História Estações - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Freya Mikaelson, Genevieve, Hayley Marshall, Klaus Mikaelson, Lucien Castle, Malachai "Kai" Parker, Marcellus "Marcel" Gerard, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore
Tags Klaroline
Exibições 116
Palavras 1.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, pessoas. Voltei \o/ Sentiram minha falta? :3

Tradução: Eu sei o que você fez no verão passado.

Capítulo 12 - I Know What You Did Last Summer.


Fanfic / Fanfiction Estações - Capítulo 12 - I Know What You Did Last Summer.

Outono 

Mystic Falls, Virgínia  

Caroline suspirou quando o táxi amarelo parou em frente a sua casa. A construção em madeira perfeitamente pintada de branco a fazia se sentir uma traidora. Mas, com um pouco de esforço, abriu a porta do carro e desceu do veículo. O motorista se ofereceu para carregar sua bagagem até a porta da frente e ela não demorou mais do que meio segundo para aceitar a ajuda. Ela caminhou pelo curto caminho de paralelepípedos alaranjados da calçada até a varanda de sua casa e destrancou a porta com a chave reserva abaixo de um vaso de plantas quando o taxista deixou as últimas malas a sua frente.  

Ela agradeceu ao motorista pela segunda e lhe pagou pelo trajeto até ali, dando-lhe algum extra pela ajuda. A vampira pegou-se observando os faróis do táxi até o mesmo sumir na esquina e demorou-se um pouco mais antes de empurrar a porta e trazer sua bagagem para dentro. Era madrugada, mas ela não se importou em fazer silêncio, sabia que sua mãe não estava em casa e quase agradeceu por isso.  

Arrastou suas malas até o quarto e as deixou em um canto, junto com muitas caixas que provavelmente eram as coisas que ela já havia mandando. Seu quarto estava intocado, do mesmo jeito que havia deixado ao partir, no entanto, sua cama havia sido arrumada e os lençóis trocados. Os móveis também continham um cheiro forte de detergente, indicando que haviam sido limpos recentemente.  

Liz provavelmente deve ter feito aquilo quando a poeira começou a se acumular sobre a mobília.  

Pensar naquilo fez com que Caroline sentisse como se tivesse ido por anos, não por meses. Ela imaginou Liz sozinha naquela casa durante todo esse tempo e se sentiu culpada por não se despedir adequadamente e por não ligar com tanta frequência como deveria. Sentiu como se estivesse totalmente por fora de tudo que aconteceu em sua cidade, e realmente estava.  

Cogitou ligar para Elena, mas desistiu ao ver o horário na tela de seu celular. Ela provavelmente estava dormindo agora, o que com toda certeza Caroline deveria estar fazendo depois de uma viagem longa e foi o que tentou, mas desistiu quando os primeiros raios de sol começaram a invadir seu quarto. Ela se levantou da cama chutando os cobertores para longe e procurou não pensar nas profundas olheiras que deviam estar se formando abaixo dos seus olhos. 

Saiu de seu quarto e percorreu o curto corredor, passando pela sala e indo até a cozinha. Abriu a geladeira e examinou a situação. Estava cheia, assim como os armários. Claramente Liz havia se lembrado de ir ao supermercado sem ela ali. 

Caroline pegou ovos e leite na geladeira e os colocou em uma tigela junto com outros ingredientes. Não sabia muito sobre cozinhar, mas ainda se lembrava de como fazer panquecas. Bateu a mistura por pouco tempo, trapaceando com suas habilidades vampíricas, e então ligou o fogão. 

Colocou a frigideira sobre o fogo médio e capturou a garrafa de óleo. Algumas panquecas queimaram um pouco, mas em suma fizera um bom trabalho. Ligou a cafeteira para preparar o café e já estava terminando de arrumar a mesa quando ouviu a viatura de Liz estacionar em frente a casa. A porta da frente se abriu e sua mãe passou por ela. 

Liz retirou o casaco e o colocou nos ganchos próximos a porta, inalou o cheio das panquecas que preenchia o ar e virou-se para a filha próxima a mesa. 

– Caroline! – Exclamou, e um sorriso se formou nos lábios de Liz, fazendo com que leves ruguinhas surgissem nos cantos dos seus olhos. Caroline sorriu de volta. 

– Oi, mãe. 

Liz caminhou até a filha com os braços abertos e a envolveu em um abraço apertado. Caroline retribuiu prontamente ao gesto, curvando-se um pouco para apoiar o queixo no ombro dela a fim de inalar o seu cheiro familiar e tomar um pouco mais do calor dela. No entanto, Liz pareceu desconfortável e se afastou delicadamente, porém ansiosa o bastante para que Caroline percebesse.  

Ela não achou que Caroline fosse mordê-la, achou? 

Liz ainda sorria quando se dirigiu a filha. 

