História Esquadrão Suicida (V.D.G) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Assassinato, Drama, Gaaino, Hentai, Morte, Naruhina, Nejiten, Revelaçoes, Sasusaku, Shikatema, Tokyo Ghoul
Exibições 72
Palavras 13.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


leiam as notas finais por favor!
boa leitura.

Capítulo 25 - Chloe Alfaia vs Sakura Haruno


Fanfic / Fanfiction Esquadrão Suicida (V.D.G) - Capítulo 25 - Chloe Alfaia vs Sakura Haruno

Sakura on:

-nove... Novecentos e... E noventa, há!

Me debati em algum lugar pois tudo estava escuro, mas eu ainda conseguia ouvir aquela voz feminina me atormentando, pedindo que eu contasse mil menos sete enquanto me torturava de um jeito bem pior o qual Blue e Karin faziam comigo no manicômio. Senti mãos agarrarem meus braços e foi quando abri meus olhos esbanjando todo o medo que eu possuía naquele momento, Sasuke me encarava de cima e eu lhe empurrei para o lado saindo da cama aos tropeços no tapete felpudo que havia abaixo dos meus pés.

-Sakura... –era visível apenas sua silhueta por conta da luz da lua lá fora, provavelmente ainda era de madrugada.

Ele se levantou da cama e eu me afastei mais sentindo minhas costas baterem na parede atrás de mim, eu sabia que era ele, mas por algum motivo eu não queria confiar como se tivesse sido ele a me bater, me torturar e mexer com a minha mente. Sasuke deu mais um passo próximo a mim e eu fechei os olhos virando minha cabeça de lado, apertei a parede com as unhas.

-não... Não chega perto de mim.

Abri repentinamente os olhos e minha visão bateu na porta, corri até ela tentando a abrir mas estava trancada.

Céus, eu quero sair desse quarto, não quero ficar perto dele... Preciso me acalmar.

-Sakura calma, não vou te machucar- como eu queria acreditar naquelas palavras.

Me viraria para tentar buscar algo que eu pudesse me defender, porém antes que eu o fizesse, Sasuke me agarrou por trás colocando a mão direita tampando meus olhos enquanto a outra subia e descia diversas vezes sobre o meu braço esquerdo.

Aquele gesto poderia me deixar mais doida do que eu já estava, poderia me afundar e me afogar nos pensamentos sóbrios os quais eu já me encontrava sem ar de tão presa, porém nada aconteceu, eu apenas travei a respiração e senti ele me puxar de costa para algum canto. A parte de trás das minhas pernas bateram em algo macio o qual detectei que fosse a cama, sentei e presumi que sua presença estivesse na minha frente, ainda com a mão, agora esquerda, sobre meus olhos ainda tampando minha visão.

Quando os dedos dele me libertaram daquela escuridão, a luz que saia da parede toda em vidro atrás de mim me possibilitou ver os ônix azulados dele, Sasuke estava agachado a minha frente com os braços apoiados aos meus joelhos enquanto brincava com meus dedos pousados nas minhas cochas.

-não vou te machucar, ninguém vai te machucar... –ele murmurou e por um momento me deu um branco na cabeça, o que gerou no meu pânico de novo.

-onde... Onde eu to? –perguntei ofegante e olhando tudo.

-na sua casa, no seu quarto, estamos em Miami- ele respondeu calmo e sereno tentando passar aquilo para mim, vi quando ele olhou para a cama e então deixou o canto dos lábios serem puxados em um sorriso bem pequeno- vamos deitar um de frente pro outro, você me conta o que te afligi e eu te ofereço o meu calor, que nem quando éramos crianças.

Ele foi para se afastar mas eu não deixei, agarrei sua mão com força, as minhas estando geladas e trêmulas por conta do choque. Ele me deu um beijo na testa e fechei os olhos deixando ele me guiar e me deixar em uma posição a qual quando eu abri meus olhos, eu estava de costa para a lua e de frente para ele, o cabelo todo bagunçado, a cara de sono, os olhos ficaram em um azul bem fraco por conta da claridade na íris, apele pálida... Por um momento eu voltei nas lembranças da primeira vez que dormimos juntos na casa dele, foi exatamente assim, ele tentando me passar segurança e eu sendo a menininha indefesa.

Sasuke nos cobriu até a cintura e eu suspirei fechando os olhos.

-estava sendo torturada de novo- falei rápido e ele trincou o maxilar- só que desta vez, era muito pior, não mexia só com o meu corpo e sim com minha mente... E eu só procurava por Victória que havia sumido, quando dei por mim, estava presa a uma cadeira, o chão em xadrez e uma voz feminina me pedindo para contar... Mil menos sete enquanto fazia o que bem queria.

-mas foi um sonho, ok? Isso não vai acontecer porque eu vou fazer de tudo pra ninguém te machucar- ele tirou alguns fios do meu rosto e fitou meu olho esquerdo- não vou deixar que te tirem de mim por esse olho.

Levei meus dedos até meu globo ocular esquerdo e o tampei não o deixando ver, eu ainda vou descobrir o motivo pelo qual eu demoro tanto para desenvolver... Procurarei por respostas.

-tenta dormi um pouco, tá bom? –assenti vendo-o virar de costas, não para enfim dormi e sim para ver a hora no celular, aproveitei enquanto ele estava de costas e levei meus dedos até encostar as pontas deles em sua costa nua.

-eu... To com medo de fechar os olhos e... Acontecer de novo- confessei e ele parou, demorou um tempo até virar-se para mim e envolver todo o meu corpo com o seu. Seus braços estavam quase dando a volta em minha cintura e costa, sua perna estava entrelaçada as minhas enquanto e esquerda estava por cima da minha direita, me trazendo mais a ele como se nossos corpos fossem se fundir.

-vai dormi bem, tá comigo tá com kami-sama.

Enterrei meu rosto em seu peitoral enquanto ria soprado, assim como antes quando eu dormia com ele, Sasuke e eu dormimos de conchinha o qual agora eu tinha certeza que eu não teria aquele pesadelo outra vez... Não com o perfume impregnado no corpo dele, mesmo depois de duas rodadas de banho, tanto do mar quanto de chuveiro.

~#~

-Sasuke levanta! –gritei e ele apenas ficou de bruços na cama.

-deixa eu dormi mais duas horas- sua voz saiu abafada por conta do travesseiro.

-deixa de coisa, borá, levanta- pedi sentando em sua bunda, joguei meu corpo para a frente deixando meu tórax e seios colados a sua costa enquanto me apoiava nos braços- levanta, vai...!

Minha voz saiu que nem um miado de gato e me mexi em cima dele, Sasuke soltou um gemido e eu tampei a boca rindo leve.

-só vou levantar se fizer massagem na minha costa- ele levantou a cabeça ainda de olhos fechados e depois que eu me levantei ficando apenas sentada em sua bunda, ele riu soprado quando meus dedos passavam massageando sua costa- isso gata, continua.

Fincou a cabeça outra vez no travesseiro e eu ri jogando a cabeça para trás, Sasuke resmunou por eu ter parado e então voltei, passando os dedos, batendo de leve, chegue até a pisar em cima da costa dele e em meio a isso, de repente aquele imbecil se vira me fazendo cair sentada em seu ventre perto de seu pau.

-ain amor, assim não- ele gemeu fechando um olho enquanto pegava em minha cintura quando ameacei sair.

-culpa sua, seu retardado, não mandei virar do nada- fiquei mais ereta em cima de seu ventre pois antes eu estava meio que deitada em cima de Sasuke.

Minha camisola ela justa do meu corpo e quando fiquei com a costa reta e os braços cruzados logo abaixo dos meus seios, vi os ônix dele irem direto para eles. Sasuke torceu os lábios e soltou um grunhido.

-seria bom se eu acordasse todo dia e tivesse uma visão dessas- ele sorriu malicioso e eu revirei os olhos.

-não meu querido, seria mais interessante se eu tivesse pelada- brinquei e rápido as mãos dele foram para a barra da minha camisola justa a levantando até aparecer a renda vermelha da minha calcinha.

-opa, prefiro preto ou branco, mas tá valendo- a camisola subiu mais e Sasuke chegou a ver a polpa de baixo dos meus seios, os olhos chegaram a brilhar se eu não tivesse tido um treco e estapeado suas mãos.

-SAI ESTUPRADOR! –gritei cruzando meus braços em baixo dos seios e impossibilitando Sasuke de tirar e ver meus seios.

-não sou estuprador, sou sadomasoquista, completamente diferente- suas mãos desceram para minha cintura.

-isso eu já sabia- disse mais tranquila e levantei uma sobrancelha quando Sasuke fincou os dedos na minha cintura e me escorregou mais para baixo, senti seu pau duro na minha intimidade e cheguei a arregalar um pouco os olhos- Sasuke voc... Ahn.

Um gemido escapuliu da minha boca quando ele apertou meu quadril e o friccionou com a sua ereção me dando um prazer repentino, mas gostoso o qual não consegui evitar o gemido, tampei a boca com as duas mãos e Sasuke sorriu malicioso esfregando mais minha parti íntima na sua que já estava pra lá de excitada.

-S-Sasuke... Pa-para... Ahn- falei com dificuldade quando ele acelerou o ritmo do meu quadril.

-a-ah- ele gemeu quando desacelerou o ritmo e senti meu quadril se afundar mais na ereção dele aponto de terem mais contado, afinal, o que nos separava era apenas minha calcinha e a cueca boxer preta e vermelha que ele usava.

O Uchiha se sentou e passou a beijar meu colo o qual eu joguei a cabeça para trás gemendo mais quando eu que passei a controlar os movimentos quando Sasuke tirou as mãos da minha cintura para passa-las pelos meus seios, apertei sua nuca e ele gemeu no meu pescoço. Por incrível que pareça, eu sentia meu orgasmo chegar com apenas aquelas esfregadas que estávamos dando, só que eu parei quando vi ele puxar seu membro para fora da cueca e rasga minha calcinha, ofeguei quando ele roçou seu pau da minha entrada, porém eu me toquei antes que Sasuke me penetrasse.

