História Escuridão Clara— Harry Styles - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Queiroz, Harry Styles, Niall Horan, One Direction, Zayn Malik
Personagens Camila Queiroz, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Amizade, Amor, Desejos, Drama, Gabriela, Harry, Liam, Louis, Luta, Micaela, Niall, Omissões, Resistência, Revelaçoes, Sarah, Shawn, Sophia, Suspense, Violencia, Zayn
Visualizações 62
Palavras 2.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaaaaaaaa
Tudo de baum com vcs?!
Espero que sim!
Bem, esse cap n ficou grande, pois eu resolvi cortá-lo e deixá-lo apenas com a visão do Harry!
Todos esse caps menores que eu postei nesses dias eram para ser um capítulo, sério mesmo! Ia dar mais de dez mil... Mas aí eu fui pipocando ele! Hahahah

Boa leitura💙

Capítulo 43 - Perdendo a Paciência.


Fanfic / Fanfiction Escuridão Clara— Harry Styles - Capítulo 43 - Perdendo a Paciência.

Pov's Harry


Dor é tudo o que eu sinto, à todo momento. Dor, arrependimento, pesar, vergonha, raiva, desespero, medo e muitos outros. A minha vontade é de matar-me agora, só não o faço porque tenho, preciso tirar Micaela daqui... Quando ela sair bem e viva, se ela não me querer mais, eu vou embora para sempre e nunca mais voltarei para a vida dela. E, bem longe de Londres ou de Washington, vou acabar com a minha vida de uma vez.

Por mais que eu queira ficar com Micaela, não cabe a mim decidir. E eu ainda me acho um completo de um ignorante, pois, mesmo eu vendo toda essa merda acontecendo, ainda tenho a maldita de uma esperança de que Micaela vai aceitar ficar comigo. Eu sou muito idiota, ignorante, não tô pensando nela, só em mim!

Meus erros começaram desde aquele dia no aeroporto... Eu deveria ter, apenas, enrolado um papo, para depois levá-la para qualquer prostíbulo. Mas, não, eu tive que ser um imbecil e apaixonar-me à primeira vista e, depois, aprender a amá-la de verdade. E, depois, na festa, quando a vi tão linda e perfeita naquele vestido... Gostaria muito de voltar naquele tempo e não ter falado com ela, intrometido-me na vida dela, eu gostaria...

Não posso jogar a culpa toda nos ombros do Padlock ou do Malik, realmente, eles têm menos culpa do que eu. Eu comecei com tudo isso. Eu que tive a ideia. E eles só foram fazendo-a crescer cada vez mais.

E ainda me mata lembrar do Zayn... Do Zayn em cima da Micaela, forçando-a a fazer uma coisa que ela não queria. Gritei, gritei e gritei, mas ele não parou. Tudo o que fiz, depois, foi chorar e apertar mais ainda os meus cortes abertos, para poder ter um pouco de alívio em meu coração e alma. Como eu senti raiva dele, e ainda sinto, se eu vê-lo na minha frente, acerto-o em cheio na face.

Depois que tudo acabou, senti-me tão envergonhado, mas tive que deixar os orgulho de lado... Micaela precisava de mim... E ainda precisa... Jamais irei desistir dela.

Estou pouco me fodendo pelo o que Zayn fez em mim. Mas, porra, por que a Micaela?! Bem, a resposta é simples; ele queria dar o troco.

Porém, sinceramente, eu não me lembro do dia em que matei a irmã dele, não me lembro, só me recordo quando ele veio em minha direção para me matar. Sei que bebi e droguei-me muito naquele dia, mas não tenho nenhuma recordação do que houve depois de eu ter bebido. Nem flashes, nada!

Sou tão ignorante e egoísta, mas tanto que não estou tendo nenhum remorso do que aconteceu com as garotas com que matei e etc... Tudo o que me importa é Micaela, somente ela.

No entanto, minha cabeça deu voltas e voltas, meu estômago revirou e meu coração parou quando vi Alice à minha frente... Ela estava bem, linda, do jeito que eu me lembrava de quando namorávamos. Senti uma felicidade tão grande em vê-la que até havia me esquecido de Micaela, pelo menos por um segundo. Toda a minha atenção estava sobre aquele corpo que achei que já estava enterrado a sete palmos. Olhei para cada traço, cada detalhe seu, até que meus olhos pararam em sua barriga e uma ansiedade criou-se dentro de mim e pensei:

"Onde está meu filho?"