– Eu senti tanto a sua falta, querida. – Murmuro, acariciando os ombros da filha e afagando seus cabelos com ternura. 

– Eu também. – Caroline admitiu. – Fiz o café da manhã para você. 

– Oh, estou vendo. – Liz disse, soltando uma breve risada em seguida, mas não fez nenhum gesto na direção da comida. – Mas, eu não estou com fome agora. 

– Mas passou a noite toda na delegacia...  

– Sim, mas eu comi um pouco por lá. Na verdade, deve ter sido as rosquinhas que me deixou tão enjoada.  

Caroline franziu o cenho para a mãe. Liz pareceu notar a confusão no rosto da filha e lhe dirigiu outro sorriso. 

– Ouça, estou um pouco cansada. Vou descansar um pouco, ok? Coloque as panquecas no forno aquecido e quando eu acordar podemos comer e você me conta sobre a sua viagem, está bem? 

Caroline suspirou. 

– Tudo bem. 

– Ótimo. – Liz começou a se afastar lentamente. – Você deveria dormir um pouco também, parece cansada. 

– Eu estou bem. 

Liz assentiu. 

– Elena perguntou se você pode ir buscá-la por volta das nove amanhã. 

A vampira franziu o cenho. 

– Buscá-la? 

– Para vocês irem para Whitmore. – Liz respondeu, virando-se para a filha. 

– Oh. Sim, claro. Vou mandar mensagem para ela. – Maneou a cabeça e começou a recolher as coisas em cima da mesa. Sentia Liz a observando, mas não a encarou. 

– Certo... Bom, eu estou exausta. Vou descansar e então você me contará cada detalhe da sua viagem, está bem?  

– Pode deixar. 

– Você deveria ir dormir também. Parece péssima. 

Caroline revirou os olhos. 

– Nossa, muito obrigado, hein. 

Liz soltou uma gargalhada e maneou a cabeça em sinal negativo, mas não disse nada e simplesmente caminhou até o seu quarto. Caroline terminou de limpar a mesa e andou até o seu quarto. Sentou-se na beira da cama e suspirou profundamente. 

~*~ 

Caroline penteou o cabelo no espelho retrovisor enquanto esperava Elena em frente a mansão dos irmãos Salvatore. Estava terminando de contornar seus lábios com o gloss quando viu sua amiga sair. 

– Oi, Caroline. – Elena cumprimentou após colocar sua mala no porta malas e adentrando o carro em seguida.  

– Oi.  

Caroline ligou o carro e deu a partida. Durante as duas horas e meia até a universidade, perguntou tudo sobre o que aconteceu em Mystic Falls durante os últimos três meses e se surpreendeu com o quanto de informações havia perdido, mas não se sentiu deslocada por muito tempo. Pouco antes de estacionar em uma vaga disponível no estacionamento da universidade, já sabia de praticamente tudo do que havia acontecido. 

– Estamos na faculdade, Caroline. – Elena murmurou, parando sua caminhada e fazendo Caroline virar-se para ela. – Da para acreditar nisso? 

Caroline sorriu para ela. 

– Nós conseguimos. 

– Sim. – Elena assentiu com um sorriso animado e logo recomeçaram sua caminhada até o dormitório. Elena pôs a sua caixa sobre uma das camas e começou a ajudar a desempacotar as coisas. – Espere, você trouxe uma sanduicheira? – Questionou, incrédula. 

– Aparelhos pequenos perto da geladeira. – Caroline respondeu simplesmente e Elena suspirou, resignada. 

– Como teve tempo para preparar tudo isso? 

Caroline bufou e jogou o cabelo por cima do ombro. 

– Por favor, sabe com quem está falando? 

Elena gargalhou baixinho. A morena abriu a boca para falar, mas uma leve batida na porta a interrompeu. Um garoto passou pela porta. 

– Dá licença, meninas. – Ele falou ao empurrar a porta suavemente. – Festa na Mansão Whitmore esta noite. – Anunciou e Caroline pegou um dos panfletos que ele a ofereceu. Analisou o que estava escrito ali, mas não disse nada. Elena desviou o olhar de Caroline para o garoto e então tomou o papel das mãos de Caroline. 

– Nós estaremos lá. 

Caroline suspirou e o garoto sorriu, especificamente para Caroline. 

– Eu vou estar esperando, hein. 

O garoto se afastou e Elena fechou a porta em seguida. 

– A faculdade não é maravilhosa?  

~*~ 

– Oi, me lembro de você.  

– Oi. Cara do folheto. – Elena cumprimentou ao se virar para ele. A fila para entrar na festa era gigantesca, mas apesar disso o fluxo estava rápido. 

– Jesse... tecnicamente, mas cara do folheto está bom também. 

– Sou Elena. – Apresentou-se e puxou Caroline levemente, fazendo-a se virar também. – E essa é a Caroline. 

– Prazer em conhecê-las. 