-espera! Espera, espera, espera- repeti várias vezes até que ele olhou pra mim.

Seus olhos estavam carregados de prazer e excitação só com aquele contado entre nossas intimidades, Sasuke nem chegara a me penetrar nem nada. Foi quando eu também raciocinei: eu não podia simplesmente negar sexo a ele e depois não fazer nada para... Recompensar, até que tive uma ideia...

-Sakura... –ele gemeu meu nome quando agarrei seu membro e quando passei masturba-lo, Sasuke enfiou o rosto na curvatura do meu pescoço- ahn.

Minha mão subia e descia por enquanto em movimentos mais ou menos lentos, Sasuke me apertou mais contra ele e eu joguei a cabeça para o lado e um pouco para trás lhe possibilitando mais contato com minha pele, aumentei mais a velocidade e ele gemeu mais forte. Empurrei sua cabeça para trás agora enfiando a minha no seu pescoço distribuindo beijos e chupões os quais não sairiam tão cedo, isso e a mordida que lhe dei me aproveitando que ele estava tão embriagado no prazer que eu lhe dava, que Sasuke chegou a gemer mais alto o meu nome quando meus dentes cravaram sua carne.

Chupei seu sangue ao mesmo tempo que aumentava mais os movimentos das mãos fazendo-o me apertar mais, o sangue de seu pescoço escorreu por minha boca até passar pelo meu pescoço e descer por entre meus seios. Aquela sensação era muito boa, tanto para mim quanto para ele que se alimentava do prazer enquanto eu, me alimentava dele.

Continuei assim e senti os braços de Sasuke me cercarem, um pela costa e outro pela cintura me apertando mais, ele fez força me carregando um pouco e me ajeitando mais em seu colo fazendo-me enlaçar sua cintura com minhas pernas.

-Sakura... ah! –ele gemeu alto quando gozou na minha mão e foram os minutos suficientes para que eu tirasse meus dentes de sua carne.

Me afastei passando a língua pelos lábios todo cheio de sangue, sem contar que o líquido descia pelas laterais da minha boca agora entreaberta assim como a de Sasuke, ambos ofegantes.

Ele levantou comigo no colo e antes de andar para o banheiro, me segurou com uma mão só fazendo a outra terminar de baixar a boxer. Marchou para o banheiro comigo lambendo seu pescoço que ainda tinha resquícios de sangue mesmo depois da pele já ter regenerado, fui acordar daquele transe feito pelo sangue dele quando senti Sasuke me colocar dentro da banheira ainda seca.

-Sasuke? –franzi o cenho.

Ele estava sério e entrou na banheira, abriu minhas pernas ficando por cima de mim e não demorou muito para que eu sentisse seus dentes fincarem no meu ombro, gemi tanto pelo resto de prazer que ainda sentia, quanto pela dor. Ele deu uma estocada lenta fazendo seu pau roçar na minha entrada assim como me fez arquear as costas e meu corpo ir mais para cima deixando metade da minha cabeça apoiada na ponta da banheira, gemi apertando sua nuca enquanto mantínhamos os olhos fechados.

-você é deliciosa- ele murmurou perto do meu ouvido e o senti beijar meu pescoço, Sasuke levou a mão até o botão na parede que acionava o chuveiro elétrico acima de nós, a água me encharcou toda e Sasuke se afastou um pouco olhando meu corpo que aparecia pela camisola branca ter ficado transparente- e muito gostosa- ele rasgou a camisa justa a tirando do meu corpo e jogando para qualquer canto- muito gostosa.

Finalizou dando mais uma estocada que me fez gemer, a mão direita subiu para o meu seio esquerdo o massageando, o que ajudou mais em outro gemido enquanto sua boca subia com a língua levando o próprio sangue que havia escorrido da minha boca, veio desde a minha barriga, passou por entre meus seios e chegou ao meu ombro direito o qual ele fincou os dentes de novo para fazer o que eu havia feito nele antes.

Sasuke chegou a se alimentar mais que eu pois acredito que era sua primeira vez fazendo aquilo depois que descobriu ser um ghoul, quando terminamos o banho nós saímos, ele com uma toalha na cintura e outra secando o cabelo enquanto eu tinha apenas uma em volta do meu corpo. Fiquei em frente ao guarda-roupa o qual era a minha parte e joguei a toalha no chão, peguei uma calcinha boxer roxa, um top regata que cobria todo o meu colo, servindo tanto como top quanto como sutiã, virei-me para Sasuke pois ele me olhava e quando o peguei, o Uchiha virou o rosto assoviando, ri negando com a cabeça.

-opa, presentes- disse ele e eu me voltei para a cama com duas caixas em papel presente.

-entraram aqui- Sasuke e eu nos fitamos e eu fiquei rubra só de imaginar que poderiam ter ouvido meus gemidos do banheiro, céus! Vão pensar que a gente estava transando, só que quando eu e Sasuke nos fitamos de novo, começamos a rir, ele se agachou rindo depois de ter colocado uma boxer e eu me joguei na cama perto das caixas.

-ai caralho... Mas sim, -ele ficou sério repentinamente assim como eu- como entraram se eu tranquei a porta?

-deve ter sido a vovô, ela tem a chave mestra- respondi e então pulei ficando sobre os joelhos na cama.

Abri a primeira caixa que era a minha e dentro havia um cartão.

-“Sejam bem vindos ao FBI, espero que gostem da roupa feita especialmente para vocês, com amor, vovô Chiyu. ” –fiquei um tempo em silêncio- acho que foi a vovô.

-jura, amor? –Sasuke se aproximou e eu ri jogando a cabeça para trás- tá, deixa eu ver a minha roupa.

-vou fazer surpresa- anunciei pegando a caixa e partindo para o banheiro, Sasuke me acompanhou com o olhar.

Me tranquei no banheiro ansiosa para ver como seria minha roupa, cheguei a dá até três pulinhos que nem uma criancinha, mas era até bom porque tudo seria melhor do que eu voltar a me afundar na escuridão pela qual acordei assustada essa madrugada, tudo seria melhor do que passar por aquelas torturas como se fossem verdade, os números... Contagens... Credo!

Deixei a caixa em cima da pia grande, a destampei outra vez e abri um lado do saco e depois o outro que cobria a roupa, puxei de dentro uma lycra preta emborrachada com uma parte toda de couro nas cochas, a vesti vendo que ficou bem colado e caiu bem, abraçando confortavelmente minhas curvas e bunda. Voltei minha atenção para dentro da caixa e de lá eu puxei um corselete de couro que cobria metade dos meus seios, o resto era coberto por uma camisa de mangas compridas preta de lycra, só que o decote vinha em um V bem cavado o qual malmente poderia ver a polpa dos meus seios e eu pensando que havia acabado, que dana, ainda havia ganhado uma bota preta de cano curto e os dedos amostra, acho que aquele salto tinha o que? 19 a 20 cm?

Não importa, eu amei, o bom é que eu não serei a mais baixinha do grupo.

Sai de cabeça baixa enquanto terminava de fechar o zíper que vinha na parte da frente do corselete, dei alguns passos e ao olhar para baixo, vi botas masculinas perto das minhas. Meu rosto foi levantado pelo dedo de Sasuke logo abaixo do meu queixo, seu corpo era coberto por uma camisa preta, por cima ele usava um sobre tudo aberto que ficava justo em todo o seu tronco como se fosse colado a camisa, haviam algumas partes de couro e o capuz descansado na costa, o meio do sobre tudo era curto e descia mais cumprido para as laterais, uma calça preta e as botas.

-você está maravilhosa- ele beijou minha testa enquanto fechava os olhos.

-bem O Último Caçador de Bruxas, você- brinquei me afastando e desfilando até o espelho cumprido que me mostrava dos pés à cabeça.

Ao parar bem em frente eu mordi a lateral do meu lábio enquanto tinha as mãos descansadas na cintura, me analisei bem, virei de um lado para o outro e devo até admitir que o preto combinou com a cor do meu olho esquerdo, que por sinal, já conseguia controlar mais ou menos, as horas certas as quais ele deveria aparecer, mas ainda precisaria do tapa-olho.

Foi quando eu me peguei pensando sobre o pesadelo que havia tido, só de pensar que vestindo aquela roupa e ter pisado em Miami em busca de respostas, de vingança... Termos que adquiri uma postura mais séria perante a assuntos mais sérios... Me subia um certo... Arrepio pois nunca pensei que chegaria aqui algum dia, claro, sempre fiquei com a mente focada em medicina e agora vejam só? Trabalho para o FBI.

-o que tanto pensa? –Sasuke parou atrás de mim tirando meu cabelo do meu ombro esquerdo o jogando para traz, senti seus dedos deixarem minhas pontas mais cacheadas do que o natural.

-em como paramos aqui- vire-me para ele ajeitando seu sobre tudo- quero dizer, tínhamos outros planos e agora... Por... Por um erro do meu pai...

-não foi um erro dele, -Sasuke me cortou e eu lhe fitei- Kizashi só não sabia exatamente o que fazia.

Suspirei abaixando a cabeça, Sasuke tinha razão, papai não fez por mal, nem sabia o que isso acarretaria pois se soubesse? Ele nunca teria o criado de volta, Kizashi nunca foi um homem ruim, sempre fez tudo organizado e planejado, tudo muito calmo e cauteloso... Ele não fez por mal, sei muito bem disso.

-outra coisa, -Sasuke chamou minha atenção enquanto se afastava e ia em direção a caixa que veio sua roupa- veio esse em tamanho feminino, acredito que seja para você.

Ele me estendeu um sobre tudo idêntico ao seu, porém em número menor e só agora percebi que nas costas, vinha escrito Swat FBI. O coloquei e não demoramos mais dentro daquele quarto, Sasuke e eu passamos pela sala que havia no segundo andar, caminhamos pelo corredor com várias portas e parei na penúltima que era onde Victória dormia.

