História Estigmas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Xiumin
Tags Xiuho
Exibições 33
Palavras 1.557
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Homossexualidade, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bem... Isso que dá você ter saudades de escutar a voz e a música do V, criar uma coreografia para ela e quando nota ela tem tudo para explicar um sentimento seu e do seu personagem e quando vê a tarde foi bad e choro, mas eu gostei do resultado!

Talvez seja confusa, as entrelinhas não são para serem misteriosas apenas saem como entrelinhas naturalmente, talvez pareça confuso pela forma que usei muitas metáforas, mas é para associar as coisas, para terem uma ideia da dor, uma ideia de como é estar assim

Espero que você consiga entender Coelhinha, e eu sei que vai ficar com raiva, mas ele está assim agora, e não ache que estou a dizer que o Jun não presta, pelo amor de Afrodite! De qualquer forma tente não ficar com raiva

Boa leitura meus marshmallows~~

Capítulo 1 - Capitulo Único- A ferida apenas fica mais profunda


Eu tenho escondido isso, vou te contar uma coisa

Apenas para deixar enterrado

Agora eu não posso mais suportar isso

Por que eu não podia dizer, então?

Tenho estado ferido, de qualquer maneira

Realmente, eu não posso suportar isso

 

Eu tenho que te contar, por que isso está a me sufocar e eu não quero lhe machucar.

Eu tentei de toda forma me amar, lhe proteger, e nunca me machucar, mas veja só, a tempestade em mim veio e quebrou a barreira, e agora eu estou sem munição e soldados.

Eu não sei nem por onde começar está passando um furacão por aqui, e ele é desgovernado, tendo o único objetivo de destruir tudo que habita dentro de mim, é... Eu me sufoquei, eu me engasguei, eu perdi o controle dos raios.

Eu tenho que te contar, mas por onde começar? Poderia ser pela parte que eu te destruo, poderia ser pela parte que eu me destruo, mas eu já estou atuando nela, então vamos à parte que você quer ir?

Eu sei suas inúmeras promessas de que iria ficar são reais, suas inúmeras demonstrações que morreria ao me perder são reais, mas eu não consigo, eu vou pensar assim, e eu não me importo que você tenha vontade de realmente me deixar por eu duvidar de você, mas essa é a minha mente e eu sei que você não há entende.

Você não entende o medo que me assombra, por você batalha para destruí-lo, você não tenta entender o inimigo.

E eu nem faça questão que você entenda, se você já tem medo do que eu deixo você ver o que minha mente faz contra mim mesmo, imagina se eu lhe deixar ver o resto, você vai achar que eu vou morrer a qualquer momento.

A doença muda sim a pessoa, por que é ela que nos cria.

 

Agora chore, é só que eu realmente lamento muito por você

Mais uma vez, chore, porque eu não consegui protegê-la

 

Lembra-se? A tentativa claramente má sucedida de lhe curar, de te concertar, mas eu não consigo, eu já cansei de lhe avisar, de tentar-me auto curar, eu não tenho poder nem sobre mim mesmo, imagine sobre outra pessoa.

Eu tentei proteger pessoas que me queriam morto, eu tentei não me machucar, mas o sangue sempre escorria entre meus dedos, eu decidi que chorar era melhor, mas eu acabei por machucá-la, alguém que nada tinha para sofrer.

Talvez eu apenas quisesse gritar e ela tampar seus ouvidos para não me escutar, e eu nada podia fazer, eu nunca posso fazer.

Talvez se eu te afastasse você não sofreria como ela sofreu.

 

Mais profunda, mais profunda, a ferida só fica mais profunda

Como pedaços de um vidro quebrado que eu não posso reverter

Mais profundo, é apenas o coração que se machuca todos os dias

Você, que foi punida em meu lugar

Você, que era delicada e frágil

 

Eu deixei a ferida aberta, ela se infeccionou, e por assim ficou, tomando conta de todo meu corpo, até chegar a meus pulmões retirando meu ar.

Mas dizem que o coração você não deve deixar ser levado, mas eu deixaria por que a cada dia ele pesa, e eu não sei mais aonde eu posso me machucar, por que estas estigmas estão por todo lado

E o meu ar falho deixa elas queimando toda vez que eu seguro algum vidro, toda vez que ele entra em contato com o sujo sangue escarlate, tudo em mim é sujo.

Eu já pedi desculpas a ela, mas era tarde demais, eu já havia a destruído... E se eu te destruir, por que me diga a verdade como você sempre faz... Aguentaria respirar perto de mim ao se machucar?

Você não gostaria de conhecer o meu ar, ele é quente e carregado de mentiras.

 

Pare de chorar, me diga uma coisa

Tente dizer a mim, a quem não tinha coragem

Por que você fez isso comigo, então?

Me desculpe

 

Eu grito toda vez, apenas para sentir meus pulmões perderem seu ar e tudo queimar, eu grito para todos, com a ilusória idéia que em alguma hora o som não vai ser abafado pelas lágrimas e alguém consiga me escutar, por que eu estou lá, encolhido em um canto da vasta sala chamada escuridão, dedilhando meus dedos por algo que insisto chamar de perdição apenas ouvindo as falsas teclas do piano chamadas de solidão.

Eu estou a procurar as respostas que ele disse ter deixado, eu vasculho tudo dentro de mim para ver se nas cicatrizes algo eu possa encontrar, mas parece que tudo voa entre meus dedos ao tocar em algo que possa a luz me trazer.

