História Espiã Escarlate - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Chomaru Akimichi, Fugaku Uchiha, Hashirama Senju, Hiruzen Sarutobi, Hizashi Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Inochi Yamanaka, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Mei, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Mito Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Personagens Originais, Rin Nohara, Shikaku Nara, Tobirama Senju, Tsunade Senju, Yamato, Yondaime Kazekage
Tags Espionagem, Fugaku, Guerra, Kushina, Mikoto, Minakushi, Minato, Naruto
Visualizações 34
Palavras 3.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Crossover, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shounen, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Fala pessoal capitulo quentinho nesse sábado de manhã.


Aproveitem o Capitulo.

Capítulo 23 - Arco Os Três testes - One Shot One Kill


Fanfic / Fanfiction Espiã Escarlate - Capítulo 23 - Arco Os Três testes - One Shot One Kill

Namikaze Minato – Resort Kirigakure

 

Não sei como chegamos ao quarto sem esbarrar em ninguém, eu só pensava em beijar a minha esposa, sim minha esposa, agora eu sou dela para sempre e ela é minha para sempre. Abri a porta do quarto e só consegui encostá-la sem trancar, Kushina me puxou para cama sorrindo, eu estava por cima encarando a minha ruiva, dei um sorriso e comecei a beijá-la, céus oque era bom agora é ainda melhor depois que casamos, o beijo dela parecia muito mais delicioso do que antes,

Subi o vestido dela devagar, enquanto a minha ruiva ia soltando a minha camisa, tenho que admitir Kushina é rápida para isso ela arrancou a minha camisa rapidamente enquanto eu ainda estava na altura de suas coxas, ela me puxou e começou a chupar meu pescoço, continuei a subir o vestido até deixar sua calcinha exposta me afastei um pouco e sorri para ela malicioso fiquei de joelhos na cama, a puxei para mim e tirei seu vestido completamente, ela estava com um conjunto lilás lindo, acariciei seus seios de maneira lenta indo devagar até suas costas soltando o sutiã deixando eles livres para minha boca, abocanhei seu seio direito enquanto com a mão esquerda comecei a apertar o bico do outro, Kushina começou a gemer de leve e se contorcer um pouco enquanto passava a mão por meus cabelos, com minha mão direita entrei por sua calcinha e comecei a estimular seu clitóris, ela começou a  rebolar e gemer mais alto.

A deitei na cama e tirei sua calcinha, alisei sua intimidade com meu dedo sentindo como ela estava molhada ela suspirou com o toque aproveitei e tirei o resto das minhas roupas.

  Comecei a passar a glande por toda sua intimidade sentindo um choque a cada toque, Kushina não estava tão diferente de mim, ela me olhou pedindo que eu começasse, mas eu decidi me vingar um pouco sobre hoje mais cedo virei ela de costas e a fiz empinar a bunda para mim, que visão, Kushina estava de braços e sua bunda maravilhosa pronta para que eu brincasse um pouco, introduzi dois dedos em sua intimidade e com a outra mão comecei a brincar com seu ânus introduzindo um dedo lentamente, Kushina começou a gemer e ofegar falando coisas sem sentindo enquanto gemia freneticamente, ela tentou se levantar para aplacar o fogo, mas eu forcei seu corpo para baixo.

-Ei quem disse que deixei meu brinquedinho se mexer – ela começou a suplicar.

-Minato... AHHHHH pppppoooor favvvorr AHHHHH – sorri malicioso e puxei-a para ficar de quatro.

Kushina empinou a bunda para mim e eu comecei e apertá-la, subi até seu pescoço e dei uma mordida leve em sua nuca, ela gemeu alto quando a penetrei bem letamente, segurei seu cabelo e puxei um pouco ela gemeu em protesto aliviei um pouco o aperto mas continuei a segura-la enquanto a penetrava agora mais rapidamente, comecei a dar tas estalados em sua bunda arrancando gemidos dela, Kushina começou a se contorcer e senti seu interior me apertar ela gemeu alto quase que como um grito quando  gozou me movimentei mais um pouco e me derramei dentro dela, soltei Kushina e ela caiu esgotada na cama, eu me deitei ao seu lado da mesma maneira.

-Fica cada vez melhor – eu falei olhando para o teto.

-Você é maluco – ela deitou sobre meu peito.

-Por quê? – ela riu.

-Você decidiu simplesmente se casar do nada, sem planejar sem nada – eu ri.

-Eu não faria se não tivesse certeza e você também é doida, se casando com um cara que conheceu a menos de dois messes – olhei para ela.

-Eu não faria se não tivesse certeza – ela me abraçou – Arigatou Anata.

-Anata – ri olhando para ela – posso me acostumar com isso.