Abri a porta lentamente vendo que a luz ainda se encontrava apagada, eram nove e pouco da manhã, me surpreendeu de ela não está acordada.

-ela comeu muito doce ontem, lembra? –Sasuke me lembrou e eu apertei os olhos indo até ela para beijar sua testa, ajeitei mais o edredom em volta do seu corpo e depois sai.

Me arrependo de ter liberado os doces no aeroporto, Vick ficou tão elétrica que por isso eu suspeitei de ela mal ter chegado no quarto e capotado, a taxa de açúcar no sangue dela foi alta demais aponto de desgasta-la rápido demais.

Desci as escadas com o Uchiha na minha cola e encontrei todos na cozinha, até vovó que fazia um café delicioso.

-bom dia- disse passando pela vovó sem antes lhe dar um beijo.

Vi Hinata se aproximar de mim, mas também percebi em sua roupa, um macacão em saia totalmente justo em suas curvas, por baixo ela usava uma regata branca com o nome Swat escrito em preto, uma meia calça, na cocha direita ela usava um suporte com uma faca, uma bota de cano alto cobria seus pés, as luvas pretas mostrando apenas os dedos, o cabelo em um rabo de cabalo baixo e lateral quase não era visto pela cor do cabelo ser tão parecia com a cor do mesmo sobre tudo que eu usava.

Ino veio logo atrás dela e nossa! A calça no mesmo material que a minha também abraçava bem suas curvas e bunda, assim como o corselete preto que mostrava malmente seu umbigo, a regata preta colada ao corselete, também era no mesmo material que a calça, porém haviam mangas compridas em um tecido que eu comparei a de uma meia calça toda furada, chegava a ser tão comprida que terminava na metade da palma da mão deixando apenas um furo para o polegar ficar de fora, a bota de cano alto deixava sua batata da perna bem destacada. Ino não usava o sobre tudo preto, mas o vi apoiado no braço da cadeira em que estava sentada.

-o que pretende comer? –Hinata perguntou.

-se não estiver sentindo fome, fica melhor ainda para nós- Ino rolou os olhos soltando uma risada soprada.

-não se preocupem, não estou com fome- respondei e vi Sasuke me puxar pela cintura até a mesa onde todos estavam, mas não nos sentamos.

-a gente já comeu, valeu- Sasuke disse quando Shikamaru empurrou uma xícara para ele.

Foi então que eu percebi que a roupa dos meninos eram todas iguais.

-o que comeram? –Tenten se levantou pegando sua própria xícara, tinha os olhos meio arregalados, acho que pensou que matamos alguém.

Quando a Mitsashi saiu de perto da mesa para levar a xícara suja a pia, percebi que sua roupa era um pouco mais “neutra”... Em comparação a de Ino e Hinata que estavam bem sensuais. Tenten usava uma calça preta que apertava em suas cochas mas folgava um pouco do joelho para baixo, uma bota preta que deu para ver ser de cano curto, no busco ela usava um corselete preto de alças, deixava um devote V mais aberto, tampava apenas o centro de sua barriga pois a pele da lateral de seu corpo era exposta por uma tira grossa do corselete e ela também não usava seu sobre tudo.

-bom... –comecei mais fui interrompida.

-comeram de comer- vovó deu um sorriso malicioso para mim e Sasuke que enrubescemos de vergonha- ouvi até gemidos, se é que me entendem.

Vovó piscou para os outros e todos deram um pulo da mesa.

-O QUE?!

-vovó, meu kami-sama! –afundei meu rosto nas mãos e Sasuke afundou seu rosto no meu pescoço.

-TRANSARAM?! –Ino, Naruto, Tenten, Temari e Juninho gritaram.

-NÃO! –Sasuke e eu gritamos em uni som- nós comemos no sentido de que bebemos do sangue um do outro, oras- Sasuke disse irritado, porém sem graça ainda.

-mas e os gemidos? –vovó perguntou me olhando.

Virei-me para ela e consegui manter a pode firme e rígida.

-é a primeira vez do Sasuke se alimentando como um ghoul, ele quase arrancou metade de mim, queria que eu ficasse calada?!

Vovó ficou mais séria depois que eu falei a palavra ghoul, porém eu também não soube explicar aquele brilho nos olhos dela.

-podia gritar, não gemer, dá de pensar besteira sim- Naruto rebateu e eu me virei para ele.

Iria avançar naquela carinha linda, porém Temari se enfiou no meio.

-o importante é que vocês se alimentaram sem matar ninguém, isso é muito bom pois como Kakashi disse, há muitos CCG por aqui, não podemos deixar suspeitas- assenti para a loira que saiu rebolando.

Só então percebi que ela usava um macacão preto de lã, o zíper no busto que terminava logo acima do suporte o qual ela levava uma faca e arma, estava um pouco aberto na frente o qual deixou um decote V, as mangas desciam em uma tela preta até os pulos, a bota de cano curto e agora o sobre tudo o qual ela pegou se virando para todos.

-pois bem, todos já tomaram café? –assentimos- podemos ir, Kakashi e Tsunade nos esperam.

Arregalei os olhos.

-minha tia está aqui? –perguntei.

-ai... Porra- Temari tampou a boca- era pra ser uma surpresa quando chegasse lá.

Ri soprado rebolando até ela e peguei em seus ombros.

-me faço de fingida- pisquei e antes de sai, me virei para vovó lhe mandando um beijo- cuide bem da minha filha.

Levantei a mão direita sem olhar para trás mas ouvi os passos de todos, ao chegarmos na garagem e todos entraram nos carros, Sasuke e eu fomos os primeiros a sair na Lamborghini dourada e branca já que estávamos mais perto da saída, logo atrás de nós veio Naruto no Bugatti preto, depois Gaara no Honda NSX, Shikamaru na Toyota Finan NP, Neji no Porsche 911 Stinger e por último, Juninho no seu Bugatti prata.

Quando chegamos ao FBI a primeira coisa que meu olho direito capitou foi o qual repleto de vidro aquilo era, simplesmente grande em dois prédios altos com um corredor também em vidro ligando um prédio ao outro, a grama verde por todo o lugar e eu estava curiosamente curiosa para observar todo o loca.

-opa... –disse sapeca vendo Sasuke ficar ao meu lado, sorriu lateral.

-vamos lá- assenti começando a andar ao lado dele.

Assim que coloquei meus pés para dentro do “palácio de cristal” junto aos outros, a primeira coisa que percebi (e olha que eu estava com um tapa-olho) muito bem foi que chamamos muita atenção, algumas pessoas que estavam no primeiro setor pararam de trabalhar só para nos dar atenção, foi um tanto... Incômodo.

-olha eles ai! –olhei para a frente vi minha tia vir em nossa direção.

Apenas mandei um sorriso e senti Temari me cutucar, foi quando arregalei o olho lembrando que deveria me fazer de fingida que estava MUITO impressionada de ver Tsunade depois de tanto tempo, afinal, o último dia que nos vimos foi pouca coisa antes de eu ter incendiado o manicômio.

-meu kami! Tia Tsunade, que surpresa! - abri os braços para lhe receber com um aperto de urso.

-um pouco exagerado amor, só um pouquinho- Ino sussurrou no meu ouvido e eu virei meu rosto para ela lhe mostrando língua.

-ora tudo bem, já estou acostumada com esses escândalos dela- revirei os olhos depois de ter soltado o corpo bem chamativo de Tsunade- mas bem, eu serei a encarregada de lhes mostrar o lugar, me acompanhem por favor.

A mulher estendeu o braço para a frente dando alguns passos, mal dei um e senti meu sorriso sair sapeca na lateral dos lábios.

-com todo o prazer- esfreguei as mãos na frente do rosto e sai andando dando uma risada um tanto... Maléfica.

-o que tinha no seu sangue? –ouvi Hinata falar para Sasuke.

Olhei um pouco para o lado vendo o Uchiha ficar bem ao meu lado direito enquanto Hinata ficava ao seu lado, no meu esquerdo, Ino se posicionou logo depois do irmão que colocou um braço ao redor do meu ombro enquanto eu passava meu braço esquerdo por sua cintura, ambos tínhamos sorrisos sapecas pois todos ali sabiam que Naruto queria vasculhar aquele lugar, tanto quanto eu.

-nada, por que? –Sasuke respondeu.

-ela está louca, esse não é o normal dela- Tenten apontou vindo logo atrás quando eu a olhei sobre o ombro, coloquei a língua para fora revirando os olhos- viu!

-agora me responda, Senhorita Mitsashi, desde quando Sakura é normal? –Ino perguntou eu ri mais.

-nunca! –quase todos responderam e me soltei do agarre de Naruto levantando as duas mãos e mostrando cotoco para todos, sem exceção alguma!

Porém acabou chamando mais atenção já que algumas pessoas trataram aquele meu gesto um tanto... “Vulgar” e outras acharam que eram o alvo do meu dedo do meio, quando olhei para todos ao meu redor e os inocentes tinham seus olhos arregalados, apenas me curvei um pouco para a frente e comecei a rir.

-tá bom chega- disse rápido, em cerca de segundo fiquei ereta e a face séria, joguei meus cabelos para trás e sai desfilando atrás de Tsunade que estava alguns passos a nossa frente.

Por fim estávamos conhecendo tudo, haviam muitas salas transparentes onde podíamos ver o trabalho que lhes foi indicado, outras eram em um vidro fosco ou “borrado” o qual nos possibilitava ver apenas as silhuetas, afinal, eram as salas de reuniões que ficavam em cada setor, onde cada uma também tinha seu devido assunto para tratar. Por exemplo, se eu tratasse do assunto sexo com Sasuke, eu não poderia tratar disso se fosse na sala de reunião sobre assuntos de comida, no caso, a sala de Naruto, se eu quisesse tratar com Sasuke sobre sexo, teria que ser na sala no qual o assunto sexo é tratado.

Já dá para eu ser professora!