Fiquei tão hipnotizado que as palavras saíram de minha boca como se eu sempre quisesse ter dito aquilo. Mas... Eu queria, porque sei que, mesmo sendo um tiquinho, ainda sinto algo por ela, e isso me faz querer morrer mais ainda. Antes que me tirassem de perto de Micaela, dei meu anel a ela, aquele mesmo anel que ganhei de aniversaria, no entanto, coloquei um microfone nele, ou seja, posso ouvir tudo o que ela disser, se eu quiser. Isso faz parte de um dos meus planos.

Ouvir aquilo que Padlock disse para Micaela só abriu meus olhos para a realidade. Não tinha como eu ter esquecido um amor de quase seis anos por uma paixão de alguns meses. Ele estava certo, de fato, mas aí eu pensei...

Micaela sempre foi uma pessoa tão doce e sincera com todo mundo, sempre tratou bem todos a sua volta, nunca mentiu para mim, nunca me decepcionou... Nunca me enganou. Ela me fez e ainda me faz sentir uma coisa que nem com Alice eu conseguia sentir: o desejo verdadeiro de querer mudar, ser uma pessoa melhor... Viver.

Vê-la levando um tapa no rosto, aumentou a adrenalina em mim, o que me fez avançar em Padlock, porém Sebastian e Wallace me seguraram antes que eu desse um soco bem dado naquele verme.

Então, criei um plano em minha cabeça e espero que ele dê certo. Já liguei para uns caras me ajudarem a sair daqui, rezo para que eles não furem comigo, preciso muito de ajuda, e somente eles podem me tirar daqui.

Estou fingindo ter voltado para a "facção", sendo que o que mais quero de verdade é matar cada um que a forma. Quando, praticamente, entreguei-me para eles, já tinha um plano em minha cabeça, mas ele acabou falhando, então criei vários outros. Por isso que deixei que eles me encontrassem em Londres, para poder realizar qualquer um deles.

E, claro, sempre penso em Micaela, de domingo a domingo, vinte e quatro horas por dia. Cheguei até a perguntar para Tomlinson como que ela estava, já que eu não fazia ideia de que lugar ela se encontrava. Embora eu tenha dado-a o anel e possa ouvir sua voz, não é o suficiente. Ele me dizia o mínimo de coisas, mas disse que ela havia passado mal algumas vezes, o que aumentou mais ainda a minha preocupação. Fui procurá-la pela mansão, mas onde eu ia tinha muitos seguranças.

Ainda estou com uma agonia e aflição porque não sei onde ela está, não faço nem ideia! Isso me mata, mata-me pensar que ela pode estar num lugar nojento, dói-me imaginar que ela esteja sendo torturada ou algo do tipo.

Então, acabei não me aguentando, peguei meu escuta e fui para o banheiro e liguei-o, ouvindo, logo de início, um choro fraco. Reconheci sendo o de Micaela. Meu corpo todo murchou ao ouví-la falando de mim para alguém ou sozinha.

Sem conseguir me controlar, falei. Ela se assustou e depois falou umas boas verdades. Escutei cada palavrinha e compreendi uma coisa; ela não vai me querer mais de volta, o que, de certa forma, me matou por dentro, mas também me aliviou. Ela não terá mais problemas ou complicações comigo longe.

Após ouvir tudo o que falava, abri-me, mais uma vez. Falei tudo o que sentia, como na última noite em que estive com ela, antes de seu desaparecimento. Senti uma leveza em minhas costas, pois falei o que tinha que falar - embora eu ainda tenha algumas coisas para dizer; muitas, na verdade. Disse que havia encontrado Sophia e que graças à Deus ela ainda está bem, pelo menos eu acho, e Micaela falou que Gabriela estava lá com ela. Isso me aliviou mais ainda, e agora tenho duas para tirar daqui.

Contudo, avisei-a que era para ela prestar atenção quando abrirem a porta, pois preciso de alguma informação sobre onde ela está, para poder tirá-la de lá esta noite.

Ajeito meu tronco na cama e folheio mais algumas páginas de uma revista insignificante que achei no chão do quarto, parando numa que falava sobre porte de armas.

Não estou trabalhando direito, pois, graças ao filho da puta do Malik, não tenho condições nem para ordenhar uma vaca... Mas para a minha fuga, precisarei fazer muito mais que esforço... Pela Micaela.

Ouço duas batidas na porta. Ergo meu olhar e vejo a cabeça vermelha da Alice. Ignoro e continuo a ler sobre um rifle qualquer.

_ Oi, boa tarde._ ela diz, mas não dou a mínima._ Vai me ignorar, vai?_ pergunta e não respondo.

Há pouco tempo eu descobri que Alice havia forjado a morte dela para poder me atingir. Aquilo que ela disse naquele dia não fez nenhum sentido para mim. Até que vi o seu jeito perto do Padlock, o que abriu a minha mente para entender que ela estava com ele desde que estávamos namorando, ou seja, era só mais um golpe contra mim. Se doeu saber? Doeu, mas nem me importo mais... Pelo menos, eu acho.

