História Estigma - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Konan, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Drama, Naruto, Revelaçoes, Romance, Sasusaku, Universo Alternativo
Exibições 59
Palavras 1.146
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, genteeeee! Demorei um pouco mais dessa vez, né?! O nome dessa demora é: faculdade! IAUHEIAUEHAIUEH' Não, sério. Amanhã é o último dia da minha semana de provas e o começo da minha semana de trabalhos. Let's cry.
Então, eu sei que a ação tá demorando muito a começar, mas eu quero dar um caminho okay e verossímil. Juuuuuuuuro que no próximo já teremos o verdadeiro início da ação, inclusive já tenho até um rascunho do mesmo. Por favor, não desistam da história, tá? ♥

CAAAAAAAAAARA, GOSTARIA MUITO M-U-I-T-O DE AGRADECER A TODOS OS COMENTÁRIOS, FAVORITOS E ACOMPANHAMENTOS. VOCÊS SÃO MARAVILHOSOS! ♥
E se eu demorar a respondê-los, juro, não é por mal. É que normalmente eu fico pensando em como responder da melhor maneira e tudo mais! Não desistam de mim também. :p
Ah! Terminei esse capítulo agorinha e ia revisar, mas tô ansiosa pra postar. :3

Capítulo 5 - O Primeiro Ato II


O carro parou em frente a uma casa grande, com um design simples e um jardim verde e florido. As sobrancelhas de Sakura se arquearam em surpresa; aquela parecia uma casa típica de famílias grandes e não uma casa do tipo de amigos que Sasuke poderia ter.

Bem, aparências podem enganar, pensou.

A porta da frente da casa se abriu no mesmo momento em que Sasuke saiu do carro, revelando uma mulher de estatura média e com longos cabelos loiros. Realmente, ela não parecia alguém com quem Sasuke nutriria uma possível amizade. Duas batidas na sua janela a trouxeram para a realidade. Ele estava parado, indagando-a em silêncio. “Por que diabos você ainda está no carro?”. Conhecia-o há um dia, mas podia ouvir com clareza a voz dele dizendo exatamente isso na sua cabeça. Engraçado como a necessidade torna tudo tão familiar em pouco tempo. Abriu a porta devagar, tímida ao sentir o olhar da mulher em si.

Seguiu os passos de Sasuke pelo jardim, analisando tudo ao seu redor até chegarem à varanda. Olhando de perto, Sakura notou, a mulher não parecia tão nova; pelo contrário, ela se classificava muito bem na casa dos trinta e poucos anos.

— Amiga sua, Uchiha?

 O rosto angelical e de aparência tranquila não combinava com a voz autoritária e até mesmo rude. Um arrepio transpassou pelo corpo de Sakura sem motivo, fazendo-a agarrar o pulso de Sasuke e recuar dois passos. O movimento atraiu ainda mais a atenção para si.

— Sakura? — Sasuke a chamou, deixando a voz transparecer a confusão dele com o ato. — O que foi?

Não respondeu de imediato. Nem nos próximos vinte segundos. A própria Sakura não entendia direito o que havia acontecido. O seu corpo se moveu por puro instinto, no automático, sem que ela desse nenhum comando direto. Continuou encarando a mulher: olho-a-olho, quase em desafio. E Sakura não cederia por livre e espontânea vontade, contudo o aperto da mão de Sasuke em seu ombro a fez voltar o olhar para o chão.

Uma risada arrogante soou.

— Podem entrar. Algo me diz que isso vai ser interessante.

Passaram direito pelo pequeno hall de entrada, indo até a sala, onde dois grandes sofás em tom bege estavam um perpendicular ao outro, com uma mesa de centro na frente. Sentaram-se, o silêncio predominando por alguns minutos, até a mulher se exaltar.

— Vão contar ou não?

Sasuke revirou os olhos escuros. Ele não havia ficado quieto por não saber como contar a última loucura da sua vida ou qualquer outro motivo fútil desses, mas sim porque ele esperava que alguma das duas falasse sobre a cena do lado de fora. Estranho era pouco para descrever o que aconteceu na varanda. Decidido a ignorar tal coisa por hora, ajeitou-se melhor no sofá e começou a contar.

— Uchiha, você se supera a cada vez. Como pode ter se metido num problema sem nem saber dele? — Suspirou. Voltou-se para a Sakura. — E você não se lembra de nada? Mesmo?