Quando dei por mim, estávamos atrás dos dois prédios e percebi que havia um tipo de “estufa” ENORME a qual toda a vidraça que cercava o local, era fosca. Quando adentramos percebi ser um laboratório o qual Neji e Temari não se seguraram em sair andando pelo local para observar tudo, eu e os outros apenas rimos, mas Shikamaru logo parou e ficou sério quando Tsunade nos levou até uma sala grande toda coberta de vidro fosco, os olhos do Nara logo bateram na grande mesa que se encontrava na frente de um grande sofá de couro marrom claro, logo ao lado, havia uma mesa de vidro azul transparente com algumas planilhas, tabuleiros, mapas, plantas de casas e alguns outros equipamentos de estratégia ou que ele poderia usar para a mente brilhante em estratégia a qual ele possuía.

-ai, meu, kami- Shikamaru deixou escapulir sem querer.

Eu e as meninas rimos da cara dele. Meu olho passou a analisar todo o resto, fora a sala com o sofá de couro marrom claro, a grande mesa bem em frente não só do sofá como duas poltronas e mais um sofá cumprido, do outro lado da sala haviam equipamentos de pesquisa em cima de uma mesa de mármore bem grande, a qual o lado esquerdo era a cara de Neji com vários computadores e uns telões bem em cima e o outro lado, definitivamente era a cara de Temari, também com computadores e telões, porém haviam frascos cilíndricos os quais eram perfeitos para misturar produtos químicos, além de telescópio, impressora e mais algumas outras coisas. Tudo era revestido em branco entrando em destaque os sofás, o tapete felpudo preto logo abaixo da grande mesa, alguns criados-mudos espalhados em madeira marrom e algumas gavetas de metal enfileiradas de cima para baixo onde poderíamos guardar alguns arquivos.

-uau- disse em uni som aos outros.

-essa sala aqui é exclusivamente de vocês- todos olhamos para Tsunade- Kakashi mandou fazer uma sala de reunião para vocês trabalharem melhor.

Fui até Sasuke o abraçando lateralmente pela cintura, até que escorreguei minha mão direita para o seu rosto virando-o para mim.

-amo o seu tio- sorri dando um beijo em sua bochecha.

Caminhei até o sofá marrom claro e me joguei nele colocando os pés sobre a mesa, passei mais uma vez os olhos pelo local e sorri lateral.

-já sei que conseguiremos muito o que fazer- me sentei adequadamente com as pernas cruzadas enquanto tinha meus braços apoiados na parte de cima do encosto do sofá.

-sim minha querida, mas levanta essa bunda daí que eu ainda não acabei.

Olhei feio para Tsunade que apenas saiu rebolando naquele vestido tubinho azul que ia até os joelhos, mostrei língua enquanto ela estava de costa e todos esperaram eu sair primeiro para só então, virem atrás.

-já sei pra quem ela puxou isso- Juninho murmurou para Naruto e vi de relance que o loiro assentiu.

-meu querido, cê ainda não vou nada- sorri malicioso sem me virar, mas eu sei que ele ficou chocado, porém, escutei a risada mínima das meninas a qual elas não demoraram para seguirem ao meu lado enquanto os meninos vinham atrás.

Tsunade terminou de mostra o laboratório explicando que se quiséssemos algo dali para nossas pesquisas e experimentos, poderíamos pegar ou até mesmo pedir ajuda para um dos outros trabalhadores os quais chegamos até a falar e nos apresentar quando minha tia insistiu de nos levar em alguns deles. Voltamos para dentro do FBI e entramos em um elevador grande, subimos para o último andar e quando as portas de metal se abriram, minha boca caiu assim como de todos ao avistarmos uma academia imensa, praticamente o andar todo era só equipamento de treino, exercícios, academia e bem no centro do local todo, havia até um ringue de luta.

-acho que vou me casar- comentei vendo Tenten assentir comigo.

Sasuke e Neji nos olharam de cara feia, nos viramos para eles e rimos.

-com o ringue seus idiotas- disse apontando enquanto saiamos.

-mas se casássemos com alguém, teria problema- a morena alfinetou cruzando os braços.

O Uchiha e o Hyuuga apenas bufaram virando as caras e nós desatamos a rir, até que Tsunade nos chamou a atenção nos levando pelo local todo.

-aqui é a área de treinamento de vocês, no máximo devem se exercitar umas três vezes na semana, para que seus corpos fiquem acostumados e bem trabalhados, -ela se virou de braços cruzados enquanto o olhar gelado percorria cada um de nós- afinal, você vão enfrentar coisa pesada, precisam se preparar bem.

Todos assentimos firmes e uni som como se estivéssemos perante a um general, deu até arrepio na espinha, só não levantamos o braço colocando a mão perto da cabeça enquanto gritávamos: sim senhor! Por que isso já ia ser bem ridículo. Por fim nós descemos uns três andares até ficar bem de frente para o grande corredor que ligava ao outro prédio, passei a caminhas sem deixar que meu olho vacilasse em pegar alguma coisa, eu estava tão concentrada nos detalhes que até peguei uma abelha tirando pólen de uma flor bem em frente ao primeiro prédio.

Quando chegamos no segundo eu e Sasuke que estávamos na frente, fomos atacados por um bonde... Um bonde... Canino. Isso mesmo, acho que cerca de 11 Pastores Alemães, cinco me cercavam e os outros seis cercavam Sasuke, nos cheirando e latindo para nós. Aqueles latidos altos chegavam a doer na minha orelha que era sensível, olhei para Sasuke e ele estava do mesmo jeito, quase fazendo caretas pela dor que sentíamos nos tímpanos.

-CALADOS! –gritamos em uni som fazendo todos se assustarem inclusive os cachorros que recuaram dando alguns grunhidos de arrependimento.

Me abaixei à altura de um que eu presumir ser o líder deles, como eu sei? Era preto, olhos firmes, afiados e confiantes, sem contar que ele foi o único a não recuar e continuava com a postura firme.

-parece até você, Sasuke- disse olhando para o moreno enquanto apontava para o cachorro.

Sasuke bufou e vi ele se abaixar ao meu lado, fez um gesto para um dos outros e foi quando meus olhos bateram em um Pastor Alemão branco, a forma que o cachorro andava e a imponência na postura firme me levaram à conclusão de que era uma fêmea e a segunda no comando, um “Beta” no meio deles. Sasuke estendeu a mão para toca-la, porém o “Alpha” a minha frente latiu para Sasuke e se meteu na frente.

-não toque nela Uchiha, Cedrico é muito ciumento com sua parceira- Tsunade comentou e eu sorri largo olhando para Sasuke.

-querido, você tinha um filho e não me contou? –brinquei e percebi que a fêmea levantou a cabeça me olhando.

Voltei-me para ela e fiz um gesto para que viesse até mim, bastou três passos e a cadela passou a me cheirar e como se tivesse me aceitado, ela passou a lamber meu rosto o qual eu ri e fiz carinho no pescoço.

-gostei dela- meu olho brilhou encarando o azul que ela possuía.

-essa é Afrodite- minha tia se curvou um pouco enquanto fazia carinho por entre os pelos brancos.

Olhei para o lado e Sasuke encarava Cedrico enquanto o cachorro fazia o mesmo com ele, revirei os olhos e vi Afrodite soltar o ar pelo nariz chamando a atenção tanto do alpha quando te Sasuke quando eu pigarreei. Afrodite e Cedrico trocaram olhares como se tivessem se comunicando por eles, a cachorra branca saiu andando com postura até nossos amigos que até então, estavam parados olhando aquela situação, Afrodite rodeou todos enquanto sentia seus cheiros e quando terminou, voltou para perto do macho alpha e eu não sei se foi coisa da minha cabeça, mas eu vi ela assentir para ele que latiu para os outros que rápido correram como filhotes para os meninos.

Sasuke e eu nos levantamos de braços cruzados enquanto observávamos todos os nove Pastores correrem até cada um como se já tivessem escolhidos seus donos.

-eu disse para Kakashi que não seria difícil deles se acostumarem com vocês- tia Tsunade cruzou os braços empinando o nariz.

-quer dizer... Que são... São nossos? –Hinata perguntou quando uma fêmea não parava de se agraciar nela, enquanto a Hyuuga esbanjava um sorriso aberto.

A mulher ainda com a pose superior assentiu e, o que cachorros não faziam para deixar tudo melhor? Com tal notícia vi um sorriso no rosto de cada um, por fim, Cedrico parou ao lado de Sasuke e latiu para os outros que rápido se sentaram enquanto olhavam para seus respectivos donos.

-uau- disse olhando para o cão preto.

-parece que alguém já te escolheu- Sasuke comentou e eu olhei para o lado vendo Afrodite parada enquanto olhava para a frente.

Sorri passando a mão em sua cabeça vendo suas orelhas abaixarem com o carinho, quando voltei-me para Sasuke vi Cedrico rodeá-lo como se o analisasse, por fim, o cachorro parou a frente de Sasuke e latiu para chamar a atenção do moreno que olhou para baixo, fez um gesto com a cabeça indicando que Sasuke se abaixasse e o Uchiha assim fez. Sem esperar, Cedirco lambeu a cara de Sasuke que passou a mão resmungando mas depois que o olhou para o Alpha a sua frente, ele riu e passou a mão na cabeça do cão.

-puxa saco- comentou ele.

-que nem o dono- Naruto rolou os olhos sem encarar os mortais de Sasuke.

-muito bem, vamos as apresentações- Tsunade ficou à frente de Naruto- este é Draco.

-quem nem do Harry Potter? –o loiro perguntou e minha tia apenas riu soprado enquanto rolava os olhos.

Depois, Tsunade foi para a frente de Gaara fazendo carinho na cabeça do cachorro que eu achei bem parecido com ele, quero dizer, a seriedade, o jeito mais quieto que os outros, a postura quase a de Cedrico mas não chegava a ultrapassar a de Draco, porém os olhos do cachorro denunciavam uma pitada de “circo pegando fogo”, que nem os olhos de Gaara quando ele vê uma briga ou quer ver sangue derramado.