-Nossa – ela falou como se lembrasse de algo.

-Oque foi Kushi? – olhei para ela curioso.

-Nada só estou pensando em como o capitão, o comandante e o resto do pessoal vai reagir a isso – ela olhou para aliança – o capitão vai surtar, às vezes ele me trata como filha sabe, então quando ele ver a aliança não sei como você vai conseguir se proteger – ela falou me fazendo engolir seco.

-Eu do conta – sorri amarelo – mas me fala como será que o seu irmão e seus companheiros de equipe vão reagir.

-Meu irmão concerteza vai tentar te matar, mesmo antes de tudo, eu era a princesa da família e ele não deixava ninguém tocar em mim, e agora eu me casei com alguém que ele nem mesmo conhece vai ser interessante, o pessoal da equipe vão ficar malucos, Konan em especial eu acredito que só não vai ir para lua comemorar, ela sempre me falou que eu tinha que achar alguém.

-Legal, bom com seu irmão eu acho que não terei problemas, o problema maior é a minha mãe, ela vai me esgoelar por ter me casado assim – falei pondo a mão no pescoço – o  pior de tudo é que eu acho que ela simplesmente vai te paparicar enquanto eu sofro.

-Pelo menos você vai ter as fotos.

-isso não vai ser o suficiente, Kushi quando voltarmos ao Japão eu quero me casar com você de novo – ela me olhou curiosa.

-Por quê? Não que eu não queira – olhei para ela.

-Por que não quero ver Namikaze Scarlett eu quero Namikaze Kushina, então depois de tudo topa casar comigo novamente? – Kushina me deu um beijo.

-Sempre – ela se colocou em cima de mim – vai ser ótimo ter uma lua de mel mais longa do que um dia.

Apesar de ambos querermos não podíamos fazer amor até tarde como da ultima vez, tivemos que nos contentar com menos dessa vez, amanhã bem cedo eu em separaria de Kushina que iria voltar para o Juubi, eu iria para o campo de treinamento das forças especiais ANBU, era onde as unidades como a de Kushina treinam quando são montadas, ao todo ficaremos uma semana a partir de amanhã separados até o dia do combate teste, até lá foi ter que me focar cem por cento para derrotar Kushina e seu esquadrão, vai ser difícil sem ela do meu lado, mas eu não vou recuar.

-É bom se comportar – Kushina falou gritando por causa do barulho do helicóptero.

-Sou um homem casado agora, comportar é a coisa que eu mais sei fazer, até porque a minha esposa é assutadora – Kushina riu.

-Boa sorte com o Sapo, dizem que ele é meio esquisito.

-Minha querida esposa, em um dia eu estava com a minha namorada em um parque de diversões no outro eu estava matando Yakuzas, vai por mim eu sei lidar com estranheza – ela me puxou para perto.

-Boa sorte – ela me deu um beijo quando abriram a porta do helicóptero.

-Você e sua equipe é que vão precisar de sorte – provoquei-a.

-É melhor vencer a gente, se cuida – ela se virou e foi até o Helicóptero.

-Vou me cuidar, você também se cuide senhora Namikaze – ela sorriu e me mandou um beijo antes de fecharem a porta.

Fiquei no campo de decolagem até a aeronave sumir no horizonte, eu sei que Kushina não vai dar mole para mim nesse teste, então oque eu tenho que fazer é ficar focados e me concentrar nessa semana, aprender com esse tal Sapo e vencer esse teste, só assim vou poder ajudar Kushina da maneira que ela precisa, só assim vou conseguir cumprir a vingança dela.

Pegue um blindado que ia para o campo, pouco depois das nove da manhã, o piloto me disse que o Sapo me esperava no estande de tiro do campo de treino, ele me disse que vai ser fácil achá-lo, afinal não é todo dia que se vê um francês de mais dois metros de altura e cabelo albino longo, pelo que o homem me falou o Sapo era uma lenda tão grande quanto meu pai, um homem que cumpriu mais missões solo doque qualquer outro agente de infiltração, segundo ele dizem que ele tem mais de mil e duzentas mortes confirmadas, dentre esses mortos estavam ditares, generais, terroristas, a quem diga que foi ele que descobriu a localização de Osama Bin Laden, segundo o homem o feito mais notável dele foi paralisar uma base militar inteira com mais de dois mil soldados apenas envenenando a água com veneno paralisante de um sapo da Amazônia daí seu apelido Sapo, seus feitos são tão importantes que para manter ele seguro só poucos na organização sabem seu verdadeiro nome.

