História Estações - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Fluffy, Kookv, Nn Project, Taekook, Vkook
Exibições 96
Palavras 1.052
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, olá
Continuando com o projeto, espero que gostem!

Boa leitura e até lá embaixo.
Revisei mas é aquilo né, relevem os erros.

Capítulo 2 - Primavera


No final de Março, eu já estava, relativamente, exausto.

A faculdade estava bem mais rígida e com a entrada de novas matérias eu me sentia completamente perdido, não sabendo para onde correr e com amontoados de trabalhos jogados em cima da cama e nos arquivos do computador.

O que realmente era uma droga, era que a primavera estava batendo na minha porta e minhas responsabilidades eram a chave que me mantinham pra dentro daquele dormitório bagunçado e até um pouco frio. Resumindo, eu não poderia aproveitar minha estação predileta.

E, mesmo com muita relutância de minha parte, o culpado de eu ter acordado às três da manhã em uma quarta-feira e fugido do campus apenas para assistir o nascer do Sol e das azáleas, foi você, Jungkook.

Você me arrancou daquele casulo qual eu estava morando, me fez jurar que aquilo se tornaria um habito – no mínimo, uma vez por mês, e eu aceitei, obviamente –, e ainda, sem brincadeira alguma, me fez sorrir como eu nunca havia sorriso antes.

Por todo aquele dia, onde você e eu éramos protagonistas de um dorama de aventuras, correndo até a beira da praia e vendo aquela grande estrela se apossar do céu escuro; cantando canções esquecidas que tocavam no rádio do seu carro, como se só houvesse nós dois no mundo inteiro naquele momento; brindando xícaras de chá de um posto de estrada, fingindo sermos sofisticados demais para um lugar como aquele; rindo por minutos seguidos quando você se esqueceu de manobrar corretamente no estacionamento do centro, e nós acabamos ouvindo broncas e mais broncas de duas velhinhas que estacionavam suas lambretas; por todo aquele dia, eu apenas me senti feliz. Em nenhum momento me surgia à cabeça meus afazeres, obrigações e deveres.

Eu somente conseguia te enxergar ali, com os olhinhos concentrados no oceano, o cabelo voando com o vento, as mãos entrelaçadas com as minhas; aquele dia foi onde eu percebi que você me deixava feliz, Jungkook, como ninguém conseguia deixar, de um jeito complicado de dizer. Você me deixava feliz, e era só isso que eu sabia naquele começo de primavera.

 

Ação e reação. Todo mundo conhece esse ditado. Mas são poucos que compreendem o sentindo literal da frase. Aquele dia ficou tatuado em minha memória fraca, com certeza, porém, eu não poderia esquecer-me das consequências que aquelas nossas maluquices trouxeram.

Foram uma prova e dois trabalhos perdidos por minha parte, e três aulas da matéria onde você estava indo mal por sua parte. Resultando em Kim Taehyung implorando a Park Jimin o conteúdo perdido, e Jeon Jungkook correndo pelos corredores a procura da professora de Música. Eu confesso, ver você dar aquelas suas corridinhas a cada passo apenas para ganhar tempo me trazia lembranças não muito distantes, onde os dois corpos colidiam e meu traseiro ia de encontro ao chão.

“Hey, hyung, eu... Se não for incomodo, poderia ficar aqui no seu quarto? Quero dizer... Para estudar, estudar! Aish, eu não quero ficar sozinho e estou cheio de tarefas. E então?”

Mais uma confissão: te ver corado era minha nova coisa favorita. Suas maçãs ficavam rubras e os olhos escuros subiam e desciam, olhando para todos os lados ao invés de olhar diretamente nos meus.

E, foi assim, rindo da sua expressão envergonhada e simplista, que eu te deixei entrar na confusão que era meu quarto. Quarto esse que se tornou cenário de diversas tardes e noites gastas com risadas e conversas; além de muitas vezes em silencio e calmaria, enquanto só se podia ouvir os lápis correndo contra o papel e nossos trabalhos tomando forma.

 

Você combinava com música, Jungkook, todo mundo notava com isso. Não tinha um que não se apaixonava por sua voz, pelo seu jeito de arrumar o violão no colo, pelos olhares direcionados ao publico enquanto você ensaiava alguma nova melodia. E como todos os outros, eu também era um amante oculto do seu poder de surpreender através da música.

A grande – muito grande, devo acrescentar – diferença, era que eu tinha você cantando o tempo inteiro, durante todas as horas quando estávamos grudados, sem nenhum tópico para começar uma nova conversa, eu era agraciado pela sua voz angelical. E, quando eu te disse isso, bem com essas palavras mesmo, você me presenteou com seus dentinhos de coelho e aquelas suas bochechas vermelhas “Um dia eu quero te ouvir cantar também, hyung, sua voz merece ser ouvida”.

Como a primavera trazia suas flores, você me trouxe um novo sentimento. Um tipo de sensação qual eu não havia sentido antes. Algo como felicidade e ansiedade, que se misturava ao desejo de estar perto de você a todo o momento e começar a suar ao imaginar que ficaríamos presos naquele cubículo que eu chamava de quarto pelo resto do dia. Tudo isso mesclado com as clichês borboletas no estomago, ligadas ao sentimento desconhecido antes por mim de sentir-me completamente contente em sua presença.

Naquela primavera, eu descobri que te roubar-lhe um beijo não fora um ato muito pensado, mas também não foi de completo mal. Porque logo em seguida você me roubou um também. E depois mais outro. “Apenas mais um”, que durou o restante da tarde.

 

Não era uma novidade você me pegar observando o clima ameno que a estação aconchegante provia, sendo nos intervalos das aulas da manhã, na hora do almoço – onde aquela mesa mais ao fundo do refeitório acabou se tornando nosso ponto de encontro –, e até mesmo a noite, quando eu me sentia sufocado de tantas responsabilidades e abria todas as janelas, respirando fundo e sorrindo, sabendo que você me observava enquanto se remexia na cama, pedindo para que eu voltasse a me deitar para que você pudesse dormir.

E, do mesmo jeito que você me mostrou o quão bom poderia ser a estação anterior, eu consegui te proporcionar uma dar melhores primaveras que você já havia vivido – palavras suas.

A primavera era definitivamente minha estação favorita. Afinal, foi nela em que eu te beijei pela primeira vez, foi nela também que eu acabei ganhando o habito de somente conseguir dormir se você estivesse com seus braços a minha volta, foi naquela primavera em que eu dei tantos sorrisos que não poderiam ser contados. E, acima de tudo, foi na primavera em que eu percebi que estava completamente apaixonado por você, Jungkook.  


Notas Finais


Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...