Sakura olhou de esgueira para Sasuke, e se odiou por isso. Ela podia responder por si mesma, não necessitava da aprovação ou nada vindo dele. Mas o fez mesmo assim. De certa forma, precisou fazer. A mulher a sua frente, que descobriu pela boca de Sasuke se chamar Tsunade, para ela, exalava desconfiança, contudo parecia ser alguém em quem ele confiava.

Sentiu-se uma idiota novamente ao constatar que confiava o suficiente nele – em pouco tempo – para confiar em Tsunade também. Abaixou a cabeça, irritada e confusa.

— Não me lembro de nada.

As sobrancelhas loiras se ergueram, acompanhando o sorriso mínimo de canto nos lábios.

— Pode nos deixar sozinhas, Uchiha? — Sasuke não levantou. Estranhamente, confiava em Tsunade – e ele não confiava em quase ninguém –, afinal ela sempre lhe ajudava, mas não o suficiente para deixa-la sozinha com Sakura, principalmente depois de notar o possível desgosto da garota com a sua “conselheira”. — Isso não foi uma pergunta, foi uma ordem disfarçada. Agora, se manda daqui e me deixa conversar com essa garota!

Olhou para a Sakura, em uma pergunta silenciosa. Ela não conhecia Tsunade, então era normal sentir-se acuada. Inesperadamente, quando encontrou os olhos verdes dela, não viu medo algum; apenas a mais pura determinação.

— Pode ir, Sasuke-kun.

O cansaço o dominou, e ele levantou, acenando. Foi até a cozinha, atrás de uma boa dose de álcool necessária para continuar o dia que já começou estressante. Sem isso, Sasuke tinha certeza, ele iria acabar enlouquecendo de verdade.

Enquanto isso, na sala, as duas mulheres continuavam se encarando, silenciosas. Sakura, sem deixar se abalar com o olhar de aço da mais velha, ergueu o queixo em uma disputa inexistente. Não era uma antipatia recém-nutrida, nem nada do tipo. Era o puro receio falando, a desconfiança.

Não continuaria com isso.

— Então — Tsunade soergueu-se no sofá, com um sorriso desafiador —, qual é o seu problema comigo?

— Eu não te conheço.

— Mas você também não conhece o Uchiha.

— É diferente! — A voz de Sakura oscilou. — Sasuke-kun foi jogado nisso. Ele sabe tanto quanto eu.

Ergueu-se do sofá, olhando a rosada de cima. Tsunade podia sentir seus poros ardendo com tamanha coincidência. Não. Pensando melhor, ela sabia não se tratar de uma coincidência. Elas não existiam.

— Como pode ter tanta certeza disso, menina? Você estava desacordada, não? Então, como poderia saber se o próprio Uchiha não escreveu aquele papel? Ou se ele mesmo não armou toda aquela cena com Hidan?

Sakura emudeceu. As esferas verdes se abrindo com o baque das palavras em cima de si. Tsunade tinha um ponto; e um muito bom. Acreditou tão cegamente nas palavras do homem, mal questionou a situação, mal pensou. Pela terceira vez só nesse inicio de dia se sentiu ridícula. Estava criando confiança em alguém que não poderia confiar.

Por outro lado... não. Não havia outro lado. Observou o homem, notou o quão bem ele poderia esconder os seus sentimentos, e mentir para ela não parecia ser uma tarefa difícil.

Podia ouvir suas barreiras e confiança ruindo. Em menos de 40 palavras, tão pequenas e simples como formigas, sua base foi destruída com força total.

Sasuke Uchiha era suspeito. Muito suspeito.

E sua cabeça entendia isso muito bem.

Já o fundo da sua alma, lá onde o vazio se encontrava, não o fazia. Era um sussurro fino, perto da sua orelha, dizendo-lhe que não era ao todo ingênua. Que não havia tido uma decisão ridícula.

— Se eu fosse você — continuou a mulher —, ficaria longe dele.

Desviou o olhar de volta para ela. A determinação dentro de si inflamando. Levantou do sofá também, peitando a outra.

— Vai ter que me obrigar.

Só desfocaram do conflito quando a risada fria e sarcástica soou na sala de estar. Carregando um copo cheio de uísque na mão direita, ele caminhou até elas. As veias em seu pescoço saltavam devido ao nervosismo.

— Não acham um pouco ridículo e humilhante brigarem por mim? 


Notas Finais


Hááá, tô tentando melhorar minha narração. Não usar tantos dialogos e tudo mais. Se alguém tiver alguma dica, eu aceito, tá? :3

E então, o que acharam? Surpresos com a Tsunade ser amiga do Sasuke? Vocês já têm alguma teoria? Deixem suas opiniões! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...