Cheguei ao lugar por volta de nove e vinte, assim que desci com as minhas coisas, primeiro fui até os alojamentos me instalar para a semana, esse era diferente do porta aviões, era mais amplo, com muito mais camas. Assim que me arrumei sai dos dormitórios e foi em direção ao campo de tiro e como o homem havia dito de longe vi um homem de cabelos albinos alto, ele estava peto de algumas caixas e equipamentos, lendo um livro.

-Senhor? – ele me olhou tirando o livro do rosto guardando ele no bolso.

-Ora, ora, parece que alguém decidiu aparecer – ele me olhou sério.

-Me desculpe senhor, mas acho que estou no horário – ele riu irritado.

-Respondendo um oficial, se eu digo que está atrasado você está atrasado – o homem se levantou e começou a analisar meu corpo – sabe quando Orochi me contou oque você fez em Tóquio eu imaginei que você era mais.

-Senhor com todo perdão estamos aqui para treinar ou para o senhor ficar me desmerecendo – o homem me encarou furioso.

-Como se atreve a levantar a voz para um oficial moleque – ele me encurralou em um canto.

-Desculpe, mas eu mal conheço o senhor e meu objetivo não é te agradar e sim passar no teste – o homem se afastou e começou a rir.

-Hahahahahahahahahaha, fisicamente você é igualzinho a seu pai, mas esse cabelo e seu gênio são iguais o da Tsunade – ele se afastou e se sentou.

-O senhor conhece a minha mãe? – ele sorriu e me perguntou.

-Bom não é surpresa você não saber sobre mim, você já deve conhecer a minha fama e por que ninguém sabe meu nome de verdade? – ele me deixou confuso.

-eu fiquei sabendo que o senhor fez e sabe de muita coisa, mas oque isso tem haver? – ele puxou uma foto antiga em preto e branco.

-O caminho que escolhi me fez ter que me separar do meu sangue – eu arregalei os olhos quando vi minha mãe na foto – esse caminho me fez ter que nem mesmo a minha irmã pudesse falar sobre mim.

-Espera o senhor é meu tio? Digo eu sabia que meu avô por parte mãe era francês, mas ela nunca me disse nada sobre ter um irmão – ele pegou a foto novamente.

-Sua mãe nasceu quando eu tinha dez anos fruto do segundo casamento do nosso pai, quando entrei na organização sua mãe ainda tinha sete anos.

-Essas coincidências até parece coisa de alguma fanfic – ele me olhou estranho.

-Fan oque?

-Fanfic, é uma parada na internet onde as pessoas escrevem historias baseados em obras diversa – ele puxou o livro do bolso.

-Então podem ter essas tais fanfics de livros tipo esse – ele me mostrou um livro de contos eróticos.

-O senhor se impressionaria com a quantidade – ele guardou o livro novamente.

-Bom vivendo e aprendendo, mas voltando ao assunto de antes, as coincidências não param só em eu ser seu tio quem você acha que apresentou seu pai pra sua mãe – ele apontou o dedão para si – antigamente eu conseguia dar uma escapulida e visitar a família foi em uma dessas vezes eu apresentei os dois.

-Bom é bom te conhecer Tio – ele me puxou pelo pescoço.

-Ei garoto eu sou um tio legal então pode me chamar de Jiraya – eu ri e falei.

-Jiraya? – ele me soltou.

-Sempre fui fan de seriados japoneses e quando assisti Jiraya decidi usar esse nome com disfarce, é algo como oque a sua namorada usa.

-O senhor sabe sobre ela? – ele olhou para o horizonte.

-Conheci Hashirama – ele falou nostálgico.

-Sei a, mas só para contar, não é mais namorada – mostrei a aliança para ele.

-Olha só, Tsunade vai te matar por ter se casado longe dela – ele me fez sorri amarelo.

-Sei disso – ele pegou a minha ao enquanto eu respondia.

-Me fala onde comprou a aliança? – recolhi a mão e respondi.

-Não fui eu foi o cara da capela que comprou.

-Entendi, estou perguntando por que quero pedir Orochi em casamento, bom, mas isso não vem ao caso, proto para começar?

-Mais doque pronto tio Jiraya – ele sorriu e abriu uma das caixas.

-O comando me passou que você usou essa belezinha no teste de tiro – ele puxou um rifle do mesmo modelo que eu havia usado.

-Sim, muito bom não é?

-É ele é bom, mas para o teste e para o tipo de operação que o esquadrão Krauser realiza é melhor algo mais sutil na maioria das vezes – ele puxou um rifle menor e mais leve.

-Scout Elite se eu não estou enganado – falei pegando a arma.

-Exatamente, o descreva para mim – ele se apoiou em uma parede.

-Rifle de precisão por ação linear, ferrolho leve de aço rápido, munição 5.56x40mm de ponta oca, cinco munições por carregador, velocidade do tiro 640m/s, alcance efetivo 1200 metros e se não me engano 64 RPM depois de deixar o cano – ele riu e falou.

