História Escuro - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Abismo, Contos, Dark, Drama, Escuro, Mistério, Morte, Originais, Suspense, Terror
Visualizações 10
Palavras 681
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Deste abismo


   Vejo um vulto negro, toda santa noite, em pé diante dele, caido em um sono profundo. Não há dúvidas, quanto a natureza, daquela entidade, os olhos emanam a aura sombria contida no interior. O mais estranho disso tudo, quando o meu irmão acorda, a memória de uma coisa tão extraordinária esta perdida em algum canto do lixo neural, isto me preocupa, pois não sei como irei ajuda-lo, a indisposição acomete meu estado de espírito mais frequente do que alguns anos atrás.

   As vezes, sinto-me totalmente invisível, pois a maioria das pessoas com quem eu falava e as que olhavam para mim, agora me ignoram, é obviamente desprovido de maldade deles, considerando, a maioria delas não me olham nenhuma única vez nem em um mísero instante, pelo menos o meu pai, obviamente demonstra a minha visibilidade, assim tirei todas as ansias guardadas na mente.

Num dia qualquer, papai simplesmente sumiu, a última vez em que o vi, foi quando ele entrou no cabinete, porém é incerto falar se chegou a sair ou não. Ainda via o pequenino, todavia desejava que tais fatos nunca tivessem acontecido, ele parece muito triste, arrasado e miserável, isto acabava com o meu coração...

Bem, as ocorrências mais estranhas, num inverno extremamente gelado. Meu irmão, estava muito crescido, vivia com nossa avó Lyra, e era absolutamente certo que a puberdade favorecel-o. O bizarro começou no fato de eu não ter crescido e todos ainda rejeitando a minha existência, mesmo depois de 15 anos. A rotina leva-o a sentar na mesa de jantar e comer junto a Lyra, após uns mínimos instantes uma conversa se iniciou:

-VOVÓ: Então meu netinho, a suas notas foram boas?

-IRMÃOZINHO: Claro, as médias foram melhores na sala inteira.

-VOVÓ: Seu pai ficaria orgulhoso de tal feito... desculpe, sugiro que este assunto é delicado para o teu psicológico, não?

-IRMÃOZINHO: Não, tudo bem, superei aqueles tempos.

-VOVÓ: Se ele pelo menos tivesse olhado teu lado brilhante... enfim, não adianta chorar por leite já derramado, não? Tem algum plano para o futuro?

-IRMÃOZINHO: Sim, ando trabalhando nisto desde criança. Um segredo muito íntimo, então pelo o amor de Deus vó, não me pergunte.

-VOVÓ: Haha, entendo, já tive os meus segredinhos como você, garoto

Aquilo também despertou-me a curiosidade, pois parte de mim, sabia que tal coisa não era para ser descoberta. Como todos me ignoram, fui para o quintal, vagando nos pensamentos do passado, tem uma fatia deles caida no esquecimento, se não me engano, fugiu da minha memória as coisas anteriores ao começo do boicote social. Isto ainda intrigava alma, então com o objetivo de confirmar meu raciocínio, esperei até a lua tomar o lugar do sol no céu, e entrei no quarto do meu irmão, o mais extraordinário disto foi a ausência dele, devido a rotina de uma inércia incrível, ou seja, seria dia de aula para ele. Não liguei muito, conhecendo seus hábitos de crescido, provavelmente estaria investigando ou trabalhando em uma de suas idéias malucas, peguei uma caixa debaixo de sua cama e a abri, estava suja em cada minúsculo lugar de sua matéria, entretanto a coisa que me interessava repousava bem ali, o diário dele, tão velho e esquecido, a ponto de todas as marcas de velhice ficarem explícitas, fui até a última página, porque o instinto ancestral do ser humano, dava a entender que a resposta para minha questão estava ali, naquela folha, apenas não sabia se a verdade me agradaria. Sem muita demora comecei a ler:

" Heddiw aeth fy chwaer a minnau i chwarae y tu allan Դուրս գալ աչքերից հրեշներին ეს ბევრს არ დავეხმარო, რადგან ისინი კვლავ დაგვაწყდნენ ನಾನು ಅವಳೊಂದಿಗೆ ಕೋಪಗೊಳ್ಳುವೆನೆಂದು ನಾನು ಭರವಸೆ ನೀಡಿದ್ದೇನೆ, ಆದರೆ ಅವಳು ತನಿಖೆ ನಡೆಸುತ್ತಿದ್ದ ಸಮಯದಲ್ಲಿ ನಾನು ಮಾಡಿದ ಎಲ್ಲರೂ ಕುಳಿತುಕೊಂಡಿದ್ದರು. ನಾನು ಗಂಟೆಗಳ ಕಾಲ ಕಾಯುತ್ತಿದ್ದೆ, ಆದರೆ ಯಾರೂ ಬರಲಿಲ್ಲ Mi ekkriis laŭte, por ke iu ajn aŭdu, neniu venis, mi timis, volis reiri mian fratinon. Subite aperis monstro, en senespera spasmo mi ĵetis ŝtonon ĉe la Ug gipatay ko siya, apan wala nako siya makita, ug ako nagbakho sa akong pagpauli ... "

Agora me lembro de tudo, antes de processar os sentimentos para isso, mãos frias tocaram meu pescoço.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...