu dedo me fazendo ficar constrangido.

~ Triiiiiiin!

O sinal acabou de tocar, anunciando o fim do intervalo.

— Droga Dylan... V-Você é mesmo um babaca. – Murmurei com a respiração descompassada encostando minha cabeça no peito do maior que me abraçou.

— Sim, eu sei. – Disse ele enquanto acaricia gentilmente meus cabelos.

Logo nos levantamos do chão, me ajeitei e saímos da sala de limpeza.

(...)

— Ei idiotas, onde vocês estavam no intervalo todo? –Perguntou Adam ao avistar eu e o Dylan no corredor indo em direção a sala.

Desviei o olhar sem saber o que responder e Dylan sorriu de canto.

— Comendo, e você? – Perguntou Dylan ainda sorrindo de canto me fazendo arregalar os olhos em surpresa, ainda mais por entender o duplo sentido dessa frase.

— Eu tava caçando vocês! Dylan, você sentiu né? – Perguntou Adam enquanto fita Dylan com um olhar sério.

— Sim, eu senti. – Disse o maior fitando o chão com uma feição também seria. Eles devem estar falando do lobo que Dylan sentiu a presença mais cedo.

Vários alunos passaram por nós por estarem atrasados para suas aulas, mas o que mais me chamou a atenção foi a garota de cabelos roxos  que esbarrei hoje de manhã, ela está de mãos dadas com um cara muito alto de tatuagens. Os meus olhos logo se encontraram com o da garota que agora que eu percebi, tem olhos de cor violeta, isso me fez ficar surpreso pois eu nunca havia visto olhos tão incomuns assim, como não percebi isso antes? Deve ser por conta dos óculos escuros que ela estava usando mais cedo.

O tempo parou por alguns instantes enquanto nossos olhares se encontram, posso escutar o barulho do salto da garota batendo contra o chão lentamente e as pessoas logo pararam de se mover e de falar, as folhas das árvores que estão no pátio pararam de cair, tudo parou de se mover. Então no meio disso tudo a garota sorriu diabolicamente pra mim, me fazendo estremecer de medo e surpresa. Isso só durou alguns segundos pois logo tudo voltou a se mover e ficar normal, os olhos da garota logo mudaram de cor virando castanhos, me fazendo ficar ainda mais confuso; coloquei a mão no peito com os olhos arregalados e a respiração desregulada enquanto fito a garota desaparecer na multidão.

— Rafa, você está bem? – Perguntou Dylan me fitando meio assustado com uma feição preocupada, Adam também me fita meio confuso pelo meu surto de pânico repentino.

— ... – Não consegui responder por alguns segundos enquanto tento recuperar o ar com uma gota de suor rolando pelo meu rosto enquanto fito o chão.

Foi a minha imaginação?

Continua...

 


Notas Finais


Comentários? 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...