-Seu pai te treinou por um acaso?

-Acho que de certa forma sim, ele sempre me fez gostar de armas – falei olhando o rifle em minha mão.

-O pessoal costumava dizer que seu pai previa o futuro, talvez de alguma forma ele te preparava para isso – ele falou enquanto abria uma caixa menor – aqui Glock dezoito ótima para combate a curta distancia, é a arma secundaria perfeita para um atirador de elite.

-O peso é bom – falei pegando a arma e fazendo mira.

-Certo, agora se equipa e me encontra ali na frente – ele apontou para uma construção.

-Ok – eu falei enquanto ele pegava duas caixas e levava.

Coloquei um colete de combate padrão para atiradores de elite, peguei a munição que estava na caixa, coloquei a pistola no coldre que ficava na minha coxa e o rifle levei na mão.

-Bandoleira – Jiraya falou enquanto eu me aproximava.

-A me desculpe – pasei a bandoleira pelo pescoço.

-Ok, agora vou te contar como será a realização do teste, nos vamos treinar com balas e equipamentos letais nessa semana, mas no dia do teste vai ser diferente – ele pegou um colete diferente doque eu usava.

-Diferente como – ele me deu o colete na mão.

-Esses coletes de simulação tem receptores de radio de alta precisão, todos vão usar esses equipamentos que incluem receptores que irão na cabeça e nos membros – ele me mostrou tudo na caixa.  

-Tá, mas como vamos saber se o tiro pegou – ele pegou um aparelho eletrônico.

-Esses são os emissores de precisão, todas as armas estarão equipadas com eles, qualquer tiro mortal ou seqüências de disparos que sejam mortais, vão disparar os receptores e aquele que recebeu os tiros está fora, granadas também serão emissores.

-Entendi – falei olhando os aparelhos.

-Bom, mas mesmo que não seja mortal, você vai enfrentar o esquadrão mais efetivo dos ultimo cinco anos, eles lutam juntos a tempo suficiente para enfrentar um exercito se necessário, então para vencê-los você vai ter que ser mais rápido e mortal como um raio, nessa semana vou fazer você virar um OSOK.

-E isso seria? – perguntei o fazendoele sacar uma arma e apontar para os alvos a frente.

-One Shot One Kill - ele começou a atirar nos dezesseis alvos acertando uma bala em cada um no centro.

-Uau, eu não sei se consigo, digo eu atiro bem, mas isso está muito alem.

-Eu também não achava que conseguia, mas olhe para mim, a diferença é que eu tive dois anos para chegar a esse nível você tem uma semana – eu arquei o ombro cabisbaixo.

-Tio Jiraya o senhor é péssimo para motivar – ele me deu um tapa nas costas.

-Ei se você for pelo menos metade doque seu pai foi, vai tirar de letra, agora vamos escolher o lugar do combate – ele me levou até uma mesa com três mapas.

-O capitão Krauser comentou que eu poderia escolher o campo e lês só saberiam no dia não é? – perguntei olhando os mapas.

-Isso você vai ter opções, ela são, a escola nela você terá que enfrentá-los e liberar os reféns lá você vence de duas maneiras derrubando todos ou tirando os reféns, a segunda opção é a mais difícil, eliminação nela os agentes vão estar em uma pequena base e um deles será o alvo você só vence derrubando o líder, e a terceira é infiltração, nessa você vai ter que invadir um pequeno bunker e roubar dados de um computador, esse é o mais fácil porque você pode entrar e sair sem ser detectado.

-Segunda – falei descido.

-Por quê? – ele me olhou avaliativo.

-Só nele vou poder provar que posso bater de frente com eles em nível de habilidade – Jiraya me olhou e começou a gargalhar.

-Como eu disse o gênio é da minha irmã, agora mire – ele fez um sinal para que eu fizesse mira.

-Eu já estou preparado – falei pondo o olho na luneta.

-Agora como eu fiz One Shot One Kill – comecei a deslizar o dedo.

E foi assim que começou aquela semana que definiria se eu poderia ou não caminhar ao lado de Kushina na batalha, eles podem até ser mais treinados, mas eu tenho uma coisa a meu favor, minha teimosia eu não vou perder não importa oque for eu vou superar, não só por Kushina ou pela vingança dela, mas também pela chance de dar cabo de um monstro, agora é pessoal como minha mãe disse quando se tem a possibilidade de fazer algo bom você tem a obrigação moral de fazer e com Solomon vou fazer como Jiraya está me ensinando One Shot One Kill.


Notas Finais


Fala ai gostaram?

Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...