História Espelho, Espelho meu... - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Cedrico Diggory, Cho Chang, Dino Thomas, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Neville Longbottom, Ronald Weasley, Theodore Nott
Tags Drarry, Harry/cedric, Harry/dracon, Hermione/draco/weasley, Pansy/zabini/weasley
Visualizações 61
Palavras 1.639
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Senhor Vision versus Hermione Granger

Capítulo 20 - Espelho Espelho meu: Senhor Vision x Hermione Granger


Fanfic / Fanfiction Espelho, Espelho meu... - Capítulo 20 - Espelho Espelho meu: Senhor Vision x Hermione Granger

A castanha soube em direção ao palco principal de maneira altiva, e com um certo olhar de desafio. Quem eles pensam que são? Acham realmente que eu, Hermione Granger, tenho medo, já passei por muitas coisas nessa vida, para temer um mero espelho, vou mostrar a ele quem deve temer quem.

- Então, é a famosa Senhorita Hermione Granger, realmente, você é uma figura curiosa, quase indecifrável, poderia passar desapercebida por qualquer um, menos por mim, é claro,  a quem pensa que esta tentando enganar Senhorita Granger?

- Olho em volta observo olhares apreensivos e temerosos, vindos em minha direção, noto um  loiro platinado, parece que vai ter um infarto, o encaro e dou um mero sorriso confiante, retorno o meu olhar em direção ao espelho, e digo: “A ninguém, Senhor Vision, somente deixo transparecer o que querem enxergar, uso as mascaras conforme minha conveniência, mais sou inteligente o suficiente, para saber que em frente ao senhor , se que não conseguirei engana-lo.”

- Você é uma pessoa muito inteligente Senhorita Granger, não é a toa que de certa forma até admiro-a, mais não sei onde pretende chegar, e o que ganhará com isso, mais realmente não me importa, a não ser que suas intenções sejam prejudiciais, o que me preocupa é que você não parece ter limites.

- Ora quem fala, digo debochadamente, pensas que não pesquisei sua origem, ou o porque você foi confinado a ficar preso nesse espelho por toda a eternidade, por uma maldição, você serviu a mais cruéis de todas as rainhas, ajudou-a a prejudicar inocentes, por pura vaidade, e agora quer me julgar?

-Pelo menos meus objetivos são mais do que simples tola vaidade, você ajudou-a por pouco, porque não me ajuda por mais?

- Hummm, realmente eu a subestimei, isso seria uma chantagem?

- Não o faria por tão pouco, não preciso de mais um inimigo mais de um aliado, o que me diz?

- Harry, porque a Hermione esta demorando tanto, estou preocupado, pena que não podemos escutar. Veja todos estão com olhares temerosos, e realmente, eu quero socar esse Senhor  Vision, que raiva, Harry, ele parece ser um sádico, isso sim.

- Não se preocupe Rony, penso que ela sabe se cuidar muito bem. Nesse instante, encaro o loiro, que parece estar roendo as unhas, o que será que ele tem medo? Por que o Senhor Vision o assusta? Vou perguntar mais tarde a ele.

- Tsc Tsc Tsc....Senhora Granger, como disse já cometi um erro em minha vida, um grande erro, por amar demais, e penso que a Senhorita esta caindo na mesma armadilha, tudo tem um preço senhorita Granger, realmente esta disposta a pagar?

- Sim, por mil vezes sim, farei qualquer coisa, até passar por cima de você e de quem ousar ficar em meu caminho, conhece a natureza da tua antiga Senhora, então sabes que eu digo, é verdade, se não quer ser meu aliado não fique em meu caminho. Falo em tom ameaçador e com desdém.

- Pensas que pode me assustar?

- Ou colocar-me medo?

-Sou um objeto mágico de mais de mil anos, não vai ser você que irá me destruir, digo que muitos tentaram até minha antiga senhora, e veja como ela terminou. Agora chega assuma quem você é, olhe-me e encare seu verdadeiro eu, e estou muito curioso como você vai explicar isso a seus amigos.

- Não tenho medo de ti, me aproximo e vejo refletir no espelho a figura de tua antiga senhora, ou melhor de sua antiga dona, e dou uma gargalhada digna de uma bruxa, para espanto de todos, inclusive, da Diretora que parece estar assustada, não me importo, adoro esse figurino, realmente combina comigo, falo dando voltas, e não se preocupe, espelhinho, deveria agora, ter medo de sua senhora que agora refleti em mim,  aviso-o, que sei me cuidar muito bem, mais aguarde a minha vingança.

- Quanto a ser seu aliado, nosso objetivo não são os mesmos, apesar de confessar que adoro me divertir, com o sofrimento alheio, tenho certos limites, meu sadismo, é por diversão não por crueldade, e lembre-se das minhas palavras, tudo tem seu preço, até o amor tem custo, e às vezes é alto demais, você  vai se arrepender um dia.

- Encaro com um olhar mortal, quem esse objeto de museu penso que é?

-Dou meia volta, e me retiro, saindo do palco principal sobre vários olhares perplexos, esses otários, não sabem com quem estão se metendo, vejo o Harry me encarar com um olhar curiosos, o babaca do meu namorado parece assustado, e viro para encarar o loiro, ele parece também curioso. Será porque estou sorrindo, ou pela estrondosa gargalhada, e dirijo-me a minha cadeira e sento-me sem falar nada.

- Poxa Miome, diga alguma coisa? Por favor?

