História Estações - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Fluffy, Kookv, Nn Project, Taekook, Vkook
Exibições 131
Palavras 1.032
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


- alerta de nicole trazendo taekook fluffy -

Olá leitores!
Essa fanfic aqui é o meu presente de aniverário para vocês. Não, meu aniversário não é hoje, e sim dia dois de dezembro. E por isso, eu fiz essa 4shot que vai funcionar da seguinte maneira:

- Eu vou postar o primeiro capítulo hoje (26), o segundo dia 28, o terceiro dia 30 e o último dia 2 (meu aniversário).

Espero que dê certo, porque na maioria das vezes que eu tento essas coisas de data e tudo bonitinho alguma coisa dá errada. Mas torcemos pelo contrário, não é?
Amém.

Bom, espero que gostem, vejo vocês nas notas finais.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Inverno


 

No dia em que eu te conheci, Jungkook, o inverno não poderia estar mais frio. Eram as últimas semanas de aula e tudo o que eu queria – precisava, na verdade – era que o ano acabasse logo e eu pudesse terminar o segundo semestre da faculdade de Direito. Mesmo que ainda tivesse mais dois pela frente.

Já fazia quase um ano em que eu havia me mudado para Busan e simplesmente não conseguia me acostumar ao clima exagerado da cidade. Em Fevereiro a temperatura caía excessivamente, nas férias o calor me fizera suar além da conta, e o final desse Novembro me obrigava a usar dois suéteres antes de sair de casa. A atmosfera daqui era completamente diferente do que eu estava acostumado, porém, correndo pelos corredores do campus naquele dia – já que acordar meia hora depois que o normal fora um imprevisto e tanto – eu percebi que esbarrar em alguém, levando ambos ao chão, fora o grande, e único, motivo pelo qual eu começaria a apreciar imensamente a estação gelada.

Aqueles meros segundos quais eu consegui encontrar seus olhos por entre os fios escuros e cumpridos foram suficientes para meu estomago começar uma festa, onde eu tentava de forma inútil acalmar as batidas descompassadas desse órgão deveras acelerado que chamo de coração, porém, como citado antes, fora em vão.

Eu me lembro de você questionar baixinho onde ficava a secretária e que – embora já tivesse visitado a faculdade uma semana antes, como sua progenitora aconselhara – estava completamente perdido. Eu sorri pela sua timidez e te disse o caminho que deveria seguir, mal me recordando que ficaria para fora da sala pelo resto do período por conta do atraso. Naqueles poucos minutos onde eu te vi pela primeira vez, quando você sorriu e agradeceu com uma breve reverência, foi como um estopim para que o lado esquerdo do meu peito voltasse a bater acelerado demais para um começo de dia.

 

Honestamente, eu não esperava te ver naquele mesmo dia, e foi exatamente o que aconteceu. Alguns dias depois, enquanto eu tentava convencer Jimin que realmente passaria a tarde inteira na biblioteca – e não com meus outros amigos que ele pensava existir –, eu te vi mais uma vez. Escondido na última mesa, cercado de livros e anotações que caiam no chão cada vez que você tentava as organizar. Considerando o fato – verídico – de que eu nunca fui alguém extremamente sociável, ainda tento entender o que me levou a andar até onde você estava, com um sorriso escapando dos lábios e um sincero “quer ajuda?”.

A partir daí, o que durou algumas prazerosas horas de conversa e eu pude realmente notar que seus olhos eram mesmo tão escuros quanto eu pensava ter visto, nossa amizade se deu início.

Eu achava – ainda acho – engraçado o modo qual nós conseguíamos achar assuntos tão facilmente para jogar conversa fora. Fosse aos intervalos das aulas; após o último sinal, onde eu me sentava junto de ti no refeitório e nós repartíamos um chocolate quente – embora você tentasse me seduzir a trocar meu doce vicio por um café amargo da cantina.

O final do ano veio rápido, assim como meu aniversário. Eu te disse dias antes que não gostava de comemorar o fato de ficar mais velho – mais idade, mais responsabilidades. Entretanto, antes que eu pudesse adicionar que também estava frio demais para fazermos alguma coisa, você bateu o pé e disse que eu não tinha escolha; era deveras adorável o jeito com que suas bochechas inflavam e você apontava o dedo para mim, exclamando que, ao menos naquele ano, eu não fugiria da data.

Você falava pelos cotovelos, Jungkook. E não foi difícil convencer Jimin a me contar o que você tinha planejado. Desculpe, mas eu realmente não gosto de surpresas. Porém, o baixinho conseguiu me enganar direitinho e, lá estávamos nós, dividindo uma xícara de chocolate quente, enquanto eu não me sentia ficar mais velho, e sim renovado.

 

Uma semana depois das aulas voltarem, você ainda não tinha aparecido. Eu me pegava indo todos os dias até o corredor que sua sala ficava – dois andares a cima do meu, quatro salas depois da primeira –, apenas para garantir que você não estava me ignorando. Porque não havia motivos para isso, e mesmo assim eu sentia que havia feito alguma coisa de errado. Eu me peguei sentindo falta de você, e nós havíamos nos conhecido a menos de três meses.

Quando você apareceu no meu dormitório completamente molhado e tremendo, segurando um copo de chocolate quente e uma bolsa grande demais nas costas, eu só consegui te abraçar o mais forte possível. O nosso primeiro abraço; e você riu, me apertando de volta com as mãos ainda levemente tremulas pelo clima frio. Eu quase senti vontade chorar, quase, mas antes que isso acontecesse eu já estava te obrigando a contar por que não havia ido para a faculdade, porquê havia sumido – ocultando a parte em que tudo isso me deixou extremamente exasperado por dias. Você tinha viajado para visitar seu irmão, e eu sabia disso, mas havia me esquecido; “você tem que procurar um médico para esse seu problema de memória, hyung”.

 Aquela uma semana sem te ver foi o suficiente para me mostrar que você conseguiu se tornar importante demais em tão pouco tempo, Jungkook. Se eu pudesse teria ficado preso em seus braços pelo resto dia; da semana, se fosse possível. Porque a saudade que você me fez sentir não há jeitos de explicar, não tem como comparar a nada do que eu já havia sentido; e me esquentar naquele frio inverno em seu peito foi como deitar em frente a uma lareira, ouvindo histórias de terror e sentindo meu coração se acelerar novamente.

 

A verdade é que, eu não me acostumaria ao inverno de jeito algum. Era frio demais e eu odiava a ideia de acordar e ter que me separar das cobertas para encarar mais um dia gelado que essa estação me proporcionava.

Mas você, Jungkook, foi o único a conseguir aquecer meu inverno. Você tornou esse período tedioso e gélido em um dos meus preferidos. Porque você surgiu naquele inverno, e, de alguma forma, eu sabia que ele ficaria marcado por muito tempo.


Notas Finais


Agradeçam a @taekookw por ter encontrado o capítulo nas mensagens senão eu teria desistido desse projeto.
Capa maravilinda pela @agwstd <3
Se encontrarem algum erro, me desculpem, eu revisei mas né, sempre passa alguma coisa.

Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...