– Oi. – Caroline murmurou a contra gosto e virou-se para frente, caminhando para longe quando a fila começou a andar. Elena franziu o cenho para ela.  

– Não podia ser educada pelo menos? 

– Não. Eu não quero um namorado, está bem? 

– Você e o Tyler terminaram há meses, Caroline. 

– Tyler? – Questionou e então pigarreou, recuperando a postura. – Isso não tem nada haver com o Tyler. 

– Então tem haver com o quê? 

– Com nada, ok? Eu apenas não quero estar com ninguém no momento. Pode aceitar isso? – Suspirou, sentindo saudades de Bonnie de repente. Ela nunca a forçaria a algo assim. Elena ergueu as mãos em sinal de rendição, mas torceu o rosto numa careta quando a barreira da porta da frente a fez recuar.  

– Mas o quê...? 

– Acho que a casa tem dono, nós precisamos ser convidadas. – Caroline sussurrou, recuando para dar passagem a um casal. 

– Então, vocês vão entrar ou... – Jesse perguntou atrás delas. 

– Ah, pode ir. Nós estamos... Esperando uma pessoa. 

– Quem? É alguém que eu conheça? 

– Eu não... 

– Caroline?  

A vampira ouviu alguém chamá-la e precisou de alguns segundos para identificar de onde vinha o som. No entanto, assim que seus olhos o localizaram, surpreendeu-se. 

– Tyler? 

– Bom, parece que já o encontraram, não é mesmo? – Jesse murmurou. – Eu vou buscar uma bebida. – O garoto afastou-se em seguida, mas Caroline continuou sem dar-lhe muita atenção.  

– O que você está fazendo aqui? – Caroline perguntou, chocada. 

– Eu estudo aqui agora, vim para a festa. 

– É sério? – Irritou-se. A vampira cruzou os braços e o fuzilou com o olhar. 

– É. – Ele respondeu, simplesmente. – Tenho que aproveitar enquanto Klaus parece ter dado uma trégua nessa coisa de me matar. – Ele murmurou, mas sua voz soou distante. 

– Sabe, acho que Klaus tem coisas mais importantes para fazer do que ficar por aí atrás de você. E além disso, você parecia tão satisfeito nas montanhas do apalache, por que não continuou lá? – Perguntou com acidez em seu tom de voz e apertou os braços contra o seu peito quando sentiu-o doer após a mencionar o híbrido Original. 

Tyler abriu a boca para lhe dar uma resposta à altura, mas uma garota saiu de dentro da casa naquele momento e se aproximou dele. 

– Tyler! – Ela exclamou, animada, e se jogou nos braços dele, beijando-o em seguida.  Caroline soltou o ar, surpresa, e recuou. Elena se postou ao lado dela.  

– Ei, Megan. – Tyler disse, após afastar os lábios dos dela. Ele virou-se para Caroline e pôde ver a indiferença que substituiu a surpresa na expressão dela. Ela se sentia satisfeita por não estar se incomodando com aquilo. A garota também se virou para as duas vampiras. 

– Quem são essas? 

– São as minhas amigas de Mystic Falls. – Ele disse e pigarreou, desconfortável. – Essas são Elena e Caroline. 

Megan acenou para as duas e seus olhos se fixaram em Caroline por mais tempo que o necessário. Caroline também a encarou. Ela era morena, cabelos ondulados e longos que caiam por seus ombros. Caroline era mais alta que ela por poucos centímetros e os olhos da garota eram vários tons mais claros que o castanho dos olhos de Elena. Caroline franziu o cenho enquanto analisava o seu rosto, achando-a familiar. 

Forçou sua mente a lembrar-se de onde a conhecia e, analisando o rosto da garota a sua frente por mais alguns segundos, lembrou-se. Era ela. A garota com que Klaus havia dormido em Las Vegas. Bem ali, na sua frente, após beijar o seu ex-namorado. 

Que mundo pequeno, zombou. 

Caroline conseguiu esconder a surpresa, tentando ao máximo agir com naturalidade, mas Megan ainda a observava com demasiada atenção. Os minutos pareceram se arrastar e então a compreensão se espalhou pelo rosto dela, fazendo Caroline arrepiar-se.  

Nós já não nos vimos antes, Caroline? 


Notas Finais


Então, o que vocês acharam? Será que a tal da Megan vai falar sobre o Klaus? Será que o Tyler vai descobrir sobre Klaroline? Comentem e presentem atenção nos capítulos, TODOS ELES tem informações bem importantes pro desenvolvimento da história!

Me desculpem se o capítulo não ficou lá essas coisas, mas é necessário que a história avance dos dois lados - MF e NoLa -. No próximo capítulo - que eu não sei quando vou poder postar haha - teremos Nova Orleans novamente e será explicado um pouco mais da situação por lá.

Então foi isso gente, espero que tenham gostado e até o próximo.

XOXO ~♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...