- Olho pro Harry, e vejo que ele também esta curioso. Dirijo-me ao Rony, e falo é segredo, não se preocupe, não é nada do que eu não posso lidar.

- Bom, agora que já terminamos com a Grifinória, vamos seguir com o Sorteio, Senhor Vision pode girar a urna.

- Certo, Direitora Macgonogall, estou girando e a casa sorteada é........Corvinal.

- Oh Merlim, Blaise, vou ter um enfarte, essa demora é muito pior. Olho para o Harry, e vejo preocupação em seu olhar, mais depois acompanhado de um lindo sorriso, que me conforta.

- Calma, Dray....vai dar tudo certo.

- Então a primeira a ser sorteada é Senhorita Luna Lovegood, pode vim ao palco.

- Que bom amor, estava ansiosa, levanto-me contente e sorridente, não entendo o porque de tamanho medo dos meus colegas, é uma simples seleção, não tem nada demais, sigo e paro em frente ao imenso espelho, que me recebe com um caloroso e reconfortante sorriso.

- Oh, você é famosa sonhadora Senhorita Luna Lovegood, por favor, sou um admirador seu, de todos você é mais sábia, pois, por mérito foi selecionada para a Corvinal, pela tamanha inteligência acompanhada de uma grande sapiência.

- Aproxime-se meu bem, e escolha quem você quer ser?

- Hum, entendo, quem escolhe somos nós, não é?

- Vejo um longo sorriso transparecer da face do imenso espelho, a minha frente, e começo a pensar, que tal um personagem trouxa do mundo dele, uma vez ouvi meu pai falar que os trouxas também tem um mundo mágico, de histórias mágicas, ele diz que pode ter sido trazia essas historias para o mundo trouxa, por um bruxo, e que elas poderia ser até reais.

- Vou mostrar-lhe alguns e você pode escolher, temos esses e mais esses, bem, você é especial, por ser verdadeira, realmente não encontro um único personagem que posso encaixa-la mais vários, então deixo a sua escolha.

- Certo quero aquela fada pequenina igual a mim, que acompanha aquele garoto de roupa verde e orelhas pontudas. Amei-a, linda e brilhante, quero esse personagem.

- Então escolhido, penso ser a fada sininho.

- Amei, e saio sorridente, acompanhada por olhares interrogativos, mais não ligo, sento na minha cadeira e muito feliz. Observo um a um de meus colegas levantarem, a Padma, Miguel e outros, que ao contrário de mim, estão com as expressões fechadas, acham que nem todos ficam contentes com seus personagens, mais afinal, esses os representam.

- Bom agora que terminamos com a Corvinal, seguiremos com a próxima casa sorteada que foi a Lufa Lufa, por favor, os lufanos que chamarei podem se apresentarem no palco.

- Ora, não entendo, a urna estão chamando todos, e o meu nome parece não sair ?

- Calma Cedric, não fique impaciente, é por sorteio, mais veja a cara do Malfoy parece que o Sonserino esta suando horrores.

- Verdade, Ana, não é para me preocupar, não tenho nada a temer, ao contrario do Malfoy, seu passado o condena, talvez, por isso, ele esta assim, parece que vai enfartar de tão pálido que esta.

- Agora, irei finalizar a nossa seleção chamando a casa Sonserina.

- Espere um pouco, grito, eu não fui chamado.

- Senhor Cedric Diggory, como ousa interromper, a seleção.

- Me desculpe Diretora Macgonagall, mais parece que meu nome não foi chamado.

- Senhor Cedric Diggory, você leu as regras que foram enviadas, e prestou atenção no que falei sobre como irei proceder às escolhas dos personagens e sobre a seleção e o sorteio, então, sente-se e aguarde, não se preocupe não me esqueci do Senhor, aguarde, sim.

- Pelo olhar cálido que recebi, engoli em seco, e sento-me, pela vergonha de todos olhando para mi, e de repente sentir um calafrio a percorrer pelas minhas costas, e comecei a compartilhar do sofrimento do Sonserino, realmente não gostei do tom sarcástico que sou na voz do espelho e do olhar muito malicioso que ele me deu.

- Olho para o Malfoy e dou um sorriso temeroso, e vejo pânico em seu olhar, Céus estou seriamente encrencado.

- Pansy você viu aquilo, falo tentando sair correndo, e sendo impedido por ela e pelo Blaise, esse maldito esta aprontando alguma coisa, estou pressentindo isso.

- Calma Dray....o que ele poderia fazer de mal....olha dá última vez foi...é muito divertido. Olha não fique chateado, mais foi engraçado amigo.

- Sua serpente, sabe que para mim foi uma tortura, até hoje tenho traumas. Nesse momento, vejo-o a me encarar, e desvio o olhar, e deparo-me com o Harry, será que ele percebeu?

- Veja o Cedric, Dray agora é ele que parece que vai enfartar, será que a Pomfley tem bastante leitos? Falo maliciosamente.

- Sério, ainda não sei o porque continuo sendo seu amigo?

- Ai Dray.......não precisa ficar estressado....mais que o lufano esta passando mal, isso está, igualzinho a você, penso, que a solidariedade é algo para ser compartilhado.

- Morda essa sua língua venenosa, e abafe esse seu chocalho, sua cobra maldita.

- Próxima casa a se apresentar Sonserina......


Notas Finais


espero que gostem, tem mais acontecer.....


essa imagem não me pertence tirada internet, nem os personagem, a historia e pura ficção e sem fins lucrativos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...