E eu não sei como lágrimas eu ainda posso ter, eu já perguntei, mas ele insiste em não me deixar, eu já tentei o fazer admitir que não terá coragem, eu só quero que ele fale algo, admita quando o ar de seus pulmões eu roubar.

Apenas responda-me se você aguentará me ver em um hospital toda vez que algo eu querer destruir, toda vez que esse algo for eu mesmo... Você terá coragem?

 

Esqueça

Que direito eu tenho

De te dizer para fazer isso ou aquilo?

 

Eu não posso duvidar, não é? Eu não posso lhe fazer se afastar, não é? Eu não posso lhe obrigar a me deixar, não é?

Por que eu continuo a te perguntar, se todas as respostas eu já estou farto de receber?

Talvez eu tenha que duvidar de mim mesmo, talvez eu tenha que me afastar, talvez eu tenha que me deixar, desistir de mim mesmo antes que alguém faça isso por mim.

Porque se eu deixar as folhas voarem talvez eu não queira ir junto.

 

Me desculpe, me desculpe

Me desculpe, meu irmão

Mesmo que eu tente esconder ou ocultar, isso não pode ser apagado

Você está me chamando de pecador?

O que mais eu tenho que dizer?

 

Viu? Observou bem enquanto pode? Por que eu logo irei esconder essas estigmas, e me esconderei junto a elas, talvez eu suma, talvez eu suma com aquilo que você conhece como Kim Min Seok, por que ele nunca existiu, e talvez você queira correr desse verdadeiro, por que ele vai querer lhe corroer por inteiro, por que ele quer ar, ele quer luz, ele quer ser libertado.

O verdadeiro eu que tive medo de lhe mostrar, o verdadeiro eu com suas pecadoras estigmas correndo até por minhas veias sanguíneas.

O pecador que as pessoas tanto tentam queimar, que elas tanto conseguem machucar, aquele que em seus sonhos só o perdão costuma procurar

 

Me desculpe, me desculpe

Me desculpe, minha irmã

Mesmo que eu tente esconder ou ocultar, isso não pode ser apagado

Então chore

Por favor, seque meus olhos

 

Eu tentei esconder, mas aquilo flui como água em queda, se chocando contra as pedras, me banhando como o meu sangue banha as suas delicadas mãos.

Eu não enxergo, submerso nessa inquietação de lágrimas, eu quero voltar a enxergar para me achar, para lhe procurar novamente, aquele o qual eu amei e machuquei.

Então eu choro, mas isso apenas me cega mais e mais, eu não posso esconder o que eu sou, eu não posso deixar-me ser levado pela escuridão, mas ela é tão atrativa.

Leve as lágrimas consigo quando decidir me deixar, mas desculpe-me antes de tomar essa decisão.

 

Essa luz, essa luz, por favor, ilumine meus pecados

Onde eu não posso voltar o sangue vermelho está fluindo

Mais profundo, todos os dias eu quero morrer

Por favor, deixe-me ser punido

Por favor, me perdoe pelos meus pecados

Por favor

 

Eu quero você aqui, do meu lado me guiando, por que eu não quero voltar por aquele caminho, onde o sangue escorre pelas paredes, onde minha visão é ofuscada, onde meus ouvidos são tampados, onde meus gritos são abafados.

Eu quero ver a luz, eu quero ser perdoado, poder agradecer, não precisar chorar, eu quero ser banhado por amor, não por essas cicatrizes.

Eu quero você aqui, mas eu apenas vou lhe destruir, e por mais que eu tenha aceitado isso... Eu não quero lhe deixar, então, por favor, me beije e me liberte desses pecados, me de ar que necessito, seja a minha luz, ouça meus gritos, me mostre o sentido do “viver” não sobreviver.

Se você deixar, eu vou voltar, por aquele mesmo caminho que o sangue está fluindo, e esse sangue vai me levar junto a ele, sem eu notar, por que eu estou cego com essa escuridão.

Por favor, grite comigo quando eu te machucar, me de o seu ódio quando precisar, me deixei eu ser punido por lhe destruir, diga o quanto eu tenho razão ao dizer que te destruo, me destrua também, me deixe ser destruído, deixe a vida levar seu anjo caído para o inferno, como o verdadeiro pecador que sou.

Por favor, me liberte, me beije, me deixe morrer, por que eu apenas quero descansar, eu apenas quero gritar, eu quero que essa venda que insiste em me cegar seja apenas uma vaga lembrança, eu quero que essas estigmas apenas sejam uma parte de minha historia, então nessa noite fria, amor... Eu quero que esqueça Kim Min Seok, eu quero que me veja como o pecador que eu sou, eu quero que essas cicatrizes queimem junto a mim.

JunMyeon? Você ainda pode me ouvir gritar?


Notas Finais


Tenso? Bem... Eu nem sei o que falar aqui, talvez eu vá correr das pedras

Deixar algo claro, o Min não se suicida no final! Tem a tag suicídio por dar a ideia que ele quer se suicidar, mas essa vontade é causada pela borderline dele e ele passou por um evento traumático, o evento se repetiu, ele já perdeu seu irmão mais novo e a um tempo a irmã mais velha dele também morreu e agora ele passa pelo momento de depressão/raiva/vontade de suicídio/bipolaridade mais aflorados

Aqui também tem pouca coisa, é apenas... Não tem o que explicar, eu mal sei se dá para entender, e esse sim eu revisei, e gostei, por mais que a maioria das metáforas sejam minhas ><

Obrigado por lerem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...