História MULHERES VINGATIVAS- Livro 1: Está com você! - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 36
Palavras 1.102
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 36 - Está com você!


Fanfic / Fanfiction MULHERES VINGATIVAS- Livro 1: Está com você! - Capítulo 36 - Está com você!

Quando acordou, Jonas estava sozinho em no que parecia ser um terreno baldio.

Sua blusa estava molhada pelo sangue, e ele sentiu uma leve fisgada ao se levantar.

_Vadia. - rosnou, ao levar a mãos até sua barriga.

O corte que Diana fez, não havia sido tão fundo, mas foi o suficiente para desacorda-lo por um tempo e deixar uma dor incomoda.

Com muito esforço, Jonas andou pelo terreno, buscando encontrar alguém.

_Apareça covarde. - ele gritou, não obtendo resposta - Aonde você está?

Ele esperou por um tempo, olhou em volta esperando por um ataque surpresa... Mas nada.

_Diana sua Vadia. - gritou novamente - Está se escondendo?

Ele parou de gritar quando ouviu o barulho dos saltos atrás de si, ele se virou e encontrou Diana.

Ele franziu o cenho ao notar que ela usava uma fantasia, un tanto erótica, mas uma fantasia.

A calça jeans e blusa laranja de antes, foram substituídas por um vestidinho rodado rosa e um chapéu da mesma cor... Ela estava fantasiada de... Fada?

_Pra que tanto escândalo? - perguntou com a voz tranquila - Não precisa gritar.

Mesmo não sendo a intenção, Diana estava muito provocante com aquela roupa, e ela sabia disso.

O vestido era justo e modelada seu corpo cheios de curvas, parando na metade de suas coxas. O cabelo estava solto sob o chapéu que tinha uma estrela na ponta, e o tradicional batom vermelho, foi trocado por um brilho labial... Sim, ela estava encantadoramente linda e perigosamente irresistível.

_Não sei o que está tentando fazer. - falou, vacilando com os olhos - Mas não vai me seduzir...

Ela sorriu de lado e revirou os olhos.

_Vamos deixar algo bem claro ok? - falou calmamente - Eu tenho nojo de você, sempre tive. Então, esquece a sedução.

Por mais que tentasse, Jonas não conseguia entender o jogo de Diana. A princípio, ele achou que ela quisesse ficar com ele, e como ele não se separou, ela se revoltou e tirou tudo dele. Depois ele pensou que pudesse ser vingança por causa de Roberto, mas o cassino veio muito antes.

Ele pensava, tentava encontrar uma resposta, e voltava a estaca zero... Ele não vi razão para Diana odiá-lo tanto.

_Posso sentir o cheiro dos seus neurônios queimando. - zombou - Quer saber o porquê, não é?

_Eu não consigo entender. - falou, jogando as mãos para o ar - Estávamos nos dando bem, até você roubar o...

_Não, não, não - ela o cortou - Não pode me culpar por tudo, eu não fiz nada.

Diana estava se divertindo com a confusão de Jonas, brincar com ele satisfazia seu ego.

_O jogo, as promissórias... Tudo foi armado?

Ela se encostou em um muro e sorriu, enquanto checava as unhas.

_Olha Jonas, homens como você são manipuláveis, fáceis de encurralar. - falou fazendo bico - Um jogo, uma bebida, mulheres... Eu só apontei a direção, você seguiu...

_Como conseguiu as promissórias? - ele estava ávido por respostas.

_O restante é meu. - disse dando de ombros - Devia checar os proprietários, antes de fazer dívidas.

O ódio tomou conta de Jonas e ele avançou contra ela, sendo parado ao ver o revólver prateado que ela ergueu em sua direção.

_Se controla, ou acabo com você. - ela sorriu satisfeita ao vê-lo se afastar - Não estraga o meu momento.

Estava claro que Diana estava fora de si, completamente descontrolada. Ela não sabia se isso era ruim ou bom, era a primeira vez que se sentia tão poderosa e não queria abrir mão disso.

_Por que? - perguntou, jogando as mãos para o alto - Não tem motivos...

_Tem certeza? - perguntou se aproximando - Olha bem pra mim, o que eu mais tenho, são motivos pra acabar com sua vida.

Jonas ficou no rosto de Diana, e então algo se acendeu em sua mente.

A fantasia. O ódio gratuito. As palavras que havia dito no velório de Roberto e ao telefone, o jeito que ela o olhava. Sua vida começou a desandar, quando Diana surgiu... Ela era a responsável por tanta desgraça.

" Deve implorar a ela, Castro.

Devia te-la matado quando teve chance." - a voz de Henrique soou clara

" Vai se arrepender de não ter me matado antes." - Diana tinha dito

" Ah, e anota mais uma morte na sua conta."

Ele arregalou os olhos quando viu a ficha cair. Por um momento, ele preferiu não acreditar no que tinha concluído. Não podia ser... Não, zero de chances...

As cenas daquela noite tomaram sua mente, sem ao menos pedir permissão, e o que ele mais temia estava se tornando realidade.

"Vou esperá-la.

Tomando champanhe, na minha cobertura.

Vai ser divertido. Por enquanto, está com você."

_Não... Não pode ser. - ele gaguejou, arrancando um sorriso dela - Você não...

_Eu avisei que ia pegá-lo, mas você não ouviu. - o desagrado estava em sua voz - Sabe, você fez tudo certo. Escondeu o inquérito, evitou deixar digitais, plantou informações... Quase perfeito!

O seu único erro, foi ter me deixado viva, parece que o jogo virou.

O olhar assustado, as mãos trêmulas e o suor escorrendo pelo rosto... Eram sinais de que Jonas estava morrendo de medo. Ele nunca poderia imaginar, que aquela pirralha remelenta, se tornaria uma mulher perigosa.

_O urso. - refletiu, se lembrando da pelúcia na casa dela - Como não desconfiei?

_Você não quis enxergar, não quis admitir que falhou - ela jogou o cabelo - Mas fica tranquilo, eu não vou errar.

Jonas permanecia parado, em choque, observando o olhar maldoso dela. Diana exalava perigo, o brilho alucinado em suas olhos... Ela não iria parar.

_Então é isso? - perguntou, soltando uma risada nervosa - Me trouxe aqui pra me matar, e cumprir sua vingança infantil? Mas e depois, o que vai fazer com essa sua vidinha vazia?

Diana desfez o sorriso, pois ele havia atingido seu ponto fraco... A incerteza sobre o futuro. Ela não tinha pensado no dia seguinte, em como esconderia tudo da polícia ou pra onde iria... Só pensava em matar Jonas... Nicolas era sua melhor saída para ter um futuro, se...

_Está mesmo achando que ele vai sobreviver? - falou, ao sentir a insegurança dela - Tola. Me mate, e depois curta sua vidinha...

Ela atirou no braço dele, o obrigando a se calar.

Jonas gritou de dor, mas se manteve de pé e com um sorriso no rosto.

_Essa foi pelo Nicolas. - rosnou, mantendo a arma na direção dele.

_Andou ensaiando? - debochou.

_Corre Jonas - falou, com a voz carregada de raiva - Porque agora está com você! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...