Ela entra no quarto e senta-se ao meu lado. Seu doce perfume entra em minhas narinas, fazendo-me suspirar e torcer a cara em desgosto._ Ei..._ arrepio-me quando ela assopra meu pescoço.

Perco a paciência e bufo, perguntando em seguida:

_ Cadê meu filho?_ minha voz sai grossa e firme.

_ Corrigindo: nosso filho._ rio sarcasticamente._ Respondendo: ele não existe._ paro de rir e encaro-a, duramente.

_ Como assim não existe?_ soo indignado.

_ Ué, ele não existe._ dá de ombros, fazendo meu corpo ferver. Arregalo os olhos ao pensar na possibilidade de ela ter..._ Relaxe, eu não abortei não... Eu o perdi._ diz simplesmente.

_ E pra você não foi nada?!_ exclamo.

_ Não... Não muito... Eu já havia perdido um filho antes, então não deu em nada perder de novo._ respiro profundamente, absorvendo qualquer vontade de socar a cara dela._ Hey, fique assim não..._ ela murmura, aproximando-se de mim e tirando a revista de minhas mãos e jogando-as longe. Prendo a respiração ao sentir seus dedos em meus botões da camisa._ A gente pode fazer um filho agora..._ fala, sentando-se em meu estômago e curvando-se em meu rosto._ O que acha?_ sussurra contra meus lábios, fazendo-me soltar o ar de uma só vez. Olho em seus olhos, vendo pouca sinceridade neles. Sorrio cinicamente e ela também. Então, ponho minhas mãos em sua cintura e empurro-a contra o colchão, ficando por cima dela e prendendo seus pulsos contra a colcha. Chego com minha boca em seu ouvido e sussurro, provocante.

_ Vá trepar com Padlock._ mordo seu lóbulo e levanto-me da cama, indo para a porta.

_ Sério isso, Harry?!_ grita indignada.

_ Ou vá para a porra da puta que te pariu._ dou um sorrisinho e saio do quarto.

Vou para a cozinha e pego um suco de caixinha mesmo. Furo com o canudo a película e começo a tomar. Escoro-me na bancada e fico olhando para a porta da geladeira, pensando em absolutamente nada.

_ Uh, veja só quem saiu do quarto._ meu sangue ferve ao ouvir a voz do Malik. Aperto a caixinha em minhas mãos, fazendo-me beber mais rápido o suco._ Sabe... Ignorar-me não vai fazer diferença alguma para mim. E sabe o por quê?_ continuo bebendo._ Porque eu sei onde Micaela está e..._ minha respiração se altera._ eu posso ir lá quando eu quiser, fazer o que eu quiser... E, quem sabe, fodê-la mais uma vez?_ perco o controle, jogo a caixinha no chão e viro-me, acertando um soco em cheio no rosto dele.

Assim que ele cambaleia para trás, jogo-o contra o chão e começo a dar vários socos em seu rosto. Exclamo de dor quando ele golpeia meu estômago, que está machucado, e caio um pouco para o lado. Ele também me acerta algumas vezes, mas a minha raiva é maior, o que me torna mais agressivo.

Dou mais alguns socos - com ele me dando também. Levanto a mão e procuro por algum fio que eu possa pressionar contra o pescoço desse merda. Sinto um cabo entre meus dedos e, sem hesitar, puxo-o para mim, fazendo uma torradeira cair próximo a cabeça dele. Pego o fio em mãos e ponho no pescoço dele, trocando de posição - agora mantendo-o sobre mim, entre minhas pernas.

Puxo o cabo para cima, apertando-o contra seu pescoço. Ouço-o tentando recuperar seu fôlego, mas sem resultado. Ele se debate, mas não consegue se soltar. E quando sinto que ele está perdendo as forças, sou puxado bruscamente para trás - sendo separado dele.

_ Mas que porra é essa aqui?!_ Padlock exclama. Seu rosto está bem vermelho de raiva, assim como eu, no entanto, consigo ficar pacífico. Olho para Malik, que está recuperando seu ar e tossindo às vezes._ Quer que eu te amarre, Styles?!_ grita comigo, mas nem me importo. Olho-o com desdém e solto-me de quem quer que seja. Dou meia volta e vou para fora da mansão.


Notas Finais


Esse cap foi só para vcs entenderem um pouco a cabeça do Harry. No próximo capítulo vai ser na visão do autor e vai ficar maior, pois o plano do Harry será executado, finalmente!!! Hehehehehehe
Acho que essa fic n chega ao cap 50... N sei, mas acho que chega até o 45, por aí.

Até o próximo!

Harry's kisses💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...