-esse aqui, foi Lee que escolheu e como que ele estava assistindo Harry Potter... –Gaara sorriu de lado enquanto negava com a cabeça, todos ali conheciam bem Lee e sabíamos que ele era um amor de pessoa, mas tinha uma cabeça... –Snape, Severo Snape- o cachorro arqueou mais a postura.

-eu e o Snape vamos nos divertir muito, não é? –Gaara perguntou com um sorriso diabólico nos lábios e o cachorro pareceu entender muito bem pois passou a língua pelo focinho enquanto soltou um rosnado.

-depois falam que é só o Cedrico parecido com o dono- me abaixei apertando o cão no meu corpo, ele era muito fofo! –me dá vontade de te morder.

Comentei olhando para o cão que deu um latido lambendo meu rosto, virei a cara para o lado e ri voltando a ficar em pé.

-bem que você sabe, Afrodite é o seu jeitinho, só se faz de santa- Tsunade comentou e eu soltei um leve rosnar junto a Afrodite- não disse.

Revirei os olhos enquanto cruzava meus braços, Tsunade parou agora na frente de Neji enquanto o moreno olhava para o cão enquanto fazia carinho na cabeça.

-Hyuuga, seu novo parceiro de laboratório se chama Scar- Neji levantou uma sobrancelha- Scar foi treinado para responder a ordens, sem contar que de todos, ele aparenta ser um cachorro bem esperto.

-há é? –o moreno olhou para o Pastor marrom claro e o animal voltou seu olhar castanho escuro para o dono- quando estivermos trabalhando e alguém for nos interromper, pode morder.

Realmente, ele era bem esperto pois eu vi que não era da minha cabeça não, Scar assentiu da mesma forma que Afrodite havia assentido para Cedrico.

Meus olhos acompanharam as costas da mulher que passou a andar até chegar na frente de Shikamaru, diferente dos outros, o seu cão estava deitado no chão bem folgadamente enquanto mantinha apenas o pescoço erguido.

-Sirius Black também será seu parceiro, Shikamaru- o Nara sorriu lateral enquanto enfiava as mãos nos bolsos do sobre tudo aberto.

Por último dos meninos, a loira parou em frente a Juninho que estava abaixado enquanto acariciava as costas de seu Pastor Alemão que possuía o pelo em preto e um marrom mais claro.

-tenho um conselho sobre Jaffar- Juninho levantou a cabeça- ele é muito Bad boy, só sai a carro e com a janela aberta.

O moreno deixou a cabeça cair quando riu assim como todos nós.

-bem a sua cara- Shikamaru comentou rindo.

-assim como o seu- devolveu Juninho e o Nara se abaixou fazendo carinho no seu.

-Ino, -Tsunade chamou sua atenção- a sua é Safira, um conselho, não deixe ela muito longe de Afrodite- Ino franziu o cenho.

-por que?

-as duas não conseguem ficar muito tempo longe, -Tsunade andou até a frente Hinata- assim como Angel não consegue ficar longe das duas, são o trio inseparável de todos eles, assim como Cedrico, Draco e Snape- a mulher apontou para os três machos que soltaram o ar pelo nariz.

-a mesma coisa a de vocês, Temari e Tenten, -a mulher se abaixou na frente da cachorra de Temari- Britney não pode ficar muito tempo longe da irmã, não é? Brigitte- Tsunade olhou para a cachorra de Tenten.

A mulher se levantou ficando a nossas frentes, porém antes de ela começar a andar, chegou perto o suficiente para que só nós escutássemos o que tinha a dizer.

-eles sentem cheiro de Ghouls, por isso atacaram Sasuke e Sakura- comentou e eu e o Uchiha nos entreolhamos- mas bom, vamos que Kakashi os espera.

~#~

Por fim conversamos com Kakashi e ele nos deu alguns avisos de que se precisássemos de algo, poderíamos pedir aos outros que trabalhavam ali, deu algumas sugestões para que não fizéssemos nada de errado que pudesse colocar o FBI em risco ou até mesmo, evitar que chame a atenção dos superiores pois Kakashi mesmo disse que não sabia se teria argumentos para nos defender. Mas agora cá estamos no último andar do primeiro prédio, decidimos treinar um pouco antes de colocarmos algo em prática já que teríamos que ver a condição de todos para que enfim, pudéssemos sair dali para enfrentar o mundo lá fora sem que outras pessoas estejam tomando conta do assunto se não for nós mesmos.

Nossos minis clones em quatro patas foram levados por Lee até a área de treinamento deles, onde não só os nossos como muitos outros eram treinados para atacar, farejar, obedecer e identificar alguma pista a distância.

Por hora eu e Tenten estávamos paquerando aquele ringue, doidas para estreá-lo, porém, Temari e Hinata nos chamaram a atenção para um canto do local onde havia um botão em uma única parede de metal, Hinata apertou o pequeno botão e nos afastamos de lá saíram várias armas. As três, Ino, Hinata e Tenten avançaram para pegar muitas as quais elas usariam para treinar em uma sala no outro canto daquela academia de treinamento.

Peguei um taco de baseball a qual eu me interessei pois pensei: por que haveria aquela “arma” ali? Tum taco de baseball não machuca tanto quanto uma faca ou sei lá... Qual quer outro tipo de arma, mas por algum motivo o qual eu não sei, aquele taco prendeu minha atenção como se eu estivesse vendo o Brad Pitt pelado e pintado de ouro a minha frente.

-um taco de baseball, Sakura? –Tenten perguntou com uma careta.

-cala a boca que quem vai usar sou eu- respondi passando direto e manobrando a madeira na mão direita.

Vi pelo reflexo de uma das vidraças que Tenten levantou as mãos rendida, Ino saiu rindo e ouvi ela dizer:

-não provoca não.

-nem foi minha intensão- rebateu a Mitsashi.

Quando chegamos a porta de vidro da sala onde Hinata treinava, percebi que a tecnologia era a mesma que eles usaram no filme Jogos Vorazes, assim como Tsunade usou conosco em nosso treinamento quando estávamos naquele bendito manicômio.

Hinata possuía uma katana na mão e lutava espada contra espada com alguns dos hologramas que apareciam na sua frente, por trás, pelos lados... Por todo o lugar, alguns com katanas, outros com armas de fogo a qual ela se desviava das balas com mortais e as vezes usava a própria lâmina da katana como proteção. Outros partiam para cima dela mais ágeis e sem arma alguma, porém a velocidade a qual eles estavam era um pouco difícil de acompanhar, mas Hinata também não se abalou, cortou a cabeça de um e ao girar e ficar de joelhos no chão, ela tirou três adagas do suporte da perna direita e os jogou em três hologramas alaranjados que estavam na parte de cima daquela sala, porém foram pegos enquanto corriam.

No final quando tudo acabou, a contagem foi exata e Hinata acertou 96 deixando escapar apenas quatro, olhamos para o lado e vimos algumas garotas que antes treinavam, deixarem de fazer o que faziam só para olhar Hinata treinando e ficarem com as bocas escancaradas ao chão. Ri soprado enquanto as outras estavam com sorriso laterais, quando Hina saiu da sala, nós fomos até ela a parabenizando.

-mulher, não sabia que era tão foda em manobrar armas brancas- Temari comentou sorrindo.

-tem muitas coisas que eu sei manobrar- a Hyuuga deu um sorriso de lado e nós sorrimos malicioso- ok, quem vai ser a próxima?

-euzinha- Ino levantou a mão direta enquanto sacolejava a arma.

A Uzumaki mal entrou e se jogou no chão dando uma cambalhota quando, após selecionar que sua arma seria de fogo, um dos hologramas lançou uma bala contra si. Ino ficou sobre um joelho enquanto a pernas direita estava apoiada sobre as portas de salto alto, apontou a arma para o indivíduo e deu para ver a raiva em seus olhos azuis, três balas saíram pois como se ela previsse, depois que um foi acertado, outros dois apareceram logo atrás.

Eu cruzei os braços assentindo cada passo que ela dava com a cabeça como se eu fosse sua tutora e percebesse em cada passo não a deixando errar um, porém quando um apareceu logo atrás dela e outro na sua frente eu tive que tampar a boca de Tenten para que ela não gritasse avisando Ino. Por que eu fiz isso? Não era para foder com a minha melhor amiga, não mesmo, mas fiz porque se não ia estragar o barato da Ino como a fodona ali dentro, segundo, aquilo era um treino onde ela deveria ficar esperta com tudo e todos ao seu redor e terceiro, eu sabia que ela não ia deixar hologramas furarem o ego maior que o de Sasuke que aquela garota tinha quando ficava com uma arma na mão.

Dito e feito, Ino puxou outra arma que estava no suporte da perna esquerda e ficou de frente para nós com os braços erguidos para os lados onde ela meteu bala na cabeça dos dois hologramas, aquela sacana riu para nós e se deitou no chão de peito para baixo quando um deles atirou o que deu para ver que passou de raspão pelo cabelo dela, Ino se virou para ele ainda deitada no chão e com as duas armas apontadas para ele, ela atirou acertando uma bala na cabeça e outra no coração.

Quando tudo foi finalizado para ela, o placar ficou em 98 foi diferente de armas brancas, Ino deixou escapar por duas vezes as balas em vão, coisa que o sistema contava que para uma luta, deveria aprender a usar as próprias balas do adversário contra ele mesmo, o que ela não fez e por isso ficou a dois números antes de 100.

-se não fosse por essas malditas balas- praguejou ela saindo.

-mas você foi ótima mulher- comentei indo abraçar ela.

Olhamos para trás e havia cerca de 20 pessoas que estavam olhando para Ino pela ótima forma a qual ela tinha com armas e em meio a essas olhadas, meu olho direito capitou uma cabelereira loira e olhos verdes... Ela estava lá, treinando e de vez ou outra desferia sua atenção para o que acontecia naquela sala a qual Ino acabara de sair.

-eu vou agora...

