História Está chovendo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Sehun
Tags Exo, Hunbaek, Sebaek
Exibições 20
Palavras 499
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu estava de madrugada super concentrada nas lindas equações de segundo grau que eu adoro (chega de ironias), quando me lembrei de um email que mandei ano passado para a minha ex. Tinha um pedacinho de um "sonho" que eu tive no ônibus. Foi... Muito triste. Então, eu tinha outro pedacinho no bloco de notas do celular. Acho que dá para imaginar o que eu fiz.

Sim, excluí, não gosto de coisas tristes. Mentira.

Bem, o nome original era "it’s raining" (men, hallelujah its raining men), mas o título atual é a mesma coisa 🌚 e os personagens eram Yixing e eu, mas POR QUE EU TENHO QUE EXPLICAR OS DETALHES PARA ENROLAR AINDA MAIS AI MEU JINKI

Desculpem.

É "só" isso, espero realmente que gostem. Até as notas finais <2

Capítulo 1 - Está chovendo - Capítulo Único


Eu voltava da escola mais uma vez acompanhado do meu namorado e a mesma chuva forte de sempre.

— Te vejo amanhã? — ele perguntou antes de seguir o caminho pra sua casa

— Sim, eu só tenho consulta no médico depois de amanhã

— Tudo bem, então. Tchau.

Foi assim até a quarta-feira da outra semana. Uma quarta-feira escura e muito chuvosa. Trovões o dia todo. Era impossível não se assustar com aquele barulho todo.

— Sehun! — eu apalpei o meu pescoço — Eu perdi minha correntinha — comecei a olhar para o chão com esperança de que tivesse caído por perto, mas nem sinal dela

— A correntinha que eu te dei de aniversário? — também começou a olhar para o chão e correu em direção à escola.

— Sehun! — tentei impedi-lo, mas a chuva ficava cada vez mais forte. Corri para baixo de um ponto de ônibus que tinha ali por perto e rezei para que ele voltasse logo.

Alguns minutos se passaram e Sehun não voltou, nem a chuva parou. O que eu mais tive naquele momento foi preocupação. Preocupação e medo.

Fechei os olhos e adormeci sentado mesmo. Algum tempo depois, ouvi uma poça de água sendo pisada. Olhei para os pés e sorri, depois levantei a cabeça, era Sehun!

— Eu encontrei — ele me mostrou a correntinha

Eu comecei a chorar e o abracei.

— Não precisava, Hun...

Do nada, ele começou a fechar os olhos lentamente e se soltou de mim. Ele desmaiou e caiu no chão.

— Sehun! — era como se eu tivesse em um quarto fechado e pudesse ouvir a minha voz ecoando por ele. Minha voz saiu falhada, eu não conseguia entender o que estava acontecendo. Eu me abaixei junto com ele. Peguei a correntinha de sua mão e coloquei de volta em meu pescoço.

Bati em seu rosto para que ele acordasse, mas isso não aconteceu. Minhas lágrimas se misturaram com a água da chuva. Eu fiquei junto com ele até que minha mãe me encontrou. Sehun foi para o hospital, enquanto eu fui obrigado a ir para casa.

— Você pegou muita chuva e o médico recomendou que você ficasse em casa por pelo menos uma semana. Por que insiste em visitar seu... namorado no hospital?

— Mãe — eu tossi — estou ótimo, não consegue ver? Só quero vê-lo uma vez

— Talvez amanhã — ela deixou um chá quente em cima da cômoda ao lado da minha cama.

Encostei a cabeça no travesseiro. Eu não me importava se estava doente também, apenas queria ver Sehun.

Dois dias depois, recebi a notícia que ele não estava mais entre nós. Descobri que minha mãe estava me enrolando porque não queria que eu soubesse, pois poderia piorar a minha gripe.

Deitei-me na cama e olhei para a janela. Fiquei observando as últimas gotas da chuva escorrerem por ela enquanto apertava com força a minha correntinha.

— Está chovendo — eu disse para Sehun, que estava do lado de fora, outro lado da janela

Ele bateu na janela e eu abri.

— Baekhyun — ele sorriu — Você quer brincar na chuva comigo?


Notas Finais


Eu não sei se choro porque andei lendo e-mails antigos ou porque essa coisa me fez chorar. Eu não sei. EU NÃO SEI O QUE ESTÁ ACONTECENDO AAAAA
Por favor, se alguém souber o porquê de eu escrever coisas sem sentido, conte à minha mãe, ela gostaria de saber também.

~ cliquei em "enviar história" e saí correndo

Ah, eu queria pedir para (lá vem) lerem aqui também (isso se alguém leu até aqui qq) http://micamifictions.blogspot.com.br/p/sebaek.html

OBRIGADA E ATÉ A PRÓXIMA <2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...