História Espelho - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Jikook, Kpop, Romance, Século Xix, Taegi, Vga
Exibições 100
Palavras 1.093
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Magia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!!!

Capítulo 5 - A Casinha...



  E la estava eu em frente a tal casinha. A encarando por um longo tempo sem acreditar no que meus olhos me mostravam. Era surreal demais!

  A casinha era exatamente isso. Uma casinha de madeira, há quase um quilômetro da imersa casa. Dentro, havia algo parecido com um caixote de madeira com tampa e dois buracos lado a lado na tampa.

  Espera... Por que dois buracos? Será que era um para líquido e o outro para sólido? Ou seria para interação social?Você convida alguém para ir ate a casinha pra troca umas ideias enquanto faz... a oferenda?

  Porque dois buracos? Eu vou te que pergunta.

  - Por que tem dois buracos? -
Taehyung me fitou com um pouco de constrangimento no rosto e eu revirei os olhos. Só foi uma pergunta.

  - É uma ideia modernista. - Eu o encarei mordendo os lábios para não rir. - Substitui muito bem os...penicos. Mas a função é a mesma...

  - Não. - eu rir. - Eu sei pra que servem os buracos. Só não entendo do porque de dois deles. - falei - Uma pessoa por vez usa a casinha né?

  - Sim, para uso individual, mas pode haver emergencias. - ele olhava pra todo lado, menos para mim. - Imagine que a casinha esteja ocupada e, digamos... uma criança precise usá-la também. Acomoda duas pessoas, se for necessário.

   - Oh entendi. Então não seria melhor ter duas casinhas separadas, com apenas um buraco em cada uma delas em vez de apenas uma casinha com dois buracos? - perguntei o óbvio.

   Suas sobrancelhas arquearam.

   - Na verdade seria sim. - ele disse espantado e eu neguei com a cabeça.

   - Imaginei. - e pelo o que parece fui o único.

  Pensei um pouco mais sobre a casinha. E me peguei em outro dilema. Supondo que eu tivesse terminada o que fui fazer ali e quisesse volta para minha vida. Eu precisaria de algumas coisas... Oh Deus!!

  - Taehyung?

  - Sim, Senhor Yoongi?

  - Você usa a casinha certo? - Perguntei mostrando o desgosto em minha voz ao fala da casinha.

  - Hm... Certo.

  - Então você sabe o que fazer depois. - eu disse e ele, como sempre, corou.

  Meu Deus, ele era tão estranho!

   - Depois de usar a casinha, vou precisar de... - parei pare ver se ele entendía o que eu queria dizer.

   - Ah, isso! É para isso que serve aquele pé de alface ali no canto. Todos os dias algum criado coloca um fresco.

  Encarei Taehyung por um longo tempo sem acredita no que tinha acabado de ouvi. Eu estava tentando entende do porque do pé de alface. Então comecei a rir que nem idiota. Não consegui segura.

  Taehyung me observava com os olhos assustados. Deduzi que ele me achasse um louco. E eu não podia discordar sobre isso.

  - O que é tão engraçado? - perguntou ele inclinado a cabeça par a o lado.

  Os pés de alfaces!

  - Nada. - respondi ofegante, por culpa do riso incontrolável. - É só que... O pé de alface... - mais riso histérico. - Desculpe, só que é tão...

  - Se preferir, pode usar os sabugos. - disse Tae, com o rosto sério e com a cabeça ainda inclinado.

  Parei de rir imediatamente. Arbustos não. Tudo menso arbustos.

   - Alface tá bom. - falei tentando me recompor - Alface tá muito bom. Obrigado, Taehyung.

  - O Senhor precisa usar a casinha ou só precisava sabe sobre sua localização? - perguntou.

  Pensei nisso por um momento. Uma hora eu teria que entra ali mas iría adiar o quanto pudesse! Disso eu tinha certeza.

  - Só queria sabe onde ficava mesmo. - falei suspirando. Não me senti bem sabendo da existência da casinha. Não mesmo!

  Começamos a voltar para o casarão pelo caminho contrário ao que viemos. Olhei tudo em volta, vi que já começava anoitecer. Só então percebi que o lugar era bonito. Realmente bonito!

  O gramado se estendia até o final da pequena colina onde estava a casa imensa com suas dezenas de janelas. Contudo, ela combinava perfeitamente com a paisagem; um jardim bem cuidado enfeitava a entrada, o colorido das flores enchia de vida a casa pálida cor de creme. A luz rosada do entardecer deixou o quadro ainda mais belo.

  Senti o olhar de Taehyung sobre mim e o olhei com as sobrancelhas arqueadas.

  - Me permite lhe fazer uma pergunta? - perguntou.
 
  - Claro.

  - O Senhor estava usando algo nos pés. O que era? - Perguntou e eu fiquei confuso. Será que ele estava falando da pantufa? Impossível.

  - Pantufa. É muito útil para fica dentro de casa. Melhor do que fica com esses sapatos o dia inteiro. - Falei - Não existe ninguém que não tenha pelo menos um em casa.

  - Bom... existe sim. - Ele fala e rir - Eu não tenho nenhum.

  Sorriu.

  - Você ficaria de queido caído se visse as coisas que existem onde eu moro. - Se ele achava um simples par de pantufas impressionante, o que não pensaria sobre a inovação das inovações chamada: papel higiênico!

   - Acho que posso acreditar nisso. Nunca, em meus vinte e um anos, conheci alguém tão diferente quanto o Senhor

  Oh então ele é mais novo que eu? Nem parece. Quero dizer, ele falava e usava roupa roupas de velhos. Além disso é mais alto que eu. Muito mais alto.

   - Você também é muito estranho, sabia? - ainda mais pra quem só tinha vinte e um.

  - Planeja me contar sobre ele, senhor Yoongi? Estou realmente curioso. Deve ficar muito distante daqui, pois nunca ouvi falar de um lugar onde homens usam roupas... Pequenas e apertadas ou sobre as pantufas - seus olhos olhando pros meus e por um momento eu pensei em dizer tudo pra ele. Mas o que eu diria?

   "É que fica meio longe. Duzentos anos longe! Se você, por acaso, encontrar uma máquina do tempo perdida por aí, me avisa que eu te levo até o século XXI. A gente pode tomar um chope e depois cair na night!"

  Eu não podia dizer isso. Até eu acho loucura.

   - Um dia eu te conto. Quando eu souber o que está acontecendo e encontrar a forma de voltar, te explicarei tudo. Prometo! Quem sabe você compreende minhas esquisitices!

  - Promete? - perguntou ele inclinado a cabeça de lado.

  - Prometo. - Ele sorrir.

  Taehyung era tão sorridente. As pessoas de hoje deveria ser igual a ele, que sorrir com tanta facilidade. Apesar que Taehyung é uma pessoa de hoje.


Notas Finais


Então estão gostando??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...