Virei-me para Tenten e coloquei o taco de baseball na altura de sua barriga a impossibilitando de dar mais algum passo.

-não, é minha vez agora- disse dura e fria- preciso descontar certa raiva.

Desviei o olhar discretamente para Chloe que agora parara de treinar e se concentrou em nós com Matsuri e outras três garotas ao seu lado, pedi que Hinata segurasse o taco e tirei o sobre tudo vendo que das meninas, eu era a única com ele até que o deixei com Temari que sorriu ladino.

-vai com ele mesmo? –perguntou e eu o peguei de Hinata.

-quero ver o que essa belezinha faz- respondi o colocando no meu ombro.

-arrebenta então- Ino chegou perto e murmurou.

Sorri e sai andando para dentro da sala com os braços apoiados na madeira do taco enquanto o mesmo estava em meus ombros. Assim que me coloquei em frente ao tablete, lá estava dizendo que o taco eram todas as modalidades, no caso, desde armas brancas até chicote e arco e flecha que teriam.

-bom, o máximo que vai acontecer, é eu me foder- disse para mim mesma dando de ombros e apertando no botão.

Rápido uma bala passou de raspão a minha bochecha, virei o rosto completamente pois como eu estava de tapa-olho era um pouco difícil de eu ver direito, ele desferiu outra bala e eu dei um mortal no chão para o lado, quando levantei meu tronco eu tive que sentar e abrir as pernas pois um dos hologramas veio com uma katana e a acertou no chão, aproveitei disso para lhe acertar na cabeça com o taco e me levantei rápido sentindo a presença de alguém atrás de mim, me abaixei sentindo a lâmina cortar um fio de cabelo meu, peguei a própria arma do holograma e a cravei nele. Algo foi desferido na minha direção porém eu estendi a mão a pegando e quando levei a mão à minha frente, vi ser uma flecha e aproveitei a arma para joga-la em um outro holograma que vinha na minha direção.

Puxei a arma que estava em minha cintura e apontei para o “cara” que estava na parte de cima lhe acertando na cabeça, assim que ele sumiu apareceram cerca de 7 me cercando enquanto eu estava no centro, fechei os olhos respirando fundo e tentando fazer o que papai havia me dito uma vez quando nós treinávamos.

“-ouça bem minha filha, você é diferente de qualquer outra pessoa, você tem habilidades que ninguém nunca teria.

-que habilidades são essas, papai?

-consegue usar seus sentidos.

-sentidos?

-sim, veja bem, se você fechar os olhos e se concentrar, vai poder sentir e escutar coisas como se você fizesse parte desde mundo.

-não parece tão fácil assim.

-aceite quem você é realmente e conseguirá, é só se aceitar. ”

Joguei a cabeça um pouco para o lado sentindo a bala passar em câmera lenta e tão perto da minha cabeça que cortou os fios que seguravam meu tapa-olho, vi o tecido branco cair no chão e fiquei ali o encarando, séria, sem nenhuma expressão pois eu sentia meu olho esquerdo na cor preto e vermelho pois por incrível que pareça, ele ficava um pouco quente como se tivesse chorado por horas.

“-aceite quem você é realmente e conseguirá, é só se aceitar. ”

Ri soprado levantando um lado dos meus lábios e quando virei-me para os hologramas, disse:

-agora é pra valer.

Dois vieram na minha direção e abaixei jogando minha costa para trás sentindo a lâmina passar por cima do meu rosto, acertei um com o taco, o outro com uma bala e outros dois usando uma terceira que varou a cabeça dos dois. Os outros três vieram ao mesmo tempo e me virei olhando rápido para as meninas que ficaram sérias quando viram meu olho esquerdo, apenas sorri sádica e vi quando o primeiro veio com a lâmina na minha cabeça e o outro veio com uma katana por baixo, fiz um lance tão rápido com meu corpo que quando vi, me esquivei dos dois golpes sentindo meu dedo passar por um botão que havia no cabo daquele taco, apertei em de lá uma lâmina enorme saiu.

-uou- disse com os olhos brilhando e quando voltei a mim, o terceiro enlaçou minha perna direita me puxando fazendo-me cair no chão.

Me puxou para perto dele e vi que dá outra mão ele sacou uma faca, esquivei meu rosto e me atraquei em seu braço usando a perna direita para chutar sua cabeça com força à fazendo sair do lugar. Dei um mortal para trás ainda no chão ficando de costas para os dois que eu ainda deixei vivos, me abaixei mais sentindo que as duas katanas passaram pela minha cabeça, levantei bem atrás deles e passei a lâmina na cabeça de ambos.

Um som de bala veio em minha direção porém eu usei a lâmina do meu taco de baseball para usar aquela bala contra o próprio holograma que lhe acertou na cabeça, atirei em dois que estavam a minha esquerda e segurei o braço de outro por trás de mim, apoiei seu cotovelo em meu ombro deixando seu braço esticado, fiz força para a frente quebrando o seu braço e o fazendo cair deitado a minha frente onde não demorei para levantar o taco e lhe acertar com a lâmina fazendo sua cabeça rolar e o holograma sumir.

-puta que pariu- praguejei quando 10 apareceram na parte de cima da sala, cinco de um lado e cindo de outro.

Guardei minha arma na cintura e por algum motivo eu segurei o cabo do taco nas duas mãos, fiz uma força o separando ao meio e vi que não foi minha força que o partiu ao meio e sim porque haviam dois imãs de cada lado do taco fazendo-o ser dois em um, assim como as lâminas que ficaram divididas em cada parte do taco. Os 10 hologramas começaram a atirar e eu passei a mover meus braços me defendendo das balas onde muitas vezes elas acertavam a si próprios, os outros que restaram desceram agora com katanas e facas onde eu me diverti mais com meu taco dividido.

Porém eu comecei a sentir que algo estava me consumindo e meus movimentos passaram a ficar mais brutos, quanto mais apareciam eu sentia meu olho esquerdo ficar mais quente. Foi quando que por último eu me virei jogando a metade do taco que estava na minha mão direta, na direção da cabeça de um holograma fazendo a lâmina fincar na parede.

Havia tudo acabado e quando a porta se abriu revelando Ino correr em minha direção, eu a afastei com o braço estendido e tampei meu olho esquerdo com a mão e sai correndo para fora até que chegassem no banheiro onde eu me tranquei lá dentro e quando me virei para os espelhos, a ardência que eu sentia revelou sangue saindo do meu olho.

-mas que...

-Sakura, abre a porta por favor- ouvi Hinata dizer e eu liguei a torneira fazendo minha mão de conchinha e jogar a água no rosto.

O calor crescia mais daquele lado e foi quando comecei a senti dor, era como se algo estivesse me consumindo por dentro e os gritos das meninas lá fora não ajudavam em nada. Olhei outra vez para o espelho e eu chorava, só que de um lado as minhas lágrimas eram cristalinas e do lado esquerdo elas desciam em puro sangue, os pensamentos repetidos os quais comecei a ter só pioraram, aqueles olhos verdes me encarando, aquela cara nojenta, só a presença dela me dava nojo e muito ódio.

Aquela vez... Naquele dia, o sangue dela parecia gostos e eu queria mais, era doce como vinho porém no final havia uma pitada de amargo que nem queijo cheddar. Minha barriga passou a roncar e porra! Eu não podia comer agora, não agora!

-Sakura, por favor! –Ino gritou e bateu na porta.

-HÁ... –quebrei o espelho com um soco- NÃO VOU DEIXAR VOCÊS ENTTRAREM, PORRA, QUERO FICAR SOZINHA!

Acontece que, eu não queria, só que eu estava começando a ficar com fome e a presença delas ali... O cheiro delas na porta já não estava ajudando a eu controlar essa fome, para piorar tudo, ouvi Ino gritar:

-vou chamar o Sasuke!

Última coisa que eu queria nesse mundo era que Sasuke me visse daquele jeito, eu não queria morde-lo outra vez, sabe-se lá se eu não arranco pedaço agora? Nunca pensei que quando eu brincava o chamando de gostoso, era porque ele é gostoso, literalmente.

Porra, o sangue dele é O- e o mesmo que o meu, se bem que... Da última vez que eu provei o sangue dele, parece que eu fui recarregada por uma bateria, o que me lembra que o efeito foi completamente diferente quando eu provei o sangue de Karin da primeira vez quando brigamos e ela bateu em Victória, o sangue dela apenas me deu forças para me regenerar mas não forças do tipo como se eu pudesse enfrentar uma Guerra Mundial sozinha.

Motivo disso?

Acho que é porque Sasuke tem o mesmo sangue que eu, pois se vermos na tabela sangue O- só pode receber sangue de outro portador de O-, já Karin não, era portadora de sangue A+.

-Sakura! –Sasuke arrombou a porta e eu peguei um caco de vidro jogando em sua direção.

-falei que queria ficar sozinha, porra! –olhei furiosa para Ino e andei até ela que deu dois passos para trás, quando levantei minhas mãos para agarrar seu pescoço, Sasuke entrou na minha frente e agarrou minha cintura me levando para o outro lado do banheiro.

-sai e fecha a porta!

-sai de perto de mim- o empurrei só que o efeito que ressurgiu foi apenas de ele afrouxar mais o aperto na minha cintura.

Eu mantinha a cabeça baixa mas ele levou suas mãos até as laterais a levantando, Sasuke arqueou as sobrancelhas quando viu que eu ainda chorava sangue.

-sai, não quero que me veja assim- lhe afastei virando de costas para ele.

-o que você tem? –perguntou-me, mas eu não respondi- tá com fome, é isso?

Lhe olhei por sobre meu ombro esquerdo deixando-o ver apenas meu olho preto e vermelho, Sasuke chegou por de trás e segurou minha cintura com a mão esquerda enquanto a direita estava na parede.

-se você quiser...

-não vou te morder- o cortei me virando para ele- não vou correr o risco de não parar.

-hoje de manhã você parou- cruzei os braços olhando baixo.

Se ele soubesse que aquilo foi mais por prazer do que por fome, Sasuke saberia que a situação é completamente diferente. Senti seus dedos levantarem meu rosto e vi quando ele tombou a cabeça para o lado, senti um arrepio na espinha.

-faça- ele pediu.

-mas...

-Sakura, -me calei mordendo o lábio- eu to mandando, você me obedece.

Apertei meus dedos nos braços e ele escorregou a mão lentamente até minha nuca, apertou e puxou um pouco meu cabelo para trás fazendo minha cabeça deitar um pouco na parede, a mão direita ele escorregou para minha cintura a apertando e trazendo meu corpo para mais perto do seu, Sasuke foi distribuindo beijos pelo meu pescoço e eu tombei a cabeça para o lado enquanto fechava os olhos e um certo “aperto” no meu ventre ligou minha excitação, Sasuke subiu os beijos até minha orelha.

-faça Sakura- sua voz saiu rouca e grossa.

Corrigindo meu pensamento, acho que Sasuke sabia sim que o que aconteceu de manhã foi por puro prazer a gora está querendo provocar isso em mim outra vez, para que eu consiga me alimentar... Isso é... Céus eu não sei, mas quando olhei pro pescoço dele, senti minha garganta arder para cravar os dentes ali.

Levei minha mão esquerda a sua nuca e antes que eu fosse para seu pescoço, encarei seus olhos com a face bem perto da dele.

-saquei o seu joguinho- disse e Sasuke riu soprado.

-ambos saem ganhando, mas no momento... –ele chegou tão perto do meu rosto e nossos lábios rasparam um no outro quando ele voltou a falar- por hora... Eu te quero ganhando nisso.

-também sei que só faz isso porque vai me procurar depois- raspei nossos lábios de novo.

Ele riu soprado e apertou minha nuca puxando mais meu cabelo, deitei a cabeça novamente e ele desferiu outra vez beijos pelo meu pescoço até a orelha.

-você me conhece bem, mas de repente, me bateu fome agora.

-filho da puta- praguejei em um sussurro quando senti os dentes dele cravarem no meu pescoço.

Senti as presas desprenderem da minha carne e seus lábios estavam totalmente cobertos pelo meu sangue, olhei nos olhos dele e estavam do mesmo estado que o meu esquerdo, preto e vermelho, só que diferente de mim Sasuke conseguiu adquirir os dois.

-seu sangue é viciante, você é viciante- ri mordendo o lábio inferior- acho que deveria provar do próprio.

Levantei uma sobrancelha em dúvida e fui pega de surpresa quando Sasuke me prensou mais na parede, apertou minha nuca e cintura, quando olhei para cima para ver seu rosto ele colocou nossos lábios não demorando muito para que pedisse passagem e eu concedi quando senti o gosto do meu próprio sangue na boca dele.

Nos beijávamos desesperado e avassaladoramente como se não houvesse o amanhã, apertei sua nuca a puxando mais para mim e senti as mãos dele descerem para minhas pernas me dando impulso para enlaça-las em sua cintura. Sasuke voltou a morder meu pescoço e eu arfei olhando para seu ombro, afastei a gola da camisa preta que ia até os cotovelos deixando seus músculos mais destacados por conta da pressão que ele fazia me apertando e me segurando, não pensei suas vezes em cravar meus dentes na pele alva deixando metade do meu cabelo cair pelas suas costas.

Sasuke me prensou mais na parede e eu soltei um gemido abafado pois ainda estava com a boca nele, ouvi barulho de lajota quebrando e quando tirei meus dentes de sua carne e olhei para suas mãos que no momento estavam na lajota da parede fazendo-as quebrar pela força que ele fazia ao se segurar.

Foi quando eu me dei conta... Aquilo não era lugar para o que estávamos fazendo e minha sanidade só voltou mais ainda quando, em uma velocidade assustadora, Sasuke me colocou sentada no balcão onde ficavam as pias e quando minha costa bateu no espelho, o quebrou. Ele voltou a me morder e deixei me levar pela fome que ainda sentia cravando meus dentes novamente no ombro dele, senti a mão esquerda de Sasuke apertar meu seio direito enquanto a outra descia o zíper do meu corselete, o apertei mais contra minha cintura sentindo sua excitação na minha intimidade e quando iria continuar com aquilo, bateram na porta onde eu voltei ao normal.

-Sasuke, Sakura, tá tudo bem? –ouvi a voz abafada de Hinata.

-estamos ótimos, sai! –Sasuke gritou e eu lhe olhei feio.

Ele me encarou dando de ombros e voltou a me beijar por fim abrindo totalmente meu corselete e quando ele foi com a mão para rasgar meu top, lhe afastei ao escutar o trinque da porta sendo destravado. Limpei minha boca e a dele ficando à sua frente, me ajeitei usando a velocidade sobrenatural que tínhamos e quando Ino entrou com os garotos e as garotas, me fingi estar puta com Sasuke e dei um tapa em sua cara.

-disse para não se aproximar de mim- rugi falsamente e quando Sasuke percebeu o que estava havendo, ele entrou na dele.

-a culpa não foi minha se você estava descontrolada, até quebrou o espelho- ele cruzou os braços- que feio Sakura.

-filho da puta! Você que me prensou lá- disse indignada.

-para te parar.

-uhum, sei- sai andando com ele logo atrás e passei direto pelo pessoal com Sasuke ao meu lado.

Todos ficaram calados processando se aquilo realmente foi uma briga ou se fizemos outras coisas, pois tinham dois espelhos quebrados e a lajota da parede também.

-vocês simplesmente brigaram ou aquilo lá dentro foi uma Terceira Guerra Mundial? –Tenten perguntou e eu revirei os olhos.

-não quero tocar nesse assunto- olhei cúmplice para o Uchiha que depois se afastou com os meninos.

~#~

-quero duas pessoas aqui comigo para o treino de corpo a corpo!

Depois que eu saí do banheiro com as meninas, nos separamos dos garotos para voltarmos a treinar nos outros equipamentos e já havíamos tirado nossas roupas para ficar apenas com as calcinhas boxer e os topes que tínhamos por debaixo da roupa do FBI. Mas ai, um tutor muito lindo apareceu chamando a atenção de todos e começou a explicar algumas coisas, até que ele pediu, como exemplo dos treinamentos, duas pessoas para demonstrações do tempo em treinamento.

Estava na cara que haviam alguns novatos ali com pouca experiência, mas nem por isso o tutor os impediu de participar. Eu por outro lado? Estava tranquila já que meu físico era ótimo e venho praticando artes maciais desde que me entendo por gente.

-acha que ele irá chamar todo mundo? –Hinata se aproximou cochichando para nós.

-bom, tempo é o que não falta, né? –Ino respondeu olhando de lado para mim.

Apenas dei de ombros pois estava ocupada falando com Tenten sobre o fato de sermos chamadas, a morena ao meu lado estava doida para testar e mostrar para todos ali suas técnicas que aprendeu comigo e Temari durante aqueles dois anos naquele inferno, sem contar que todos ali sabiam que éramos novatos ali e provavelmente estão nos subestimando nos pensamentos.

De novo, como eu sei disso? Só pelos olhares que desferiam a nós.

Ainda mais para mim pois apesar do tapa olho que Temari havia me dado logo que saímos do banheiro, ser branco, ainda chamava a atenção de alguns pois tinham a curiosidade de saber o que havia de errado com o meu olho esquerdo.

Mas Ino, sendo a pessoa que ela é, do tipo que eu desferia um olhar para ela e a loira já entendia. Ela soube que os meus pensamentos se voltavam para todos que nos olhavam, senti sua presença mais perto da minha e cruzei os braços assim que ela sussurrou no meu ouvido:

-precisamos conversar depois.

Olhei para ela séria com receio de ser algo que já havíamos conversado, mas no momento, resolvi ignorar quando ouvi o nome de Tenten ser anunciado.

-opa! –ela sorriu de um jeito maliciosa.

-arrebenta gata- disse batendo discretamente na bunda dela.

Assim que Tenten entrou no ringue junto a uma outra garota, eu vi, pelo físico de sua adversária que aquela briga ia ser porrada seca pois ambas tinham as mesmas condições e, se nenhuma ali ganhasse, eu tinha certeza que haveria um empate, coisa que a Mitsashi não aceitaria.

Olhei para o lado ao avistar Sasuke e os meninos vindo em nossa direção até que eles pararam a alguns passos de onde nos estávamos, eu não podia enxergar muito bem com o olho esquerdo por conta do tapa olho, mas algo aconteceu pois eu só escutei o grito de Temari:

-puta merda!

Os outros também gritaram em surpresa e incentivarão a luta, quando senti Hinata pegar no meu ombro e eu rápido virei meu rosto para o ringue. Tenten estava sentada em cima da garota e lhe desferia socos, assim que levantou ela chutou sua barriga e saiu de perto da outra morena que cuspiu um pouco de sangue.

É... Parece que ai dentro tudo vale. Mas em modéstia parte, eu aceitaria um vale tudo pois se eles soubessem contra o que eu e aquela galera estávamos lidando? Pensariam mil vezes em segurar as pontas, ainda mas com uma cidadã chamada Tenten Mitsashi.

E pelo o fato de eu achar, achar não, ter certeza que estavam pegando leve conosco só porque somos novatos, Tenten ganhou porque aquela garota deixou. Não estou dizendo que a morena é fraca, muito pelo contrário, mas ela também ganhou muito fácil se as coisas aqui são em alto escalão.

Alguns vibravam a vitória de Tenten, porém algo me tomou por dentro e não quis pegar nenhum pouco leve quando chamei a atenção de todos, principalmente do tutor. Tenten seria “humilhada” seria, além do mais porque eu a usaria para meus bens, pediria desculpas depois? Não pois ela já é grandinha o suficiente para entender meus propósitos naquele lugar.

-chama isso de luta corpo a corpo? Pelo amor de kami Mitsashi, você já foi mil vezes melhor- cruzei os braços e todos me olharam- não é à toa que até uma criança de cinco anos está ficando mais forte que você.

Ela franziu o cenho me olhando indignada, porém, antes de ela falar alguma coisa eu abaixei a cabeça quando ouvi a voz que queria, foi inevitável um sorriso subir no canto do meu lábio.

-e o que seria uma luta corpo a corpo para você, Haruno- levantei a cabeça para encarar o homem que estava dentro do ringue.

-força a força, passo a passo, punho pesado contra punho pesado. Me entende?

-está dizendo que eu peguei leve com ela? –a outra morena que acabara de se levantar do chão, perguntou me olhando.

Neguei veemente com a cabeça.

-não. Estou afirmando.

-então quer força contra força? –o tutor perguntou e eu apenas o encarei, meu silêncio foi a resposta- muito bem... Chloe, sobe aqui.

-o que está fazendo? –Ino sussurrou no meu ouvido.

Não respondi pois quando o homem me chamou com o dedo, descruzei os braços e fui até o ringue ainda recebendo olhares sobre minha pele leitosa, principalmente de um certo Uchiha que os tinha um tanto... Preocupados, afinal, não é fácil apagar da mente meu descontrole recentemente.

Chloe usava um top preto e um short colado roxo, parou poucos passos a minha frente e colocou uma mão na cintura enquanto eu amarrava meu cabelo em um rabo de cavalo alto com a liga que eu tinha no pulso.

-já sabe, não pegue leve com ela- disse a voz masculina para a loira a minha frente, sem expressão alguma.

-nunca peguei- ela respondeu e eu apenas passei por ela deixando um espaço mais comprido entre nós duas.

-quero ver conseguir lutar com a Chloe, de tapa olho- alguém comentou.

-Chloe é nossa melhor lutadora em força bruta- outros riram e me deu vontade de arrancar cabeças ou costurar bocas.

Nos posicionamos assim que ele começou a contar de três a um e quando a contagem fora encerrada, Chloe veio para cima me lançando um soco de direita que foi esquivado quando movimentei meu rosto para a esquerda, aproveitei que seu corpo estava meio tencionado para a frente e coloquei minha mão direita em sua nuca apenas a empurrando para que ela se afastasse de mim, eu pegaria pesado, mas teria que tomar cuidado com meu descontrole.

A loira se virou rapidamente para mim e eu coloquei meus punhos serrados bem em frente ao meu corpo assim como ela, diferente de antes, quem deu o primeiro passo agora foi eu, levei meu punho esquerdo ao seu rosto já sabendo que ela desviaria para a direita e assim o fez, porém levantei minha perna lhe dando um chute pela lateral que foi malmente interceptado pelo braço direito dela, mas o chute foi forte a fazendo cambalear para o lado. Chloe balançou um pouco o braço e eu apenas estava séria pronta para brincar um pouco, esperei que ela viesse para cima de mim e quando o fez, vi que tentou fazer a mesma imitação que a minha, porém quando me esquivei ela se abaixou estendendo a perna esquerda e a arrastou acertando minhas pernas, mas antes de eu ir ao chão, joguei meu corpo para trás me apoiando apenas sobre as mãos e antes que eu parasse em pé, Chloe foi rápida em desferir um chute que passou raspando minha cabeça se eu não tivesse me abaixado a tempo com as pernas abertas em um espacate perfeito.

Chloe veio com um soco até mim mas eu desviei jogando meu tronco para trás fazendo seu punho ficar bem a minha frente, nos encaramos e em um reflexo rápido eu levei minha perna direita ao seu braço direito o fazendo ceder até que o cotovelo encostasse ao chão, usei a perna esquerda para desferir um chute em seu rosto fazendo-a cair para o lado.

Foi minha chance de subir em cima dela e fingi desferir um soco em seu rosto, apenas para que ela fechasse os olhos e quando os abriu, assim que não sentiu a dor do meu soco, lhe dei um peteleco forte na testa o deixando com marca e ri soprado saindo de cima dela.

-mas que porra, não disse que pegaria pesado? –ela levou a mão a testa e levantou apenas o tronco.

-você disse isso, eu fiquei calada.

-mas está pegando leve.

-não, não- neguei com o dedo indicador enquanto sorria- estou apenas me divertindo antes da louca aparecer.

Chloe se levantou e vi em seus olhos que ela definitivamente pegaria mais pesado do que “já” estava pegando, pelo amor, sério que ela é a melhor deles? Tudo o que ela fez até agora, serviria de treinamentos simples para a minha filha.

E pensando em Vick, nem vi quando aquela doida já estava perto o suficiente de mim com o punho bem perto do meu rosto, mas o interceptei ao segura-lo com a mão esquerda. Ela franziu o cenho com a leve dor que sentiu quando eu apertei sua mão fechada, usei o punho direito para lhe dar um soco bem na linha do antebraço e faze-lo ceder, ainda segurando sua mão eu me finquei de costas para Chloe fazendo pressão para a frente à trazendo junto, porém seu corpo caiu no chão do ringue e como eu havia dito, estava apenas brincando, mas como ela já começara a me subestimar, lhe chutei a barrida fazendo-a grunhir.

Na segunda vez que fui chutar sua barriga, Chloe segurou minha perna fazendo força para que eu caísse e quando o fiz, ela ficou por cima de mim e conseguiu desferir um soco no meu rosto, minha cabeça virou para o lado e quando ela foi para um segundo, esquivei.

Olhei para seu punho bem rente ao meu rosto, acho que movimentei 1 cm do meu rosto e o resto eu movimentei apenas meus olhos com a sobrancelha esquerda arqueada.

-acabou a brincadeira- murmurei chutando sua costa com o meu joelho.

Chloe tombou um pouco para a frente e dei com o cotovelo em seu rosto fazendo-a sair de cima de mim, só que ela foi bem mais rápida em me dar um chute na barriga quando eu mal me levantei, fazendo-me dar com as costas nas cordas ao redor do ringue.  Vi ela correndo até mim com o punho levantado mas eu o segurei antes de chocar-se com o meu rosto, ela me deu um soco no estômago e eu prendi a respiração não pela dor e sim pela queimação das células rc em minha corrente sanguínea, me dando uma vontade imensa de perder o controle.

Por algum motivo, olhei para o treinador e ele me analisava a todo o momento, seus olhos chegavam a denunciar outra coisa que despertou a curiosidade na minha cabeça.

Entortei o pulso de Chloe fazendo-a se se ajoelhar um pouco, aproveitei disso para colocar minha mão em sua nuca e dar com seu rosto em meu joelho. Quando fui para um próximo golpe, ela deu três mortais para trás e quando me afastei um pouco mais das cordas, Chloe veio para cima de mim com vários chutes e socos tão rápidos que escutei a respiração de todos prenderem quando comecei a desviar de todos sem deixar um arranhão pegar na minha pele.

Percebi que ela freou um pouco nos golpes e se afastou um pouco, não demorando para vir com tudo e força máxima para cima de mim. Finquei meus pés no chão pronta para um golpe final, segurei o pulso direito de Chloe o afastando para o lado direito do meu rosto, o corpo dela praticamente caiu na direção da minha mão direita e aproveitei disso para esticar meus dedos os deixando rígidos, acumulei força média só ali e com tudo, finquei meus dedos bem rente ao meio de suas costelas.

-mas que porra! –alguém gritou quando Chloe passou a vomitar sangue.

Eu a segurava na mesma posição que estávamos e que, serviu melhor ainda para ela vomitar já que seu corpo estava mais curvado.

Levei meu olho até o treinador que estava de braços cruzados e com as sobrancelhas arqueadas, porém, o seu jeito rígido nos músculos denunciou que ele já esperava por movimentos daquele porte, vindos de mim. Bufei jogando Chloe para o lado que ficou encolhida e vi quando algumas garotas correram até ela assustadas, até que uma se virou para mim com os olhos arregalados.

-ia matá-la.

-por pouco ela não furou o fígado de Chloe- outra falou.

Foi quando os murmurinhos começaram em desgosto ao que eu fiz, porém, aquilo já me irritava e o olhar que eu desferi as garotas que eram as principais naquela porra, chegou a ser tão forte e intenso, como se elas fossem animais indefesos diante de um alpha as garotas rápido se comprimiram onde estavam e calaram as bocas assim como todo o resto.

Virei-me para o treinador e andei até ele ficando cara a cara. Lógico que tive que levantar um pouco o rosto pois o homem era um marmanjo.

-esse, é meu tipo de luta.

-isso não é luta, é suicida- ele respondeu baixo, mas com o silêncio reinando era claro que todos ouviam e eu fazia questão que ouvissem.

Ri soprado abrindo os olhos lentamente, da mesma forma que os tinha fechado, lentamente.

-de fato, mas você não conhece meu passado, não sabe o que estou enfrentando, por tanto, -olhei de esgalha para as meninas e depois para Chloe no chão- isso aqui é luta pra valer e eu não tenho piedade, não importa com quem for.

Dei quatro passos saindo do ringue, quando ouço-o falar:

-se continuar assim, vai morrer que nem seu pai.

Como chuva, a tensão caiu no lugar e eu finquei minhas unhas nos meus braços, olhei de Ino a Hinata e as duas me encaravam, assim como Temari, Tenten e os meninos, porém Naruto e Sasuke fulminavam o treinador. Já Shikamaru parecia pensar sobre o que ele falara e foi impercebível a troca de olhares entre o Nara e a segunda mais velha dos Sabakuno’s.

Eu poderia fazer algo, mas deixaria isso para depois pois minha prioridade ali, só estava começando.


Notas Finais


gente é o seguinte, o próximo capítulo talvez eu demore um pouco mais porque eu quero fazer ele mais comprido pois vou contar todos os detalhes, sem contar que eu quero que dure um momento que vocês tanto me pediam, isso e detalhes da morte de um certo alguém...
bjs e até o próximo!
lamborghini do Sasuke: http://www.destinodubai.com.br/wp-content/uploads/2015/01/Lambo-Gold_670.jpg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...